Está marcado para hoje, às 15h, na sede do Tribunal de Justiça, o ato público pelas diretas-já nos tribunais brasileiros – inclusive o TJ.

A mobilização faz parte da proposta da Associação dos Magistrados Brasileiros e marca, também, segundo a presidente da Almagis, Fátima Pirauá, a passagem dos 50 anos do golpe militar que implantou uma ditadura de 21 anos no Brasil.

Duas PECs tramitam no Congresso Nacional estabelecendo a participação dos juízes de primeiro grau na escolha dos presidentes e vice-presidentes dos tribunais estaduais e federais.

Paralelamente, as entidades fazem ações políticas junto aos seus filiados e dirigentes do Judiciário estadual visando acelerar o processo.

A ideia parece interessante. Resta saber quantos magistrados efetivamente estão dispostos a encampar a luta para valer, com a devida exposição pública em defesa da proposta.

Vilela sobre o 4 de abril: "Não tenho mais compromisso com o calendário"
Eduardo Tavares responde ao blog: "O futuro a Deus pertence"
  • Sérgio Murilo

    Ato Democrático!! Muito interessante…

  • Claudia

    Pelo andar da caruagem, a campanha para presidente do TJ/AL, gestão 2015/2016 já deve estar a mil. Nos corredores do prédio-sede do Tribunal de Justiça de Alagoas comenta-se que o desembargador Pedro Augusto Mendonça de Araújo é a bola da vez, mas também se comenta que Pedro Augusto não teria interesse em assumir a presidência do TJ, pois sairia antes do termino da gestão, por força da aposentadoria aos 70 anos. Com a desistência de Pedro Augusto, a bola da vez fica com o desembargador James Magalhães de Medeiros.