O que o estado campeão brasileiros em homicídios pode contar dos seus mortos?

Eles sempre foram números, estatísticas que escandalizam, ou cada um deles construiu sua história, única, e que precisa ser contada?

Eis algumas das questões colocadas ao público – e não apenas acadêmico – pelo programa “UFAL em defesa da vida”.

A ideia, que vem sendo tocada pela professora e socióloga Ruth Vasconcelos, coordenadora do programa, é resgatar o maior número possível de biografias das pessoas que tombaram ante a violência desenfreada em Alagoas.

Além da busca ativa, nos bairros e comunidades mais atingidas pela violência, a UFAL está disponibilizando no seu sítio – www.ufal.edu.br – um espaço destinado a todos os que queiram falar dos seus mais queridos, que tiveram a vida ceifada pelo pior mal dos nossos tempos.

Numa narrativa, por mais simples que seja, você pode contar quem era aquele (a) de quem sente saudade ou quer homenagear.

Um número diz pouco ou quase nada de alguém. Devolvendo-lhe a identidade e a história, por mais breve que tenha sido, deixaremos exposta a dor que a violência produz a cada dia.

Em junho, nos campi de Arapiraca, Delmiro Gouveia e Maceió, um ato público vai marcar a passagem dessas pessoas pela vida: serão plantadas mudas de árvores com os nomes das vítimas que os alagoanos ajudarem a resgatar.

A palavra está com você.

 

Clara
Almeida e Vilela vivem mesmo dilema na sucessão de Maceió
  • ALAGOANO

    Bela iniciativa,

    Até porque VIDAS SÃO VIDAS e não condizem com a frieza dos números.

  • Hermann Fernandes

    Iniciativas como esta resgatam um dos grandes papéis da Universidade: o de ajudar a contar e a construir história. Parabéns, Prof Ruth. Números apenas chocam as pessoas. Histórias fazem as pessoas pensarem.

  • Anderson

    Acho que o problema dos crimes não perpassa pela avaliação quantitativa. Quatro pilares históricos da formação do povo são essenciais que sejam mudados ou melhorados, especialmente em Alagoas. 1º Corrupção – eleitoral,passiva e ativa, politização das instituições públicas, acabando como as vagas de comissionados e contratando por mérito; 2º Educação – de qualidade, obrigatória, sem muita historinha de pensador humanista, moralizadora, pautada em resultados concretos, em valores de família e não de Estado; 3º Servidores públicos – Melhorar a situação das carreiras públicas, como também os exames de avaliações de idoneidade das pessoas, rigidez nos exames psicotécnicos, para avaliar, no princípio, o caráter do servidor, como também os serviços dentro dos horizontes de suas funções, evitando-se as indicações para funções que desrespeitam o motivo da profissão; 4ª Leis – que funcionem, que acompanhem a realidade e não finja, sobretudo quando tratam bandidos como mocinhos e homens de bem como bandidos, tratando com rigor os roubos dos grandes, os políticos, fazendo com que não haja os mártires da morte como hoje temos os Fernandinhos Beira-Mar, como também os Sarnentos da vida. Há não deixo de fora a justiça que muitas vezes não condena por aplicar os remédios jurídicos que só fazem mal a saúde.

  • Major Monteiro

    O blog Briosa em Foco, através da postagem “Sargento C. Soares (outra estatística para a SEDS)”, no trecho em que destaca:

    “Se pudéssemos sintetizar a atual situação em que nos encontramos a nível de Segurança Pública em Alagoas, claro, e se pudéssemos apenas usar cinco palavras para tanto, usaríamos a comovente afirmação: “outra estatística para a SEDS”. Imaginem as tristes histórias por trás dessas cinco palavras. Imagine quantas histórias de vida podemos encontrar por trás de cada um dessas “estatísticas”.
    Há muito tempo está evidente que a vida humana parece não ter muita importância por estas bandas, ainda mais diante de tanto descaso governamental (seja a nível municipal, federal e, principalmente, estadual), que tem como aliados a incompetência de analfabetos funcionais – “comandantes” e “secretários” – e a desmotivação da tropa.”

    … sente que de alguma forma inspirou a professora e socióloga Ruth Vasconcelos a concretizar esta ideia.

  • OBJETIVO

    Mota, pegando o gancho do titulo muitas vezes não só a sociedade, mais a polícia, sabe da identidade real e endereço de quem morreu barbaramente assassinado neste Estado. Mesmo com a identidade e endereço também do executor(es) e mandante(s), a justiça infelizmente não faz sua parte. Dando dessa forma, sua contribuição direta para a impunidade. São muitos os casos que a justiça não deu resposta aqui em Alagoas. Não esquecemos o caso brutal do assassinato do servente Carlos Roberto, filho do Sr. Sebastião no Benedito Bentes, que teve até ocultação de cadáver por parte do IML, entre outros. Até parece que cairão no esquecimento.

  • ARRUDA

    A POLICIA ESTÁ NAS RUAS,MAS SAI LOGO DE MANSINHA,E ASSIM PRECISA-SE CONTRATAR MAIS UNS DEZ MIL POLICIAIS PARA A POLICIA MILITAR DE ALAGOAS.ACREDITEM QUEM QUIZER ESTES HOMENS DA PM SÓ FICAM EM PORTAS DE PADARIA OU RESTAURANTES PARA LEVAR A COMIDA PARA CASA.
    O BAIRRO DO PINHEIRO ESTÁ MESMO UM LOCAL DE EXTREMO PERIGO,NINGUÉM SE ARRISCA A SAIR A NOITE,COM MEDO, PREFEREM FICAR TRANCADOS EM SUAS RESIDÊNCIAS.ACONTECE QUE AS EXISTÊNCIAS DE ASSALTO POR MOTOQUEIROS PARA ROUBOS DE CELULAR É CONSTANTE,DEVEMOS TAMBÉM RESSALTAR OS ROUBOS DE VEÍCULOS QUE SE TRANSFORMOU EM PRAGAS SEMPRE PRESENTES E EXECUTADAS POR LADRÕES,ASSALTANTES DE TODAS AS ESPÉCIES QUE RONDAM AS CASAS DO PINHEIRO,GRUTA E PITANGUINHA.SALVE-SE QUEM PUDER,MAS NUNCA AVISEM A POLICIA.

  • revoltado

    Honestamente Anderson voce falou tudo que acontece no desgoverno do teo vilela pense no governo incompetente.

  • zequinha

    Gostaria de saber o porquê do gestor dessa obra de papelão, nunca foi responsabilizado?

  • EU NUNCA VI TANTA SAFADEZA

    DENUNCIEM CRIMES EM ALAGOAS NO SITE:

    eununcavitantasafadeza.blog.com

  • sara

    A iniciativa é ótima, mas, enquanto a impunidade reinar em nosso estado e no Brasil,infelizmente vamos continuar vendo vidas sendo ceifadas,esse código penal caduco,tem que ser mudado urgentemente!No Brasil só três leis funcionam:A lei Maria da Penha,a lei de pensão alimentícia e a lei eleitoral,o resto é uma palhaçada,principalmente se a pessoa tiver dinheiro,aí é que não funciona mesmo!E o povo fica perguntando:Até quando vamos continuar nessa guerra,sem ninguém tomar a devida providência?

  • Carla Gouveia

    Isso retrata o nosso Estado. Estatísticas servem para quantificar e embasar investimentos para resoluções dos problemas, mas o bem mais valioso é ceifado, todos com histórias em construção, sonhos, ideais, pais de famílias que deixaram órfãos, órfãos que trarão a marca da violência e injustiça, e por que não dizer revolta! Revolta pela impunidade, pela falta de gerenciamento e ausência de respeito ao ser humano.
    Enquanto esses gestores incompetentes ficarem fazendo de conta que a violência em Alagoas é restrita aos bairros menos favorecidos, e que nada poderemos fazer, pois isso sempre será acertos de contas entres os bandidos. Erro primordial: ser menos favorecido ou morar em bairro pobre não é sinônimo de bandidagem, e essas pessoas pagam impostos, são trabalhadoras, e em grande parte não conseguiram concluir uma graduação ou o ensino médio, e esse último deveria ser garantido pelo Estado.
    Poderemos ser vítimas dessa violência desenfreada, inclusive os gestores que deveriam zelar por nossa segurança.
    Acredito que as pessoas que deveriam garantir a segurança , a saúde e a educação são desprovidas de qualquer compromisso com aquilo que deveria ser sua missão. Pelo menos eles terão a garantia de boas escolas(poderão pagar escolas particulares), eles não andarão de ônibus(os carros que deveriam ser utilizados para o bem público levam os filhos dos políticos, secretários e coronéis para escolas e faculdades), na saúde eles também poderão não se importar, pois tem planos de saúde(mas esquecem que em grandes acidentes eles irão para um Hospital Geral público, e devem rezar para pegar uma equipe comprometida), mas na segurança…isso não tem como controlar, pois os bandidos invadem restaurantes, escolas, lanchonetes, bancos, ou até mesmo as residências, e acreditem que nessa hora só Deus livrará, e não terá cargo que possa trazer um ente querido de volta.
    Me pergunto sempre: eles não tem medo da lei do retorno? Ela existe e é cruel!
    Não podemos continuar omissos, não podemos ser coniventes com tanta impunidade e ingerência.
    Se nada fizermos com certeza os mortos aparecerão, e mesmo com nome, endereço e um história, eles serão para nossos governantes e gerentes apenas mais um.

  • manoel messias

    a falta de escolas em tempo integral misturado com a falta de compromisso social dos governantes nos coloca nesta situação;é doloroso pegar um onibus em direção ao centro e presenciar jovens tentando vender doces e chegar no centro de MACEIÓ se defrontar com uma quantidade enorme de mendigos.

  • kleber oliveira

    amigo ricardo mota vejo que alagoas a justiça e pra quem pode paga para as coisa não anda pq vejo muitos serem presos mas em rio largo as coisa na justiça são muito paradas quando se falar do gestor municipal pq ele faz desapropriação de terras por 700 mil reais e vende pra particular e ninguem faz nada sendo que o valor real e de 60 milhões de reais sendo que nas terras de 252 hectares vão fazer lotes e vende por no minimo 20 mil reais que dar um total de 240 milhões ? ai fica a pergunta qual foi a vantagem da prefeitura em desapropria uma area de 252 hectares por 700 mil sendo que esta terras da usina utinga leão são todas de credores como banco do brasil bnds caixa inss e outros ficaram a ver navios com esta negociata do gestor e do vereadores de rio largo que votaram por 10 a 0 esta venda que só quem ganha e os empresarios e o proprio prefeito pq ninguem ver vantagem nisso e outra a natureza olhe e veja esta reportagem pra vcs ver pq não podia esta venda !!
    http://tudonahora.uol.com.br/video/jornal-da-pajucara-noite/2012/04/27/em-rio-largo-uma-area-de-mata-atlantica-que-deveria-ser-preservada-vai-ser-o-destino-final-de-uma-rede-de-esgoto-para-mais-de-300-casas

  • brincalhão

    o problemas tbm em alagoas são os políticos. são assassinos em muitos casos, esses são cúmplice tbm..outros o trafico de drogas.ah gente ano de eleição falem pouco pq se não vai para o joão bocão o cemitério.

  • André

    LAMENTAVELMENTE TODAS ESSAS VIDAS PERDIDAS, INFELIZMENTE FORAM CEIFADAS COM A CONIVÊNCIA DO ESTADO. SIM, DO ESTADO, POIS TODOS OS NÍVEIS DO PODER PÚBLICO COLABORAM COM AS MAZELAS QUE NOS ASSOLAM. GOVERNOS(FEDERAL, MUNICIPAL, ESTADUAL PRINCIPALMENTE) NADA FAZEM PARA MUDAR ESSA TRISTE REALIDADE. AGENTES PÚBLICOS CORRUPTOS (BASTA VER AS NOTÍCIAS RECENTES DE DESVIOS DE VERBAS DA SEDS), PESSOAS COMPLETAMENTE DESQUALIFICADAS A FRENTE DE SECRETARIAS COMO A DE SEGURANÇA PÚBLICA, AGENTES PÚBLICOS DESPREPARADOS QUE NA VERDADE SÃO ANALFABETOS FUNCIONAIS BRINCANDO DE FAZER SEGURANÇA PÚBLICA, E O NOBRE GOVERNADOR QUE BRINCA COM A CARA POPULAÇÃO NUM COMPLETO DESRESPEITO. AH, NÃO PODEMOS ESQUECER A PRESIDENTA DILMA, QUE NADA FAZ, E NA VERDADE, ASSIM COMO SEU ANTECESSOR, VIRA AS COSTAS PRA POBRE REPÚBLICA DAS ALAGOAS!! TRISTE REALIDADE!!!

  • OBJETIVO

    A nossa segurança publica é um caós até em sua essência administrativa.

  • Philipe

    Em Alagoas se vive permanentemente com medo, medo de ir trabalhar, medo de sair com sua filha para o shopping, medo de sair a noite pra estudar, medo de sair pra se divertir, medo de reivindicar seus direito, medo de ter algo que algum ladrão cubíce, enfim medo de viver!!! quanto mais vulnerável o povo fica melhor para os políticos, quanto mais dependente o povo ficar mais fácil, de ser manipulado. A população alagoana precisa dizer um basta nessa situação, a mudança tem que partir da população, não vamos esperar pelos políticos, essa situação só tras vantagens para eles, por isso eles não querem que o sistema mude, só nós podemos mudar!!!

  • juliã coelhoo campos

    RICARDO MOTA.TENHO PLENA CERTEZA QUE VOCE VIU, O CASO QUE ACONTECEU AQUI. O TRABALHADOR FAZENDO O SEU GANHA PÃO.PELO CONHECIMENTOS QUE TENHO, ELE ESTAVA TRABALHO NA PADARIA.DANDO A VIDA DELE, PARA PROTEGER O CIDADÃO,O OCORRIDO FOI,QUE A POLICIA CHEGOU, NÃO SE IDENTIFICOU, E DE ONDE ELES APARECERAM,BATENTO E AGREDIDO E AINDA TEM ISTO,UMA GRANDE DUVIDA NO AR, COMO A POLICIA SOUBE, QUE ELE TINHA ARMA. ELE O SEGURANÇA, TAVA TRABALHANDO TRANQUILO AS 18HORAS,COMO PODE ISSO. VC SABE COMO E O SISTEMA,CAI SEMPRE DO LADO DO MAIS FRACO,O SEGURANÇA TAVA TRABALHANDO,OS POLICIAS JA FORAM BATENDO NELE, AS PESSOAS FICARAM ARRASADA, COM ACONTECIMENTO BRUTAL,COM QUE VIRAM. E AI EU LHE PERGUNTO:ARMARÃO E VEIO,PRA ESSE RAPAZ.FORAM FATOS, QUE A POLICIA DISSE: MAS NÃO E VERDADEIRO. E QUE ELE, TAVA ARMADO PARA SUA SEGURANÇA,SE OLHARMOS CADA SEGURANÇA, QUE TRABALHA A NOITE, ENTÃO VÃO TUDO PRESO. EU PERGUNTEI, AVERIGUEI,NAQUELE MOMENTO, TINHAS TESTEMUNHAS DEFENDEDO O SEGURANÇA.E SE VOCE VER O VIDEO, PRESTA ATENÇÃO; QUANDO O SEGURANÇA FALA EM SUA DEFESAR. O REPORTE DO FIQUE ALERTA,PERGUNTA: ARMA E SUA.O SEGURANÇA RESPONDE: NÃO. E DO HOMEM QUE TENTOU ME MATAR,PEGUEI PARA DESARMA-LO,CONTINUA,O SEGURANÇA A FALAR:ESSE MESMO HOMEM, QUE TENTOU,ME MATAR,ABUSOU DAS MINHAS FILHAS,E EU DENUNCIEI, ELE PRA A DELEGACIA.O SEGURANÇA RESPONDE NOVAMENTE: MAIS UMA FEZ, TENTARAM PELA MINHA VIDA. ENTÃO RICARDO MOTA A IMPUNIDADE, COMO E QUE FICA, NESTE ESTADO.ESSE HOMEM QUE TRABALHA NO CARGO GRANDE DO ESTADO, AQUI EM MACEIO,QUE TENTOU MATAR.ESSE SEGURANÇA, QUE TAVA TRABALHANDO CADE A PROTEÇÃO, PRA ELE E A FAMILIA E AINDA TEM MAIS,SOBRE A BLUSA DAS FORÇAS NACIONAL, QUE ELE TAVA USANDO, ELE GANHOU.QUE IMPUNIDADE, QUE JUSTIÇA CEGA.ENTÃO QUALQUER SER HUMANO TIVER ANDANDO COM UMA ROUPA,PARECIDA COM DO EXERCITO,MARINHA ETC. VAI PRESO.E O QUE MAIS VEJO, NA RUA.HA ISTO TUDO FOI ARMAÇAO,CUIDADO DESSE RAPAZ. TRABALHANDO E SENDO PRESO.

  • Antônio Barbosa

    Iniciativa importante para que a banalização dos assassinatos não nos deixe frios e desumanos. Sentindo a perda de cada pessoa vítima da violência cotidiana, talvez tenhamos uma sociedade melhor.

  • Antonio Silva Brasil

    Numca se matou tanto, em cinco anos de governo são mais de 11 mil homicidios e aqinda quer ser senador , Será o senador da Morte.

  • flavia

    VAMOS lá, em milhões, 300 do lixo+300 dos taturanas+300 dos alimentos dos prezos+500 do lixo de novo. DINHEIRO QUE PODERIA ESTAR SENDO INVESTINDO EM HOSPITAIS, PRESIDIOS, MINI PRONTOSOCORRO, ESCOLAS, CONTRATANDO MAIS POLICIAIS E MEDICOS, ALMENTADO O SERVIÇO PSF, os proprios póliticos que mandam matar. a falta de justiça. O POVO DE ALAGOAS JÁ JOGOU A TOALHA, ESTÃO CANSADO, É ROUBALHEIRA POR TODAS AS PARTES.

  • terrasemlei

    O governo (theo), O prefeito(ciço do lixo), os politicos (ALE/CAMARA DE VER.), e a justiça (TJ), são os unicos culpados pela EXTREMA VIOLÊNCIA , que esta acontecendo em nosso ESTADO, não se investe em saúde, segurança e principalmente EDUCAÇÃO, a justiça não coloca na cadeia os bandidos. DA VONTADE DE SAIR CORRENDO DESTE ESTADO.