Um dos filmes que mais me impressionaram nos últimos anos foi o canadense Incêndios.

Um enredo próximo do surreal, mas que seduz o espectador pela sua verossimilhança. Assim se dá, definitivamente, com a ficção: ainda que nos pareça absurda, é da realidade que ela se alimenta. Porque a vida imita mesmo a própria vida. Se o artista “descobriu” a história antes, méritos para ele, mas será sempre a vida o fio condutor da criação, por mais surpreendente que seja a sua obra.

O escritor gaúcho Moacyr Scliar escrevia crônicas semanais (às terças-feiras), até pouco antes de morrer (em 2011), na Folha de São Paulo. Eram recriações de notícias que saiam no próprio jornal, e ele as contava com a beleza dos artistas das palavras.

Uma delas, em particular, me emocionou. Narrava a história de um relacionamento via internet.

Um homem e uma mulher já maduros se encontraram na rede. Descobriram afinidades, uma fina sintonia de gostos, visões sobre a vida, essas coisas que aproximam as pessoas que vão se conhecendo e se gostando.

Ao final, quando ficaram frente a frente um com o outro, a descoberta foi além da imaginação: eles eram marido e mulher. O tempo que lhes faltava nas conversas domésticas estava disponível para o computador. Scliar apenas usou sua arte para adornar a vida.

Recentemente, no espaço de dois meses, ouvi os relatos pungentes de dois amigos sobre uma jovem – muito jovem -, “gravemente doente, com formação intelectual surpreendente para a idade” e que buscava compreensão, afeto e atenção (o que todo ser humano mais deseja).

A semelhança das descrições da personagem me trouxe um travo de desconfiança sobre ela. Com pequenas diferenças, as narrativas, detalhadas e de uma riqueza literária, eram em tudo similares. Ambos, maduros e bem-formados, se sentiram motivados a ajudá-la e até mesmo a conhecê-la. Nos dois casos, o ansiado encontro não aconteceu. Em um deles, o contato se perdeu, restando a piedosa e carinhosa lembrança.

Eis que a internet já me parece um espaço conquistado pela ficção cotidiana. Nela se criam perfis imaginários, personalidades idealizadas e enredos tão absurdos quanto críveis. Algumas histórias são muito bem construídas, revelando talento dos seus autores – algo além da solidão aflitiva e pouco criativa.

Quem sabe não nascerão na nova plataforma alguns dos futuros escritores, com obras já testadas na rede, a nos impressionar sobre a capacidade da mente humana em engendrar destinos ainda ignorados, mas que darão nova chance à vida de imitar a si própria. Talvez o melhor seja mesmo viver do que inventar outras existências, idealizadas em um universo paralelo que ignora a física. Mas a felicidade – ou infelicidade – pode ter muitas faces desconhecidas.

Velho e contumaz usuário do papel, eu aguardo os livros.

 

 

O senador Renan Calheiros e a redes sociais
Em lugar de mais dinheiro, cargos para os vereadores
  • tania

    Interessante…..

  • Rossana Silvestre

    “Velho e contumaz usuário do papel”… Somos dois (apesar de estar na rede, admito que estou,nesse “espaço (já) conquistado pela ficção cotidiana”, como você bem disse).Aguardemos,nós,”os velhos e contumazes usuários do papel”, os livros.
    Belíssimo texto; pertinente e bem escrito. Análise perfeita.
    Grande abraço.

  • Luiz Carlos Godoy

    “O escritor gaúcho Moacyr Scliar escrevia crônicas semanais (às terças-feiras), até pouco antes de morrer (em 2011), na Folha de São Paulo. Eram recriações de notícias que saiam no próprio jornal, e ele as contava com a beleza dos artistas das palavras.”

    Interessante “sacação”!
    Dou valor a quem antecipa, inova, altera, revoluciona, olha por outros ângulos…
    Avivou-me a memória um respeitável pensamento: “Criatividade consiste no total rearranjo do que sabemos com o objetivo de descobrir o que não sabemos.” (George Kneller).

    Tendo em vista que o texto em comento começa falando de um filme, parece-me pertinente registrar uma obra prima de um gênio que, como poucos, soube levar para a sétima arte “perfis imaginários, personalidades idealizadas e enredos tão absurdos quanto críveis.”

    SAYONARA ARIGATO, Akira!
    http://www.youtube.com/watch?v=RYSte_qU_pg&feature=share

  • Tânia

    Olha Ricardo, demorei para me entregar ao mundo da tecnologia, por medo do desconhecido, mas depois que conheci, descobri que é muito fascinante, porém recheado de armadilhas, poderia aqui listar inúmeros casos de pessoas que foram enganadas ou até mesmo se deixaram levar por uma fantasia na internet, fico admirada com a capacidade artística e criativa de algumas pessoas, talvez por estarem com uma máscara, tenham a certeza que nunca serão descobertas, e se tornam verdadeiros autores de comédias e dramas reais, conheço uma dessas personagens que depois de criar o seu texto, fica vítima da sua própria criação e passa a sofrer por não poder viver na real o que criou no imaginário, tenho muita pena dela, mas confesso que as vezes até me divirto com suas estórias. Foi uma forma que encontrou de burlar a solidão da velhice.Nesse caso a vida não imita a vida.

  • Roubo IMITA roubo?

    Em 18/08/2012 está registrado na LOA – Lei Orçamentária Anual/2012 que havia sido PAGO no Orçamento o valor de R$ 1.189.918.637.915,00 ou seja R$ 1,189 TRILHÃO (100%), e daí e daí minha idolatrada simpática bella inteligente e querida presidenta DILMA VANA ROUSSEFF mandou TORRAR pelo MINISTÉRIO DA FAZENDA código 25.000 apenas a merreca de R$ 739.030.619.072,00 BILHÕES (62,1%)(62,1%)(62,1%)(62,1%) VEJAM QUE ABSURDO e sabem como o solar italiano Mantega TORROU essa dinheirama toda, justamente com uma MINORIA RICA dona da FAMIGERADA DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL.
    Agora vejam como foi gasto com a MAIORIA POBRE DE UNS 200.000.000 DE BRASILEIROS:
    1-Ministério da JUSTIÇA R$ 4,7 bilhões (0,4%)(0,4%)(0,4%)(0,4%) É UMA GRANDE VERGONHA, É O SINAL VERDE PARA ENTRADA DE DROGAS NO BRASIL.
    2-Ministério do COMBATE A FOME & ESMOLAS R$ 32,2 bilhões (2,71%)(2,71%)(2,71%)(2,71%), É PARA SE MANTER NO PODER COM OS VOTOS DOS SEM CULTURA E SEM EDUCAÇÃO DOS CURRAIS ELEITORAIS.
    3-Ministério da EDUCAÇÃO R$ 39,6 bilhões (3,34%)(3,34%)(3,34%)(3,34%) O MAIOR MOTIVO DO EMPECILHO AO CRESCIMENTO ECONÔMICO.
    3-Ministério da SAÚDE R$ 42,4 BILHÕES, PROVA DA “UTI” NO ATUAL SISTEMA DE SAÚDE PÚBLICA.
    Em 21/08/2012 o tolo do solar italiano Mantega achou por bem FATIAR o código 25.000 em + outros de nºs 71.000 + 74.000 + 75.000 e no somatório de 18/08 o valor anterior que era de R$ 739 BILHÕES, passando para nada mais do que R$ 663 BILHÕES, OU SEJA SUMIÇO DE R$ 76 BILHÕES, R$ 76 BILHÕES, R$ 76 BILHÕES, R$ 76 BILHÕES EM UM DIA E NADA FOI APURADO, CADÊ O CONGRESSO NACIONAL, CADÊ O TCU, CADÊ A NOSSA GLORIOSA POLÍCIA FEDERAL, tudo nos indicadores do governo federal na LOA/2012 em Execução Orçamentária por Órgãos, se é trambique, é feito lá mesmo nos indicadores orçamentárias OFICIAL. Se o SUMIÇO de R$ 76 BILHÕES em 21/08/2012 nada representa para a ÉTICA, os R$ 153 MILHÕES do MENSALÃO é pinto, NIÓBIO é pato e a FAMIGERADA DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL nos DESGOVERNOS FHC/LULA/DILA é AVESTRUZ.
    Diante dos que não acompanham os meus passos, quanto mais o raciocínio, só rindo.
    Em tempo: Peço desculpas por não falar em outros temas, por não existir fato tão relevante, igual ou maior do que os desvios das riquezas produzidas por nós brasileiros quando vamos as compras e pagamenos nosso impostos, para uma MINORIA rica dona da famigerada dívida pública federal que já foi PAGA.
    P/Arabutan

  • Rosangela Santos

    A verossimilhança, tão presente nas Artes, nos atrai pelos adornos que tão bem escondem as “esquisitices” da realidade.

    Confesso que acredito ser salutar, esporadicamente, nos despirmos das armaduras rotineiras e, levemente, brincarmos de ser quem realmente somos… nos revelarmos.

    Será que o virtual é tão irreal como supomos ou será a nossa vida real uma criação para sermos mais bem aceitos?

    Virtual e Real: Daria uma boa tese.
    (rs)

  • Roseira de Castro

    Um mais um nem sempre são dois…No filme e no dia a dia.
    Há pessoas que na internet apresentam-se vitoriosas, bonitas, alegre e aparentemente em paz. Mas no dia a dia… Não tem o mentiroso que acredita na própria mentira? Mas sempre será a mesma pessoa…Logo um mais um é igual a um.
    “Alguém cantando longe daqui…que canta como que prá ninguém” E vamos seguindo pois “quem canta seus males espanta” Um grande abraço, Roseira.