Nem mesmo o desastroso governo de José Sarney, o primeiro pós-ditadura militar, foi tão demolidor para a economia do Brasil quanto o do seu sucessor.

É o que dizem os números apresentados esta semana pelo UOL.

Quem é o primeirão entre os últimos?

Pois é. O pior desempenho da economia brasileira, que fez o PIB – o conjunto das riquezas do país – cair como nunca mais foi o ex-presidente Fernando Collor.

Já no seu primeiro ano de governo, 1990, o Brasil viveu uma tragédia econômica. Sem falar no confisco da poupança, no tiro que nem raspou no dragão da inflação, na falência de milhares de pequenos empresários, foi este o ano em que a economia brasileira teve o pior desempenho pós- ditadura.

Insuperável até hoje (felizmente).

Vamos aos números?

Em 1990, a economia do país encolheu 4,3%. Um estrago difícil de repetir. Em 1992, de novo, o pibinho foi negativo em 0,5% – no ano anterior havia “crescido” 1%.

O que a história diz de Sarney, o Inacabável? Em 1988 reduziu as riquezas do Brasil em 0,1%, depois de fazê-la crescer (ou terá sido apesar dele?) 7,8% no ano anterior.

E após a Era Collor?

FHC teve um pibinho de 0,3% de “crescimento” em 1999. Mas deixou uma boa lembrança em 2000: o PIB cresceu, então, 4,3%.

Lula, o nosso Dom Sebastião, teve o seu mau momento: foi em 2009, em plena crise internacional, quando a economia brasileira ficou 0,3% menor. No ano seguinte, se recuperou com sobras: o PIB cresceu 7,5% em 2010.

Dilma está patinando, mas o seu pior resultado foi em 2012, quando o pibinho encorpou-se em apenas 0,9%.

Não há sinais nos céus – desconfio que também não haja no inferno – de que podemos chegar tão baixo quanto no período da República das Alagoas, de triste memória.

Recordar é sofrer, nesse caso, mas esquecer pode ser muito pior.

Uma câmera na mão e uma má ideia na cabeça
A morte do professor Paulo Décio e o pelo em ovo
  • Robson

    Ricardo,

    Tem um documentário no youtube chamado “história política de alagoas maceió brasil” super didático sobre Collor.

  • Edson Filho

    É verdade o povo de Alagoas e do Brasil, precisam relembrar, constantemente, a era maquiavélica do desgoverno collor. Que o passado jamais seja esquecido, sob pena de pagarmos de novo, o alto preço daquela negra época!

  • joatas

    Pior é ver em Alagoas quem ainda defenda políticos como Collor, João Beltrão, Antônio Albuquerque, Cicero Ferro, etc. É quer fazer jus ao ditado: ‘errar é humano, permanecer no erro é alagoano’ … qdo iremos mudar as coisas ?

  • jeconias justino

    Quanto tempo o Collor passou no governo? Como estava a economia mundial em sua época? Como ele pegou a economia? Por que seu plano não deu certo? Acho que seria interessante colocar as críticas a seu pibinho nesse contexto.

  • nunca votarei

    Uma pergunta?!,o que esse Senador fez de bom para Alagoas?!,só fez beneficiar ele mesmo.

  • Paulo Rostner de Olivença

    Caro Ricardo, sinceramente, do jeito que a economia(macro)está caminhando estamos bem próximos de iniciarmos uma queda livre num abismo sem fundo.
    A Exma. “presidenta” não está só patinando na economia, ela já atolou os quatro pneus, mas está agindo como um motorista autosuficiente que não aceita a ajuda de nínguém.
    “Dilma baseará a sua companha de 2014 em energia, juros e comida”
    “Cortes de impostos, queda dos juros e redução da conta de luz terão destaque no cardápio petista para o segundo mandato de Dilma”
    Não fizemos até hoje a reforma tributária e nem a trabalhista, e o governo federal brinca de dar incentivos á indústria automobilística mantendo a redução do IPI.
    Recentemente, no evento em São Paulo com empresários internacionais, a nossa querida e idolatrada, salve-salve,Dilma Vana Rousseff, considerada “a Cara” nas pesquisas do Ibope, disse, ao ser questionada pela repórter, afirmou que não se preocupa com o custo Brasil, pois a taxa de desemprego está próxima de 5%(sonho dela).
    Um trabalhador com carteira assinada e a tarifa de energia elétrica sai mais no Brasil do que na Alemanha, país da zona do euro com o custo de vida mais alto.
    QUO VADIS BRASIL?

  • sincero até de +

    eita! falando mal do Collorido? cuidado que tem cego e jumento que pode ter marcar e fazer besteira.

  • Marcos Paulo

    Caro Ricardo,

    Esse Ex-Prefeito de Maceió, Ex-Governador de alagoas e Ex-Presidente do Brasil não tem um único registro de bom gestor na sua carreia politica. Agora elle será Ex-Senador e vamos mostrar também que como Ex-Deputado Federal também nunca fez nada. Ele vai ser mesmo é candidato a VEREADOR DE ARAPIRACA com o apoio e o financiamento eleitoral de Célia Rocha, pois caso contrário, será Ex-candidato.

  • Gregório de Matos

    E essa DES… quer ser governador de Alagoas mais uma vez, pooode?

  • PÍB, pibinho ou INCOMPETÊNCIA?

    Prezado RM, sem olhar pelo aspecto político, mas pelo crescimento econômico, a princípio sou contra quaisquer tipos de ditaduras e/ou regime fechado, seja de direita, esquerda ou de terroristas, temos de registrar que nos 21 anos do período de governos militares o crescimento econôminco do Brasil teve média anual de 6,29%. Pós período Militar, nossa peseuda Democracia, diante da INCOMPETÊNCIA política dos DESgovernos democráticos, leia-se de SARNEY, COLLOR, FHC, LULA e DILMA o crescimento econômico do Brasil no período de 28 anos, não atingiu 2,7% de média ANUAL. Inadmissível, mas justificável por ser todos os presidentes acima mencionados INCOMPETENTES no governar, mas exímios gerenciadores de desculpas e o Brasil com um PÍFIO e VERGONHOSO PIBINHO, essas pragas não acompanham os meus passos, quanto mais o raciocínio e Zévaqueiro tem razão quando diz: “Dr, ligeireza em jegue e equus asinus presidentes do Brasil com capacidade de governar, coisas difíceis de achar”.
    É a síndrome da famigerada DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL, que o finado Itamar Franco deixou em 1994 de R$ 60 bilhões, R$ 60 bilhões, FHC+LULA+DILMA de 1995 a 25/03/2013 PAGARAM só R$ 9,002 TRILHÕES, R$ 9,002 TRILHÕES e ainda devemos cerca de R$ 3 TRILHÕES, R$ 3 TRILHÕES, adonde se tira que de empréstimos tomaram só + de R$ 5 TRILHÕES, R$ 5 TRILHÕES, R$ 5 TRILHÕES, e o destino dessa dinheirama emprestada? No ninguém sabe? No ninguém viu? Ou no doriUU sUUmiUU? Todos esses números estão registrados nas LOAs/1994/2013 – Lei Orçamentária Anual, é a FONTE OFICIAL que rege o Orçamento, cujo italiano Mantega diz ser FICTÍCIO, MENTIROSO e que o Congresso Nacional aprova, ou seja, conivente com o orçamento da UNIÃO fictício. Se colocar os juízos delles na cabeça de uma galinha, não acerta o caminho do poleiro e como tem: caixas, baús, sacolas, cestas, sacos plástico que escondem os paradeiros dos míseros R$ 5 TRILHÕES que FHC+LULA+DILMA tomaram emprestados de 1995 a 2013. Culpa sua do voto errado, diante só rindo.
    P/Arabutan.

  • Oliveira

    Quando vejo algo sobre Fernando Collor, me entristeço; pois até hoje esse idoso/marajá sófaz o mal. Lamentavelmente tem gente que ainda vota nele e seus asseclas.

  • Santos

    Alagoanos, lembrem-se de que Collor no passado fez o famoso acordo dos usineiros, e agora o atual governador repetiu tal ato lesivo aos cofres públicos, logo é tudo farinha do mesmo saco. A solução seria uma mudança radical no parlamento e no executivo; será que o alagoano tem coragem?

  • Santos de Oliveira

    Quero parabenizar ao povo de Arapiraca pelo ilustre morador, ou seja, essa figura tão polêmica, o senhor Fernando Collor.

  • MANU DAS ARIRANHAS

    PIBINHO,JÁ. MAROLINHA EM BREVE. TUDO ACABA E O PT SERA NOVAMENTE PEDRA, SÃO FAVAS CONTADAS.
    O TEMPO É O SR.
    SIM A PROPOSITO COLLOR É ALIADO DE PRIMEIRA LINHA NO GOVERNO DE DILMA,CREIO QUE ELE TENHA DADO CONSELHOS…

  • o besta

    Collor como governador Alagoas vai afundar ainda mais.

  • edvania

    a gazeta publica tantas coisas sobre o collor. porquê não publica isso?

  • saulo

    Collor sempre aposta na ignorância das pessoas, mas ainda assim a coisa está mudando. Em 2012, com tempo suficiente de propaganda eleitoral, usando suas estrategias maquiavélicas, ficou em terceiro lugar.
    Importante essa observação sobre o PIBINHO COLLOR, mas nós já sabemos o óbvio: Collor nunca fez nada por Alagoas, a não ser bravatas contra quem faz alguma coisa.
    Renan, Ronaldo, Biu de lira, Nonô, Teotonio, cada um deles em algum momento foi escolhido por elle como inimigo de plantão.
    Já que falamos em PIB, o de Alagoas em 2012 foi 7%, em que pese o do Brasil ter sido 0,9%.
    E se comparar o governo Teotonio com os de Collor, vai ser uma lapada, de novo.

  • jeconias justino

    Durante muito tempo as pessoas se beneficiarm com o discurso contra o ex-presidente, e o que tivemos no Brasil todo e aqui em Alagoas? Desvios superiores aos que o ex-presidente foi acusado e depois inocentado pelo Supremo. O que interessa não é se o Collor tem chance de ser governador, ou novamente senador. O que interessa é: vai melhorar a vida da população com saúde,educação, segurança. Quem realmente vai fazer isso estarei com ele. O Collor queira que não presta hoje um grande serviço ao Estado: sendo oposição ao governo. Os outros são coniventes com a triste situação do Estado no discurso e na prática.Hoje eu entendo porque o Collor ganhou eleições: é porque seus concorrentes eram piores que ele.

  • JOBSON, DO SINDIMETAL

    Ricardo, os números divulgados estão alternados; pularam os bons resultados de vários outros anos.

    Quem entrar no site do IBGE comprova que, apesar da infeliz coincidência da crise mundial, foi nos governos Lula e Dilma que o PIB atingiu um acumulado bem maior.

    Foi com Dilma e Lula que o Brasil bateu o recorde de crescimento econômico e social dos últimos 30 anos.

    Todos sabem que muita coisa ainda tem por se fazer, mas, se os governos anteriores tivessem feito a metade disso, atualmente, nosso país já estaria muito mais avançado.

    Quem não sou eu nem qualquer Lulista e ou Dilmista; quem diz são os números das pesquisas, feitas por órgãos oficiais e imparciais.

  • Denio de O.

    Arapiraca, parabéns pelo novo morador, ou seja, o Collor; ele já fez muito por vocês kkkkkkkk…

  • tenório

    Gente eu não acredito que collor será candidato a governador, mas é exatamente isso que ele quer que todos pensem, ou seja, que tirem o foco do senado e depois ele vem como elemento “surpresa”. Mas se por acaso elle for candidato ao governo, só vai bem “amarrado”, que elle não é bobo.

  • Luiz Antonio T Magalhaes

    Caro Ricardo, todos Alagoanos com um pouco de discernimento sabem que foi e é Collor, mais seria interessante ver em sua coluna um comentário sobre 1 bi de empréstimo feito até agora pelo também irresponsável governo atual e tentasse ver detalhes de um governo que quer governar com empréstimos ao invés de buscar arrecadação dos impostos.

  • Luiz antonio

    È claro que o jornalista não deixaria de reproduzir uma matéria com números da economia nacional tão fora do contexto nacional e internacional da época, nossos produtos eram os mais caros do mundo para uma classe média diminuta e o collor abriu as importações para todo mundo poder comprar, pobre passou a consumir produtos de qualidade a preços acessíveis, fez a paquidérmica indústria indústria nacional acordar com uma tabicada só, por favor vc conhece a história não a sonegue para seus leitores mais desinformados. Deus te abençoe.

  • Andersen Andrade

    Venho aqui em dezembro de 2015 só pra comentar sobre sua frase “Na era Collor, o país encolheu 4,3%, estrago difícil de repetir”…. Estamos vendo ele se repetir agora… E pior do que antes…