A rápida reação da polícia, identificando a maior parte dos que participaram da queima dos ônibus, mostra que a situação ainda está sob controle.

O que não significa que não devamos nos preocupar com as ações que são desencadeadas a partir de ordens que saem de dentro dos presídios.

Mais do que nunca, é preciso retomar a “normalidade” dos trabalhos na área de Segurança Pública. As greves precisam chegar ao fim. Ou até ser evitadas, como no caso da Polícia Militar.

Hoje, as informações circulam com muita facilidade, e a tecnologia, por mais que se tente, não deixa de chegar à população carcerária – em nenhum lugar do Brasil (salvo alguns presídios de segurança máxima).

Os presos se organizam e se manifestam dentro de um código próprio, que os guia. Espalhar o terror, quando eles estão ser receber visitas dos familiares, por exemplo, é uma estratégia utilizada aqui ou em qualquer lugar do mundo.

A imagem das labaredas ou dos ônibus incendiados – por si só aterrorizante – cumpre o seu objetivo: chamar a atenção da população, provocando o medo, o que se torna ainda mais contundente em uma sociedade que vive, de há muito, a sensação de insegurança absoluta.

Alguém tem dúvidas de que os presidiários, principalmente os mais organizados, mantêm os seus contatos permanentes do lado de fora do sistema? As ordem saem de dentro das penitenciárias, mas os seus executores estão nas ruas, não identificados em números que haveriam de nos surpreender, se conhecidos.

Há uma oferta imensa de mão de obra com a meninada a quem nada oferecemos. Os serviços públicos de Educação, Cultura, Esportes – de novo eles – estão ausentes das comunidades mais carentes.

Diz o dito popular: “Cabeça vazia, oficina do diabo”.

O pior da história é que os homens fazem as vezes do personagem da escuridão.

A ação rápida e múltipla de ontem deixou claro qual é a resposta à pergunta lá de cima.

Investir na área de inteligência – como vem sendo feito nos últimos anos – é fundamental, no médio e longo prazo, para evitar a repetição das cenas assustadoras.

Não deixar que o pânico se espalhe é a missão de agora, do governo do Estado.

Os agentes penitenciários precisam retornar, de imediato, às suas funções. Não apenas porque já há uma ordem judicial nesse sentido, mas porque a ausência deles, em um ambiente permanentemente conflagrado, pode resultar em novos atentados.

Por mais difícil que seja para as finanças do Estado, buscar uma alternativa que atenda, pelo menos em parte, à categoria é uma exigência que se faz ao governo do Estado e ao seu chefe maior: Renan Filho.

O público com o qual esses servidores dividem o seu cotidiano já foi retirado das ruas porque representa um perigo para a sociedade.

Não há de ser diferente para os agentes penitenciários. Reconhecer isso é uma obrigação do governo e da sociedade.

O trabalho das polícias vem sendo feito satisfatoriamente, até mesmo nesse caso, mas é preciso ir muito além, se não quisermos viver de novo o terror de ontem.

Eis as tarefas de agora. Mas isso é apenas o começo do longo caminho a trilhar para que possamos viver em um ambiente de – razoável – paz.

TC aprova por unanimidade lista tríplice para escolha de conselheiro
Judson Cabral descarta qualquer candidatura em 2016
  • Frederico Farias

    Acabo de ler no site da UOL que “Collor integrará CPI que investigará contas da CBF”.
    Dá pra acreditar na p…. deste país???

  • carlos

    Brasil é Brasil….Collor,na comissão da CPI…..Deixa para lá…KKKKKK

  • Rogério

    Todos da segurança carcerária tem conhecimento do uso de aparelho célula dentro dos presididos em alagoas…atualização de redes sociais e fotos dentro da cadeia….pq não se faz nada…? Quem ganha com isso? As quadrilhas são estruturadas dentro das cadeias…Facebook,whatsapp e tudo que é rede social…

  • Consigliere Alagoano

    Ocupações tardias… falta uma ESTRATÉGIA MILITAR em várias frentes…
    .

    *A DOSE É SIMPLES
    A cada RETALIAÇÃO, uma Bairro da Vizinhança OCUPADO, assim fazendo uma ASFIXIA [ De Verdade].
    Só há uma forma de RESPONDER ao tráfico, SUFOCAR o DINHEIRO, e isso não algo novo não é?
    .
    A pergunta que fica LATENTE na CABEÇA dos CONTRIBUINTES locais…

    – NENHUMA PRISÃO DE “P-E-S-O” DE ALGUM TRAFICANTE DE VERDADE;
    .
    – NENHUMA AÇÃO QUE PROVOQUE PREJUÍZO FINANCEIRO A TRÁFICO;
    .
    – A SUB-UTILIZAÇÃO DA FORÇA NACIONAL, QUE ESTA PRONTA PARA OPERAÇÕES DE ” ASSALTO” EM AMBIENTES DE DIFÍCIL ACESSO;
    .
    – NENHUMA RETOMADA DE TERRITÓRIO, NITIDAMENTE “C-O-N-T-R-O-L-A-D-A” POR TRAFICANTES… so fala em tempo indeterminado, mas não se passa mais de 60 dias…
    .
    Se TEMEM um CONFRONTO, já que ELES estão sempre em áreas urbanas, utilizem o principio do jogo GO, que indica “ATAQUES INDIRETOS”, e não como fazem hoje, utiliza, a lógica do XADREZ.

  • JOSÉ OLIVEIRA DE SOUZA

    E SE A PM AQUARTELAR COMO E QUE VAI SER.

  • Paulo Rostner de Olivença

    Caro Ricardo Mota, faço minhas as palavras do Sr. Consigliere Alagoano, pois sem a ocupação(leia-se EDUCAÇÃO, CULTURA E LAZER) das áreas sob o domínio dos traficantes e sem um combate eficaz nas movimentações financeiras dos cabeças do tráfico de drogas, nada estará sob controle, apenas vamos revidar quando houver uma provocação da organização criminosa.
    Só agindo com inteligência e rapidez, para isso exige-se recursos, iremos mitigar o avanço do tráfico de drogas em Alagoas.

  • oSistema é Bruto.

    O governo é soberano, se ele quer, ele faz. O problema é que ele não quer.
    A privatização do sistema prisional nada mais é do que uma camuflagem para roubar o erário. Um preso “publico” custa ao Estado em torno de 1.200 reais, enquanto o preso privado custa em média 4.500 reais. Como explicar que a terceirização é o melhor caminho para custodiar presos?
    Isso significa transforma a escória humana em mercadoria valiosa. Nos presídios hj temos 4 refeições diária,médicos, psicólogos, psiquiatras, dentistas,assistentes sociais, advogados, defensores,ensino profissionalizantes, trabalho, alfabetização…Se qualquer família tivesse pelo menos trabalho e saúde, já seria uma maravilha!!!
    PT – Partido da Destruição familiar!

  • JEu

    Apenas complementando o que disseram o Consigliere Alagoano e o Paulo Rostner gostaria de acrescentar que, como qualquer comércio, o tráfico precisa de “consumidores”, pois sem consumo não há comércio. Se pudéssemos socorrer as classes mais necessitadas com educação de verdade, saúde, lazer e esporte de qualidade e geração de emprego e renda, aí com certeza já reduziríamos bastante o uso de drogas mais baratas, porém mais letais, como o crack. Aí poderíamos tentar conscientizar (o que seria, a meu ver, mais difícil) os consumidores das classes mais abastadas, pois mais conscientes por já ter acesso aos benefícios acima citados, só faltando para estes uma consciência ética e moral mais forte em sua formação de caráter. Por isto sempre digo que, sem uma moralização e formação ética maior de nossas elites, todos os outros trabalhos de melhoria social ficarão prejudicados. O exemplo mais atual está aí na operação lava-jato, que demonstra claramente qual o “valor” que muitas dessas pessoas da alta sociedade dão à ética e à moral social.

  • JAOliveira

    A polícia não pode perder, se o bandido se impor, a policia ficará desmoralizada e toda a sociedade Alagoana perde. A polícia é feito de homens que merece respeito.

  • luis

    É verdade Ricardo, exige o fim da corrupção urgente, caso contrário teremos sempre duas facções criminosas, a POBRE com os PPP ( pretos, pobres e prostitutas) e a dos PODEROSOS ( bem, não vou cognominar senão vc não irá postar).

  • ARTUR

    Frederico Farias, a mesma perplexidade que você teve eu tive, fique como anestesiado sem acredita no que estava escutando e vendo. Como pode nos tempos de hoje com tanta informação em cima da hora e pessoas desacreditadas moralmente, sendo indiciado em ¨MALFEITOS¨ e sendo apresentado com pessoa ilibada para apurar ¨MALFEITOS¨ de outros iguais? AINDA NÃO ACORDEI, PELO QUE VI e OUVI , CONTINUO ACREDITANDO QUE FOI PESADELO.
    Nosso pais virou um PARAÍSO do MALFEITO.

  • MARCÍLIO TAVARES DA GUIA

    As fogueiras in-sanas que aparecem nesses tempos de festas juninas, adverta á população que o perigo é REAL, os bandidos agem sem PIEDADE, somente um milagre de SÃO FRANCISCO, pode nos salvar, senão teremos que andar pela via ATLÂNTICA, e em belos e saudosos VELEIROS, para ir ao trabalho, ou ás compras nessa nossa linda MASSAYÓ.

  • José Adelfo Dantas Chaves

    Incendiar coletivos, creio que só no Brasil não é visto como terrorismo, porém, não possuímos lei que combata este crime hediondo, sabem por que? A nossa Presidenta, apesar de ter se comprometido com vários países do mundo, após o ataque as torres gêmeas, em criar uma Lei para combater estes crimes, simplesmente se esqueceu.

  • Thiago

    São muitos especialistas em segurança pública estes jornalistas. Kkkk

  • Thiago

    Agora a força tarefe é imprescindível, quem diga os especialistas advogados, jornalistas, psicólogos, sociólogos, são os oportunistas. Qdo atingir a parte elite da sociedade vão chamar à polícia. Mas qdo fumam unzinho, bebem e dirigem, qdo desacatam, a puliça não é bem vinda, não é dotôr welton?

  • Lu

    A verdade é que virou uma Briga Particular entre Bandido e Polícia onde o Bandido mata um policial e a Polícia mata o Bandido, e no meio desse confronto fica a sociedade, vítima direta dessa violência!