O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, tratou de vários pontos do Plano Nacional de Segurança Pública: investimentos em pessoal, treinamento, contratação de policiais, união formal das instituições (MP, Judiciário, polícias) e, principalmente, a valorização da perícia. 

Ele ressalta a necessidade de se construir – o que não existe, hoje – uma polícia científica. Por quê? A impunidade é pai e mãe da desenfreada criminalidade. 

Mas para tantos que aqui se manifestaram, ou o fazem em outros veículos, o que ficou marcado foi a anunciada compra de tablets, computadores portáteis, para as equipes que vão atuar nas ruas. 

E eis que a questão virou o “centro” do plano – que está fadado a dar errado.

Quem ler a entrevista – republicada aqui – com atenção verá os números da nossa tragédia e conhecer algumas das ações que serão adotadas.

Tem gente que acha que só os canhões “matam” o crime (o criminoso, é claro). É o raciocínio mais curto, fácil e que não gasta neurônio. Ao contrário do trabalho de inteligência policial, defendido pelo ministro.

E haja sangue.

Ministro Fux (STF) quer que a 17ª Vara "se espalhe pelo país"
Pinto de Luna e Joaquim Brito trocam farpas no facebook
  • pedro

    Tablets? E o servidor, com a sua remuneração pra lá de achatada, aonde fica? Esquecem-se de um pequeno, porém, importantíssimo detalhe: deve-se valorizar o agente público, para os mirabolantes planos fluirem.Não é só de remuneração que se deve tratar, a conjuntura é maior, há muita gente incompetente na pasta da Segurança Pública, gente que nunca saiu pra rua para combater a criminalidade, gente, que nunca tomuo sol na cara, nunca trabalhou em uma viatura sem as mínimas condições de funcionamento, e no entanto, como prêmio, por passar a maior parte da sua vida profissional, nos Palácios da vida, nas assessorias, na Assembléia legislativa, são contempladas com cargos de alto relevo no Serviço Público, para..fazer um monte de besteiras, pessoas que são odiadas, no entanto.. o mandatário maior do poder no Executivo estadual, assiste impassivo, inerte.Agora, querem aplicar alta tecnologia, tecnologia burra, pois tais mudanças tem que ser discutidas e processadas pelo servidor, que trabalha em Delegacias e quartéis em frangalhos, abandonados pelo Poder Público desde há muito.Mudanças são necessárias, mas tablets, por si sós, não vão minimizar os graves problemas da Segurança Pública neste Estado.

  • facebook

    Vai ser muito bom para os policiais pois vão se devertir no face.

  • Alex

    Pessoal, não é só aumentar salário que vai acabar com a violencia, primeiro que a violencia é a nivel nacional, só os leigos acham que é só em alagoas, eu viajo por todo nordeste, Recife, Aracaju, Fortaleza está do mesmo jeito, em Fortaleza não se pode dar bobeira na praia de Iracema, vai pro mercado de Aracaju onde está acontecendo o Forró e veja como é o clima. Não é questão de salário que vai resolver, lembram da Gang Fardada? era composta por membros do 1º escalão da PM gente que tinha ótimo salários, outro exemplo: Os politicos que roubam. A violencia começa quando você eleitor burro vota em quem não presta.

    Pessoal, param de falar bobagem, a raiz do crime é mais em cima, se existencia fiscalizações severas nas fronteiras as drogas não teriam tantas facilidades de se espalharem.

  • messi pereira

    Antes dos tablets deveriam recuperar as viaturas, as delegacias, tirar os PMs privilegiados das assessorias militares,equipar a criminalistica e fazer concurso para todos os seguimentos, pois só o governador e seus “babões” não enxergam a sucata q deixaram o Estado.

  • Carlos Henrique

    Ricardo, o Fórum de Segurança trás dados interessantes sobre a segurança pública no Brasil. “Nas despesas da subfunção informação e inteligência,
    destacam-se a Bahia e o Pará, com crescimentos de 252% e 238%, respectivamente. Em sentido contrário, reduziram seus gastos nessa área Alagoas (96%) e Mato Grosso (83%). Sabe quanto foi investido em Inteligência em Alagoas no ano de 2009: R$ 690,00 reais enquanto Pernambuco investiu 1.589.764,61. Agora Ricardo sem a participação da Inteligência Policial do Estado em munir esses profissionais da Força Nacional, infelizmente o Plano será um fracasso. A solução tá em casa. Nunca valorizaram a inteligência da PMAL, coitados desses profissionais, doam suas vidas e recompensa zero.

  • Quintela

    o que ele tem que fazer é concurso no mínimo 3 mil vagas, e usar a INTELIGÊNCIA para saber os pontos críticos para distribuir melhor a tropa para cada batalhão! o que temos hoje nos batalhões de polícia são 2 homens para cada viatura. Isso é uma pura desmoralização para a tropa além do baixo salário. Porque quem quer perde sua vida?

  • Robson Farias

    MAGNATA DA ESCRITA! MAIS UM PLANO FADADO AO FRACASSO COM CERTEZA.E MIL PLANOS ELABORADOS PELOS DOUTORES DA SEGURANÇA DESSA FORMA TERÃO O MESMO DESTINO.É SÓ COPIAR O TOLERÂNCIA ZERO AMERICANO: 1-LIMPAR TODAS AS POLÍCIAS;2-VALORIZAÇÃO HUMANA E SALARIAL DA CARREIRA;3-REGIMENTO FORTE DISCIPLINANDO AS POLÍCIAS.ENQUANTO NÃO ENTENDEREM ISSÓ,PODEM COMPRAR MILHÕES DE MALETAS,ARMAS,VIATURAS,SÓ VAI AUMENTAR A CORRUPÇÃO DESSE PAÍS.

  • Marinho

    Senhores(as)

    Os tablets chegarão bloqueados para futilidades da net, mas com um belo sistema de coleta de dados integrados cujo preenchimento será obrigatório e quando falamos em “Tablets da Segurança” de vemos ler MONITORAMENTO POR GPS.

  • PM desmotivado

    Pois bem, vão criar um plano tipo: “Guerra nas Estrelas”, com equipamentos de alta tecnologia e treinamento dos agentes. Mas como já foi falado (e muito), como poderia dar certo, se os agentes – que porão em prática as medidas – não estiverem motivados à tal? Se este governador zomba de nós e dos eleitores quando diz que deu um aumento salarial justo aos policiais, se este aumento substituindo os direitos já adquiridos pelos mesmos, ficou bem abaixo do líquido e certo? Numa jogada trocou os direitos trabalhistas dos militares como: Quinquênios e data-bases por um “piso salarial” michuruca, inferior ao que tínhamos direito. Como estes profissionais por tanto tempo lesados e sem atenção por parte dos gestores poderão fazer acontecer, sabendo que poderiam estar dando uma melhor qualidade de vida aos seus familiares, mas não são valorizados como deveria pelomenos chegar perto de ser?

    Além das armas e equipamentos mirabolantes e caros, deveriam também trazer robôs inteligentes, que não receberiam salário e não correriam o risco de morrer em uma troca de tiros, apenas obedeceriam comandos. Taí uma boa alternativa para o governo não se preocupar mais com pessoal…

  • EM MILITAR DO EXÉRCITO

    PRA QUE TANTO BATALHÃO? TEM BATALHÃO QUE NÃO SE EQUIPARA NEM A UM PELOTÃO!!
    MAS SABE PRA QUE CRIAM ISSES BATALHÕES? PARA COLOCAR CORONEL NO COMANDO E NÃO FAZER NADA.PRA QUE BPRV E BPTRAN? SE PODE FAZER UMA FUSÃO E CRIAR UMA ÚNICA UNIDADE DE TRÂNSITO, JÁ QUE MACEIÓ QUEM CUIDA DISSO É A SMMT ATRAVÉS DOS GUARDAS MUNICIPAIS NO INTERIOR EXISTE COMPAHIA INDEPENDENTE COM 3 POLICIAIS ISSO NÃO EXISTE EM LUGAR NENHUM DO MUNDO, NO MUNICIPIO QUE TEM UM EFETIVO DESSE O GOVERNADOR FIRMA UM CONVÊNIO COM OS PREFEITOS E INTEGRA A GUARDA MUNICIPAL, BOMBEIRO E POLICIA CIVIL EM UM ÚNICO LOCAL, AÍ O BANDIDO VAI VER QUE ALI O EFETIVO É BEM GRANDE.
    OH POVO BURRO ESSES EXPERT DA SEGURNÇA.
    POLÍCIA MILITAR O CÂNCER DA SEGURANÇA PÚBLICA!!

  • JAQUES JACINTO BRANCO

    Os Bancos só visam lucros e mais lucros, limita-se a ampliar a vigilância privada, contratando mais seguranças, preferem investir em alarmes. Muitos jovens se habilitam em cursos de Segurança Privada, para conseguir emprego nas empresas de vigilância, e os bancos evitam contratar mais vigilantes para não diminuir seus lucros.
    Qualquer assalto sofrido pelos Bancos, os prejuízos serão ressarcidos pelo Seguro não é de interesse dos Bancos investir em segurança privada, basta ampliar a quantidade de alarmes, item exigido pelas asseguradoras, se os Bancos contratarem mais vigilantes, esses fariam um trabalho motorizado no entorno do Banco de qualquer cidade, em sintonia com as polícias durantes as 24 horas, os assaltos cairão para zero.

  • Alagoano

    Ricardo, se vc é tão bom pq vc não elabora um plano q seja eficaz e manda pra Brasília?

  • Joilson Gouveia Bel&Cel RR

    Dileto, admirado e inteligente profissional da informação RM, sem querer polemicar (e já polemicando – quase plágio ao famoso “gordo”), sem parecer implicância, rabugices ou recalcitrância e, menos ainda, renitência, mas indaga-se:
    a) O nosso Instituto de Criminalística ou Central de Perícias – que nem mesmo tem próprio para funcionamento adequado e condizente ao enfretamento dos percalços e óbices de uma investigação mais séria e acurada (a começar pela autonomia de ser dirigida por membros de seus quadros especializados ou especialistas em ciências forenses legais: peritos, legistas, datiloscopista e etc); tal qual nossa briosa e civil que nem mesmo dominam as sedes de seus quartéis e delegacias (caindo aos pedaços e outras mais parecidas com pocilgas – ditas pelos seus próprios ocupantes), sem laboratórios ou mesmo um IML capacitado e equipado dos meios para uma necropsia forense legal e até mesmo de rabecões suficientes, sem contar que são exíguos condutores – ao que se antolha, a prioridade do PLANO é a investigação dos delitos – quando deveria ser a PREVENÇÃO para, justamente, EVITAR que os crimes ocorram – quando ocorrem, ainda que haja a prisão, processo e condenação, houve falha crucial da PREVENÇÃO. É FATO;
    b) Ademais, a IMPUNIDADE é irmã gêmea da IMUNIDADE – já o dissemos antes – a IMPUNIDADE é uma velha octogenária e bastante conhecida MATRIARCA da VIOLÊNCIA desenfreada e, também, sempre alimentada pelas drogas, antes pela “inofensiva maconha”, hoje, pelo Crack, pelo Oxis e pela mesma velha, comum e vulgar “cannabis sativas” que querem LEGALIZAR com as insistentes “marchas”, que pervertem nossas crianças e jovens, nossos adolescentes, nossa juventude juvenil. Disse, em 1997: PAIS ADOTEM OS SEUS FILHOS, ANTES QUE OS TRAFICANTES O FAÇAM. Aliás, flagre-se, prenda-se; processe-se e condene-se ao máximo: 30 anos; se cumprir um terço está livre e solto e primário, com o “direito” a matar mais ou SER HUMANO… Sem falar nas mais variadas “progressões” que há, podendo sair muito antes de um terço… Daí…
    c) Mais: há um déficit descomunal de efetivos nas polícias caetés que gera um absenteísmo devastador e cruel – ter-se-á muito mais equipamentos, petrechos, aprestos e materiais bélicos topes de linha (armamento, viaturas e “tablets”) que pessoal habilitado, qualificado e capacitado para usar. Aliás, quantas “operadoras” operam celulares, a cabo, HI-FI e bandas largas com a eficiência e muitas áreas ficam sem cobertura dos potentes sinais dessas ditas – Enfim, evitaremos o crime cibernético e virtual sim enquanto o real, nefasto, cruel e verdadeiro continuará sangrando, ferindo e matando os alagoanos;
    d) Outra: nossas Vtrs, ao que se saiba – não dispõem de terminais ON line ou conexões com o nosso “equipado” CIODS… aí é fhodis!
    e) Pense num mecânico de fusca consertando o motor de uma Ferrari ou Maclaren!
    Abr
    JG

  • ze

    Para, acabar com a violência basta abrir concurso para 1000 pol. civil+ 1000 pol.militar, montar uma central de investigação, com delegados experientes e atuantes, com um disk- denuncia eficaz, montar bases da pm nas favelas e grotas, onde tiver arma ou droagas, a policia chegar junto, com a ajuda da justiça, QUERO VER SE NÃO ACABA TODA ESSA VIOLÊNCIA.

  • RUTH SANTOS

    E ESTES BANDIDOS, SE FOREM PRESOS VÃO PARA ONDE? NEM TORNOZELEIRAS TEM MAIS! ISSO!
    VÃO PRO BALDOMERO HIPERLOTAR PARA 5 AGENTES TOMAREM CONTA?!

  • Carlos Alberto

    Vou lançar um desafio: façam um comparativo…peguem dez policiais e entreguem todas essas tecnologias e cedem o mesmo salário miserável que recebem, avaliem por trinta dias e depois peguem os mesmos policiais tirem essas tecnologias, entregue-lhes um fusquinha como viatura junto com um revólver velho, mas lhes dêem um salário de um policial federal e vejam o resultado ao final.

  • Maceió

    Concordo com a idéia de que a certeza da impunidade é motivadora da violência, mas só a investigação não é suficiente. Para uma eficaz redução da criminalidade é necessário o uso da inteligência de segurança pública(inteligência difere de investigação)para o mapeamento da violência, sua mensuração e uma eficiente ação do Estado.

  • Maria Nunes

    O Plano de segurança tem tudo para dar certo, mas… é desanimador quando lembramos que a casa está completamente desarrumada e desmotivada e por culpa do governador. Cada um com a sua queixa e no final a queixa é a mesma. A PM com os seus problemas de escalas apertadas por falta de pessoal, um comando perseguidor, baixos salários, instalações e alimentação precárias, etc. etc. etc. e que esses são também os problemas da Polícia Civil. Os peritos da mesma forma, também desmotivados, o salário 3x o menor do país e com o mesmo problema de falta de pessoal, sem contar com a traição do governador que militarizou o CEPFOR. Depois que conseguiram se desvincular da policia cível para seguir como fez o resto do país, sendo um órgão independente de influencias policial, aí vem o governador e militariza. Com essa bagunça toda que está na segurança de Alagoas, fica meio complicado algum plano dar certo. Então falam em tablets,sim está tudo bem,mas… Lembramos que nem armas os policiais têm, se quiserem tem que comprar. Diferente dos outros Estados onde os policiais ganham as suas armas.Governador o Senhor tem que consertar primeiro as coisas que está empurrando com a barriga esses anos todo que está no poder,não dar para continuar do jeito que está,porque assim o plano tem tudo para fracassar em Alagoas.Deixe primeiro os policiais e os peritos satisfeitos ,saiba valorizar a categoria que tanto a sociedade está precisando,arrume a bagunça que o senhor permitiu com sua omissão, quando faz de conta que Alagoas não precisa de policiais, de delegacias, de peritos e nem IML.

  • aldo soares

    “O preço da liberdade é a eterna vigilância”.Fato. Os E.U.A, sempre guarneceram seu território com lei e com ordem; lá não há empecilho algum pra se ter uma arma, e há milhões delas nas mãos da população ordeira;nem por isso se vê duelos em bares, assassinatos por motivos torpes. Armas não tem juízo; recebem comando, são acionadas. Aqui há muitos anos que a vigilância deixou de existir; então, perdeu-se a liberdade. Agora, claramente se vê, que seus gerentes públicos nunca gostaram do título : ordem e progresso. Um não existe sem o outro.