Mesmo que o Senado não seja um dos lugares mais respeitados do país, ainda assim, o momento seria de “celebração” para o senador Fernando Collor, que foi reconduzido ontem à presidência da Comissão de Infraestrutura da Casa.

Falou mais alto, entretanto, o “estilo” pelo qual Collor ficou conhecido. Em discurso no mesmo Senado, o ex-presidente mandou o procurador-geral da República Roberto Gurgel “calar a boca”.

O embate entre ambos vem de longe. A mulher de Gurgel, que é subprocuradora-geral da República, denunciou o senador petebista no STF, em 2008, por um suposto esquema com agências de publicidade durante o período presidencial de Collor.

Um senador “cheio de rancor”, como definiu ontem no telejornal Globonews em Pauta a jornalista Eliane Catanhêde, partiu mais uma vez para o ataque. Repito: em um momento que seria de celebração.

Gurgel havia dito, na semana passada, que a investigação proposta pelo Senado, sobre supostas irregularidades numa licitação realizada no final do ano passado era “legítima”. Mas considerou a acusação “risível”.

Essa história de “calar a boca” não faz parte da democracia. Para ninguém, nem mesmo para o senador que tem todo o direito de criticar o que considera errado.

Simon

Foi por um discurso em abril de 2009, aliás, que o respeitado senador Pedro Simon (PMDB), considerado uma reserva moral do Congresso Nacional, ouviu de Collor que deveria “engolir e digerir” suas palavras, colocando-as onde quisesse. O lugar mais apropriado, me parece, seria a tribuna do Senado, com sua tradição de luta – o que inclui Simon – em defesa da liberdade.

Foi a primeira aparição com destaque de Collor na mídia na após ser eleito senador.

Estou certo que, pela experiência e pela maturidade que terá adquirido com a idade, o ex-presidente pode contribuir muito com o país, inclusive presidindo a Comissão de Infraestrutura do Senado.

Em Alagoas, ele tem “um prato cheio” para suas críticas no governo Vilela.

Com dureza e civilidade ele poderá não só manter a cadeira que hoje ocupa, mas conquistar a admiração de jornalistas e eleitores de todo o pais.

Longe desse caminho, corre-se o risco de surgir um novo caso “Lurian”, a filha de Lula, que se transformou na maior vítima da campanha presidencial de 1989.

Procuram-se procuradores no Tribunal de Contas
Vereadores rejeitam duodécimo de R$ 42 milhões proposto pelo MP de Contas
  • EJTV

    Levando em consideração seus momentos explosivos e desrespeitosos, não diria que Collor é maduro. Continua soltando pérolas contra quem vai de encontro aos seus interesses e pensamentos.

  • ARTUR

    Cada dia empobrece mais em conceito a conduta dos nossos representantes Alagoanos no senado Brasileiro.
    Quanto a Presidencia da infraestrutura foi como premio, do hoje presidente por ter lhe defendido com unhas e destes contra o honesto,corajoso procurador do MP. GURGEL. Lamentável termos a coragem de eleger pessos que nos representam de maneiras negativa e vergonhosa.

  • acln

    tão dando muitas asas, depois não adianta chorar e cantar que país é esse!!!!!!!!!!!!

  • jose

    O ódio, rancor e ressentimento destrói a mente humana. O Senador sofreu bastante, principalmente com sua saída da Presidência da República, mas não aprendeu. “Calar a boca” é uma imposição de quem não possui argumentos para conversar. Quer se impor pela força. Não condiz com a postura de Senador da República que um dia foi Presidente sem precisar cala o povo!

  • maria claudia dos santosd

    Sabe procuro no dicionário uma palavra para definir esse cidadão mas ainda não achei!

  • Fabiane

    Acho que na verdade o Collor falou o que muita gente anda querendo falar pra esse procurador!E acho que essa é marca de Collor, ele fala o que tem que falar e não fica de enrolação!

  • Romao

    Ricardo, você pode até não concordar, mas onde uma pessoa com a postura e falas desse senador tem o que “contribuir muito com o país”? Pessoa arrogante, cheia de ódio e ressentimentos, com uma postura ditatorial e por aí vai. Tudo que ele tiver de mais excelente em sua complexa constituição genética, cai por terra quando abre a boca pra xingar e praguejar as pessoas, ainda que use palavras retóricas, como é do seu feito. Ele lembra-me muito o personagem bíblico do rei Saul. Volte lá as páginas dos relatos bíblicos em Reis e Crônicas desses reis e constate, através da sua leitura, se não é verdadeira minha análise…!

  • Gabriel Sousa

    Defendo o Senador Collor! Sua atitude foi muito corajosa e sem papás na lingua, assim que tem que ser. Muitos políticos ficam escondendo o que querem falar no meio de tantas palavras “bonitas” e não têm a coragem que Collor teve!

  • sebastiaoiguatemyrcadenacordeiro

    TÁ VENDO AÍ,MATÉRIA ! NÃO PREMIARAM O
    ÔMI COM O OSCAR , AGORA VAI TER EXPLO-
    SÃO E VAI SER CACOS PRÁ TUDO QUE É LADO . EU BEM QUE
    PREVENI NA SEMANA PASSADA(UM DIA ANTES
    DA FESTA DO OSCAR),QUANDO SUBLIMINARMEN-
    TE, ESCREVI A CÉLEBRE FRASE ” AND THE
    OSCAR GOES TO…” ÔMI !

  • J.J.

    Vamos calar o Collor nas urnas, esse destruidor de sonhos; todos os meus colegas demitidos pelo então “presidente Collor”, voltaram ao trabalho após mais de 20 (vinte) anos de sofrimento e outros morreram;

  • Gabriel Sousa

    Acho que o Collor falou dessa maneira porque já está cansado dessa novela, ele está certo em se manifestar, o Gurgel tem que esperar o resultado e não tentar desviar o foco do assunto

  • José Castro

    Meu caro Ricardo, sinto muito!

    Essa historinha de “reservas morais” no nosso parlamento, já caiu a eras!

    Quando da primeira presidência do senado e na época pré-cassassão, assistí a um debate em que Renan Calheiros calou a boca de Pedro Simon com algumas colocações que amedrontou o senador gaúcho!

    Calheiros deu a entender que Simon havia usado recursos oficiais em nome de terceiros através de empréstimos de instituições oficiais e não havia pago… Falou também que não havia colocado a Mônica Veloso na folha do Senado como “certos senadores”!

    Foi vergonhoso… Simon emudeceu-se!

    Renan pelo jeito sabe muito e entre interesses mútuos e conhecimento de bastidores, hoje é presidente do senado!

  • Capelense de vergonha na cara e amor no coração.

    E quem é pensa que é para mandar um procurador calar a boca.

  • valmir santos

    collor vc esta certo nao falar portras como outros politicos que tem medo de falar na cara, paus meles collor…..

  • Lilice

    Sou FÃ desse GURGEL, só pq ele consegue tirar COLLOR do sério e deixa-lo IRADO!!! kakakakakaka

  • Lôla

    vcs são todos otários, comentários sem lógica… chega a enojar….

  • Marcos

    Alagoas tem muito a ganhar com o Senador Collor à frente da Comissão de Infra-estrutura.

  • Luiz Antonio Maciel de Araújol

    O Presidente Collor foi eleito por unanimidade para dirigir a Comissão de Infraestrutura que é uma das mais importantes do Senado porque aponta onde devem ser feitos os investimentos no País, esqueceu de informar o querido e diligente jornalista, e assim como observou outro leitor como reserva moral Simon pode fazer companhia ao Demostenes Torres, Ibsen Pinheiro, Zé Dirceu, Genóino, e outros da mesma laia que não me recordo agora, já Collor e Renam tem o respeito dos seus pares e minha admiração, a mídia não pensa por mim graças a Deus.

  • Alagoano sem opção.

    Só queria uma coisa: que os homens de bem tivessem metade da coragem que esse Collor tem para defender seus interesses!

    Quanto ao fato de ele está presidindo esta comissão, de que adianta isso para os alagoanos? nada, anote aí, nada, ele não trará nada para Alagoas, nunca trouxe! Nós conseguimos ter os piores políticos deste país ocupando os maiores cargos do país para exatamente não fazerem nada.. por mim Alagoas voltava a pertencer a pernambuco o mais rápido possível antes que algum maluco solte uma bomba nesse estado que mais parece uma plantação de joio!