A liberação do dinheiro do Fecoep para os municípios atingidos pela seca aconteceu em fevereiro, mas até hoje os recursos não foram repassados.

Os prefeitos protestaram, espernearam e receberam a “explicação”: foi a burocracia que manteve dentro do cofre R$ 1,5 milhão – o tal dinheiro liberado por Renan Filho – que atenuariam a situação “de calamidade”, na definição do deputado Ronaldo Medeiros, líder do governo na Assembleia, que esteve no Sertão no final de semana.

Acontece que tem muita gente, o que inclui prefeitos das áreas atingidas pela estiagem que já dura quatro anos, que acha que a burocracia tem nome e sobrenome, atuando de forma estratégica dentro do governo. Fazer caixa a qualquer custo seria a palavra de ordem. Tomara que não.

Os decretados de estados de emergência já caducaram, apesar de homologados pelo próprio governador, que promete ser mais ágil, agora.

Fato é que dinheiro anunciado não é dinheiro repassado – nem pelo Estado, nem pela União.

As prefeituras estão quebradas, sem recursos e pressionadas pela população sedenta.

Burocracia é nome de bicho ruim, daqueles que pegam, matam e comem.

Novela: Luiz Eustáquio Toledo só quer se aposentar "a pedido"
SMTT quer 10 de julho como data-limite para definir o edital dos ônibus
  • Laércio Moura

    Sobre burocracia, um exemplo do mal que ela faz à população: minha mãe mora na Pitanguinha e lá, esta a 7ª Delegacia. Está em reforma há mais de três anos. A obra está paralisada por questão burocrática. Segundo eu soube, o dinheiro tem, é de um convenio, está parado na conta. Enquanto isso o Estado paga mais de 10.000,00 no aluguel do prédio onde hoje funciona. É ou não é de se admirar?

  • carlos

    Se comentam,que o governador vai gravar um vidio encaminhar para os municípos atingidos pela seca.Tenham paciência que vai chover….Estou juntando dinheiro para o próximo ano de seca,que faltou tinta na caneta”.Me preparei a vida toda para ser governador”.Que decepção apesar dos 6 meses de discurso.Vai começar a governar quando….

  • Mudança

    Sr.governador chegou a hora da sua primeira atitude,mudar alguns secretários que não tem experiência e está travando seu governo alguns só tem muita pose , desejo boa sorte ao seu governo e confio no seu trabalho tanto que votei em vç.

  • carlos

    Burocracia faz escola e o gov.Renan Filh,segue a cartilha do prefeito Rui Palmeira:A campanha do monitoramento vacinal de fevereiro de 2015,campanha HPV ,março e influenza do mês de maio do ano em curso é um silêncio ensurdecedor,tanto da secretaria da saúde de Maceió e do prefeito.Alô,tem alguém das finanças da saúde que pode dá alguma notícia…

  • Henrique

    Ricardo, veja bem, com 100% de corrupção assolando nosso estado e nosso Brasil impossível esse dinheiro ser liberado da noite pra o dia de qualquer jeito, se já com toda essa burocracia, no mínimo 50% desse dinheiro vai ser desviado pela corrupção, imagine sem a burocracia.

  • Ricardo Gomes

    BURROCRACIA é tônica deste desgoverno.
    Aliás, pode investigar que o corte no número de comissionados atingiu os “Gestores de Convênios” que seriam servidores comissionados, ou de carreira com um cargo comissionado para dedicação exclusiva, que iriam monitorar os convênios de alagoas com orgaos federais.
    A economia do governo promoveu, sabiamente, este corte de servidores estratégicos.
    Vai ver que custa caro implantar recurso federal, monitorar estes, prestar contas. Uma economia de pano molhado numa cisterna de água.

  • Gustavo Ferreira

    Nobre Ricardo, comentário mais que feliz para uma situação absolutamente infeliz! A “burrocracia” não deve se sobrepor as necessidades mais essenciais dos nossos irmãos sertanejos!!! Nada, nada mesmo, justifica a demora de repasse, seja pelo Estado, seja pela União. Abraços juninos e na esperança do pronto atendimento de nossos irmãos sertanejos

  • JEu

    Para mim isso só tem duas explicações possíveis: ou é mesmo culpa da tal “burrocracia”, que sempre entrava os processos de liberação de verbas para coisas que beneficiem à população (pois se é para os interesses de alguns, aí a coisa anda que nem vento à favor) e quase sempre não consegue evitar a corrupção, ou simplesmente é “intencional” com o objetivo de “segurar” dinheiro no caixa do governo, sabe-se lá com que objetivo… Tá difícil mesmo nestas terras caetés e no Brasil inteiro… Ah povo sofredor!…

  • Vivo

    Boa tarde, Mota!

    Não é burocracia … é falta de grana mesmo, tendo em vista que o PT quebrou este país nos 12 anos de desgoverno, que descambou na Dilma reeleita.

    Veja as obras do PAC … desde o início que a coisa andava mal, mas sempre se disse que é coisa da oposição, de pessoas que queriam descaracterizar o governo que optou pelos pobres, etc, etc, etc.

    Agora está aí para todo mundo ver, inclusive aqueles pobres para o qual o governo sempre disse estar trabalhando e haver contribuído sobremaneira para que viessem a sair dessa condição sub humana.

    Não existe dinheiro real, visível, físico … existe apenas no orçamento que é para inglês ver.

    Lá vamos nós de novo, Mota. – Alagoas não consegue sair desse vício de verba federal … não consegue ser competente na captação de investimentos reais, factíveis e que possam tirar-nos do buraco em que nos meteram quando apostaram única e exclusivamente na cana de açúcar.

    Somos burros … sim, somos burros por permanecer num modelo econômico falido, do qual alguns dos Estados vizinhos saíram há tempos e mesmo com toda a desgraça, conseguiram ver outro horizonte.

    Alagoas segue sendo um modelo de incompetência; uma ilha de não-desenvolvimento na região … lamento pelos meus filhos, netos e bisnetos que para conseguirem realmente vencer, terão que estar subservientes a políticos tacanhos e administradores falidos.