A frase é do vice-governador José Tomaz Nonô. Ele usa três argumentos para justificar o que garante ser a sua convicção: 

– Nós temos os piores números do país no que se refere à violência; 

– Alagoas é um estado pequeno e que demanda menos recursos para obter resultados expressivos;

– Será emblemático para a presidenta Dilma Rousseff que as ações com resultados de curso prazo sejam adotada em um estado que tem um governador tucano e um vice do DEM. Mais republicano, impossível.

O vice-governador aponta também o atual ministro da Justiça, Eduardo Cardozo, como tendo o perfil ideal para a realização de parcerias. “Ele é de uma ala do PT com visão mais ampla da política e da situação nacionais”.

É esperar para ver e comprovar.

Toledo e Isnaldo Júnior já disputam vaga de Isnaldo Bulhões no TC - ele se aposenta em janeiro
Por Renan Filho - 2012, líder do PMDB no Senado fecha com Almeida
  • eduardo

    Qual o investimento em segurança pública dos cofres do Estado? Somente salários. Nonô está orando para que o governo federal, com Dilma, continue a investir na segurança local, pois o governo estadual já jogou a toalha há muito tempo.

  • Ruslan Queiroz

    PROMESSA,PROMESSA,PROMESSA,PROMESSA!
    .
    Enquanto os PROJETOS não chegam lá para ALOCAR RECURSO, as pessoas Morrem, São baleadas, os Traficantes com PODER de CORRUPÇÃO maior a cada dia.
    .
    Chega de Burocrtas a “SOLUÇÃO ALAGOANA” ainda não MOSTROU a que VEIO!

  • zezinho

    desde a era de FHC q escuto essa historia q AL vai ser laboratorio pro GOV FEDERAL conversa pra boi dormir pq num faz laboratorio pra educação pra assim tentar diminuir a violencia nem so com policia se muda a onda de violencia!!!

  • cláudio

    Bom, dessa vez, acredito que conseguimos dá um basta na violência em alagoas gerada por ; pequenos delitos, assaltos, latrocínio,a violencia que têm origem no tráfico de drogas,etc, mas para que tenhamos um sucesso duradouro a longo prazo, é preciso acabar com os crimes praticados por bandidos de maior relevância, esses que permitem o atrofiamento do estado , na saúde, na educação , na segurança.Não nos iludamos, se o exemplo não vir de cima,tudo isso pode configurar apenas como paliativo,porque entendo que a situação do estado hoje, em todas as áreas é resultado de ações , ou omissões, de maus políticos.Um dos maiores exemplos é o desvio de mais de 300 mil,da Assembleia Legislativa, conforme apurou a Polícia Federal, sem contar com tantos outros escandalos.A Ação de políticos desonestos, provoca uma violência que mata muitos mais do que imaginamos.

  • HTM

    É preciso lembrar que este discurso do vice é novo, por que agora ele se deparou que sem os investimentos do Governo Federal Alagoas está perdida. O Governo do Estado, mesmo com a eterna contenção de despesa para atendimento a lei de responsabilidade fiscal, não faz nenhum tipo de investimento em Políticas Sociais de nenhuma área, não valoriza o funcionalismo. O Estado tem que se organizar e planejar políticas públicas nas diversas áreas sociais para que o Estado saia desse marasmo. Não pode ficar só esperando pelo Governo Federal.

  • Francisco Braga

    O Governo do Estado, para a curto prazo, diminuir a violência deve investir nas ações de polícia comunitária, escutar as comunidades onde estão instaladas as bases, pois só assim com a presença de policiais altruístas – como necessário na filosofia Koban – é que ocorrerá redução do crime. O exemplo maior são as UPP’s do Rio de Janeiro,e localmente, o início promissor da base comunitária do Conjunto Selma Bandeira, que infelizmente não está mais se coadunando com os interesses da população, pois como visto em recente matéria jornalística (Gazeta de Alagoas – 20/03/2011), houveram perda na relação entre a PM e a comunidade. Para a médio e longo prazo, a redução da criminalidade passa pela educação e incentivo a renda e qualificação profissional.

  • Saulo Ramos

    FHC, dizia que Alagoas, seria o “leading case” do PSDB, olha cá como estamos.

  • MonteBispo

    Acredite se quiser (believe or not) !

    E pirirí, e pororó …

    Entrou pela perna do pinto, saiu pela perna do pato, quem quiser que conte mais quatro.

    Em breve mais contos da Caroxinha

  • Livia

    ALAGOAS esta demais quando se fala em violencia! Bandido nao tem medo de policia faz tempoooo!!! Isso so vai se resolver na balaaaa

  • kelsen

    PROMESSAS, NÃO SÃO MAIS QUE…PROMESSAS.

  • TÔ DE ÔLHO…

    gostaria de saber se fui sensurado , fiz 2 comentarios e nenhum apareceu, sera que desagradei alguem ai ?…sinceridade e opinião deve ser um direito de todo cidadão, o so vale para a imprenssa?..

  • JEFF SILVA

    GOSTARIA MUITO DE SABER O QUE EXATAMENTE EXPRESSA O TERMO “LABORATÓRIO” SEREMOS LOCAL DE PESQUISAS, E TEREMOS O POVO DE ALAGOAS COMO COBAIAS DE UM JOGUETE POLÍTICO ENTRE OS TUCANOS, QUE EM ALAGOAS ESTÃO MAIS PARA “URUBUS” E OS REPRESENTANTES DO DEM(ÔNIO) E O PT? O QUE FALTA É PULSO, COMPETÊNCIA, E VONTADE POLÍTICA PARA RESOLVER A QUESTÃO. CASO VENHAM OS RECURSOS, SERÃO, COMO SEMPRE FORAM, DESVIADOS. E UM GOVERNO QUE TRANSFERE A RESPONSABILIDADE DOS SEUS PROBLEMAS PARA TERCEIROS É FRACO, OMISSO E INCAPAZ. DENTRO DE TODO ESTADO NEOLIBERAL NÃO EXISTE UM POVO, UM SENTIMENTO, UM SOFRIMENTO. O QUE EXISTE, SÃO NÚMEROS ESTATÍSTICOS QUE FECHAM UMA CONTA ONDE A SOBRA DOS RECURSOS GARANTE A ELEIÇÃO DOS SEUS PARES. ABRAÇOS.

  • walter

    Não adianta vir recursos e depois voltarem, o problema esta na gestão administrativa da Secretaria, não existem projetos e os que existem não andam, muitas vezes emperrados no Conselho de Segurança, existe uma dupla burocracia.Entra Secretario saia Secretario e só compra arma , colete e viatura, a SDS tem a pior infra estrutura entre as secretarias, não existem equipamentos adequados para armazenar informações, qualquer hacker invadi,os sistemas de estatística e informações estratégicas são precários , isto é falta interesse administrativo, pois recursos o Governo federal todo ano vem assinar convênios com milhões a disposição.

  • Joilson Gouveia Cel RR PMAL

    Laboratório? Experiência? Cobaias? Precisa não, AL já é PHd em violência e pentacampeã em homicídios e nem se contam os demais delitos(assaltos, roubos, furtos, estupros e etc). Mais: esse senhor andou dizendo que “Al não precisa de mais policiais”; mas os alagoanos precisamos, e muito!
    “Alagoas não precisa de mais PM”; mas os alagoanos sim, certamente que sim!
    Joilson Gouveia*
    Há mais 3 milhões em AL, Censo2000/IBGE, o efetivo, por lei, é 16200 PM, ter-se-ia 1/185 (1PM/186hab, aproximado). A Pop não é só de 3 milhões e nem o efetivo é-o da lei, diz-se ser pouco mais de 7 mil PM, dividindo-se Hab/PM, tem-se: 1:428,57. A ONU fixa 1:350 a 1:450, e não só PM. Mas há um porém…
    Eis o “porém”: a equação seria certa não fosse desprezado o tempo: 24hs/dia por 7dias/Semana.O ideal é ter-se 1PM:250Hab, mas à cada um dos 4 turnos de 6hs (ou 3 de 8hs), no mínimo. Afinal, o PM é um ser humano (ainda que uns não o vejam como tal) e necessitado de folga, lazer e convívios familiar e social.
    Enfim, sendo o PM um cidadão (ser humano e NÃO ESCRAVO) e estar em “estado permanente de estresse”, o efetivo ideal proporcional aos 3milhões de hab/AL perfará um total de 17mil a 21mil PM, para que se respeite ao PM e não o escravize. Assim, urge dispô-lo com ESTRATÉGIA, TÀTICA e OPERAÇÃO em AL.
    Entrementes, convém citar: o aposentado ex-SEDS sequer deixou uma POLÍTICA, um PLANO, um mero PROJETO ou até uma simples NGA de ORDEM e SEGURANÇA PÚBLICAS, para AL e os alagoanos enfrentarem a tsunami da violência que nos torna pentacampeões em crimes violentos no mundo, o que afasta o empreendedor.
    Convenhamos, um estado sem empreendimentos e sem a iniciativa propulsora do capital do empresário, que se encanta com as belezas naturais, mas não se sente seguro de aqui investir, pena de ser assaltado ou mesmo sucumbir à galopante e desenfreada violência porque passamos aqui em AL, e o faz fugir!
    Foge em face do recrudescimento do tráfico de drogas e de armas, que deixa o nativo caeté sem perspectivas e seu refém, daí a juventude ceifada de vida e sob o jugo dos traficantes, deixando centena de milhares de famílias de LUTO por falta de LUTA, DECISÃO e AÇÃO de quem tem o dever de PROVER essa LIDA.
    É preciso seriedade, competência e responsabilidade, sobretudo, ciência da realidade porque passa o alagoano nesse campo da Insegurança pública, mormente em face de quase nenhuma PREVENÇÃO porquanto pouca PROVISÃO de quem lhe compete. “Alagoas não precisa de mais PM”; mas os alagoanos sim, certamente que sim!
    Urge e há de se ter LIDA, e espero que essa mensagem seja lida em defesa vida!
    *Bel&Cel RR PMAL.
    Não me censurem, editem-na!

  • Araújo

    Mais outra gafe do Vice pois construiu a frase no tempo do verbo errado Alagoas não será(futuro), Alagoas é(presente) e que certamente os demais Estados não querem sob hipotese alguma que este caos de hoje ocorra com Eles(Estados). … ÓTIMO SER VICE…

  • Reinaldo

    “Alagoas será o laboratório do Brasil para as parcerias do governo federal na Segurança Pública”. Em poucas palavras…Mais mortes

  • Edinaldo Marques

    Torço que nesse “laboratório” seja feito aquilo que precisa e deve ser feito. Sobre a questão, escrevi um artigo, que aqui reproduzo:
    Violência em Alagoas

    A onda de violência em Alagoas, que a imprensa tanto noticia diariamente, é consequência de muitos fatores. A solução não é simples. Passa pelo envolvimento do governo – federal, estadual e municipal, sociedade de um modo geral e das famílias.
    Essa é uma questão complexa, que não depende apenas de ações governamentais para ser equacionada. A mudança de uma cultura de violência para uma de não-violência será conquistada a partir de planejamento e ações integradas. Antes de construir uma cultura de paz, deveremos descontruir a violência. A não-violência supõe a capacidade de indignação diante das injustiças e violências e uma atitude ativa.
    Simultaneamente, nos três ativos do estado – físico, orçamentário-financeiro e humano, são necessárias gestões eficazes, que coloquem em prática aquilo que deve ser feito e de modo correto. Este é exatamente o ponto principal: combater as causas do problema, a começar pela educação de crianças, jovens e dos próprios adultos, que muitas vezes não dão exemplos positivos aos filhos. O maior desafio é como fazer, para que pessoas adultas, responsáveis pela educação familiar, participem de modo correto do processo educacional, ao invés de prejudicar a formação moral, ética e religiosa dos mais jovens. É preciso trazer pais e mães para dentro das escolas e preparar adequadamente os professores, para que façam reflexões compartilhadas com os pais a partir de uma metodologia pedagogicamente correta.
    Muitas crianças, jovens e até adultos estão sem bússola interior. Não têm um projeto de vida nem recebem os ensinamentos e exemplos para construírem educação emocional e para valores humanos corretos. É na mente das pessoas que tudo começa e onde, inclusive, as guerras verdadeiramente começam. É em cada coração e cada mente, é em cada casa, em cada escola, em cada rua, em todos os lugares de Alagoas que poderemos pôr um fim ao começo de todas as guerras.
    Mas, temos que pensar em atender às necessidades mínimas que as pessoas e famílias possuem, como sobrevivência – abrigo, condições mínimas de urbanização (água encanada, drenagem de águas pluviais, escadarias), emprego; sociais – sentido de pertencer, ser aceito pela sociedade; autoestima – respeito próprio, respeito dos outros, responsabilidade; orientação elevada –amor. Apenas com medidas repressivas não conseguiremos o equilíbrio desejado. São necessárias, mas não suficientes.
    Edinaldo Marques
    Professor e Consultor
    http://www.twitter.com/edinaldomarques
    http://www.blogdoprofessoredinaldo.blogspot.com

  • PM

    Brincadeira… até algumas horas atrás o vice-governador dizia que não existe falta de efetivo…. da pra ver que a noção de segurança pública está tão boa quanto sua memória.
    Precisamos de ajuda do MJ sim!!

  • marioinacio

    Já estamos saturados desses discursos. Com essa mesma falácia, nossos políticos se elegem e, reelegem! Não suportamos mais, esses discursos “bonitos” e inócuos. Queremos uma ação mais efetiva, já. Quando eles, os governantes, estão no palanque, sabem tudo bonitinho, com fazer; apresentam megas projetos; mas, quando assumem, só querem filosofar!
    ACORDA! GOVERNADOR, ALAGOAS, ESTÁ SUCUMBINDO. Muda teu staf; essa turma, já disse pra que veio!
    Vejamos quantas postagens, proveitosas, nesse blog; e nada, é feito. A acomodação desse governo, infelizmente, vai custar “muito caro”, para todos nós; já não podemos, mais, sair à rua, o medo nos tormenta. E o nosso futuro? Não nos obrigue, a sair, dessa terra, que nos viu nascer e, é tão linda!!!!!!!!!!!!!

  • sertanejo cagota

    Quando reinvindicamos não estamos falando só de aumento de salários, Vejamos:1) 7% que ele ainda não pagou;2)seis datas bases atrasadas;3)adicional noturno (viramos a noite trabalhando);4)periculosidade (levamos balaço na cara);5)hospital da PM (se trocarmos tiro com o mala ficamos juntos no HGE;

  • Fabio do Osman Loureiro

    Gostaria de informa infilismente que o nosso estado não está capacitado para receber e aplicar corretamente verbas federais para segurança pública.
    Foi liberado pelo governo federal em 2008 quase hum milhão de reais para alagoas construir 4 bases comunitarias em maceió e até agora o estado não conseguiu concluir.
    Não entendo como o governo solicitou mais dinheiro para construir 43 bases em todo estado se não tem capacidade de concluir as 4 iniciais.

  • leonardo

    Lessa diz que é candidato a prefeito e recebe “apoio” de Cicero Almeida
    por Redação com informações A vez no Povo na TV Montagem Maciel Rufino /Foto de Almeida Aqui Acontece

    O ex-governador Ronaldo Lessa foi o entrevistado ontem do programa “A Vez no Povo na Tv” apresentado pelo radialista Ildo Rafael no Canal 12 da Net, entre outros assuntos ele criticou o atual governo Teotônio Vilela e falou sobre o funcionalismo estadual.

    Na entrevista Lessa deixou claro que sua candidatura a prefeito de Maceió está firme e disse que após um período de descanso voltará a trabalhar em um projeto político que lhe deixe próximo da capital alagoana.

    A grade surpresa do programa foi a entrada por telefone do atual prefeito de Maceió, Cicero Almeida, que explicou que respeitava demais Lessa e que o apoiava em seu pleito para prefeitura de Maceió.

    Almeida foi fundamental na derrota de Lessa em outubro ao declarar apoio ao governador Teotônio Vilela, o prefeito chegou a fazer algumas críticas a Ronaldo, mas com este telefonema e a união política com Renan Calheiros vem se mostrando cada vez mais distante do atual governador.

  • sebastiaoiguatemyrcadenacordeiro

    Espero sentado,meu bem
    Mas,eu sei que você não vem
    Outro dia vai,outro dia vai chegar
    E eu sempre a esperar… HU-HU-HU…
    Lembra dessa música Ricardinho,quando
    éramos mocinhos,bonitinhos e divertidin-
    hos…(Renato e seus blue-caps)

  • fred

    Meu caro RICARDO, essa conversa de laboratoria é muita antiga, pois o então ministro da justiça no primeiro governo de LULA, o senhor BASTO, não mim lembro o nome completo, disse que Alagoas seria um laboratorio, e veja no que deu. O senhor diretor da POLICIA CIVIL na epoçca BARENCO tentou implantar na policia civil, e por isso foi aos estados do sul, e tentou, ou melhor estar tentando copia esses estados, e veja quantas diferenças: -SALARIO, CONDIÇÃO DE PESSOAL(SUFICIENTE, O QUE NÃO TEMOS), O ESTRUTURA(OS PREDIOS HÁ MAIORIA SEM CONDIÇÕES), E POR ÚTIMO TREIMANENTO, E VEJA QUE A MAIORIA DOS POLICIAIS ESTÃO HÁ MAIS DE 20(VINTE) ANOS QUE NÃO SABEM QUE É TREINAMENTO. Meu caro como enfrente a criminalidade crescente em um estado que não tem projeto para a segurança pública.

  • fred

    AGORA MEU CAROM RICARDO MIM LEMBREI DO MINISTRO: É MARCIO TOMAZ BASTOS.