Não há a mínima chance de aprovação na atual legislatura do projeto que reformula a 17ª Vara Criminal da Capital.

O desembargador José Carlos Malta, presidente do Tribunal de Justiça, que enviou a matéria em fevereiro para a Assembleia, se disse muito preocupado com o andamento do projeto na Casa de Tavares Bastos.

Ele disse que conversou com o deputado Sérgio Toledo, que é o relator da matéria e ele afirmou que já deu seu parecer, mas que não sabe onde anda o projeto.

Há, sim, uma rejeição que parece intransponível por pelo menos parte dos deputados.

Se é possível mudar este quadro no próximo ano?

Tudo vai depender da disposição do futuro governador, Renan Filho, e a posição que ele assumir junto com a sua futura – e majoritária – bancada.

Há sinais, me conta um calheirista, de que o deputado Olavo Calheiros pode se empenhar na aprovação do projeto. Se isso de fato ocorrer, há chances de a 17ª Vara Criminal da Capital sobreviver.

Pelo projeto, ela passaria a ter três juízes titulares, não podendo – como já acontece hoje – tratar de crimes contra a vida, mas terá atuação em todo o território alagoano.

A vara colegiada tem sido fundamental nos casos de corrupção investigados pelo Gecoc, principalmente, nas prefeituras alagoanas.

Eis, provavelmente, a real motivação para que o projeto não seja aprovado.

Jeanine Pires deve ser secretária de Turismo de Renan Filho
TJ deve reagir a Decreto da Assembleia que beneficia Dudu Hollanda
  • Bob Alagoas

    Com este quadro de deputados que temos será dificl aprovar.

  • Celso Tavares

    Ricardo,
    A definição do governador em relação à Vara definirá, talvez, o padrão que caracterizará AL nos próximos anos.
    Que uma pandemia de bom senso e sabedoria o aflija.
    Celso Tavares

  • José Adelfo Dantas Chaves

    Claro como água que a nossa GRANDE ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA não vai querer aprovar quem em futuro, talvez, próximo poderá investiga-la.

  • SEBASTIÃO IGUATEMYR CADENA CORDEIRO

    EU SEI QUE TIPO DE “VARA” SE PROCEDERÁ NESTA
    TERRA SEM LEI E SEM JUSTIÇA . . . JÁ CHEGOU A NÍ-
    VEIS DE TERCEIRO MUNDO A REPUTAÇÃO DA JUSTIÇA
    E SEUS IRMÃOS SIAMESES , A PULIÇA , LOGO ATRÁS ,
    PERDENDO POR UM CORPO , E , NA DIANTEIRA , DISPA-
    RADO , A NEFASTA CLASSE POLÍTICA “DESTEPAIZ” ! ÔMI!

  • João Alves

    Em breve vamos começar a perceber as reais vontades do futuro governador mais jovem do Brasil, Renan Filho.
    Todos esses passos serão visados pela imprensa nacional para saber se ele seguirá uma linha de gestão moderna e eficiente, nos moldes Eduardo Campos ou vai preferir ser um novo velho Renan Pai e Collor de melo, mantendo as velhas práticas que Alagoas tanto já conhece e se fez conhecida no Brasil.
    O livre arbítrio estará nas suas mãos e nós eleitores saberemos julga-lo no momento certo.

  • JEu

    O real problema para a rejeição do projeto da 17a é o que voce disse, Ricardo: a 17a investiga os crimes de corrupção e de formação de organizações criminosas. Dessa forma, querer que os deputados de Alagoas aprovem o projeto é querer que eles “façam um gol contra” os seus interesses…

  • Silvestre

    Não podemos esquecer que quem estrou na casa Tavares Bastos, não tem nem um compromisso com o eleitor, não ganharam as eleições.