Durante as “férias escolares” na Assembleia, o governador Renan Filho trabalhou para manter e até ampliar a sua base aliada.

Foram constantes, mais do que antes, até, os encontros palacianos com deputados, inclusive com alguns tidos como oposicionistas, caso de Marcelo Victor.

Aliás, o governador elogia o comportamento do parlamentar e garante que tem atendido na medida do possível, nesse momento, as demandas dos integrantes da Casa de Tavares Bastos.

A partir de hoje, ele poderá contabilizar os resultados do seu trabalho, que tem o secretário Fábio Farias como o principal interlocutor com os deputados.

A pauta de agora é a Lei de Diretrizes Orçamentárias, base do orçamento de 2016. O nó é a emenda impositiva apresentada pela deputada Jó Pereira (DEM), determinando a obrigatoriedade da liberação de R$ 72 milhões, em emendas parlamentares, no próximo ano.

Com o cenário de indefinição econômica até para o final de 2015, o governador teme que a emenda seja aprovada.

A sua bancada deve apresentar outra emenda – coletiva, mas não impositiva – no mesmo valor do ano passado: R$ 37 milhões, que os deputados poderiam distribuir entre eles, destinando recursos para obras nos seus municípios de base eleitoral – mas sem a obrigatoriedade de liberação – está claro?

Esta será a primeira prova de fogo nessa “nova fase” da relação Renan Filho-Assembleia, agora com laços mais estreitos do que no início do ano.

Para desespero de Collor, Janot será 'reeleito' hoje para a PGR
Cortar ministérios atende a Renan e Cunha, mas não ao país
  • Martinho Pinheiro

    Interessante a lógica alagoana. O RS, estado rico, da elite, “bem governado”, de gente inteligente, que aboliu por si só à reeleição e assim por diante.. vive a crise! Parcelamento de salários. Se isso fosse aqui, já pensou? Como não estariam soando as trombetas da inferioridade dos alagoanos. Temos os piores políticos, votamos errado sempre, o povo tem o governo que merece, o povo de Alagoas não aprende nunca.. Seria essa uma parte do discurso. Não vou torcer pelo pior nunca! Segura a peteca governador!

  • Consigliere Alagoano

    Governador, R.F. […]
    .
    SAIBA DIZER NÃO A DEPUTADOS “ ESFOMEADOS” POR CARGOS E AFAGOS…
    .
    Não conceda tudo que lhe pedirem, nem a todos. Não conceder é tão importante como saber conceder.
    .
    Dizer “sim” é fácil, mas é uma grande virtude saber dizer “não”. Aos que dirigem e gerenciam, é urgente dominar esta virtude. O segredo está no modo como o fazemos, pois mais se estima o “não” do sábio do que o “sim” do tolo.
    .
    Um “não” embasado satisfaz mais do que um “sim” seco.
    O “não” sorridente magoa menos. Existem os que primeiro sempre dizem “não”, ainda que depois digam “sim”, mas não tem valor, pesa muito a primeira impressão.
    Nunca negue de golpe: deixe que se desenganem pouco a pouco.
    .
    Tampouco negue por completo, pois ao fazer isso deixarão de depender. Deixe sempre uma pequena esperança que compense o amargo da negativa do pedido.
    .
    Que sua cortesia preencha o vazio do favor negado e que suas boas palavras supram a obra não realizada. Recorde, entretanto,que o “não” e o “sim” devem ser breves quando forem proferidos e longos quando forem pensados e decididos.

  • Luiz António Maciel

    Mota querido, você acha que José Dirceu irá aderir à delação premiada para diminuir a pena de mais uma condenação criminal, e em caso afirmativo a quem ele apontará como favorecido final, de quem ele teve a anuência a autorização para saquear a Petrobras em nome de um criminoso projeto de 40 anos no poder, você acha que finalmente ele delatara o poderoso chefão, ou suportará fielmente caninamente mais uma temporada na prisão?

  • Frederico Farias

    Enquanto isso, Lava Jato aponta que, entre 2010 e 2014, o príncipe-filhote se “valorizou”: recebeu 26 milhões em propina por contratos firmados pela BR Distribuidora.
    É…a batata assou!

  • barros

    ricardo, no meu entender quem liberava dinheiro para os municipios era o executivo, que era fiscalizado pelo legislativo.
    hoje está o inversos, o executivo fiscaliza o legislativo.
    como os deputados gostam de dinheiro para envestir no seus currais eleitorais.
    governador diga não a esses taturanos.