É uma espécie de “marco zero” da futura administração municipal. Bem, ao que parece, o estilo Rui Palmeira, que assume a prefeitura de Maceió em janeiro.

O que já está efetivamente definido?

A folha salarial dos servidores será paga dentro do mês, independentemente de como ela esteja sendo confeccionada hoje.

Se precisar de reparos, eles serão feitos no decorrer da administração.

Os serviços essenciais não devem sofrer qualquer solução de continuidade. Pelo contrário, haverá um esforço para que sejam corrigidos os problemas que já são evidentes: o acúmulo de lixo em várias áreas da cidade, a falta de iluminação pública decente nos bairros populares – o que já existe “mas está faltando”.

Um item, em particular, já merece a atenção do futuro prefeito como uma prioridade de janeiro: a farmácia do município – os medicamentos de uso contínuo têm de estar disponíveis aos pacientes.

Ou seja: nada de criar marola, principalmente neste primeiro momento de administração.

As modificações que se apresentarem necessárias deverão ser feitas, eis o raciocínio do próprio futuro prefeito, mas sem açodamento, desprezando o já clássico “cheguei!”.

Informações

São vários técnicos da própria prefeitura e também da Universidade Federal de Alagoas que já estão, de alguma forma, contribuindo para fazer o diagnóstico da situação real da prefeitura de Maceió.

O passo seguinte é o óbvio: elencar as sugestões para corrigir o malfeito e dar racionalidade à administração.

Já se sabe, por exemplo, que há mais de um órgão da prefeitura realizando o mesmo trabalho. Pior ainda: sem comunicação direta entre eles.

Maldade

Não é verdade que há um conhecido secretário da equipe de Almeida se escalando para a futura administração.  Por mais que o histórico – se é o caso – aponte neste sentido, não parece haver espaço para tanto.

A intenção do personagem, afirmam os “palmeiristas”, é contribuir com o futuro de Maceió.

Entenderam?

Quanto é que a SIMA tem em caixa hoje?
Collor e os "jornalistas filhos da ..."
  • Fabiana Cavalcanti

    A situação da farmácia do município e realmente uma falta de respeito com o cidadão.
    Meu pai e transplantado do coração e o remédio dele de rejeição nao esta sendo fornecido, mesmo com liminar judicial, e NINGUÉM da uma satisfação ou explicação… Já estamos nos preparando p o pior!

  • Vania Marinho

    Caro Ricardo Mota, em relação a prioridade com a Farmacia do municipio, venho falar que é VERDADE quando se fala que não tem remedios. Pois, o meu filho que tem 6anos é portador de Diabetes Militus tipo 1 e faz uso de Isulinas LANTUS E APIDRA diariamente. Dei entrada no processo jurídico em 2010 para receber alem das isulinas as AGULHAS. Acredite se Quiser, mas desde MARÇO de 2011 estamos sem receber as agulhas. Sempre que pergunto qual o motivo, vem a resposta: ESTA EM FALTA NO CAF. (CENTRAL DE ABASTECIMENTO FARMACEUTICO). Dei entrada para receber o que já comprei e fui negada na Secretaria de Saude. Alegaram que nao tenho direito a devolução por estar recebendo os demais remedios. Pra se ter idéia, este mes de outubro/12 nao tinha a isulina APIDRA. Espero que o Rui consiga regularizar este entrave. Boa sorte à nova equipe!!!!!!

  • Narciso de Portela Matos

    Acredito na administração do sr Rui Palmeira, assim como todos os Alagoanos que depositaram seu voto em prol dele. Vamos la Rui, confia-mos em voce!

  • Narciso de Portela Matos

    Sei que recebem meus comentários, porém não os divulgam; por que? Não gostam da verdade? Que tipo de imprensa é a nossa?

  • Consigliere Alagoano

    Que Rui não seja contaminando pelo “ENGESSAMENTO” de MESES em áreas Urgente, por conta da MUDANÇA de SECRETÁRIO, isso SEMPRE é JUSTIFICATIVA para este SINTOMA, Isso sim Seria ou Sera um VERDADEIROS “CHOQUE de GESTÃO” .
    .
    No passado Recente demorava um ciclo de 8 a 9 meses para todas as nomeações e só assim a máquina ia no ritmo maria fumaça.
    .
    Aguardamos Maceió tem pressa e nós também!

  • tania

    Tomara que o novo prefeito realmente olhe a farmacia do municipio, assim como toda a area de saude de Maceio… O PSF está entregue as moscas, muito cargo comissionado com gente sem compromisso que está ali só para garantir um salario…

  • Romao

    Torço muito por você Rui Palmeira! A Palavra de Deus diz: “maldito o homem que confia no próprio homem; e faz do homem o seu braço forte” (Jeremias 17:5). Não confio no homem, mas tenho esperança em Deus que você será o “diferencial” na gestão pública da minha cidade e, quem sabe, do Estado. Continue firme e determinado que você consegue. Sucesso!

  • albany meire ferreira de lima

    prefeito Rui,averigue os processos para mudança de nível que estão engavetados na administração, que tem uma ordem de sequência para serem liberados,porém estão liberando pedidos de amigos de secretários e vereadores.

  • Ricardo

    Não se preocupe gente. O Palmeira tem gente competente no seu lado e bota competente nisso. Agora, não podemos aceitar quem foi contra em tudo querer está do nosso lado. aí não dá pra engolir meu irmão…

  • Funcionario da Saude

    O Prefeito Cicero Almeida inchou a Sec de Saude de cargos comissionados e assessorias, enquanto isso meu processo para implantar o mestrado em meu salario completou um ano e ate agora nao obtive exito, pq sera?

  • Guto

    Meu caro Ricardo, gostaria muito de ver nas farmácias do município os medicamentos que meu pai toma, como: insulina lantus, cardizen, liptor…LAMENTO QUE NAS FARMÁCIAS DO MUNICÍPIO SÓ TEM MEDICAMENTOS QUE O MEDICO DELE DISSE QUE NÃO SERVE PRA NADA . ESPERO QUE RUI MUDE ISSO URGENTE E REALMENTE COLOQUE MEDICAMENTOS QUE SERVEM!

  • ALVARO

    Há meses não consigo pegar minhas insulinas, mesmo com uma liminar. As insulinas que têm nas farmácias não resolvem meu problema, NPH E Regular. Porque isso??

  • italo

    Que Rui Palmeira resolva o problema que afeta o Brasil como um todo: a judicialização da saúde. Espero que ele não deixe a população a merce da justica para conseguir medicementos, cirurgias , alimentação e , outros , que somente têm acesso pela via judicial. Ele se elegeu como ” o cara é bom ” e pra isso , principalmente na saúde, é preciso que mude este paradigma, evitando o abarrotamento de processos nos tribunais, que nem mesmo o STF sabe mais como contornar esta demanda. É preciso que RUI providencie com urgência recursos e orçamento para dar ao povo o tratamento diferente, e , não disponibilizar só o básico e o resto ter que ir pra Defensoria Pública. Caso não resolva este problema, tenha certeza que já vai começar sua administração com olhar negativo da população, principalmente dos minlhares que hoje só recebem tratamento diferenciado do Estado, gracas a intervenção do judiciário. A farmácia, assim, como os Hospitais, não devem ter apenas o básico, pois nem todos são iguais! as patologias requer tratamento diferenciado.

  • Renata

    Fico satisfeita em saber que o futuro Prefeito tenha a intenção de pagar os servidores em dia. Mas, gostaria de ressaltar que os processos referentes aos retroativos dos servidores foram suspensos, de novo, pela atual gestão. São anos esperando para receber um valor que é devido e quando se está prestes a recebê-lo vem a suspensão. Espero q o Sr. Rui resolva esse odioso problema que aflinge os servidores municipais.

  • paula

    Todo mês é um sofrimento para receber o leite especial da minha filha, que toma 30 latas por mês, devido a uma doença rara, e o municipio sempre alega que o fornecedor não entrega porque não recebeu o pagamento.Isso é um absurdo, não tenho como pagar r$ 12.000,00 por mês pra manter viva minha filha, por isso entrei na justiça. Será que Rui vai resolver este problema? espero , pois estamos montando uma rede de mães indignadas com este problema da alimentação especial dos nossos filhos. E digo mais , só votei em Rui porque aredito nele, pois é pai e sabe o que se passa com um filho que não tem como se alimentar de nada.

  • hugo

    A farmácia do municipio?? a pobreza só!! só tem ass, captopril, etc…o povo precisa do NOVO!! COLOQUE O QUE PRESTA LÁ RUI! ISSO É COISA DO PASSADO!

  • jobson

    Pelo amor de Deus, não esqueça dos semáforos da Fernandes Lima, péssima luminosidades.

  • Marcelo lima

    Prefeito além da mudança de nivel que segue sendo liberada atraves de apadrinhamentos de funcionarios e secretarios reveja tbm o pagamento dos professores horistas da SEMED pois os mesmo chegam a esperar mais de 50 dias para receber seus vencimentos ou será que para a SEMED o mês tem mais de 30 dias. Absurdo.

  • Eliezer de Azevedo Falcão

    OS PASSAGEIROS DE ÔNIBUS SOFREM MUITO. MUITAS VEZES O MOTORISTA CONDUZ O ÔNIBUS, FREIANDO BRUSCAMENTE, COMO SE FOSSE CAMINHÃO QUE TRANSPORTA GADO. TEVE UMA VEZ QUE QUANDO O ÔNIBUS JACARECICA/VERGEL CHEGOU NA PARADA DEFRONTE À PRAÇA DA FACULDADE, MUITOS ADOLESCENTES, MOÇAS E RAPAZES PULARAM A ROLETA DO COBRADOR SEM PAGAR, APÓS ISSO, O MOTORISTA CORREU MUITO VELÓZ E FREIOU BRUSCAMENTE, MUITOS QUE ESTAVAM SENTADOS, CAÍRAM, ICLUSIVE UMA SENHORA QUE ESTAVA SEGURANDO UM BÊBE, ALÉM DISSO, NÃO EXISTE CONTROLE NOS HORÁRIOS, MUITOS ÔNIBUS DE TODOS OS BAIRROS DA CAPITAL, HÁ CERTAS HORAS QUE ELES DEMORAM MUITO PASSAR, DEPOIS QUANDO PASSAM, SÃO DOIS DO MESMO DESTINO, SEGUINDO O OUTRO CONSECUTIVO. DEVERIAMOS ADOTAR O MODELO DE CURITIBA.

  • MARGELO MOURA

    Um ponto de engarrafamento constante: Rua Barão de Atalaia, na altura da antiga escola técnica. Motivo: manobra de caminhões do Bompreço a qualquer hora do dia e conveniente omissão da Prefeitura de Maceió. Repito: o que Maceió precisa mesmo é de funcionários qualificados. O que existe hoje é, com poucas exceções, sucata mesmo, viciados, ultrapassados e acomodados.

  • tom mendes

    Maceió precisa é de renovação integral de seus quadros técnicos. Há despreparo, acomodação e vícios no ambiente funcional em todas as repartições municipais.

  • Cláudio

    Caro Tom Mendes e Outros, como toda Administração, os Cargos comissionados existem para acomodar apadrinhados e também bons técnicos de confiança. Acredito que com o Rui não será diferente. Precisa montar uma Equipe mesclada com Comissionados e Efetivos que cumpram os mesmos programas, as mesmas diretrizes, atacando de preferência os pontos mais problemáticos em todas as áreas. Mas fica o aviso: Não dá para fazer tudo de uma vez. O novo prefeito não irá resolver o problema do trânsito de Maceió do dia para a noite. Necessita de projetos, planejamento e equipes afinadas e o mais importante, Contratos com terceirizadas em vigor. Só assim será possível resolver alguns problemas urgentes da cidade de maceió.

  • Carlos

    Prezado Ricardo, sempre leio seu blog, e o considero de elevadíssimo nível, por isso postarei aqui algumas informações estritamente técnicas:
    Quando reportamos à questão relacionada à Farmácia Municipal, temos que lembrar a competência constitucional fixada aos entes políticos, na qual, em matéria de saúde compete aos Municípios a Atenção Básica. Neste caso, Maceió e demais municípios , quando se refere a garantia de medicamentos deve se resguardar àqueles previstos na Portaria nº 4.217/2010, cuja definição cabe ao Ministério da Saúde e o financiamento tripartite. http://www.saude.al.gov.br/farmaciabasica/legislacao/portarian421710component
    Neste contexto, os municípios deverem organizar a Assistência Farmacêutica nos limites estabelecidos pelo Órgão Central, principalmente , porque é este quem financia a maior contrapartida. Assim, disponibilizamos ao público a relação municipal de medicamentos, seguindo os parâmetros de eficácia, segurança e qualidade conferidos pelos técnicos que avaliam e aprovam a Relação Nacional de Medicamentos – RENAME/MS. http://www.sms.maceio.al.gov.br/anexosFarmacia/novos_anexos_farm/REMUME_2011_ORDEM_ALFABETICA.pdf
    Com o fito de manter nossos usuários informados acerca da disponibilidade de medicamentos, publicamos em site da SMS e remetemos ao Ministério Público Estadual e Conselho Municipal de Saúde gráficos e relatórios periódicos .http://www.sms.maceio.al.gov.br/anexosFarmacia/novos_anexos_farm/Relatorio-AFB.AtencaoBasica-Setembro2012.pdf
    Além disso, Maceió conta com uma Comissão De Farmácia e Terapêutica que periodicamente avalia o perfil epidemiológico e detecta a necessidade de implantar novos fármacos, sempre utilizando como base a RENAME. No entanto, nos últimos anos, em decorrência de uma demanda administrativa solicitando alguns itens que fogem às listas ministeriais, implantamos programas especiais, como: tratamento de osteoporose, toxoplasmose , h.pylori , vide http://www.sms.maceio.al.gov.br/?pag=programasEspeciais .
    Preocupamos-nos também com a TRANSPAÊNCIA no uso dos recursos destinados exclusivamente à aquisição de MEDICAMENTOS BÁSICOS, e , por isso optamos pelo Sistema de Registro de Preços , com a realização de Pregões Eletrônicos, onde adquirimos 80% direto de grandes fabricantes nacionais, gerando uma economia de 45% quando comparado aos preços do mercado local. http://www.sms.maceio.al.gov.br/?pag=listaAtas . Para reforçar a transparência , todos os extratos dos contratos aqui veiculados são disponibilizados so MP/AL e todos os preços são lançados no BANCO DE PREÇOS EM SAÚDE.
    No entanto, todo este esforço em face da maior cobertura da Assistência Farmacêutica, não evita o excessivo número de demandas judiciais cujo objeto é a oferta coercitiva de medicamentos que não são padronizados nas relações municipais.Este fenômeno, conhecido nacionalmente, como “ judicialização da saúde”, não se limita a Maceió e é um tema de repercussão no STF. Nesta esteira, o CNJ, criou o Fórum da Saúde, o qual orienta que o judiciário crie câmaras técnicas para subsidiar suas decisões, tendo em vista a preocupação com a proteção à saúde da população, evitando abusos da Indústria Farmacêutica, como a oferta de medicamentos, via judicial, sem registro na ANVISA, OU que ainda estão em fase de testes.
    Nesta matéria, disponibilizamos um corpo técnico para a Defensoria Pública Estadual , para a Defensoria Pública da União, e estamos em fase de teste de um programa – CONAJUD – que ligará em tempo real, todo o Poder Judiciário e órgãos da justiça à Câmara Técnica Municipal, composta por médicos, farmacêuticos , enfermeiros e nutricionistas que orientarão tecnicamente aqueles que recebem esta demanda da população.
    No entanto, acreditamos que a demanda judicial em massa,recorrente, deva ser repassada ao Ministério da Saúde – Órgão competente , como visto anteriormente – para que possa viabilizar a padronização e aporte financeiro necessário aos municípios. Isto porque, a grande maioria dos municípios, hoje, não suportaria fornecer aos seus usuários do SUS medicamentos de alto valor agregado sem o devido repasse ministerial, tal fato ocasionaria uma falência da Assistência Farmacêutica Básica.
    Para finalizar, ratifico que os medicamentos disponibilizados na Rede Básica em todo o Brasil, foram definidos com base em critérios rigorosos de qualidade, principalmente, quanto ao risco de causar danos aos usuários diretos. O rol de medicamentos, disponíveis hoje, principalmente em patologias crônicas como diabetes, hipertensão e saúde mental, asseguram um tratamento isonômico à grande parcela dos pacientes, pois, o MS têm acrescido anualmente drogas mais eficazes e seguras.
    Eli Carlos Nunes Machado
    CRF AL 505
    Servidor Público Municipal desde 2004.
    Coordenador Da Assistência Farmacêutica Municipal