Parto da premissa de que o governador Teotonio Vilela Filho não vai contrariar um parecer público da Procuradoria Geral do Estado.

Está, portanto, nas mãos da PGE o futuro da nova configuração do Tribunal de Contas do Estado. Não vou me alongar em adjetivos sobre aquela corte, até porque os leitores saberão usá-los melhor do que eu.

A vaga deixada pelo conselheiro Isnaldo Bulhões, em janeiro, pode dar à casa uma formação que ele nunca teve, nos trazendo a esperança de que o TC começará, finalmente, a se tornar uma instituição respeitável como fiscalizadora dos gastos públicos (já há a presença de um conselheiro que não carrega qualquer suspeição sobre ele – Anselmo Brito).

Segundo a OAB, em palavras do presidente Omar Coelho de Mello, a vaga de Bulhões – que sai sob o olhar de desconfiança generalizado, após a Operação Rodoleiro – é do Ministério Público de Contas. A Assembleia Legislativa, que já fez tanto mal ao TC, quer mandar para lá mais um da sua turma. As consequências, bem sabemos.

Se o concurso público não consegue avaliar as virtudes morais de um candidato, o que vale para todos os casos, não passar por ele e chegar ao Tribunal por obra e graça de uma casa Legislativa prenhe de denunciados por vários crimes – de morte e de desvio de dinheiro público – já é uma garantia da ausência total desta mesma virtude.

Os nomes da vez na Assembleia são: Val Gaia, Fernando Toledo e Isnaldo Bulhões Júnior. Nada há para que guardemos alguma expectativa de que a corte de contas possa ganhar com as suas presenças. Pelo contrário: será mais uma derrota da sociedade alagoana.

Todos os oriundos da Casa de Tavares Bastos que ali chegaram, bem sabemos, alcançaram tal prebenda pelo único “mérito” de serem aliados do poder político (no Legislativo e no Executivo). Alguns, em tenebrosas transações.

À PGE cabe, é claro, a análise da Constituição, que, segundo a OAB, aponta o MP de Contas como dono da vaga. A entidade tem autoridade para manifestar sua posição e o fez de forma muita clara.

Não será o projeto que tira dos procuradores de Estado o direito de ter um dos seus representantes como dirigente maior da PGE, que tramita na Casa de Tavares Bastos, motivo para que o TC continue a ser um reduto de uma gente que quer apenas casas, comida, roupa lavada e um salário direto – deixemos de lado outras vantagens legais ou ilegais – que garante o futuro de várias gerações.

Os quadros da PGE nos dão esperança de que algo possa mudar. Dentro da lei, respeitando a Constituição e o cidadão. Menos do que isso será ir de encontro a um Estado que pretendemos construir, com instituições limpas e que cumpram seu papel legal.

Chega de cavalos de raça e haras milionários!

Doze e Dez Notícias está de volta hoje
O blog e o Doze e Dez retornarão nesta quarta-feira
  • Valdecck

    Para um Estado livre da violência que grassa, perpassa pela austeridade institucional, pela moralidade dos poderes, e pela mudança de atitude da maior parte prejudicada, o povo. O concurso público é o meio para que haja a limpeza e oxigenação nas instituições. Coisa que está longe de acontecer na Assembléia Legislativa que tripudia da população, dos poderes judiciários e do poder máximo do Estado, o governador, que em meios às alianças partidárias, fica manietado, enquanto o polpudo orçamento é aprovado para aquela casa que só mancha o nome do Estado nacionalmente. Onde estão as autoridades judiciárias do Estado? Onde está a imprensa? Onde está o governador?

  • Cláudio

    Seja bem vindo.

    Pelo visto recarregou bem as baterias.

    Que tanhas mais um ano de sucesso profissional.

  • fred

    É UM GRANDE PRAZER TÊ-LO DE VOLTA, BEM MEU CARISSIMO, OS NOSSOS QUERIDOS POLITICOS NA MUDA, E PELO ANDAR DA CARRUAGEM NÃO VÃO MUDAR. É GENTE O NOSSO GOVERNO FEDERAL EM 2011 ARRECADOI CERÇA DE 970(NOVECENTOS E SETENTA) BILÇÕES DE REAIS, E O QUE FOI FEITO COM ESSE DINHEIRO PARA O NOSSO POVO, É MEU CARO O NOSSO POVO NÃO COBRA, E ESSE MESMO POVO QUE SAI DE DUA CASA PARA ELEGER ESSE POVO. GENTE PELO AMOR DE DEUS ACORDE. MEU CARISSIMO POR ISSO QUE EU E MINHA MULHER ESTAMOS FAZENDO A NOSSA PARTE INVESTINDO EM EDUCAÇÃO EM TRÊS FILHAS, AS QUAIS ESTÃO UMA FAZENDO DIREITO, OUTRA ENGENHARIA AMBIENTA E A OUTRA FAZENDO MEDICINA. GENTE POR FAVOR FAÇA SUA PARTE.

  • Hagá

    Se a vaga é do MP de Contas, então já está na hora de fazer outro concurso para Procurador do MP de Contas, para que haja Procuradores. Nada como o concurso para profissionalizar o serviço público. Espero que para Delegado e Policiais civis o concurso também seja sério. Precisamos de mais competência.

  • Probo

    O General está de volta. A questão da vaga do TCE é relativamente simples. O MP de Contas, passadas nove indicações, sendo oito da Assembleia e uma do Governador (Conselheiro Anselmo), ainda não tem assento. A conversa de que Lessa também é do Governador não procede. O fato de Lessa ter sido irmão do Governador e não ter sido deputado não qualifica a vaga como do Governador. Naquela época, o Legislativo deixou, por conveniência político, o irmão do Governador sentar-se em sua cadeira cativa/carimbada, haja vista que ele sucedeu o ex-Deputado José Bernardes, que foi escolhido pelo Legislativo.

  • PREBENDA

    Grande Ricardo! Antes de tudo seja muito bem vindo, a rede estava sentindo muito a sua falta e para começar você muito longe em seu sempre bem balizado comentário e muito feliz, tanto que me reservei ao direito de epigrafar esse meu modesto comentário como “PREBENDA”, pois achei que a palavra resume tudo e para concluir gostaria de acrescentar que Alagoas já não suporta tanto desmandos na casa de Tavares bastos e tanta bandalheira no Tribunal de Contas.
    Está na hora de dar um basta!

  • Celso Tavares

    Fez falta.

  • ricardo 10

    A PGE está tão desprivilegiada que não sei se vai adianta alguma coisa qualquer parecer dado pelo aquele órgão.

  • L.Henrique

    Feriazinhas demoradas meu irmão.

  • jobson

    Qualquer notícia sobre a Assembléia e, T. Contas, são de arrepiar, que tristeza. Quando esses dois poderes serão compostos por pessoas sérias?

  • ana dantas

    sr; Ricardo mota , é publico e notório que esse tribunal nao respeita concurso publico , o ex. cons. Zé alfredo nomeou as tres filhas comos procuradoras sem concurso e elas a vida toda se fazendo , com o dinheiro de nossos impostos ! VERGONHA.

  • Luciano Valois

    Parabéns,
    um dos melhores textos que li sobre a casa de vidro da fernandes lima e seus funcionários que lá chegaram sem méritos legais.

  • Maria José Alves da Silva

    Não apenas a OAB defende ser a vaga pertencente ao MP de Contas, a AMPAL – Associação do Ministério Público de Alagoas também o faz. Já temos exemplos claros da mundaça que começou a operar no TC com a presença dos membros de carreira do MP de Contas. Agora resta saber se a PGE, desta vez, respeitará os ditames constitucionais, afinal, bem o sabemos, por lá também restam alguns cavalos de raça e hara milionários, sem falar, nas construtoras…

  • everaldo protazio de oliveira

    Se a PGE já é um orgao MANIPULADOR, e coorporativista, que competencia tem ESTE ORGAO MANDATARIO, tem pra julgar outro orgao CURRUPTO?????? e manipulador??

  • Ronaldo Campos

    Ricardo, segundo informações da Polícia Federal 90% do dinheiro roubado da Operação RODOLEIRO foi dinheiro estadual e porque mistério o MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL ainda não moveu uma palha para punir os envolvidos nessa roubalheira do dinheiro público. No mínimo poderiamos chamar isso de conivencia ou ato de improbidade. Com a palavra o Procurador Geral Dr. Eduardo.

  • ARTUR

    O MAIOR REPRESENTANTE DA SITUAÇÃO MORAL DO TC É POR QUEM PRESIDE. E O QUE FALAR DOS DEMAIS IGUAIS QUE FORAM DA ALE!. NO TC EM SUA MAIORIA HÁ DELIQUENTES DO PIOR NIVEL E TODOS INDICIADOS E UM CONDENADO POR CRIME EDIONDO E BRUTAL CONTRA A MULHER E FILHAS. OS BONS AINDA SÃO MINORIA, PORÉM JA HOUVE AVANÇOS PARA MUDAR TAL CONCEITO NEGATIVO.