O suplente de senador Euclydes Mello, está claro, “é um pote até aqui de mágoas” em relação ao ex-presidente da Câmara Municipal de Maceió, Galba Novaes.

Bem sabemos, Novaes emplacou o novo secretário estadual da Pesca e levou o seu PRB – mesmo partido de Euclydes – para o ninho tucano: ele é candidato a deputado estadual em coligação com o PSDB.

Surpreendentemente calmo, Euclydes Mello garante que não desistiu de retomar o controle do partido presidido pelo ex-amigo de infância.

Em rápida conversa, ele me garantiu que continua “trabalhando” para reverter a situação.

Se não conseguir, fica sem a vaga de suplente do primo mais famoso, ainda que elle consiga a reeleição.

Collor tem montado chapas em família: seus suplentes são Euclydes e Ada, ambos Mello.

Agora, pode ter de optar por outros nomes em quem ele não confia com veemência – quase toda a humanidade.

JL quer a vaga, mas o ex-presidente, se consultado sobre o tema, pode reagir ao modo.

Proibido de falar pelo Chapão, JL caminha para a aposentadoria
O advogado alagoano que virou medalha
  • SE SOUBER!

    Este PRB é nacionalmente comandado pelo “bispo” “Iludir mais-cedo” e teve sua contas rejeitadas pelo TSE! Ainda estão perdendo à AMIZADE de infância por causa disso? E por que o senador – entre os mais faltosos nas seções do SENADO só escolhe esses seus primos para seus suplentes? FAVOR, RESPONDA!. P.S.: Será que existe outro Estado na UF que tenha acordo politiqueiro mais esdruxúlos que em Alagoas. Parece até ue o eleitor alagoano vota inconsciente!.

  • Edmilson

    Isso eh o Collor se livrando do Euclides.

  • Constant Ramos

    Não pode existir coisa mais chata no mundo do que a política partidária. Tudo não passa de uma farsa. Homens de cabeça branca, moralmente mutilados, que na sanha do poder destroi amizades de infância, cospem no prato que comeu ao ponto de irmão desconhecer irmão, até mesmo os consanguineos, famílias se dizimarem, ódios se perpetuarem, como se tudo não fosse passageiro. O quadro político de Alagoas, traçado por essas mentes que estão aí, é tão complicado que nem FREUD consegue explicar.

  • Alari Rodrigues

    Todo mundo sabe que o Euclides Mello é capacho do Collor para quem serve de saco de pancadas.

  • João Bosco de Castro

    De deputado federal eleito por São Paulo, em 1990, a mando do primão-presidente (é claro… porque lhe faltam a capacidade e os votos), a mero chumbeta de partido nanico, uma espécie de Marcos Toledo piorado – que decadência, Ôcride!!!

    “A mãe diz pra eu fazer / alguma coisa / mas eu não faço nada / Oi! Oi! Oi! / A luz do sol me incomoda / então deixo a cortina fechada / Oi! Oi! Oi! / É que a televisão / me deixou burro / muito burro demais / Oi! Oi! Oi! / E agora eu vivo / dentro dessa jaula / junto dos animais / Oi! Oi! Oi! / Ôcride, fala pra mãe / que tudo que a antena captar / meu coração captura / Oi! Oi! Oi! / Vê se me entende / pelo menos uma vez, criatura! / Ôcride!!!”

  • carlos

    Euclydes Mello,não desiste é uma versão Collor,mais do que Collor!Quero dizer Euclydes Mello,ama no bom sentido o Collor mais do que o próprio!É Natural ,que Fenando Collor,faça essa escola familiar e o eleitor permite o poder em família,com vm acontecendo no estado todo!Coruripe é um exemplo de pai,para filho,de tio para sobrinho e de sobrinho para tio e no futuro de irmão para irmão e assim a coisa não muda nunca!A vice-prefeita de Coruripe é a esposa do prefeito Joaquim Beltrão se o povo gosta, eles gostam mais ainda…