O senador Fernando Collor está correto ao pedir informações sobre o Ministério Público Federal, conforme iniciativa de ontem no Senado.

Ele apresentou requerimentos, aprovados pela Mesa Diretora (em dobradinha com Calheiros), pedindo que o MPF envie dados sobre passagens aéreas e diárias, desde o início de 2011, além dos nomes de integrantes da instituição que moram no exterior (uma novidade para mim).

É claro que eu estou curioso para saber o resultado. Afinal, o MPF vive do que pagamos de impostos.

Mas a iniciativa do ex-presidente deve ser entendida dentro do contexto em que ela é adotada.

Collor poderia solicitar, e obter, todas as informações pretendidas nos requerimentos sem precisar de discursos ou coisas semelhantes: isso já lhe seria garantido pela Lei da Transparência.

Mas ele age com grande malícia política.

O senador é o único político citado na Lava-Jato contra quem se tem provas documentais: os recibos de depósitos de Youssef, que ele nunca negou.

A raiva e a contundência fazem parte do jogo próprio da seara política.

Na verdade, o petebista tenta adotar medidas preventivas, fazendo barulho para frear algum “avanço” do PGR nas denúncias, propriamente, ao STF. Seria elle, é a antiga aposta geral, o primeiro da fila de denunciados ao STF (e não só investigados).

Há mais esperteza do que raiva nas contundentes declarações do senador. Ainda que ele acerte ao pedir informações sobre os gastos do MPF.

Elle é um homem agindo com as suas circunstâncias.

A suposta ameaça de "suicídio" de Dilma relatada por Renan Filho
Governador usa programa de computador na seleção de comissionados
  • Martinho Pinheiro

    “Ele é um homem agindo com as suas circunstâncias”. Ou seja, é um homem.

  • Há Lagoas

    Assim como o rei Herodes, Collor é um raposa!
    E que raposa!

  • Luiz Magalhães

    Imagino quando se descortinarem essas informações para o público em geral quantas ilusões desfeitas para quem imaginava o MPF um poço de virtudes…

  • ARTUR

    Esta atitude de COLLOR se assemelha a mentira de quem falou ¨ INDEPENDÊNCIA OU MORTE !¨ Estamos assistindo de camarote a falência dos PODERES e o desmoronamento de nossa INSTITUIÇÕES .
    NO BRASIL O ERRADO É QUEM ESTA CERTO.

  • Frederico Farias

    Esse collor me lembra o carnaval de Olinda…

  • Édson

    Agora o senador tem dúvida sobre a atuação do MPF? Por que não pediu antes? Sequer fundamentou seus pedidos aprovados pela Mesa Diretora! Medida diversionista, de quem quer desviar a atenção. Enquanto isso, não nega que recebeu propina dos acusados na Operação Lava Jato. Por que tb não pede ao brasileiro para sair às ruas, vestidos de preto, como fez em 1992?

  • Marcelo

    O carnaval de Olinda é coerente à sua finalidade. Mais respeito!

  • RCesar

    O tempo mudou para as artimanhas de Collor, era raposa e com certeza se tornarar uma coruja.

  • José Adelfo Dantas Chaves

    V I V A O MINISTÉRIO PÚBLICO(FEDERAL E ESTADUAL) VIVA A POLÍCIA FEDERAL.

  • Fernando

    Ele está certo no que pede, errado nos motivos. No Ministério Público Estadual não é diferente… muita coisa acontece por baixo dos panos e não é alcançado pela lei da transparência. Há como provar, por exemplo, Procurador gastando mais de 350 litros de combustível por mês, em veículo oficial que nem na ALE tem. Tem policial militar fazendo função de webdesigner. Motorista comissionado como administrador de sistemas. E por aí vai…