Cada um dá o que tem na luta contra o inimigo comum.

Assim, os senadores Collor e Renan Calheiros vão atuando em dobradinha nos ataques ao PGR Rodrigo Janot.

Collor, ao estilo, vai desfilando seu linguajar temperado com palavras colhidas do dicionário e linguajar nada protocolar, age como a infantaria do exército de lava-jatáveis.

Sumido das bandas do território de Alagoas (está por aqui, esta semana), o ex-presidente não perde a oportunidade de externar a sua insatisfação por ser o personagem principal da Operação Politeia, determinada pelo Supremo Tribunal Federal.

O desfile dos seus carros importados é, ainda, a cena mais comentada sobre a ação da PF (sob o comando do STF).

Ele tem sido a voz dos descontentes com Janot, apesar de ouvir uma solidariedade tão restrita quanto pouco recomendável.

Calheiros, ao longo dos, anos, desenvolveu um estilo um tanto mais sofisticado, de ações de bastidores que o levaram, por exemplo, ao retorno à presidência do Senado.

Ainda que sua reação tenha sido considerada “dura”, quando da Operação Politeia, ele se manteve dentro do script aceitável para quem ocupa o seu posto – e pode ter obtido, sim, algum ganho (mesmo que só de tempo).

É onde a luz não existe que age o presidente do Senado, contra o seu “inimigo” Janot.

O mandato do PGR se encerra no dia 17 de setembro. Se até lá ele não tiver apresentado as denúncias ao STF contra os lava-jatáveis, Janot corre o risco de, no mínimo, ganhar um chá de cadeira.

O caminho: encabeçaria – o que parece provável – a lista tríplice a ser eleita em 5 de agosto pelos procuradores do MP Federal; na sequência, teria seu nome encaminhado para a aprovação do Senado.

E aí, eis o busílis, a Casa teria todo o tempo do mundo para decidir se aprova ou não um novo mandato para o atual PGR.

Como não há prazo limite, o cargo seria ocupado, provisoriamente, pelo vice-presidente do Conselho Superior do MP.

Assim, nesse embate com o MP Federal, cada um dos lava-jatáveis dá o que tem.

Nota de Renan

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) rechaçou nesta quarta-feira (22), em nota enviada ao jornal Folha de S. Paulo, matéria publicada na edição de hoje do diário paulista sobre o processo de escolha do Procurador-Geral da República.

É a seguinte a íntegra da Nota Pública divulgada pelo senador:

“Em face da publicação de hoje (22-07-2015) intitulada “Renan cogita manobra para segurar recondução de Janot à Procuradoria”, cumpre-me rechaçá-la por ser totalmente improcedente.

O cargo da Presidente do Senado Federal exige a isenção, com a qual venho me pautando para possibilitar a independência do Legislativo.

A indicação é uma prerrogativa da Presidência da República e a apreciação é uma competência dos senadores.

A fim de evitar leituras equivocadas – de fontes sempre secretas – peço a publicação deste esclarecimento lamentando o fato de não ter sido ouvido antes da referida publicação.

 Senador Renan Calheiros Presidente do Senado Federal​

 

 

Santoro pede reforço de policiamento nos postos de fiscalização
Almeida vai se filiar ao PL ou ao PSD
  • Há Lagoas

    É mais uma prova de que o poder político – e financeiro – se sobrepõe a justiça neste Brasil de meu Deus!
    É a nossa República refém de interesses escusos, do qual o eleitor não pode se ausentar de ser cúmplice!
    A minha querida Alagoas resta o título maléfico de ser entre os entes federados o Estado que mais contribui no Senado com figurinhas espúrias… Caminhamos para o colapso econômico e ao que parece, os poderes entrarão em rota de colisão. Assistiremos estupefatos a decadência de um Brasil que insiste em não ser grande, mais pelos seus eleitores, do que pelos seus detratores…

  • BEL

    E VÃO VENCER. ALGUMA DÚVIDA? ISSO É BRASIL.

  • Luiz António Maciel

    É preciso se abrir a caixa preta da PGR, para que não se pairem dúvidas sobre as prioridades investigativas desse órgão e que o mesmo não se arvore como intocavel e não se confunda a figura do procurador, com ligações ainda não explicitadas, com a instituição.

  • Carlos Barbosa

    Será necessário tirar todos esses do poder, eleger pessoas de diferentes áreas da sociedade, para que se elaborasse uma verdadeira reforma política neste país, leis mais duras para acabar a impunidade politica e não fosse possível passar o mandato de pai para filhos, coibindo esta prática de tornar a Politica Brasileira em uma empresa privada de algumas famílias. Isso que estamos vendo é vergonhoso.

  • ARTUR

    Renan hoje tornou-se o camisa 10 da seleção dos MALFEITOS e por cima disso tudo foi escolhido o capitão do time. COLLOR é gandula do time de EDUARDO CUNHA / RENAN.
    Ex.: Collor, discursa largando o pau em JANOT, na PF e esse discurso serve para defender todos os participantes do MALFEITO, mas quem fica visado é só o Collor. ao terminar o discurso Renan usa da palavra apoiando Collor.
    Eduardo Cunha, se reúne com Renan e no outro dia faz o rompimento com PT/DILMA assumindo o afastamento dele, em seguida aprova CPI do BNDS, em seguida Renan fala nas TVs que apoia CUNHA e alfineta DILMA. É ou não é o capitão do time.
    Esse recesso POLÍTICO, é ou não é, pura malandragem dos MALFEITOS para esfriarem o jogo político.
    ESTAMOS PERDIDOS COM ESSE INOCENTES POLÍTICOS.

  • Constant Ramos

    E a nossa presidenta não tem saída a não ser tratar Renan com docinhos e rapapés. Sem o Senado a seu favor cresce a onda do impeachment.

  • Consigliere Alagoano

    ::
    TOLOS,
    … Os cautelosos nunca demonstram entender as suspeitas alheias: isso seria procurar ofensa. Tentam desmenti-los com um comportamento correto. B. Gracian.
    .
    Este tipo de Estratégia é coisa de “RÉU CONFESSO”, qualquer ATO a Janot ou a Moro, é uma “carta de CONFISSÃO”.
    ::

  • JEu

    Infelizmente, o nome do indicado ao PGR tem que passar pelo famigerado senado… Ainda bem que tem o pessoal da oposição para amenizar a situação (muito embora quando se faz a peneira do pessoal, quase ninguém escapa de algum “malfeito”)… Isso porque as casas dos representantes do povo (câmara e senado) estão “infestadas” de parasitos políticos… Meu Deus! Até quando….

  • Penedense

    Quem deve tem que se preocupar. Quando será que os políticos envolvidos na LAVA-JATO serão afastados e presos. Isso seria UMA VITÓRIA PARA O POVO BRASILEIRO.

  • RCesar

    Façam suas apostas:”QUEM ESTÁ MAIS SUJO?”

  • CARLOS FRANCISCO DE FARIAS

    Eram dois inimigos de outrora hoje são amigos figadal.Isso é política meu caro.Em se tratando de política tudo pode.

  • Barbosa

    Engraçado, Collor agora quer investigar o PGR, antes ele nunca se preocupou.

  • Rapaz!

    RAPAZ O CARA NÃO PAGAR O IPVA DOS CARROS DE LUXO DE SUA PROPRIEDADE! Será que ele usava “carteirada” como usa muitos de seus eleitores?

  • Edson Filho

    Será que renan. cunha, collor e outros elementos do senado e da câmara, representantes da parte podre do congresso, serão apoiados pela parte boa? Se tal apoio ocorrer, será uma vergonha nacional e internacional.

  • Jailson Bispo Gomes

    Na verdade esses nossos políticos sãos todos iguais principalmente nossos Senadores de Alagoas todos envolvido em corrupção.