A população perde os seus filhos pela ação criminosa de motoristas que não respeitam a vida humana e, mais uma vez, pede lombadas para frear a ação dos assassinos do trânsito.

Caminho mais fácil para “resolver” o problema, governos e prefeituras constroem os monstrengos como resposta às demandas da população.

Pura demagogia.

Ações efetivas, de punição rigorosa, o que inclui a cadeia para os criminosos, precisam urgentemente ser adotadas.

O Brasil mata 50 mil pessoas por ano no trânsito, mais do que em qualquer lugar do planeta.

É um genocídio ao qual nos acostumamos e já faz parte da vida nacional. Algo como a violência no futebol, a corrupção generalizada, tudo enfim que contribui para que sejamos o 85º IDH do mundo – e a sexta economia.

Já disse e repito: o brasileiro não é pior do que nenhum povo do mundo. A diferença é como lidamos com os excessos próprios de uma espécie destrutiva como nenhuma outra.

O que separa barbárie e civilização, entre outras coisas, é o aprendizado permanente entre o certo e o errado, e como a sociedade age em relação aos que optam pelo último.

A isso, o resto do mundo chama de Justiça.

Não há lombada que a substitua.

Família de Luiz Ferreira quer que réus no crime sejam julgados fora de Anadia
O menino que não viu mais o dia amanhecer
  • SOSTENES

    O caos no transito, na segurança , na saúde e no desgoverno do país, nunca será resolvido enquanto tiver deputados que absolvam seus pares apenados. Infelizmente nós somos culpados por este desmande, afinal de contas nós votamos nestes meninos que fazem farra com nosso dinheiro, não produzem leis rigidas para que não sejam alcançados pelapunição legal, e pior tudo isso acontece com o nosso aval, afinal de contas nós votamos neles.

  • JEu

    Concordo plenamente com o blogueiro quando diz que sem educação não vamos conseguir a conscientização das pessoas. No entanto, sou a favor das lombadas, tanto das físicas quando das eletrônicas, e acho que, em alguns casos, como na BR 104, entre o aeroporto e o centro da cidade, é preciso a combinação de ambas, ou seja colocar as duas juntas, pois, quando a lombada eletrônica não funcionar direito, a lombada física fará sempre o serviço de compelir os irresponsáveis a reduzir a velocidade. Agora, o que é preciso saber é que lombada física (ou redutor de velocidade) tem que ter as medidas técnicas corretas e não deixar que as pessoas façam os tais monstrengos a seu bel prazer, como verdadeiros doutores frankesteins…

  • nelito

    Os redutores de velocidade, físicos ou eletrônicos, são necessários. Notadamente, em pontos críticos de travessia de pedestre, em vias de grande volume de tráfego. Mas, somente o órgão gestor do transporte e trânsito pode instalá-los. Qualquer um, não. A intenção é alertar o motorista para diminuir a velocidade naquele ponto, para que o pedestre possa atravessar com segurança. Com o tempo, o equipamento pode até ser retirado.

  • carlos

    Psicopatas do volante,se exibem livre e solto todas às quartas-feiras,nas mediações do finado clube Alagoinha com suas maquinas envenenadas.Lá no marco do turismo fazem uma paradinha para os aplausos dos amantes do perigo um grupo de jovèns na espera de uma tragédia de trânsito onde vidas inocentes podem tombara para que asa autoridades tomem corretivas sem se procuparem com a preventiva!

  • Rogério

    Acho que o pessoal não entendeu que o texto não trata de lombada ou trânsito. A questão é muito mais em baixo. Parabéns pelo texto, Ricardo.