A Frente Parlamentar Evangélica da Câmara Federal resolveu comprar a briga em favor do deputado estadual JHC.

Ontem, em documento assinado pelo deputado federal João Campos, do PSDB de Goiás (presidente da Frente), o grupo deu entrada em uma Representação no Conselho Nacional de Justiça  contra a desembargadora Elisabeth Carvalho Nascimento – que preside o TRE desde a semana passada.

O motivo alegado: “preconceito e discriminação” contra as igrejas evangélicas no Brasil.

Foi da magistrada o voto que decidiu pela cassação do deputado João Henrique Caldas. Ele chegou a ser afastado mandato na Assembleia Legislativa, mas retornou graças a uma liminar do Tribunal Superior Eleitoral.

Citando vários trechos do voto proferido pela desembargadora, o pedido de abertura de processo administrativo no CNJ, é uma reação à panfletagem feita no Congresso Nacional por dirigentes do PRTB de Alagoas.

Até então, a questão estava no âmbito da Justiça Eleitoral. A presença na Câmara Federal do advogado Adeilson Bezerra e do suplente de deputado Arnon Amélio chamou a atenção da bancada evangélica – formada por 71 parlamentares.

A reação veio ontem.

Eles decidiram protocolar a Representação contra a presidente do TRE de Alagoas, num ato que me parece mais político do que qualquer outra coisa.

O texto do documento é duro, mas dificilmente a matéria deve prosperar no CNJ.

De qualquer forma, a desembargadora Elisabeth Carvalho Nascimento fica devendo esse “favor” aos dirigentes do PRTB de Alagoas.

 

Rui adia anúncio de secretários para a próxima semana
Por que a "CPI das mágoas" de Collor deu em nada
  • gilcele Damaso de Almeida Lima

    Não me canso de orar, pedindo a Deus, no Nome de Jesus, que coloque em posição de autoridade, pessoas que tenham compromisso com a palavra de Deus. Parabéns aos irmãos de Goiás, pois, realmente, é o Estado que sempre larga na frente, no que diz respeito a preservação da liberdade de crença,ao zelo quanto as escrituras sagradas.Parece um trocadilho, mas, na realidade, a intolerância religiosa, é sempre tolerada, quanto a nós, evangélicos.Parece-nos, que a liberdade de crença é direito de todos, com exceção de nós, crentes em Cristo Jesus, aquele, único que deu sua vida por nós.SOMENTE A JESUS SEJA DADA TODA HONRA, GLÓRIA E PODER, HOJE E ETERNAMENTE. Ricardo Mota, independente de sua interpretação, quanto ao meu comentário, admito, que ainda, admiro o jornalismo independente que você tem feito.Abraço,Gilcele

  • JOSÉ SEM HIPOCRISISA

    QUANDO AS PESSOAS VÃO ENTENDER QUE A LEITURA BÍBLICA É SISTÊMICA? Só existe um Deus (Pai, Filho e Espírito Santo), só existe um batismo, uma só Fé. Pessoal vamos aumentar nossa fé e procurar sempre frequentar “as missas aos domingos – lá é a verdadeira Igreja (UNIVERSAL) – fundada por Jesus Cristo, não por homem qualquer. Pregar o evangelho e fazer politicagem para mim é demagogia.