O governador Renan Filho pulou uma fogueira, e tomara que não precise fazê-lo de novo, já que os queimados seriam os usuários do HGE.

O que aconteceu?

No último final de semana, sempre de intensa movimentação, o Hospital Geral do Estado pediu “socorro” aos hospitais da rede privada – a vários deles.

A relação dos produtos em falta no único hospital público de Maceió – e o maior do estado – era extensa e foi encaminhado às unidades privadas, que, felizmente, atenderam.

Na lista: aparelhos de barbear (para uso em procedimentos cirúrgicos), gaze, esparadrapo, medicamentos os mais variados e até resma de papel.

A crise havia chegado ao paroxismo.

Ontem, como sabemos, o governador resolveu intervir para dar um encaminhamento de solução à crise.

Talvez ele não soubesse – ou até ainda não saiba – o que o HGE passou no final de semana.

Tomara que, desta vez, a informação chegue até ele com clareza e sem temor.

Nem sempre haverá tempo para uma saída que evite o pior dos cenários. Mas o melhor caminho será sempre a clareza e a transparência.

No final das contas, o ônus e o bônus serão dele.

O "embuste fiscal" do senador Renan Calheiros
Assembleia Legislativa dá uma lição ao Judiciário alagoano
  • tania

    Que absurdo…..eu vi a diretora falando que os pacientes se adiantaram e compraram gaze e medicamentos, isso diante de uma reportagem que apareceu uma senhora na cadeira de rodas com as compras que a familia fez……RM, vc acha que alguem compraria gaze e medicamentos antes de saber que não foi atendido por conta da falta desses insumos? pode acontecer isso? Na SESAU , no gabinete da secretária tem muitos comissionados para que a gestão aconteça mas me parece que é só cabide de empregos!!!!

  • Alan Jorge

    Tomara que ele e nem o governo dele seja traído por falsos assessores.
    Ser mal assessorado pode prejudicar a população.
    E que ele não espere tempo ruim. Sempre terá!
    Agora só resta atitude, pouco conversa, e se antecipar aos fatos inanarráveis!!!

  • Liliane Ferreira

    Prezado Ricardo,

    Se foi feito tenho certeza que foi para salvar vidas, que é o bem maior da Constituição Federal.
    Destaco também que o desabastecimento não é culpa da Secretária, que é uma excelente gestora. A saúde é uma pasta especial, e precisa ser vista dessa forma. Abre o olho, sem dinheiro não se faz Saúde.

  • NADO

    PORQUE OS POLITICOS, PAGOS COM O DINHEIRO DO CONTRIBUINTE, QUANDO ADOECEM SÓ VÃO PARA OS HOSPITAIS SIRIO LIBANES OU ALBERT EINSTEIN, EM SÃO PAULO? PORQUE NÃO VÃO PARA O NOSSO HGE?

  • Emerson Miranda

    Ate parece que ele e os assessores imediatos e todos os outros CUPINCHAS APADRINHADOS, nao sabiam da situacao do hospital, quer agora fazer cena, para ganhar popularidade com as medidas que tera q tomar, muito a contra-gosto pois vai tirar muito $$$ do caixa do gov p a saude, mas isso certeza que eles acreditam ser desnecessario, pois caso contrario, nao tinha hospital publico pedindo esmola.

  • Maria Selma de Alencar

    Ricardo, por favor, a situação do HGE é de conhecimento até do MP.

  • bruno

    É por conta que o município de Maceió não tem uma catástrofe, se tivesse teria matéria até na CNN Internacional.

  • Joabe Lemos Peixoto

    Ricardo, só falta você me dizer que, a Dilma e o Lula não sabiam de nada também! Homem, respeita a nossa capacidade de raciocinar.

  • Cícero Nunes

    A verdade é seguinte: o remédio que tinha no estado foi Teo vilela que deixou, as obras foi Teo vilela que deixou, escola em tempo integral foi Teo vilela que deixou esse rapaz que fala carioca de nome renan filho nao fez nada ainda, só fez persegui servidor.

  • JEu

    Para mim, o que está acontecendo é que o governo (na área financeira) está escondendo as receitas, só para agradar e fazer o jogo do planalto, que quer, de todo jeito, impor uma reforma fiscal para “salvar” as verbas que precisam para “gastar” com os políticos da governabilidade, já que não é mais possível meter a mão nas empresas (pelo menos pelo tempo em que durar a lava-jato). Aí, para impressionar o povo, e fazer crer numa crise sem precedentes, estão apertando o cinto (ainda mais) dos mais pobres, porque rico não sofre nada com essa crise… É tudo uma grande armação…

  • luciano melo

    Essa entrada a la super-heroi do governador, parece
    um remake de um filme que já assistimos,e o ator se não
    Fernando Collor.

  • Cidadão alagoano

    Isso não é privilégio de Alagoas. O PT acabou com a saúde no Brasil. Mas o governo do reinãozinho também tem sua culpa porque está parado depois de 5 meses de desgoverno.
    É o molusco ainda vai dizer que o sus é exemplo!

  • J.Monteiro

    Meu caro Ricardo Mota, deixo umas perguntas para quem souber responder : essa crise, essa penúria, essa situação de mendicância do HGE, foi deixada pelo governo do Teo Vilela? E o governador Renan Filho não sabia disso? Essa situação será normalizada quando? E se o governo não pagar o que deve aos fornecedores, (ou não deve?), como fica a situação?

  • josejjj

    já estou com saudades do Theo, e muito cabide de emprego, esses cargos comissionados, falta a parte técnica, a verdade é que estamos lascados com essa gestão

  • Ricardo Fritz

    Gostaria de aproveitar e fazer uma denuncia: o Estado de Alagoas está há dois meses sem alimentar adequadamente os cavalos da Polícia Militar. A sociedade deve tomar ciência deste mal-trato a animais.