Ninguém sabe o tamanho exato da ajuda e quais serão as ações do governo federal na Segurança Pública de Alagoas. Aliás, nem mesmo o Ministério da Justiça e órgãos a ele ligados sabem exatamente como e o que vai acontecer. 

Mas há uma certeza para quem acompanhou as conversas em Brasília, esta semana: a crise de Alagoas, que atingiu o ponto máximo esta semana, vai ajudar o ministro José Eduardo Cardozo a por em prática o Plano Nacional de Segurança Pública. O que ele já tentava há um ano, mas ainda não havia conseguido tirar do papel. 

A carta enviada pelo governador Teotonio Vilela Filho a presidenta Dilma Rousseff, há um mês, e as reuniões emergenciais que ocorreram agora finalmente fizeram que o Palácio do Planalto determinasse uma ação imediata. Entenda-se: a própria Dilma mandou que se tome providências o mais rapidamente possível – o prazo esperado é de quinze dias – e que apresentem os resultado. Ao estilo – gerente, gerentona, seja lá como que se queira chamar.  

Por ser pequeno, o estado de Alagoas pode e deve servir de piloto para o que o ministro da Justiça pretende que seja o Plano Nacional de Segurança Pública, envolvendo os estados e as forças federais com estrutura diferenciada.

É bem verdade: não precisávamos ter chegado ao fundo do poço. Mas há dentro do governo do Estado duas correntes distintas. Uma que fez da Lei de Responsabilidade Fiscal a sua bíblia, numa interpretação fundamentalista. Outra que ainda acha que governar é responder – mesmo que com limites – aos clamores da sociedade. Um exemplo em uma pergunta: por que tanta demora burrocrática para autorizar um concurso para a Segurança Pública?

Já vai chegar com muito atraso.

A 17ª Vara, o juiz Maurício Breda e os furinautas
Jeferson diz que "acordo com Galba está bem adiantado"
  • Cidadão indignado

    Ricardo,
    Infelizmente, o Brasil e Alagoas precisam mártires para que as autoridades acordem do mundo irreal em que vivem. Quem não se lembra, o 1º Plano Nacional de Segurança Pública somente foi lançado no Brasil, durante o governo Fernando Henrique, logo após o sequestro do ônibus e morte de uma professora no Rio. Foi quando o governo federal criou a Secretaria de Segurança Pública –SENASP, no âmbito do Ministério da Justiça, assumindo de vez que também era responsável pela segurança publica do país.
    Porém, o que era para ser mais um ente colaborando na segurança pública do pais, virou o único. A maioria dos governadores dos estados se acomodaram e ficam esperando apenas que o governo federal realize os investimentos. Verifique, apesar dos ” índices de guerra”, o que o Estado de Alagoas investiu com recursos próprios na área de segurança nos últimos 06 anos . É quase nada e não é porque não pode, basta verificar o orçamento do estado. Sem falar na qualidade dos gestores, que vivem de fazer propagandas enganosas, tratando o cidadão como idiota.

  • ALINE

    Infelizmente Alagoas teve q chegar a esse patamar da violência, nosso Estado cada vez mais sendo alvo de bandidos e notícias diárias sobre essa onda de violência q chegou e nunca foi embora ou teve se quer solução. Com todo respeito à família da vítima, precisou um médico da sociedade morrer para as autoridades acordar um pouco sobre o descaso de nosso Estado, e quantas pessoas carentes morrem diariamente e passam despercebidas
    na nossa tão sofrida Alagoas.Nosso Estado deveria ser um exemplo, mas como acabar com a violência se a maioria dos bandidos são “fardados”???? começando pela própria polícia mal remunerada, esse já é outro lado do problema.E Pra existir segurança tem q haver investimento, pra haver investimento tem q ter dinheiro, o dinheiro vem e é mal aplicado, e vai aparecer sempre duplicações, viadutos, etc… e a verba acabará e sempre será assim a nossa querida Alagoas.

  • Valdeck

    O atual governador é um fundamentalista até a medula dos mandamentos do PSDB, pregando e executando a desobrigação do Estado, privileginado o privatismo, enquanto as áreas sociais ficam à mercê da própria sorte. A ajuda federal agora propalada, soa como incompetência desse governo PSDBista, aliás, o pouco de obra que se está fazendo, são obras federais, como reconstrução das casas das enchentes, duplicação da AL sul, etc. O governador só se levantou correndo para Brasília, porque a população, os turistas, já não suportam a violência flagelante e as caríssimas propagandas do governo querendo mascarar a situação. A segurança pública perpassa por aumento de efetivo concursado, melhor remuneração e treinamento, reaparelhamento e um secretário de segurança que saiba de fato como articular as ações, pois esse que está aí, é aquém do cargo que empunha. Tanto é, que a situação em Alagoas está calamitosa nos três pilares básicos da sociedade, educação, sáude e segurança. E ainda faltam três anos para mais situações escabrosas acontecer nessa terra que merecia mais atenção e respeito de seus gestores.

  • Fábio

    Caro Ricardo Mota, concordo com o senhor que Alagoas está numa crise de segurança incalculável, mas que ela não veio ao ápice essa semana: 1º – As escolas estaduais estão praticamente ineficientes para o ensino, tornando os jovens vítimas para venda e consumo de drogas; 2º – A saúde é o que todo mundo sabe: Precariedade; 3º – Alguém já perguntou aos servidores da segurança pública se estão satisfeitos com a administração do Cel. Dário Cesar na secretaria de Segurança? Quais investimentos que foram realizados até agora nessa área? Ou, neste ano quantos foram assassinados até a semana passada? Política de segurança emergencial com pressão a curto prazo não vai resultar em nada, infelizmente. Buscar ajuda para a segurança sem observar a saúde, educação, taxa de emprego, qualidade do serviço público e engajamento de TODOS, Alagoas não vai conseguir o resultado esperado que tanto agente sonha: PAZ.

  • jose antonio dos santos

    Seja qual for o Programa de combate a vilência no Estado, já está morto!. A questão tem raizes socias graves e todo mundo sabe, inclusive os bestas. Governo e Prefeituras se unam, se integrem num só propósito, oferecer educação de qualidade, as crianças, adolescentes, jovens com horário integral, é por aí o caminho a médio prazo!. VOcês não cuidam nem dos prédios escolares, o que se vê todo dia nos meios de comunicação são ESCOLAS DESABANDO, falta tudo!. Isso é uma vergonha para o gestor!. Não adianta querer enganar mais a população, não aceitamos conversas mole, promessas não cumpridas!. Chega de tanta incompetência!.

  • jose antonio dos santos

    Uma pergunta as autoridades, de onde vem as armas que chegam até as mãos dos bandidos?.Tirem as armas de circulação, covardes sem armas são fracos, medrosos, não irão aventurar em crimes!.

  • Cícero Albuquerque

    Três erros que o governo federal não pode cometer ao ajudar Alagoas: 1)pautar a sua intervenção pelo critério material/financeiro. É preciso iniciativa técnica/política. A situação de insegurança pública de Alagoas exige uma maior intervenção. O aparelho da segurança pública de Alagoas está falido. Falta iniciativa e coragem ao governo de Alagoas no enfrentamento da violência. Precisamos de isenção na investigação e vigor na aplicação da lei. 2)Outro equívoco será pensar que a solução passa por contratar mais policiais. Precisamos de mais e melhores policiais. Entre outras coisas, é preciso fazer uma faxina nas forças de segurança, há muitos bandidos usando farda. É preciso também compreender que as ações repressivas devem responder apenas um aspecto daquilo que tem que ser feito. Falta investimento em educação, saúde,esporte, lazer. O povo de Alagoas é órfão de políticas públicas.3) Nada será consequente sem o comprometimento do poder judiciário. Nosso judiciário – com belas e honrosas reservas – é outro poder que precisa ser revisto.
    Por fim, vivemos uma situação tão absurda de violência que podemos chamar a sociedade alagoana para um grande balanço. A iniciativa tardia do governo federal fortalece o sentimento de que é hora de um enfrentamento coletivo da situação de guerra na qual nos encontramos.No entanto, não podemos esperar, devemos cobrar, responsabilizar os nossos governantes.

  • TOMÁS

    O governador não tem interesse em fazer concurso para nenhuma área, desde o 1º mandato que o governador e os secretários de segurança enrolam a população tudo mês sai o edital e até agora nada, outra coisa para que esses policiais estejam nas ruas leva no mínimo um ano!

  • OBSERVADOR

    A SITUAÇÃO NÃO ERA PARA ESTAR TÃO VIOLENTA SE TIVESSEM INVESTIDO ANTES NA SEGURANÇA PUBLICA. O TEO NÃO TEM CULPA, MAS É ELE O COMANDANTE MAIOR DO ESTADO. O PEPINO ESTÁ NAS MÃOS DELE.MACEIÓ, NÃO É DIFICIL DE SE COMBATER A VIOLÊNCIA. OS PROJETOS ESTÃO SENDO TOCADOS. O PROBLEMA É QUE PRECISAM IMEDIATAMENTE INTERVIR NA ÁREA DE SEGURANÇA. BRASILIA SÓ TRABALHA COM PROJETOS E NÃO SÃO DE CURTO PRAZO. JÁ O GOVERNO LOCAL PRECISA TOMAR AS RÉDEAS DA SEGURANÇA, SOLICITANDO DE SEUS GESTORES UM PLANO EMERGENCIAL, ENQUANTO BRASILIA NÃO CHEGA COM OS RECURSOS. O QUE NÃO SE PODE É DIZER QUE NÃO SE TEM DINHEIRO PARA INVESTIR NA ÁREA, POIS A ASSEMBLEIA RECEBE SEUS 13 MILHÕES MES PARA OS DEPUTADOS GASTAREM A VONTADE. O TRIBUNAL DE CONTAS O MESMO. ESTES PODERES DEVERIAM CONTRIBUIR PARA INVESTIMENTO NA SEGURANÇA. ELES TEM CULPA NO CAOS QUE ESTÁ A COISA. O GOVERNO GASTA FORTUNA COM A ÁREA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL, PODERIA CONTIGENCIAR PARTE DO ORÇAMENTO E REPASSAR PARA A SEGURANÇA, POIS PM E PC NÃO PODEM GERENCIAR O SETOR COM BAIXO CUSTEIO. A POLICIA CIVIL SÓ RECEBE 650 MIL MES PARA CUSTEIO. TEM-SE QUE SE DECRETAR EMERGENCIA NA SEGURANÇA NOVAMENTE. NA CAPITAL AS DELEGACIAS ESTÃO ESVAZIADAS E FECHADAS DURANTE A TARDE, NOITE E FINAL DE SEMANA POR FALTA DE EFETIVO. A PM NÃO TEM O PODER DA OSTENSIVIDADE POR FALTA TB DE EFETIVO. QUE SE CONTRATE POR UM PERÍODO POLICIAIS CIVIS E MILITARES APOSENTADOS PARA PELO MENOS FUNCIONAREM NA CAPITAL. A CONTRATAÇÃO DE ESTAGIÁRIOS É IMPORTANTE, QUE O GOVERNO INCENTIVE AOS 250 POLICIAIS CIVIS QUE ESTÃO AFASTADOS PARA SE APOSENTAR PARA QUE VOLTEM A ATIVA, CONCEDENDO-LHES O ABONO PERMANÊNCIA. CRIE-SE AS HORAS EXTRAS E O ADICIONAL NOTURNO. POLICIAMENTO OSTENSIVO E INVESTIGAÇÃO EFICAZ, COM AS CONDIÇÕES DE ESTRUTURA DEVIDAS, COM CERTEZA DARÁ UM ABALO NO INDICE DE CRIMINALIDADE. DE OUTRA FORMA, NÃO HÁ OUTRO JEITO DE EMERGENCIALMENTE A COISA MELHORAR.

  • koltt

    Necessitou morrer um pessoa mais influente para que o GOVERNADOR deixasse de acreditar em sua propaganda VISIONÁRIA e acordasse para a realidade. Deixasse de dizer que a violência em Alagoas não era o que se diziam e contestava com números

  • Alberto

    Até que enfim o Chefe do Executivo Estadual se rendeu aos caprichos de uma “intervenção federal mascarada” no âmbito da segurança pública no Estado. Certo, é que, em caso de eventuais quedas nos índices de criminalidade,tudo será atribuído ao Gov. estadual, se ocorrer o contrário, o discurso será no sentido de que o Gov. Federal é quem errou. Quem aposta que será diferente?

  • D’antanho

    Em 64 a crise era política,as instituicões ainda não estavam afetadas,tanto que as forças armadas repuseram a ordem no país.Hoje a crise é moral e INSTITUCIONAL.A corrupção e a inversão de valores campeia e, com essas quadrilhas de” esquerda”? no poder a naçao está lascada! Estão nivelando por baixo, pois asim fica mais fácil manobrar. Um verdadeiro fascinazipetismo!!!!As ideologias???

  • eduardo

    Ninguém se iluda, acontecerá o seguinte:
    1) Virá dinheiro e muito do governo federal a fundo perdido, que se revertido no de sempre: viaturas ( de preferência locadas ), armas e reforma de prédios ( sem licitação );
    2) Concurso público da Pm e Civil acontecerá, porém, nomeação e posse no final do governo, a conta vai ser paga pelo próximo governante, para Théo ficará o louro de ter contratado xxx policiais;
    3) Para dar uma satisfação a classe média e alta que forma opinião, haverá um aumento no efetivo do trecho P.Verde-Pajuçara-Jatiúca e limpeza da maloqueirada local, até esfriar o assassinato do médico, depois volta, pois o o eixo biu-jaça-climabom, não pode ficar sem policiamento, apesar de estar no patamar de baixo.
    Tudo tão previsível que dar até para ser vidente.

  • HEYDER PEREIRA CAMPOS

    MESTRE, NADA CONTRA. UMA MEDIDA DE “TOLERANCIA ZERO” POR AQUI NÃO SERIA NADA MAL. O RUIM DA QUESTÃO É O PESSOAL DOS TAIS “DIREITOS HUMANOS” E OS ETERNOS DEFENSORES DO FAMIGERADO “ESTATUTO DA CRIANÇA” QUE FORAM PARIDOS IGUALZINHO A NOSSA CARTA MAIOR DE 88, PRENHE DE FIRULAS E DEIXA O ESSENCIAL PRA QUANDO ACONTECER ALGUMA COISA. COMO TEM SIDO.CONCORDO COM VOCÊ QUANDO DIZ QUE A “MENINADA”PRECISA TER O QUE FAZER PRA NÃO FICAR INVENTANDO MODA. SEI NÃO, MAS CONTINUO ACREDITANDO QUE UNS PUXÕES DE ORELHA PODERIAM CONSERTAR MUITA COISA POR AÍ.A MINHA GERAÇÃO E A SUA, POUCO DEPOIS, ANDARAM LEVANDO ALGUNS TABEFES QUE HOJE AGRADECEMOS PENHORADOS. OU NÃO ?

  • Joao paulo

    Ricardo, o grande atraso deste governo se chama Maurício toledo. Por ele, o governo não faz nada para poder economizar dinheiro. Qualquer projeto esbarra na Sefaz. E no final das contas, nem o governo põe as contas em ordem nem investe em políticas publicas. Triste.

  • Ana Martinez

    Sinceramente, é muita irresponsabilidade para um estado só.
    nao se sabe ao certo de quem é a culpa de que, porem pode-se afirmar que, de certo, todos temos culpa. ninguem se mexe nem p reclamar de nada, espera sempre que aconteça o pior e no ultimo caso vao em busca de providencias. nao se deixa nada para ultima hora, principalmente quando se trata da nossa segurança.

  • walter

    A resposta é: falta de interesse administrativo, não é apenas na segurança publica,na saúde e na educação, também existe um descaso por parte do gestor publico,é só vê os pacientes que necessitam de medicamentos caros, eles têm de recorrer a justiça para recebé-los (caso ainda estejam vivos)Na educação mais de cem escolas destruídas e milhares de adolescentes a deriva (ou indo em direção a delinguencia).

  • pedro

    Vamos pensar um pouco! Alagoas é o Estado com maior concentração de renda do pais, nossa economia (PIB) esta não mão de meia dúzia de famílias, não existe educação e com isso a pespectiva dos jovens é continuar na miséria, na droga e marginalidade, esse quadro não irá mudar com facilidade.

  • Fábio

    QUEM MANDA NESSE GOVERNO É:Mauricio Toledo.

  • saulo mendes

    O eduardo sabe o que está dizendo: o modelo que ele fala foi inventado por Lessa. O Problema que no governo dele, as fardas eram rasgadas e “puídas”. O revolver era 38, dois tiros, os carros eram locados e entregues aos “menininhos” da Jatíuca e Jacintinho, e o salário era uma merda. Convenhamos, que hoje é bem melhor. O problema que policia é bico: melhor para o soldado é 100 reais por semana no posto de gasolina, que ganhar 2500 na PM, onde não pode ser mais demitido.
    ME AJUDE AÍ!
    O MAIOR LADRÃO DAS AGENCIAS DO CORREIOS, O “PEU”, PRESO ONTEM PELA PF, HAVIA SIDO PRESO ANTES PELO DEIC(POLICIA DE VERDADE) DEPOIS DE 8 MESES DE INVESTIGAÇÃO. ASSALTANTE DE BANCOS E ASSASSINO DE POLICIAIS. POIS BEM, ESTE “CIDADÃO” PASSOU PRESO APENAS 3 MESES, ESTE ANO. A “JUSTIÇA” ALAGOANA O SOLTOU, E O DEIC, SEQUER SABIA.
    Será que a culpa é do governo?

  • JEu

    Continuo a afirmar que, sem investimentos massivos na educação, geração de emprego e renda e saúde,complementados por esporte, lazer e cultura para os jovens e adolescentes, mesmo com esses mil soldados e a implantação das bases de segurança comunitárias, o quadro da violência/criminalidade vai mudar bem pouco…

  • Alfredo Massaranduba

    A ESPERANÇA

    Augusto dos Anjos

    A Esperança não murcha, ela não cansa,
    Também como ela não sucumbe a Crença.
    Vão-se sonhos nas asas da Descrença,
    Voltam sonhos nas asas da Esperança.

    Muita gente infeliz assim não pensa;
    No entanto o mundo é uma ilusão completa,
    E não é a Esperança por sentença
    Este laço que ao mundo nos manieta?

    Mocidade, portanto, ergue o teu grito,
    Sirva-te a crença de fanal bendito,
    Salve-te a glória no futuro – avança!

    E eu, que vivo atrelado ao desalento,
    Também espero o fim do meu tormento,
    Na voz da morte a me bradar: descansa!

  • victor santiago

    sera q agora o teo se liga mas na segurança publica. porq pra ele ñ existe segurança na mente dele, acorda teo e abri esse concurso da pm, novos policiais
    louco pra ajudar contra essa violência!!!

  • Só rindo kkk!!!

    Ômiseumininu, enquanto não mudar a maneira de governar SEM divisão equânime das riquezas produzidas, tudo não passa de enganação, é tapar o sol com uma peneira, RM tô igual a São Tomé, só vendo pra crer, mesmo porque só este ano até 30/05, o governo da Dilma PAGOU, TORROU, só R$ 447,2 bilhões através do Ministério da Fazenda, do solar italiano Mantega, agora com o coitado do Ministério da Justiça do José Eduardo Cardozo, só foi autorizado gastar até o mesmo dia 30/05 a fortuna de R$ 2,6 bilhões!!! Mesmo que seja promovido a São José, São Eduardo e São Cardozo, o ministro José Eduardo Cardozo não vai conseguir fazer milagres, porque existe diferença entre R$ 447,2 bilhões e R$ 2,6 bilhões. O que precisa ser feito é uma troca de santos, mandar o São Mantega para o Ministério da Justiça, que é um santo forte, o santo Mantega dos R$ 447,2 bilhões e o outro para o Ministério da Fazenda, aí São Tomé acredita que ALAGOAS pode ter ajuda.
    Presidenta DILMA, acorde, não tem saída, só com AUDITORIA na famigerada DÍVIDA PÚBLICA FEDERAL e no NIÓBIO, seja coerente com o seu economês, até parece que está se engasgando com mosquito e engolindo elefante, desse jeito não acompanha os meus passos, quanto mais o raciocínio, pois o problema do Brasil, é ÉTICO.
    Diante só rindo de tanta cAApetência, kkk!!!
    P/Arabutan.

  • Valdo França

    Caro Ricardo, estou utilizando este expediente para alerta a situação complicada e constrangedora que estão passando os usuários da Unimed, pago aproximadamente R$ 900,00 de plano de saúde meu e da minha família essa semana minha esposa precisou ser atendida na urgência e tivemos a constatação que algo de errado está acontecendo, na recepção é um total transtorno para ter uma idéia falta o básico do básico não tem álcool gel , não tem funcionários suficientes e não tem nem cama para atender os enfermos, eles estão sendo atendidos em cadeiras quando tem quando não ficam em cadeiras de rodas que na teoria era para ser utilizada só para o transporte dos pacientes, estagiários sendo utilizados para fazer os procedimentos sem acompanhamento de um profissional, visto que os profissionais são poucos e tem que si desdobrar para dar conta do serviço, sinceramente a constatação que faço é da total falência da gestão da Saúde, visto que o HGE (saúde publica) dispensa comentários,desta forma além de todos os impostos pagos pelo trabalhador ainda temos que pagar plano de saúde com muita dificuldade e descobrimos que estamos pagando um serviço de péssima qualidade, mas além do desabafo eu não consigo entender a lógica do negocio, pois a Unimed é uma cooperativa e teoricamente tem seus custo trabalhistas menores, opera como banco Unicred inclusive emprestando dinheiro e seus gestores e funcionários alegam a péssima qualidade do serviço ao grande numero de usuários, ai que eu não entendo mesmo pelo o que eu saiba todos pagam suas mensalidades, então quanto mais clientes mais dinheiro, Ricardo tem algo de errado nesta equação e olhe que a analise feita é pela visão capitalista tratando o negocio com um comercio como outro qualquer. Desta forma fica o meu repudio pela forma que a Unimed vem tratando seus clientes e também seus funcionarios

  • Tony PM

    Só vendo pra crêr,isso é tudo balela, o estado estar com toda estrutra sucateada, prédios desabando e o governo nem aí, o serviço público de má qualidade, policiais desmotivados, doentes e desvalorizado e derespeitados, vamos nos unir sociedade e governo para encpontrar um fórmula pra ver se melhora um pouquinho, falta comprometimento do governo principalmente.

  • Aff

    O problema maior de Alagoas é a quantidade de ladrão,desvia dinheiro de merenda,várias operações mais ninguém devolve o dinheiro e esse dinheiro roubado faz falta,poderia ser investidos em segurança e outras áreas;aqui é muito político comendo mole,trabalhar a favor da população que é bom? Não tão nem aí.O povo que se exploda.Foi preciso morrer uma pessoa mais influente p/eles poderem saírem do lugar.Devolvam os dinheiros desviados p/serem investidos a favor da população.

  • JOAQUIM BRITO

    Caro Ricardo, o Governo Federal ajuda A –
    lagoas na área de segurança e em todas as demais áreas. O problema é que o Go –
    verno é incompetente para cumprir com as
    suas obrigações. Ainda temos escolas da
    rede estadual, cujo ano letivo não foi i-
    niciado, em pleno mês de junho; em outras
    tem que haver revezamento, por escassez
    de carteiras escolares; temos o maior ín-
    dice de desemprego do Brasil; a saúde é
    uma vergonha – o HGE mais parece um campo
    de concentração. Segurança requer ações de interfaces, intercâmbio de providên –
    cias. Segurança não é política pública que interesse ao modo PSDB de governar:
    “estado mínimo”. Tudo em Alagoas, tem que
    ser feito pelo Governo Federal. Então en
    trega o comando do Estado ao GF, por in –
    competência de gerir. O caos em Alagoas,
    tem responsável: Teotonio Vilella Filho.
    Governo fraco; refém dos bandidos.

  • THIAGO GOMES.

    ALINE, VOCÊ É UMA DOENTE MENTAL,FALAR QUE A MAIORIA DOS BANDIDOS SÃO POLICIAIS É DESCONHECER TOTALMENTE DO ASSUNTO,POIS SE NÃO FOSSE DEUS E OS POLICIAIS (ALAGOAS ESTARIA MUITO PIOR). VAI PROCURAR UM LAVADO DE ROUPA QUE É MELHOR.VOCÊ E OS SEUS FAMILIARES SÓ SAEM ÀS RUAS PORQUE DEUS E OS POLICIAIS PROTEGEM VOCÊS.

  • Maria

    Joaquim Brito e o julgamento do mensalão???
    O Molusco tá fazendo conchavos pra não acontecer.

  • Sylvio De Bonis Almeida Simões

    Sem conhecer o que será especificado no Plano em questão, penso como “difícil” qualquer comentário a respeito.
    Tomara que venha a solução para nosso grave problema: a tamanha sensação de insegurança que vivenciamos, em face dos dados estatísticos atuais.