Está mais do que claro: a libertação do ex-prefeito de Satuba, Adalberon de Moraes, deve ser debitada na conta da morosidade da Justiça, com seus trâmites insuportavelmente lentos e cheios de recursos. 

Um prato cheio para os advogados – contratados para cumprir o seu papel.

O assassinato do professor Paulo Bandeira, um crime bárbaro e de repercussão nacional, aconteceu em dois mil e três. 

O ex-prefeito, depois de denunciado e sem conseguir reverter o decreto de prisão contra ele, fugiu de Alagoas, em 2006.

No ano seguinte, em dezembro, ele foi preso pela Polícia Federal, em São Paulo, onde trabalhava, normalmente e com documentos verdadeiros. 

Foi trazido de volta para Alagoas e permaneceu no Baldomero Cavalcante, desde então.

Este ano, em julho, o julgamento dele pela morte bárbara e covarde do professor Paulo bandeira, foi desaforado – transferido da comarca de Santa Luzia do Norte para Maceió.

São quatro anos de prisão e advogados incansáveis. A libertação do ex-prefeito, sem que o julgamento tenha acontecido, está dentro do que estabelece a legislação. Tanto que a decisão do desembargador Orlando Manso é baseada em parecer do Ministério Público Estadual. Motivo: excesso de prazo para a prisão preventiva. 

O problema é que a medida vale para quem tem bons advogados. Para ter bons advogados é preciso ter dinheiro.

Preso pobre não paga – também não tem direito à liberdade, mesmo em situações semelhantes.

 

A sensação de impunidade para quem tem poder e grana é baseada em fatos reais. O resto é ficção.

 

Inoperância de antecessores "deve ser apurada", diz Adriano Soares
Luiz Otávio revela "incômodo" e saída do governo
  • antonio vieira marinho

    Se gasta tanto dinheiro pra investigar crimes hediondo, o resultado é que alguns são presos e outros não, dá no mesmo, com a culpabilidade apurada e indiciados, bons advogados ou não, conseguem soltar os delinquentes Jesse James, Luiz Pedro e Adalberon, muitas vezes, os inquéritos mal feitos (de propósito) deixam brechas e o caro é solto, a justiça lenta e indiferenmte, dá lugar, pra esses malfeitores de altissima pericurosidade livres, pra praticarem misérias, como isso é possivel, só em Alagoas sem lei e justiça.

  • DORMENTE

    A justiça trabalha, quando o faz, num processo de dormência tão grande que a soltura de bandidos do naipe desse salafrário já nem nos causa surpresa. Será que um dia teremos um judiciário que cumpra com celeridade o seu papel de julgar, condenar e trancafiar tantos ímprobos que circulam à nossa volta?

  • MERCANTE

    Esse é o estado de Alagoas. Lider em mortes por arma de fogo, corrupcao, impunidade, mortalidade, baixo desenvolvimento ou seja tudo o que nao presta Alagoas lidera. Em alagoas quem tem dinheiro nao fica preso e isso é fato!!
    Onde esta o autor da morte de Fabio Acioli? Quem pagou pela morte de Pc Farias? Quem pagara pela morte de Ceci Cunha e familiares? Quem matou e ocultou o cadaver o jovem Anderson de jacarecica que namorava uma jovem com pai influente? Quem ou quais sao os responaveis pela chacina de jovens numa grota do B. Bentes, Porque ate hoje o vereador Luiz Pedro nao foi a julgado? Quem é o responsavel pela morte do fical da fazenda Silvio Viana? Vereador de Coqueiro Seco que foi decaptado? Beto Campanha? e outros e outros… em Alagoas é assim: Roube, mate contrate bons advogados e jamais seras preso.
    Alagoas é uma vergonha!!!

  • José Santos

    Que vergonha, que absurdo! É preciso denunciar ao CNJ o dono da gaveta onde dorme o processo. Essa atitude vergonhosa não pode ficar impune. Com certeza se trata de uma atitude deliberada.

  • jose

    onde está a família do do professor?onde está o sinteal?

  • otoniel

    E o pior é que o dinheiro que é usado para pagar à os advogado é dinheiro do contribuinte. Agora eu pergunto sera que o crime compensa?

  • bartira maria da silva

    Hospital do Acucar alem de pagar atrasado obriga funcionários a devolver os salários, isto sim é caso de polícia, pois hoje foi creditado parte da folha de setembro (inexplicavelmente pagaram antes parte de outubro) e alegando erro, os colaboradores estão na maior humilhação sendo forçados a se dirigir ao banco e transferir o dinheiro que é seu de volta para o hospital, quando é lógico que houve o crédito é porque tinha dinheiro, estou indignada e revoltada! Cadê as autoridades?

  • JORDÃO

    CARO RICARDO, A CULPA DA SOLTURA É DO ESTADO, SÓ TEM JUSTIÇA QUEM PODE, OU SEJA, SE A MOROSIDADE EXISTE, NÃO É O CIDADÃO QUE TÁ PRESO QUE TEM QUE SOFRER, SOU A FAVOR DE: CONDENAR E DAR CADEIA AOS CULPADOS SIM, MAIS PASSAR QUASE 5 ANOS PARA CONCLUIR UM PROCESSO COM UMA PESSOA COM PRISÃO PREVENTIVA NÃO É CABÍVEL NUM ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO, ASSIM A JUSTIÇA FOI FEITA. O RESPONSSÁVEL É O ESTADO E NÃO A JUSTIÇA, POIS FALTA CONTIGENTE NAS VARAS EM TODO O ESTADO QUE ESTÁ NO CAMINHO DO BEM!!!

  • Caio Graco

    O brasil (com “b” minúsculo mesmo), definitivamente, não é um país sério, aqui é o paraíso para bandidos, corruptos, ladrões, assassinos e tudo o que não presta. Quero saber até quando o POVO brasileiro vai tolerar safadeza dos “poderes” legislavo e judicário, no que se refere a criação e aplicação das leis.

  • Caio Graco

    Onde está “legislavo e judicário”, leia-se: LEGISLATIVO E JUDICIÁRIO.

  • maria claudia dos santos

    Alagoas já tem alto índice de bandidagem,e aumentando cada vez mais com esta contribuição!

  • Raphael Matos S. Neto

    Atento e comungo com a opinião pública sobre esse caso bárbaro de homicídio. Todavia, prazo processual DEVE SER cumprido SEMPRE, sob pena de, numa eventualidade, aquele não culpado -por sentença final- padecer no cárcere provisório por ato não feito. Essa regra/garantia, para um bem maior, tem a obrigatoriedade de estender seus efeitos a todos.
    Se houve falta do cumprimento legal (e, ao que parece, houve) no ato de processar e julgar o réu, não pode o Estado-Judiciário errar 2 vezes!
    Que a OAB se manifeste; que seja dada ciência do acontecido ao CNJ; que o MP também faça sua parte, informando e convocando a sociedade a se inconformar com a ausência de resposta hábil e em tempo razoável; e que a lei permaneça sendo respeitada.
    Não há mais revoltoso ato de injustiça do que Justiça tardia!

  • Cícero Albuquerque

    Duas coisas breves. Chegamos a um ponto tão absurdo em Alagoas que até os casos ‘exemplares’são negligenciados pelo judiciário e pela sociedade.É mais completo fundo do poço! Segundo, nos dizia Brecht que pobre de um povo que precisa de herói.Certo, o povo deve tomar em suas mãos o seu destino, mas não há como negar que alguns indivíduos, por terem demonstrado tanta capacidade de indignação diante de certos eventos e de praticar tão especial solidariedade com os oprimidos, cabem num lugar especial. Em Alagoas, Paulo Bandeira é o mais emblemático exemplo recente de compromisso com a verdade, de coerência profissional e de dedicação a uma causa coletiva. Paulo foi vítima de um Aldaberon e de uma sociedade que sucumbe no medo e na covardia.

  • PAULO

    RICARDO, O TJ É CASA RECISORA, 2ª INSTÃNCIA, E CUMPRIU SEU DEVER, FEZ JUSTIÇA. O ADVOGADO ZÉ MARIA TENÓRIO ESTÁ PRESO HÁ SEIS MESES SEM NUNCA TER SIDO OUVIDO POR NINGUÉM, ISSO É JUSTO?.

  • jose

    onde a família do professor? se calou, foi? e o sinteal, se vendeu, foi?

  • eduardo

    Um crime de roubo ou furto não é julgado no mínimo em 05 ou 06 anos e olhe lá. Quanto mais de homicídio. Crime contra a honra prescreve antes da sentença. Isso até as pedras do TJ sabe e ninguém tá nem aí. Aliás, há um lobby de advogados famosos,querendo implodir a reforma do código de processo, tanto civil, quanto penal. Afinal, sem os recursos inúmeros, a nata da advocacia vai viver de quê? O que é desgraça para a sociedade é leite e mel para alguns.