Um delegado da Polícia Civil contou-me, recentemente, que ficou chocado ao chegar ao local de um acidente, nas proximidades de São Miguel dos Campos.

Enquanto o motorista de um caminhão que havia tombado estava agonizando, sem socorro, algumas pessoas tratavam de furtar a carga derramada; outras – eis o motivo da perplexidade – filmavam o acontecimento, sem nem ao menos tentar prestar socorro à vitima.

Fato semelhante aconteceu recentemente em uma tragédia de grande repercussão em Maceió, deixando a família da vítima indignada.

A existência de câmeras filmadoras nos celulares, hoje, dão a oportunidade ao cidadão comum de fazer alguns flagrantes importantes – o que não era possível há pouco tempo.

Mas a sede pelas imagens macabras não nos pode tirar de vez o sentimento de solidariedade, que vai escasseando a cada dia – principalmente nos grandes centros urbanos.

É preferível, sempre, tentar salvar uma vida do que ter a melhor imagem da morte.

O louco da cidade
Pior PIB do Brasil pós-ditadura foi da Era Collor
  • marcos rodrigues

    ricardo eu sou muito seu fan, mas vc ja censurou duas vezes os meus comentarios,so porque eu falei do salva conduta da ex prefeita de piranhas,eu so falei o que muitos leitores qurria dizer e nao pode, meus comentarios eu nao desrespeito ningem,tenha um bom dia.

  • Celso Tavares

    ‘Tá lá o corpo estendido no chão …” É isso.
    O que importa não é o fato, a circunstância, suas implicações, , mas o registro. Não importa qual seja.
    Ficou chato e, nesse caso, lamentável e repugnante.

  • Paulo Rostner de Olivença

    Caro Ricardo, permita-me o trocadilho:”Uma câmera na mão e uma boa ideia na cabeça”, é assim que considero o profissional que filmou as condições de trabalho dos IML’s de Arapiraca e de Maceió. As cenas que, infelizmente, tive a oportunidade de ver, são de filmes de terror do tipo “trash”.O vídeo foi enviado, por e-mail, por um amigo da área médica, por isso reservo-me o direito de não publicá-lo.
    Por que até, hoje, o MPE não decretou a intervenção no IML de Maceió?
    Por que o governador Téo vilela, mesmo com o projeto do novo IML pronto, e o terreno reservado, não autorizou o início da obra?
    Vilela + Collor + Renan + Biu de Lira = 0

  • viajante

    ha uma desumanização desenfreada. a violencia popularizada não causa mais choque. num sei o porquê que muito ainda se inflamam ja que torcem para que aconteça pra ir dar uma olhadinha. e em SMC ja é comum acontecer esses saques. ja é cultural. é um desejo de tirar vantagem da desgraça alheia que dá nojo. é tanto esse desejo que outro dia tombou um caminhão de material hospitalar contaminado e a mundiça tava la em cima catando uma HIV ou hepatite. ô povinho! e a vida num vale mais nada, principalmente se for de um desconhecido.

  • Vítor
  • JOBSON, DO SINDIMETAL

    Ricardo, tenho observado sua constante e justa indignação quanto à falta de solidariedade das pessoas. Com isso, você prova que solidariedade é coisa que não lhe falta.

  • jeconias justino

    Eu comparo tudo isso com a mídia que divulga as coisas,que noticiam como que forçados, denunciam como dizem, mas na verdade só querem fazer isso só por fazer, não querem realmente que as coisas sejam mudadas.

  • WILLIAMS ALVES

    .antigamente ver sena de crime era novidade. Morria um pessoas saiam em procissao pra ver a sena macabra.hoje se banalizou! Antigamente se brigava e se atracava com o sujeito ha tapas.hoje e na bala. Ate a violencia perdeu o glamur ki tinha no passado.

  • Joatas

    É a febre das redes sociais, do youtube, mas principalmente da própria imprensa, que hoje supervaloriza estas imagens.

    Há os que fazem o registro jornalístico, mas há os que só faltam cutucar o morto. Muitos pagam pelas imagens macabras para depois colocarem nos sites.

    A má ideia não está na cabeça, está enraizada na sociedade atual. Damos valor ao dinheiro, mesmo que seja ilícito; ao respeito, mesmo que seja pelo medo; a popularidade, mesmo que deixe o valor da vida de lado.

  • Celso Tavares

    Sabe porque não tinha japonês na Santa Ceia? Porque tava tirando a foto (Macaco Simão).

  • carlos

    Pode sim ou não um dia experimentar do próprio veneno.Sendo vítima de um acidente e precisando de socorro sentir na própria pele com foi frio e desumano sendo filmada a sua agonia em detrimento de uma atitude de socorro!!!