Recebi uma ligação telefônica de um familiar do médico José Alfredo Vasco criticando a exploração política do crime ocorrido no último sábado. 

É inevitável.

No fundamental, que a sociedade, de uma vez por todas, se engaje em um movimento de transformação de Alagoas e, particularmente, de Maceió – a capital mais violenta do país.

O que me incomoda, e tenho explicitado, é a hierarquização de ações dos governos quando o tema é violência.

Necessitamos, sim, de mais polícia – com maior qualificação – nas ruas, agindo preventivamente. Mas isso não basta.

O efeito é limitado, embora inadiável.

Temos de ter claro que disputamos a meninada com o mundo do crime, que oferece prêmios imediatos, mas não oferece futuro.

Este não é um discurso ingênuo – apenas não é imediatista – como muitos acham (e me criticam por isso).

As ações do governo devem ser voltadas, com a mesma força, com a mesma intensidade, para a Educação. Que deve ser compreendida além do currículo escolar tradicional.

Não tem sentido as escolas municipais e estaduais fecharem suas portas nos finais de semana.

Mais ainda: escola em tempo integral, envolvendo atividades além da sala de aula é o recurso usado no mundo inteiro para formar a juventude.

Que a sociedade, que agora aponta para o fim da tolerância à violência crescente, vá além da cobrança de mais polícia, melhor iluminação das ruas e espaços públicos – e tudo isso é importante para reduzi a insegurança. Mas a hora é de pensar grande.

Pergunto: o que fazem as secretarias de Esporte e Cultura de Maceió e de Alagoas?

Parecem apenas adornos da administração pública. Com orçamentos ridículos, ao final servem apenas para compor politicamente, pelos cargos e salários que oferecem.

Esta é uma distorção que vem lá de cima, de Brasília. Gilberto Gil, que deu visibilidade ao Ministério da Cultura, fez campanha para ganhar 0,5% do orçamento da União. E perdeu.

A imagem dominante é de que essas pastas têm um papel coadjuvante na formação dos jovens brasileiros.

Sem que as áreas mencionadas sejam priorizadas – de verdade – as mudanças que esperamos não acontecerão.

Polícia, já! Sim.

Mas, também: Educação, já! Saúde, já!

Menos do que isso é enxugar gelo.

Uma ação estruturante pode evitar que nossos filhos sejam as próximas vítimas do crime.

MP de Contas investiga aumento de salário dos deputados
Francisco Araújo volta à Semas e Tony Mello assume Secom de Maceió
  • tania

    Concordo com vc em todos os aspectos…. combater a violencia sem outras politicas publicas de inserção dos jovens na escola e no trabalho não dá bons resultados!!!! Os bairros nobres de Maceio, principalmente os da orla mostram a desigualdade gritante em nossa cidade… o jovem q sai da periferia se depara com um mundo irreal e busca dinheiro facil para seu vicio….eh necessario trabalhar os jovens com politicas q eles tenham condiçoes de vida digna…. somos todos culpados por permitir q politicos corruptos continuem no governo, porque não formar um movimento para tirar da Assembleia os deputados que lesaram o cofre de la, fica a sugestão….

  • sara

    Ricardo Mota,você já disse tudo neste texto,só falta os nossos governantes dá prioridade a tudo o que você escreveu.Parabéns!

  • Francisco Oliveira

    Caro Ricardo Mota, infelizmente as cobranças são sempre na polícia. No caso específico do Vera Arruda a iluminação é totalmente precária, existindo vários ambientes propícios para a marginalidade possa se beneficiar, principalmente nos momentos em que as rondas não acontecem. Maceió está abandonada, notadamente na periferia. O Governo do Estado criou a ronda cidadã, o 181 e as bases comunitárias que tem dado resultados onde foram implantados. É evidente que falta mais policiais, mas é necessário que a prefeitura municipal entenda que espaços como o Vera Arruda e praças municipais devem ser revitalizadas e ficar sobre a proteção da guarda municipal, que insiste em fazer o papel da polícia militar.

  • PELA PAZ e a POLÍTICA!

    Voltando ao assunto do movimento pela PAZ, os candidatos a vereador e a prefeito, se aproveitando do ano de eleição municipal, além dos Sindicatos como SINTEAL , CUT, SINDPOL ,MOVIMENTO DOS SEM TERRA( MST, MLST, PASTORAL DA TERRA)protegidos pelo Governo Federal do LULA/DILMA, estarão lá se aproveitando do movimento para fazer politicagem, como se eles nunca tivessem feito qualquer tipo de violência ao patrimônio público e bandalheira em terra produtivas. E quem fala mal do Governador vai estar junto deles de mão dadas. Que contradição heim?

  • Roberto Silveira

    Moro na periferia, e concordo que há um descaso do Governo municipal no que se refere a iluminação pública, a falta de política pública de esporte, cultura e lazer, profissionalização dos jovens e acima de tudo a fiscalização no que a respeito da instalação e funcionamento de bares nas praças municipais (praça Mário Jambo no Jacintinho) nas proximidades de escolas e em calçadas (churrasquinhos) que trazem o excesso de bebida, a droga e o som muito alto que pertuba o sossego público. Gostaria que assim como foi criada uma rede social com indignação da morte ocorrida no Vera Arruda, fosse criada uma rede para mostrar o abandono da cidade de Maceió.

  • lucien do nascimento

    Texto preciso, coerente e por demais assim batido, debatido. Simples,óbvio entretanto autoridade alguma parou ao menos um átimo para refletir sobre os seguidos apelos feitos aqui mesmo em como o vetor educacional é fundamental nas conquistas de uma nação rumo à eficiência…não há outro caminho.

  • marta lima

    Faz um tempo que deixe de comentar e sabe o porquê? é que em um dos meus comentários sobre a violência em Maceió, alguém disse que eu não sabia o que tava falando, pois meses se passaram e agora a sociedade civil organizada tá querendo solução justamente para a violência desenfreada que toma conta da nossa Cidade. Mata-se nossos entes queridos nossos amigos conhecidos mestres professores e o poder publíco apenas lamenta! é muito pouco !! o que o poder público precisa é deixar de enrrolada de incompetência e fazer o trabalho sério.Quanto a nós sociedade cobrar diariamente sem sossego melhor educação! Lembrem-se cada Povo tem o governo que merece.

  • enrique

    é caro ricardo tudo isso é importante porém o crime é atraente trás resultados imediatos e tem a proteção de nossa justiça, talvez si o latrocida quando pego, ficasse os 30 anos preso direito a nem um tipo de progressão os bandidos evitassem seu cometimento. acho que a mudança deve começar pela lei. portanto um endurecimento do estado para com os marginais sempre surtiu efeito,contudo entendo oreceio dos policiais pois quando ferem um bandido são penalizados.

  • ANALISTA DE SEGURANÇA

    Perfeitamente, as pessoas acham que uma manifestação, apenas isso, resolveria nosso problema de segurança, a coisa é mais complexa e envolve mais ações, por exemplo: não uma só proposta nesse movimento do Facebook, apenas uma manifestação pública, isso resolve o que? Da minha casa jamais sairia para algo sem um objetivo definido, quais são as sugestões para a melhoria da segurança? Alguém declinou alguma?

  • Adriano Soares da Costa

    Parabéns pelo texto lúcido e corajoso. Segurança pública não é apenas homens fardados na rua; tampouco é a produção de mais violência com o assassinato de supostos criminosos, em justiça de mão própria, que tem como consequência apenas gerar mais violência e esquadrões de justiceiros (a experiência em Alagoas mostra onde isso vai dar, com pessoas tendo o poder de vida e morte sobre toda a sociedade). Você acerta quando aponta que a segurança pública diz respeito também à educação, cultura e saúde. Ou seja, às políticas públicas preventivas e educativas, além de uma política mais eficiente das redes sociais de proteção. No que diz respeito à educação, hoje tem a clara percepção que o seu principal problema não é falta de recursos, porém a falta de política planejada e articulada entre União, Estados e Municípios. Aqui em Alagoas estamos, como muito sacrifício e adversidades, fazendo uma mudança na estrutura da educação, para que possamos ter eficiência e resultados concretos nas políticas pedagógicas, de modo a manter o aluno na escola e diminuir substancialmente a evasão escolar. É um processo duro, complexo e difícil, mas que está sendo feito e dará frutos. Fiz questão de escrever aqui, em seu blog, para dar-lhe total razão e dizer que a é missão de todos nós – da sociedade civil organizada, que exige resultados e faz uma justa pressão por soluções, bem como dos gestores públicos, que não podem se omitir diante desse imenso desafio. Parabéns pela lucidez e paixão pelas ideias defendidas aqui, que infelizmente muitos não compreenderão. Um abraço fraterno. Adriano Soares da Costa.

  • carlos

    Ricardo, acho sim que estão tirando proveito do ocorrido, essa de cortar a assessoria militar do palácio foi o fim. Todos os dias desse governo acontece crimes banais e chocantes, se mata nesse estado por nada,melhor,por falta de governo. A semana passada um taxista foi morto porque só tinha R$20,00 reais e o governador fez o que?
    Quando um crime tem repercussão ele toma uma medida demagoga dessa.

  • LUIS PHILLIP

    RICARDO,O BAIRRO DO FEITOSA PASSA POR UMA SITUAÇÃO HORRÍVEL,VÁRIOS ADOLESCENTES VICIADOS NA NÓIA, EM UMA CERTA REUNIÃO FALEI DA NECESSIDADE DA PRESENÇA DA SEC AÇÃO SOCIAL E DE ESPORTES MAS NÃO FUI OUVIDO PELOS SECRETÁRIOS HJ EXISTE UM PROJETO REALIZADO PELO CONSELHEIRO TUTELAR ANTONIO TIBURCIO COM MAIS 60 CRIANÇAS E O PROJETO NÃO TEM NENHUM APOIO DO ESTADO NEM MUNICIPIO APENAS AMIGOS NOS AJUDAM,É HORA DE EXISTIR O APOIO POR PARTE DAS AUTORIDADES!!!

  • Libio Rocha

    A dívida social enfim está sendo cobrada. A falta de investimento em educação, saúde e políticas de assistência social, finalmente, está cobrando a sua fatia. A onda de violência que alguns, inadvertidamente, atribuem ao atual governo nada mais é do que o reflexo dos índices sociais (os piores) colecionados pelos (des)governos anteriores. De todo modo, algo deve ser feito e, apenas, colocar mais policiamento nas ruas de nada vai adiantar na resolução do problema. Investimento em educação, saúde e assistência social é imprescindível.

  • Stella Vilela

    Como evitar que nossos filhos sejam as próximas vítimas, se as autoridades, estão querendo uma mudança na Lei , para que as Drogas sejam legalizadas. Para mim, foi o maior absurdo que já ouvi nos últimos tempos!
    Será que os senhores poderosos, não vêm as devastações que as drogas trazem para as famílias, para a sociedade, para o dependente químico?
    As drogas, estão sendo , os maiores indicadores de tanta violência, porque um dependente químico, é um doente, que perde a sua dignidade, que perde o seu amor próprio, que perde o convívio com a família, que perde a sua identidade.
    Como as pessoas, ditas esclarecidas, querem mudança , na Lei para legalizar uma monstruosidade dessas. Senhores , o meu desejo é que em suas casas, nunca possam ter um dependente químico, para não presenciarem seus parentes, seus filhos, se destruindo, por causa das drogas.
    Nossos povos vivem assombrados, ao verem tantos jovens, vivendo marginalizados, servindo de trapos humanos, porque entraram para o mundo das drogas, que muitas vezes, é um mundo sem volta!
    Se, graças a Deus, vocês não têm nenhum dependente químico em suas famílias, olhem a sua volta, vejam as reportagens de mães desesperadas, porque seus filhos estão fazendo uso dessas malditas drogas, vivendo entre um sobressalto e outro, porque não sabem como seus filhos vão chegar em casa , e, se chegarão.
    Filhos que vendem tudo dentro de casa, para terem dinheiro de comprar drogas.
    Será que é justo , é sensato , uma coisa que faz tanto mau a sociedade vir a ser legalizada.
    Ao invés de quererem um absurdo desses, porque não mudam a Constituição para dar o direito a essas pessoas usuárias de drogas fazerem um tratamento com dignidade, dando todo o suporte medicamentoso, ajudas psicológicas, práticas de esportes, assistências religiosas,um monitoramento constante, para verificarem os que já podem ser inseridos na sociedade, e, poderem ter um emprego digno, que possam sustentar suas famílias, e, não precisarem mendigarem nas ruas.Pensem em fazer leis que ajudem a acabarem com as drogas, tendo mais rigor nas fronteiras, impedindo os traficantes de entrarem com drogas . Façam políticas eficientes, para que os próprios traficantes, reconheçam que droga é uma droga!Não permitam que a cada dia aumente mais o uso de drogas , pois elas sendo legalizadas, será um desastre nacional.
    Olhem nos olhos de um dependente químico senhores, vejam como são sem vida, não ajudem a maltratar mais e mais uma sociedade,que sofre a cada dia que passa por ver seus entes queridos mergulhados em drogas.
    Façam leis , para mudar esses caos, e, poder fazer do cidadão brasileiro pessoas felizes, capazes de viverem em sociedade, sem drogas, com educação, trabalho e segurança, para toda a população , que suplica uma vida de paz e amor!!!
    Senhores , peçam a orientação de Deus, pois com certeza, só assim ,vossas excelências, vão poderem ter contribuído para um mundo melhor!Não sejam os responsáveis por maiores problemas, mas, façam leis , que ajudem as pessoas a viverem seguras, tranquilas e felizes!!!!!!

  • Pablo do Carmo

    Ricardo no meu entendimento a Presidente Dilma teria de dar a mesma atenção a pequenos estados como o nosso visto que houve um super investimento em segurança pública que há para o Rio de Janeiro, que devido à falta de recursos para segurança pública acarreta todo este mal que hoje é vivido pela população alagoana.Discordo em partes dos comentários que apenas responsabilizam o atual governador como o único responsável por esse terrível clima vivido por todos nós no presente momento. Não é de hoje que os governos que aqui passaram não deram atenção devida a segurança pública, analiso que esse efeito vivido hoje por nós é como o efeito bola de neve, que vai crescendo, crescendo e chega a um ponto trágico como o de hoje.

  • Joilson Gouveia Bel&Cel RR

    Antes, aos familiares de mais uma vítima, as sinceras condolências!
    Quantas vítimas mais serão necessárias para ele VER?
    Dizem que o pior CEGO é aquele que NÃO QUER VER e não o que não ENXERGA.
    Enfim, ele é CEGO ou NÃO QUER VER?
    Ao viajar se AFASTA do problema, deixa ALGUÉM em seu lugar, para dizer: vamos aguardar o seu RETORNO com uma varinha de condão!
    COMPETÊNCIA resulta de AÇÕES EFICAZES e isso é tudo que NÃO HÁ em AL, estamos à mercê da VIOLÊNCIA diante da OMISSÃO COVARDE dos homens de BEM e DO BEM, ou seria do DEM?
    Usam “política” da EMA ou da Avestruz?
    Digo e repito: enquanto o Estado não for CONDENADO a indenizar aos familiares dessas vítimas por FALHAR na concessão e GARANTIA do DIREITO sacrossanto da SEGURANÇA PÚBLICA, que é seu DEVER, esses bárbaros crimes CONTINUARÃO perpetrados, com a leniência do MANTO DA IMPUNI-DADE.
    Daí AL ser a mais VIOLENTA da América Latina.

    A segurança pública em AL é aquela das vinhetas da SECOM e de seu enfadonho discurso de sempre: blá, blá, blá!
    Não se faz SEGURANÇA com vinhetinhas, meu Sr!
    Admita o erro, com sua RENOVAÇÃO e OXIGENAÇÃO, e respeite ao menos as vítimas e seus familiares: MUDE ESSA COISA APÁTICA, OMISSA e COVARDE, JÁ!
    RMota, além das citadas, de que servem os CONSEGS e tantos outros cabides de confiança e de comissionados?

  • Frederico Farias

    “Em junho, os deputados estaduais saem de um salário (subsídio) de R$ 9.600,00 para R$ 20 mil.”

    ALGUMA DÚVIDA SOBRE QUEM SÃO OS RESPONSÁVEIS POR TUDO ISSO?

  • Fabricio

    Cadê o Concurso das Policias que esse GOVERNADOR diz que vai fazer desde que assumiu seu primeiro mandato ?! Esse governador é uma vergonha !!! UMA VERDADEIRA VERGONHA !!! Engana a população com falsas promessas, dizem que é a PGE que não libera tal concurso, hahahahaha conversa pra boi dormir todos sabem que 1000 policiais militares concursados gerariam uma folha muito maior do que as de hoje em dia.. o que obviamente abaixaria um pouco aquele velho trocado que sobra todo mês, ou todo dia, nos bolsos dos governantes ! Reclamam da violencia mas todos sabem porque ela está aí e não é por causa da droga não .. o problema se for buscado a fundo todos saberão que é pela falta de uma sociedade justa e igualitária !! que dê oportunidades para seus cidadãos, e aqui em ALAGOAS NO GOVERNO TEO NÂO HOUVE UM CONCURSO !!!!! vergonhoso…

  • Roberto Silveira

    em julho do ano passado,ocorreu um crime no carminha,onde a mulher foi esquartejada,mobilizando a imprensa e a sociedade.a secretaria de defesa social,atraves da policia militar,implantou uma base no local.gostaria que a imprensa fosse ao local novamente e visse que somente a pm esta e nenhuma medida de proteçao social foi implantada.a iluminação e precaria,area de lazer nao exisre,ocupação do solo acontece de forma indevida.resultado,basta ocorrer outro crime na area,para dizer que falta policia.acorda maceio.

  • Roberto Silveira

    Infelizmente,vivemos numa sociedade hipocrita,onde as cobranças e mobilizações não acontecem nas areas de educação,cultura ,lazer,esporte etc.todas as discussoes remetem a falta de policiais.e a rede da corrupção,dos desvios de verba,da falta de politica publica municipal?

  • jose roberto ramos

    que Deus ponha este medico e todos que sofreram violencia em um bom lugar.Desculpa-me minha gente boa mas todos os dias morre gente na periferia e fazem de conta que não importa,foi preciso acontecer dois casos na area nobre para as bandeiras brancas acenarem.parece uma coisa irreal LÁ pode matar AQUI NÃO.gente LÁ é maceio AQUI tambem o sentimento de dor é o mesmos BOM OU MAU quando se vai deixa saudades porque todos tem familia.OBRIGADO.

  • flavio

    Não adianta colocar a policia nas ruas, se os governantes(governador/prefeito), não investe no basico saúde educação, TODOS OS DOMINGOS, A PREFEITURA FECHA A ORLA DE MACEIÓ(da ferinha ate o alagoinhas), ai tem banda da policia militar tocando, ou orquestras, concusos de danças, bicletas e palhaços, para os MORADORES DA ORLA(OS RICOS), se divertirem, enquanto isso na grota do estrondo, carminha, vila brejal, grota do rafael e reginaldo, O QUE AQUELAS PESSOAS TEM AOS DOMINGOS?, PROMOVIDO PELA PREFEITURA E GOVERNO?, NADA, NADA, NADA, nas praças!, NEM SEGURANÇA POR PARTE DA PREFEITURA(guarda municipal), nem do governo tem, é só trafico,. TRABALHO EM UM HOTEL AQUI NA PAJUÇARA, NO DIA 27/05 21:00h, um traficante deu 5 tiros em um ladrão que teria roubado uma lanchonete aqui na pajuçara,. ao inves da dona da lanchonete ligar para policia ela ligou para o traficante, e o mesmo fez justiça, não se pode roubar uma lanchonete onde o traficante faz os seus lanches. (ISSO É A JUSTIÇA DE ALAGOAS). o fato aconteceu pór tras da rua desem. almeida guimaraes.

  • Valdeck

    O texto acima é o B A BÁ para qualquer gestor público seja ele federal, estadual ou municipal, no entanto ficam tergiversando, embromando e ludibriando a população com vistosas propagandas na TV. O custo com as propagandas se revertidas para a educação, saúde e segurança, certamente resultariam em efeitos produtivos e imediatos. O fato de reposicionar o efetivo que antes protegia o patrimônio público, é medida paliativa para responder à população que já está farta de enrolação e falsas promessas tucanas.
    O atual governador esquece que tem de proteger, assegurar educação de qualidade e saúde pública para o maior patrimônio que é a própria população. Um governo que preza pela desresponsabilização ou transformação em Estado mínimo, focando em metas neoliberais de crescimento financeiro, abrindo caminho para o privatismo, se locupleta tornando-se de vítima a algoz, porque engendra esse sistema perverso de abismo social autofágico. Como diria Chico Science, o de cima sobe e o de baixo desce.
    Quanto à educação alagoana, que o secretário de educação, escrevendo no estimado blog aponta como tranformador, é o mais do mesmo. A garotada precisa de escolas dinâmicas em tempo integral, com profissionais efetivos bem remunerados e constantemente sendo reciclados e avaliados, porque dá forma como está já se viu que a monitoria não surte efeito, é só ver o ranking do MEC em relação à Alagoas. Somente reformar escolas emergencialmente não é suficiente, o Estado precisa de mais escolas, precisa otimizar o espaço do CEPA para escolas de música, de línguas estrangeiras nos três turnos, de escolas de informática, marcenaria, mecânica, edificações, enfim atrair o jovem que anseia por mostrar seu valor e que é ignorado pelos gestores. Porém, quem não os ignoram é o tráfico de drogas, que aliciam prometendo resultados imediatos. É preciso concurso público constantemente até para oxigenar as instituições, existe profissionais de valores e que querem uma educação melhor, contudo são embotados na burocrática leniência do Estado. Porque Alagoas não avança efetivamente nos pilares básicos, como outros Estados assim o fazem? Porque continuamos como avestruzes, ao ver o problema, escondemos nossas cabeças num buraco no chão? Porque o paquidérmico Estado não se movimenta mais célere? Parafrasenado nosso hino nacional,porque os gestores não saem do berço esplêndido?

  • Henrique Moura

    Parabéns pela lucidez na análise de assunto tão complexo. A sede pelo justiçamento realmente existe, mas, ainda bem que temos pessoas lúcidas como você, que entende perfeitamente a complexidade do problema. A educação, o esporte e a cultura deveriam ser ferramentas poderosíssimas de combate ao tráfico de drogas. A polícia deve ser valorizada sim, mas não só isso, o principal é a definição de políticas públicas que trabalhe com um planejamento de longo prazo. O problema, no tamanho que está, não será resolvido com ações imediatistas, poderá sê-lo com trabalho sério e competente a longo prazo! O problema é que tal solução demanda tempo, e tudo que demanda tempo não traz resultados políticos, principalmente em ano de eleição!

  • Robson Rodrigues da Silva

    De imediato,uma polícia mais atuante, qualificada e reaparelhada.A educação e saúde é de suma importância,mas até atingirmos níveis europeus,teremos um genocídio. A medida eficaz para redução de crimes como o do médico, passa pelo combate às drogas.Um gorverno disposto a enfrentar os traficantes com leis rígidas e ações enérgica das polícias, decerto traria resultados positivos para a sociedade.Sem isto,permaneceremos todos inseguros, isto é a verdade!

  • Edvilson Ferreira Neri

    Presado Ricardo, um forte abraço.
    A respeito desse assunto arrisco-me a palpitar. Diz-se no “popular” que “Em casa que falta arroz e feijão todos brigam e ninguem tem razão”.
    Na nossa casa, o nosso queridíssimo Estado, n/é diferente.Está faltando o “arroz e o feijão” que é a segurança pública.Estamos assistindo, há bastante tempo,a sociedade de um lado, inquieta, reclamando,brigando, sugerindo e o governo do outro lado dizendo que faz o possível, que a sociedade deve ajudar, que falta recursos e um montão de coisas mais, para justificar a sua atuação. Porém a única verdade que se nos apresenta neste momento é a verdade do desespero, da agonia, da ansiedade, do sofrimento pela perta de entes queridos. Enfim: Todos brigam e ningem tem razão. Mas o que fazer? Penso eu que IMEDIATAMEENTE o governo tem que mudar a forma de ação da Polícia em todo o Estado. Eu falo de duas providencias urgentes: 1ª: O policiamento nas ruas não deve mais ser feito com viaturas. Tem que ser feito com motos como já vem ocorrendo, mas de maneira muito tímida.São poucas ainda. São insuficientes.E devem estar equipadas com rádio para facilitar a comunicação entre si. As viaturas só devem circular a chamado dos policiais das motos para o transporte de presos ou outras necessidades imperiosas. Devem permanecer em locais estratégicos dando apoio as motos. Estas devem estar, no mínimo, em todos os bairros circulando pelas ruas às 24 horas do dia sem interrupção em regime de plantão permanente, pois os bandidos não têm hora para circular cometendendo as atrocidades q estamos assistindo.2ª: Refiro-me a forma de abordagem. Há indivíduos que, para nós que somos leigos, já demonstram não serem pessoas do bem. Por exemplo: O que fazer nas ruas, após a meia noite,ou até mesmo a qualquer hora do dia, dois ou mais elementos sem destino certo para onde vão? O que fazer nas ruas a qualquer hora, elementos sentados em praças ou calçadas ou parados em pé nas esquinas sem ter o que fazer e sem residirem naqueles locais? O mínimo, Ricardo, que a Polícia pode e deve fazer á abordar esses elementos, identificando-os, anotando os seus endereços, conferindo as informações prestadas através do rádio com os outros policiais dos bairros onde alegam morar e, caso não estejam com identificação ou as informações prestadas não sejam verdadeiras, devem ser conduzidos ao órgão competente para serem tomadas medidas pertinentes a cada caso.ISTO A CURTÍSSIMO PRAZO.A médio e longo prazo aí, sim, a implantação de políticas públicas eficientes e eficazes são absolutamente necessárias. Como seriam elas, no meu modesto ponto de vista? De um lado a Escola Integral e tem que ser uma em cada região e em cada cidade para onde seriam levadas as crianças e adolescentes lá permanecendo o dia todo, todos os dias, inclusive os adolescentes que vivem perambulando e até dormindo pelas ruas, praças e marquizes dos estabelecimentos.Mas teriam que ser escolas equipadas e com pessoal qualificado como professores competentes, assistentes sociais, psicólogos, dentistas, médicos e até com a colaboração das igrejas católica e evangélicas. E do outro lado impõe-se que se humanizem os bairros e os conjuntos residenciais notadamente os construídos pelo poder público dotando-os de postos de saúde, áreas de lazer, centros sociais equipados. Finalmente, entendo que, a partir dessas providências, quando as crianças que receberem esses benefícios completarem a maioridade serão pessoas de bem e do bem. O mesmo se diga dos adolescentes que tiverem essa mesma assistência. Aí, sim, a sociedade dormirá mais tranquila.É utopia? Não! Basta frear a Corrupção. Gostaria de falar sobre ela mas, certamente, já me tornei cansativo. Falarei oportunamente da quadrilha organizada que se instalou no país patrocinada por nós eleitores, e que já atingiu todas as esferas de governo.

  • RODRIGO

    REALMENTE É LAMENTÁVEL A MORTE DO MÉDICO,MAIS QUASE TODOS OS DIAS INOCENTES TAMBÉM MORREM DEVIDO A VIOLÊNCIA DESSE ESTADO,E NÃO VEJO COMOÇÃO ALGUMA POR DETERMINADOS MEIOS DA SOCIEDADE.TALVEZ POR NÃO SEREM DE FAMÍLIA INFLUENTE,NÃO SEI!É MUITA HIPOCRISIA!DEVIAM PENSAR MELHOR NA HORA DE VOTAR…

  • TOTONHO

    “INTENÇÃO SEM AÇÃO É ILUSÃO,OUSE FAZER E O PODER LHE SERÁ DADO”!!! Pra todos do BEM em Maceió,Alagoas.

  • Ismar Porfirio

    Faço minhas suas palavras. Mais veja o que vai acontecer nas próximas eleições, veja se o povo de maceió sabe votar, quando as figuras carimbadas da cãmara municipal voltar tudinho. Alagoas tá sem destino devido nos últimos anos nossos governantes só pensarem em $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$ e não no povo e sua cultura.

  • Ivanilda Verçosa

    Ricardo, mais uma vez, você, com a maestria e sensatez que lhe são peculiares e nós(eu e Elcio, já consideramos que são a sua marca),sintetizou os sentimentos, opiniões e reivindicações de milhares de cidadãos e cidadãs das Alagoas.É preciso pensar GRANDE, sim,e de forma estruturante, não apenas imediatista. Entendemos a comoção que toma conta de nós, de familiares, de amigos e da população, em geral, mas, cabe a nós, formadores de opinião(nós nos incluímos porque somos educadores)pensar e agir para além do presente, a fim de que não tenhamos que lamentar as gerações perdidas ou, prejudicadas.
    Queremos, apenas, destacar que um dos elementos estruturantes que vc cita – ESCOLA DE TEMPO INTEGRAL PARA TODAS AS CRIANÇAS E JOVENS deste imenso país, tem sido a principal bandeira de luta e reivindicação, presentes, reiteradamente,em todos os movimentos sindicais do magistério de níveis fundamental, médio e superior, há mais de 60 anos, desde os pioneiros da Escola Nova, por todos os motivos que vc apresenta em seus textos.
    Quem sabe, agora,diante do clamor e das cobranças cada vez mais crescentes da população, com essa grandiosa manifestação e o movimento criado nas redes sociais, que não podem morrer apenas nos protestos, mas, têm que engajar todos os setores da sociedade alagoana: sindicatos, intelectuais, jornalistas, cidadãos e cidadãs de todas as profissões e ocupações, incluindo os desempregados, subempregados, etc, consigamos, juntos, tirar da letargia os três poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário para criar e fazer cumprir ações concretas de cidadania. Basta de violência, insegurança e miséria!!! [email protected] à luta!
    Ivanilda e Elcio Verçosa.

  • j

    Para fazer concurso tem a lei de responsabilidade fiscal.Essa lei não serve para o aumento dos salários dos deputados?