Desde ontem, quando aconteceu o crime, circulam informações variadas sobre as motivações que levaram à morte do empresário Guilherme Brandão.

Se isto é normal no mundo “lá fora”, imaginem nas redações.

O cuidado que todos devemos ter, jornalistas ou não, é para que a vítima não seja apontada como “corresponsável” pelo homicídio, o que é comum na espécie da qual fazemos a parte.

Algo como responsabilizar a saia curta de uma mulher pelo fato de que ela tenha sido estuprada.

Se não houve latrocínio, uma das possibilidades analisadas pela polícia, qualquer outro caminho da investigação levará a uma conclusão, esta sim, definitiva: Guilherme Brandão foi a vítima.

As especulações, às vezes e ainda que inevitáveis, podem distorcer a nossa visão da realidade.

Quando “brincamos” de polícia corremos o risco de perder o foco primeiro do caso: não há justificativa plausível – quase nunca – para um assassinato.

Quem são os bandidos? Que a polícia os aponte. A vítima já é, lamentavelmente, conhecida.

Parecer de procurador-geral da Assembleia pode atingir 300 servidores "irregulares"
A segunda morte do empresário Guilherme Brandão
  • Alonso Barreto Silva

    Denuncia: ALE mente quando diz que pagou os salário de todos os funcionário. Na ultima segunda-feira somente os funcionário efetivos receberam e até a data de hoje nenhum comissionado recebeu incluindo o pessoal da faxina. Sendo que os deputados ja receberam seu salários e suas verbas de gabinete e onde estão os salário dos comissionados !? Porque não pagaram na segunda-feira junto com os efetivos

  • Jorge VI

    Ricardo, parabéns pelos textos sobre o assassintado do Guilherme.
    Testemunho que o conheci e conheço a sua família. TODOS,, sem exceção, são de bem e do bem.
    Lamento que AVES DE AGOURO queiram se aproveitar da desgraça de outrem.
    Essas não tem limites, nem mesmo respeitam a dor da família enlutada.
    Querer tirar proveito político de um fato tão triste, as colocam nos mesmos níveis dos bandidos que acionaram o gatilho,.

  • Jorge VI

    Nós, da sociedade em geral, que não somos do “ramo” da violência temos todo o direito de nos indignarmos com qualquer ato que não esteja dentro da lei.
    Mas as AVES DE AGOURO, não. Até porque muitas vezes os discursos são totalmente diferente das práticas.

  • Márcio Santana

    Ricardo a opinião de jornalistas do seu nível nos faz refletir e finalmente aceitar que muitos “profissionais” com diplomas sabe – se la de onde, teimam em manter a velha e intolerável imprensa marrom. Parabéns e um grande abraço.

  • Humberto Silva

    Ricardo, cidadãos de bem continuam enxugando gelo, sempre que acontece um crime de grande repercussão, surge manifestações. Não chegou a hora desses cidadãos irem as ruas exigirem punições severas para esses delinquentes. A polícia irá prender os dois criminosos e observem que eles já tem passagem na polícia e é assim, prende, nossas leis solta e eles continuam matando. Faltam manifestações pesadas na porta do congresso e aprovar novas leis o resto a BALELA.

  • Jose Desesperançado da Silva

    Conheci Guilherme há 14 anos atrás, naquele pequeníssimo Maikai da Av. Belo Horizonte. Na primeira visita etílica já percebi que era um algo novo em Maceió, teria vindo pra ficar. Bar aconchegante com um excelente serviço e o dono, muito jovem, querendo provar seu talento.
    Não preciso falar o que os anos vindouros conferiram ao empresário, sucesso e fama, tudo muito merecido.
    Hoje o mesmo já é finado de um dia, morte violenta e costumeira nessas e em todas as bandas dessa terrae brasilis. Mesmo sem ter mais esperanças, não sou leviano de vaiar ninguém…
    A violência urbana é um mal endêmico, produto direto não só da escassez de políticas públicas mas, no que toca aos nossos botões, da desagregação familiar, do consumismo excessivo, da volatilidade dos afetos facebooquianos, da nossa insensibilidade quanto aqueles que moram nas nossas grotas superpopulosas, enfim a culpa também, lá na origem do problema, também é muito nossa, só que é mais fácil vaiar e xingar os políticos do momento (aqueles mesmo que muito de nós formamos fileiras nas passeatas “Do Bem” nas campanhas políticas) do que procurarmos possíveis caminhos de solução? efetiva?
    Os bandidos, que devem ter entre 20-30 anos, foram também crianças há 15 anos atrás…Por que não procurarmos os políticos daquela época, que também devem ser “culpados socialmente” pela morte de Guilherme pelo fato de negligenciarem um futuro digno a esses rapazes que hoje são criminosos.
    Não sejam inocentes meus caros….direito penal está tão longe de solucionar nossos problemas quanto a probabilidade de Guilherme voltar a gerir sua bela empresa nos próximos dias.
    O problemas que me faz desesperançado é que nem a sociedade civil mudará (continuaremos insensíveis aos problemas dos outros) nem essa classe política podre alagoana que continuará a mesma….vamos apostar que em outubro os mesmos que comandavam nos tempos que esses bandidos eram crianças serão os mesmos que comandarão por muitos anos?
    A culpa e as vaias são justas apenas para um ou dois agentes….vaiemos nós também….úúúú

  • elaa

    Enquanto uns tentam tirar proveito, outros tentam responsabiliza-lo por sua propria morte. Qual a vantagem em apontar o erro da vitima e ocultar a do bandido? Com ou sem reacao, isso nao torna os assassinos menos culpados.

  • Ana

    Que a família de Guilherme receba meu conforto. Sentimos aqui em casa pela morte desse tao jovem e tao bom empreendedor que foi Guilherme.Descanse em paz!!!

  • Paulo Rostner de Olivença

    Caro Ricardo Mota, concordo com as suas colocações: nada justifica o assassinato covarde do empresário Guilherme Brandão. Entretanto, nós sabemos da falta de estrutura da polícia civil, faltam equipamentos e às vezes pessoal especializado para realizar a perícia, preservando a cena do crime.
    O que me preocupa é que o “Governo” Téo Vilela e a sua nova cúpula da segurança pública querem dar uma resposta imediata à sociedade que clama por segurança pública e justiça, e nesse ínterim as especulações são absolutamente aceitáveis, principalmente em período pré-eleitoral e de negociações nefastas da política alagoana.

  • Ednaldo Vasconcelos

    Um tiro, dois bandidos e várias vítimas. Quantas pessoas foram atingidas pela morte do empresário Guilherme que tanta alegria proporcionou aos alagoanos e turistas que nos visitaram ? Músicos, garços, baristas, bilheteiros, bandas locais, artistas nacionais …enfim, todos vítimas da estupidez de marginais que interromperam uma carreira em plena atividade produtiva. Sem esquecer o pior, o sofrimento dos filhos, esposa e dos Pais em reverter o ciclo natural da morte. Vai na Paz amigo. Diferente de muitos voce foi daqueles que marcou sua passagem aqui na terra .

  • RECEBER DO ERÁRIO SEM TRABALHAR É CRIME?

    O comentário de 27/02/14 as 10:32h referente a comissionados da ALE. Informo-lhe que receber do erário sem trabalhar também é crime. São mais de 500 servidores dessa casa, muitos deles nunca entraram na ALE-AL e recebem indevidamente. Tomara que a decisão de não pagar estas pessoas permaneça para sempre, porque elas também são AVES DE AGOURO e contribuem para aumentar as mazelas dos que pagam seus salários. Esse dinheiro devia ser investido na segurança , saúde, educação etc.

  • fernando costa

    EU NUNCA VÍ RETRATOS FALADOS TÃO FEIOS QUANTO ESSES QUE A POLÍCIA DIVULGOU ONTEM… COMPAREM COM AQUELES DAS POLÍCIAS DE OUTROS ESTADOS!!!… VÍ ESSES CARAS ONTEM A NOITE NO “CARTOON NETWORK”…

  • cristianomarinho

    Enquanto esse GOVERNADOR inoperante estiver no poder, muitas vidas ainda serão ceifadas! O que ele sabe é queimar nosso dinheiro, oriundo de nossos impostos, em propagandas enganosas.

  • fernando filho

    Que este crime não fique sem reposta, nos alagoas estamos fartos de tanta violência e impunidade , a policia tem de dar uma reposta urgente e colocar na cadeia estes bandidos e a justiça não permitir que os advogados de porta de cadeia os tire das grades, isto tem de ser feito, não por se tratar de uma pessoa conhecida, e sim por via de regra, parabéns RICARDO MOTA, pela postura e independência ao falar, e a família de Guilherme que Deus der o conforto neste hora tão complicada, e a vc Guilherme. DESCANSE EM PAZ!!!!!!!!!!!!!

  • JOSÉ CÍCERO DOS SANTOS

    O diretor do Detran/al e o cara de alagoas, sem respeitar a sociedade alagoana, os nossos Deputados e até o Governador. O cara acabou com a PERICIA DE ACIDENTES DO DETRAN/AL.

  • Lígia

    Caríssimos, infelizmente um jovem empreendedor esta morto, nada mais pode mudar isso. Excelente matéria, imparcial, como deve ser o bom jornalismo. Clamo a todos que parem de usar o argumento “reagiu ao assalto” como se a vítima fosse a culpada pela morte. Reagindo ou não ele foi vítima. Temos que deixar de culpar as vítimas por terem esboçado qualquer reação, como se fossem elas causadores da própria morte. Sabemos que ninguém deve reagir a uma ação criminosa, mas o homem é o momento, só sabe a reação quem passa por uma situação limite. Se reagiu ou não isso não importa mais…

  • Breno

    O secretário falou a verdade! Quem liga aqui se morre alguém no jacintinho? Deixem de hipocrisia! Estou acompanhado de perto o trabalho desse novo grupo na segurança. Muitas prisões e operações. Muito bandido morto. Muita gente atrás das grades. Será que vocês não enxergam isso? No dia da morte do pobre Guilherme, uma quadrilha inteira que realizava assaltos a banco foi presa. Alguém compartilhou essa notícia e tantas outras que são publicadas todos os dias? Não! Sabe pq? Pq atacar é melhor!!! Bando de hipócritas!!

  • Entony Ferreira de Araújo

    A segurança deste estado faliu completamente, não tem mais volta. As leis só beneficiam os bandidos, principalmente os menores de 18 anos. Quem quiser acreditar em um futuro melhor para o no estado, tem que acreditar que aqui não existe nenhum político ladrão.

  • antonio jose dos santos

    O STF considerou constitucional a utilização da regra de barreira em concursos públicos. O plenário deu provimento a RExt, com repercussão geral, interposto pelo Estado de AL contra acórdão do TJ/AL que declarou a inconstitucionalidade de norma de edital que previa a eliminação de candidato que, mesmo tendo obtido nota mínima para aprovação, não foi incluído entre os candidatos correspondentes ao dobro do número de vagas oferecidas.

    RExt 635.739

    O TJ/AL manteve sentença que considerou que a eliminação de candidato no concurso para provimento de cargos de agente da Polícia Civil de AL, em razão de não ter obtido nota suficiente para classificar-se para a fase seguinte, feria o princípio constitucional da isonomia.

    O Estado recorreu ao STF argumentando que a cláusula do edital é razoável e que os diversos critérios de restrição de convocação de candidatos entre fases de concurso público são necessários em razão das dificuldades que a administração pública encontra para selecionar os melhores candidatos entre um grande número de pessoas que buscam ocupar cargos públicos.

    Argumentos

    Na sessão plenária de ontem, o procurador do Estado de AL Gentil Ferreira de Souza Neto afirmou, em sustentação oral, que a regra foi objetiva e de conhecimento prévio dos candidatos. Alegou, em síntese, que a cláusula privilegia o princípio da isonomia e o poder de discricionariedade da administração. “Todos os concursos hoje em dia, em razão do número de candidatos, têm alguma cláusula nesse sentido. Os certames públicos envolvem valores dispendiosos, há dificuldade de organização de etapas subsequentes como o exame psicotécnico, físico, prova oral. Não seria razoável, dentro do espectro imenso de candidatos, que todos realizem as etapas futuras quando a convocação será de alguns poucos.”

    Por sua vez, a defesa do candidato sustentou a falta de regulamentação jurídica nos concursos públicos, que fica a cargo da discricionariedade administrativa, sem critérios. “O critério no caso específico não foi suficiente para atingir a finalidade pública. O concurso custa e custa caro, na perspectiva do executor, mas também custa caro para quem o faz. O candidato revela o mérito e essa prova não é avaliada por questão econômica? Ainda, há anos esse servidor foi investido no cargo. O que fazer com essa investidura? Amanhã ela estará sem efeito.”

    O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, observou que a fixação de cláusula de barreira não implica quebra do princípio da isonomia. Segundo ele, “como se trata de cláusula geral, abstrata, prévia, fixada igualmente para todos os candidatos, ela determina de antemão a regra do certame. A administração tem que imaginar um planejamento não só econômico, mas de eficiência do trabalho”.

    Votos

    O relator do recurso, ministro Gilmar Mendes, apontou que, com o crescente número de pessoas que buscam ingressar nas carreiras públicas, é cada vez mais usual que os editais estipulem critérios para restringir a convocação de candidatos de uma fase para outra dos certames.

    O ministro ressaltou que o tratamento impessoal e igualitário é imprescindível na realização de concursos públicos. Argumentou que as regras restritivas em editais de certames, sejam elas eliminatórias ou de barreira, desde que fundadas em critérios objetivos relacionados ao desempenho dos candidatos, concretizam o princípio da igualdade e da impessoalidade no âmbito dos concursos públicos.

    Ao analisar o caso concreto, o relator destacou que o critério que proporcionou a desigualdade entre os candidatos do concurso foi o do mérito, pois a diferenciação se deu à medida que os melhores se destacaram por suas notas a cada fase do concurso.

    Os ministros da Corte seguiram o entendimento do relator. Os ministros Barroso e Fux seguiram o voto do relator quanto ao mérito do recurso, mas ficaram vencidos quanto à proposta de modulação dos efeitos da decisão para manter no cargo o recorrido, que há oito anos se encontra no exercício da função por meio de decisão judicial.

    A decisão do plenário foi unânime e o entendimento deve ser aplicado em casos análogos que estão com a tramitação suspensa em outros tribunais.

  • Luciano Simas

    Precisamos mudar as leis imediatamente. dar mais educação, saúde e dignidade ao nosso povo. Mas a Lei tem que ser dura e presente a todo mundo, inclusive os de menor idade. E se tiver que construir centenas de novos presídios , vamos construir pois bandido que mata tem quer apodrecer nas cadeias. Temos que diminuir o poder dos advogados de cadeia que pouco se importam com a dor das famílias decepadas pela dor sem volta e sim apenas em engordar suas contas bancárias. Sei que vou envelhecer e morrer sem ver um Brasil melhor… espero que as próximas gerações tenham mais sorte…

  • Heleno

    Quanta diferença meu Deus ! Enquanto lemos texto elegante, sensato, abalizado e coerente, verdadeira aula de civismo e cidadania dada pelo comentarista José Desesperançado da Silva, logo abaixo encontramos um texto raivoso, politiqueiro, fora de propósito, e sem nenhum conhecimento da realidade que vivenciamos, emitido pelo Sr.Cristiano Marinho, que deveria nos poupar disso.

  • J. SANTOS

    O diretor do Detran/Al é o CARA DE ALAGOAS. Sem respeitar a sociedade alagoana, os nossos Deputados e até o Governador dos alagoanos. O cara acabou com a PERÍCIA DE ACIDENTES DO DETRAN/AL que funcionava a cerca de 50 anos. Esse pernambucano é o CARA.

  • J. Santos

    O diretor do Detran/al é o cara de alagoas. Sem respeitar a sociedade alagoana, os nossos Deputados e até o Governador dos alagoanos. O cara acabou com a PERICIA DE ACIDENTES DO DETRAN/AL. O mesmo trabalha para 10(dez) prefeituras. Auditoria no DETRAN/ JÁ!

  • Walkíria Bomfim

    Ao senhor José Deseperançado da Silva: Simplesmente, PERFEITAS todas as suas colocações.Parabéns!!!

  • janieide barbosa da silva

    Vergonhaaaaaaaaaaaa….. Maceió está nas mãos dos bandidos. O que será de nós hein governador? Não podemos mais trabalhar. Os policiais que estão nas ruas, ficam em portas de padarias e lanchonetes em troca do pão e do lanche. Quantos vão precisar morrer para que sejam tomadas as providências? Descaso total.

  • tania

    A desiguladade social tem levado Maceió a uma violência sem tamanho…..os bairros ditos de classe alta com seus belos prédios e carros altamente suntuosos faz com que os jovens menos favorecidos queiram usar esses bens de forma mais fácil….e ai partem para o roubo, a morte, o fim…..não é a toa que a BMW vendeu além de suas expectativas desde sua inauguração…..justamente no miolo do comércio mais sofisticado temos visto mais violência……meus sentimentos a familia do empresário e vejo sua morte como mais um capitulo dessa
    desigualdade gritante que estamos vivendo nesta linda cidade! Poucos com muitos bens e muitos sem nada……As pessoas querendo mostrar o que não pode, moro num predio em PV onde uma criatura não paga o condominio há anos e tem uma camionette modelo novissimo na garagem….outros q colocam seus filhos em escolas caras e não pagam a mensalidade….e por ai vai….estamos vivendo num mundo onde só vale quem ostenta, será?

  • Flávia Alagoana

    Dr. Eduardo! Sou sua fã!! Sempre fui desde quando sua aluna. Sei de sua batalha e de seu enfrentamento para a melhoria do nosso Estado. É irritante ler que politicozinhos de meia tigela querem denegrir sua imagem por conta de uma frase! E uma frase bem falada!! Tenho certeza que a maioria da população pensa como o senhor. Continue seu trabalho. Está sendo maravilhoso. Amo abrir os sites todas as manhãs e ver quantos bandidos foram presos e quantas ações estão nas ruas.

  • tania

    A desigualdade tem gerado mais violencia em nossa cidade….os bairros de classe mais favorecida com seus belos edificios e suntuosos carros faz com que os jovens sintam -se atraidos para o consumo…..lógico que isso é uma visão social, mas é a verdade! São poucos com muitoooooooooooooo e muitos sem nada, inclusive servidores publicos, incluindo ai os policiais q vivem nos estabelecimentos que conseguem lanches, pois seus salarios não lhes dão condição digna de vida…..nunca se viu tantos carros de luxo nessa cidade como agora e sabemos que a maioria são frutos de marucautaias nos diversos setores, municipal, estadual e federal……um empresário bem sucedido se foi e é preciso um olhar social para Maceió.

  • antonio xavier da silva filho

    O mal é sistêmico.Gramsci,mentor” espiritual “desse governo,
    sendo seguido nos minímos detalhes.Esquecemos a Histórai?
    Estamos repetindo-a,e pode piorar!!! A cartada(tacada) final é em outubro.Vamos reagir? “quem sabe faz a hora,não espera acontecer” Estamos brm pior que nos anos 60,concordam?

  • daniela cavalcante

    Jose Desesperançado da Silva parabéns pelas suas escritas, escreve mt bem. Ou é advoga ou psicólogo.

  • Psulo

    Ainda bem, que quando esse governador sair pra dar lugar a outro, todos os crimes vão acabar em Alagoas….ébaaaaa!!!!!!!

  • Paulo

    Ainda bem, que quando esse governador sair pra dar lugar a outro, todos os crimes vão acabar em Alagoas….ébaaaaa!!!!!!!

  • Luiz Fernando

    O único responsável pela morte deste jovem empresário por este crescimento assustador da violência é o Estado Brasileiro (Governo Federal e Governos Estaduais).
    Primeiro, o Governo Estadual não tem a capacidade de gerir as politicas pública e sociais visando a diminuição da criminalidade, ou seja, são totalmente incapazes e incompetentes gestores.
    Segundo, o Governo Federal implantado a partir do Partido do Trabalhadores, principalmente no Governo DILMA, tem demonstrado uma política de afrouxamento para o crime organizado, com isso vem gradativamente acabando com a Polícia Federal, visto que os investimentos a cada ano estão escassos, os servidores estão há 08 (oito)anos sem reajuste salarial causando uma desmotivação para o trabalho, com isso vem gerando uma crise institucional sem precedentes no seio da Polícia Federal, ou seja, Polícia sem recursos é Polícia fraca, senão vejamos os dados sobre as apreensões de drogas no Estado de Alagoas:
    Em 2011 foram indiciados por tráfico de drogas: 44
    Em 2012 Foram indiciados por tráfico de drogas: 25
    Em 2013 foram indiciados por tráfico de drogas: 14

    Com relação aos indiciamentos na Policia Federal no Governo DILMA: Quantidade totais em todos o BRASIL:

    Em 2010 – 46.502 indiciamentos.
    Em 2011 – 40.478 indiciamentos.
    Em 2012 – 31.144 indiciamentos.
    Em 2013 – 18.325 indiciamentos.

    PERGUNTA-SE:
    1 – A Quem interessa uma Polícia Federal incapacitada e ineficiente?
    2 – Será que o desmonte da Polícia Federal está relacionada ao grande envolvimento e condenação dos membros do PT no MENSALÃO? Será retaliação?

  • Alagoana do bem

    Querido professor Eduardo, seu lugar não é aí. O senhor é um homem de bem.. Não se misture! Volte para seus pares e para a sala de aula. O senhor faz falta na faculdade. Deus o proteja.

  • denis ferreira da hora

    Quando fui baleado naquela mesma região num assalto sem reagir, sem reagir e levar meu cell no mês anterior, sabe o que a polícia disse ao meu socorro na rua por mais de duas horas!? Que já sabiam quem eram as pessoas faladas, que já conheciam os meliantes e que eles ainda não conseguiram pegar em flagrante. Por isso eles não podiam prendê-los. ESTAMOS SÓS NUM BURACO SEM FUNDO EM ALAGOAS!

  • Ricardo Prado

    Engraçado!!!!!!depois do ocorrido e das pancadas desferidas por toda sociedade alagoana, eis que hoje, mais precisamente às 20:00h, presenciei um lindo desfile de várias viaturas na orla de pajussara…..È ou não é, uma afronta ao povo alagoano.
    Tem agente público agindo como verdadeiro pateta nessa estória,……………………………

  • josé Marcos

    Ricardo Denuncia ai um crime que aconteceu em Tanque d´arca uma estudante foi assassinada com varia facada e a policia sabem quem foi tem prova e ater agora nao prenderam os suspeito. ajude esta família por favor o nome da jovem assassinada é Francisca Paula

  • Essa é para Ricardo Prado

    Caro Ricardo Prado (internauta acima) Não ficou claro o q vc quis dizer com seu comentário.. Mas, se não me engano, vc quis dizer que é uma afronta ao povo alagoano o fato de uma fila de viaturas circulares pela orla de ponta verde às 20h? Ah! Me poupe! Todos os dias vejo essa mesma fila de carros circulando por vários bairros da cidade.. E vc agora vem criticar pq? Pq é na ponta verde?? Não tem do que falar, fique calado. Faça a sua parte e tire essa bunda da cadeira. A polícia está melhorando.. Há 3 horas atrás o secretário estava faZendo uma das melhores atuações dos últimos tempos.. Agora tem q ser responsabilizado por tudo o que acontece nesse Estado desgastado? Que tem problema na segurança pública desde “nascença”? Isso é no mínimo injusto!! Ahhh.. Faz-me rir!!

  • Paulo Marcos

    Valeu a pena ee, valeu a pena ee.
    Que o companheiro Guilherme vá em paz…
    Você marcou sua história na terra e um dia seu filho pequeno, que ainda é uma criança, vai ter muito orgulho de ter tido um pai como voce amigo.
    Valeu a pena ee, valeu a pena ee, pescador de ilusões.
    Você foi o cara!!!
    Seu Brandão, que Deus lhe de paz e sabedoria pra continuar disseminando a alegria que esse cara tanto soube dar durante esses seus 38 anos bem vividos.
    Guilherme voce viveu mais nesses seus 38 anos que nós viveremos em dez vidas. Parabéns amigo, você foi um cara nota dez.
    Valeu a pena ee, valeu a pena ee, pescador de ilusões…

  • Hilda Lacerda

    Esse crime foi bárbaro, chocou todo Estado de Alagoas. Motivado pela ganancia, inveja, o assassino vil e calculista ceifou a vida de um jovem empreendedor honesto, trabalhador, amigo, pai de família exemplar. Esse assassino merece mofar na cadeia.

  • Luciana da Silva

    Alô Tânia, as desigualdades sempre existiram em nosso país, mas isso não é desculpa para que os mais pobres saiam por aí matando e roubando. O que o nosso país precisa é de leis mais severas para punir tanto o rico quanto o pobre que trilham o caminho errado. Continuar passando a mão na cabeça dos delinquentes só dá nisso que vemos aí:violência e mais violência. Essa impunidade precisa acabar, senão os cidadãos de bem e o papel da polícia serão peças secundárias em nossa sociedade.