O texto, abaixo, me foi enviado de presente (a pedido) pelo querido Pife da Rosa. Um beijo aos dois, com os meus agradecimentos. 

                                                                                       Natal em vinte e cinco de dezembro

                                                                                                                                                                                                    (de Osvaldo Epifanio, o Pife)

São os olhos e ouvidos os mais expressivos personagens das percepções, mesmo em invertidos rumos. Os olhos são os que ouvem as dores. Os ouvidos, os que avistam as aflições. Olhos e ouvidos formam uma parelha invejável para a boca (a incontrolável tuba de mil vozes) que, em silêncio, observa impaciente seus quereres. A fala sempre emudece em respeito a quem, de fato, representa todas as sensações da vida. Tudo é, simplesmente, voltado aos ouvidos e aos olhos.

Quando o corpo pede e exige uma resposta em lamúrias, a dupla reage e faz a voz calar-se diante da beleza de um Dia que não se expõe em palavras. O mundo, este pertinaz e desaforado circo dos sentimentos, não espera um segundo sequer pela salvação das arengas, quer, apenas, maltratar a alma com seus gritos fastidiosos. Com isso, ele mesmo, o mundo, dá a entender que é atroz, injusto, porque arremessa seus dedos em nossa direção como quem quer aniquilar as bondades. Calúnia, ele, o mundo, não é, assim, tão infeliz. Oferece tudo, inclusive as migalhas; decepciona, mas espera por você sem interrupções; silencia, contudo esbraveja de chances e respostas; confunde, no entanto é imensamente acriançado, pois segue seu caminho como quem se deita numa rede e, preguiçosamente, espera um cafuné; zanga-se, porém improvisa suas traquinagens.

O mundo é este: senhor de idade relativa que se universaliza num Dia Divino, num momento único e simples. Não há mundo visto e ouvido como aquele do dia de Natal. No 25 de dezembro, ouve-se pelos olhos o cheiro daquilo que depura a barbaridade; vê-se pelos ouvidos que o desatino recente ou longínquo não mais se insurge como agonia ferina. Vinte e cinco do mês doze não serve, apenas, aos que acreditam no nascimento Dele, mas para os que sabem reconhecer-se diminutos na trajetória das surpresas. Este é o milagre do Natal: a confirmação de que a história é irremediavelmente uma incógnita. E Ele se apresenta como emissário legítimo das certezas, mesmo para os muitos que desconfiam de Sua existência.

Com acenos insistentes, sem o barulho dos atrevimentos, Ele fala em segredo aos nossos olhos e ouvidos: “O Meu dia é seu também, estarei na reserva desse jogo de tantos dribles. Se você se sente autoridade do próprio destino, craque insubstituível, acredite, estarei pacientemente acordado no próximo Natal para dizer aos teus sentidos que serei sempre seu fiel viajante, sua marcante imagem, a referência consagrada, os seus olhos e ouvidos sedentos de afeto”.

Do espanto
Assembleia divivida por três: Toledo, Inácio Loiola e Isnaldinho
  • Eraldo Basilio

    A todos os internautas, em especial a: Dona Vera, Janguta, Miguel, ALAGOANO, Clara, FERNANDO AMORIM, Alexandre Fernandes, Arlindo José de Lira, Manoel, Coronel Chico, Profeta do Óbvio, NEUZA AMARAL SOCIÓLOGA, Franco, Profª Rose Mary de Araújo, Nanys, critico, soldado Saulo, Aurélio, Carlos Cabreira. A toda equipe do TUDO NA HORA em especial a você Ricardo Mota.
    A paz no mundo começa em mim
    Se eu tenho amor com certeza sou feliz
    Se eu faço o bem a meu irmão
    Tenho a grandeza dentro do meu coração
    Chegou a hora da gente construir a paz
    Ninguém suporta mais o desamor
    Paz pela paz pelas crianças
    Paz pela paz pelas florestas
    Paz pela paz pela coragem de mudar
    Paz pela paz pela justiça
    Paz pela paz a liberdade
    Paz pela paz pela beleza de te amar
    Paz pela paz de um mundo novo
    Paz pela paz à esperança
    Paz pela paz pela coragem de mudar
    Paz pela paz pela beleza de te amar

  • noélia costa -´fórum permanente de combate ás drogas

    LINDO ESSE TEXTO,ACHO O NATAL MUITO MELANCOLICO,DEVERIAMOS REPENSAR NOS VALORES QUE ACREDITAMOS HOJE,POIS VEJO TANTA TRISTEZA NO OLHAR DE PESSOAS POBRES DE ESPIRITO ONDE O CONSUMISMO È O QUE IMPORTA,DESEJO UM NATAL SEM DROGAS E UM ANO NOVO COM ESPERANÇAS DE NOVAS CHANCES AOS QUE PRECISAM DE UMA NOVA VIDA.

  • marta lima

    Hoje é natal!!!
    Quiça possa os detendores do Poder aqui de Alagoas, compreender o quão efemera é nossa passagem aqui no Planeta Terra, e trabalhem para solucionar os graves problemas do nosso Estado, deixando de lado as vaidades politicas.Lembrando que a morte é uma fato concreto, mais a vida é o dom divino, então vamos viver com mais dignidade.

  • David Lucena

    Epifânio sempre deixando a gente sem palavras! Um abraço e um Feliz Natal pra vc, Ricardo, e pro Epifânio, um dos meus mestres inesquecíveis dos tempos de Madalena Sofia!

  • Clara

    Ricardo Mota um Natal de mta Paz e felicidade junto aos seus familiares.

  • FERNANDO AMORIM

    8 anos de Lula – por REINALDO AZEVEDO, em artigo especial (histórico) da revista VEJA dessa semana, está imperdível. Uma obra prima sem retoques, sem falácias e bajulações; mostra de forma sapiente, o DESGOVERNO de Lula e sua PERSONALIDADE PATÉTICA e MÍTICA. Confiram.

  • ElieneTerezinha

    ParaensePilarense Sofrida e indignada!

    Canuto/Oziel Barros X Povo Pilarense

    Prezado Ricardo Mota – Neste comentário feito em 21 de Dez de 2010 Que já não mais encontrei no seu blog!de admirar…Desejo esclarecer alguns fatos que possam melhorar a informação prestada por Vossa Senhoria no ‘Doze e Dez Notícias’:
    A- Na briga desses dois políticos sem grupo, quem perde é o povo bom e hospitaleiro, porém tão sofrido nos últimos tempos;
    B- Assistimos suas arrogâncias e prepotências escandalosas e por que não dizer podres;
    C- Vereadores (Beto Cavalcante – (Ex-Canuto,Pesca Bagre e agora Oziel) Sendo a principal indicação do prefeito Oziel Barros- foi reprovado para presidente e perdeu,fraudaram uma eleição nas coxas e também perderá… e Tota (Ex-Oziel,Pesca Bagre e Agora Canuto) “usados como fantoches dos dois “grupos” sem corpo e membros” não têm voz nem vez, pois ambos foram citados e presos na operação “Pesca Bagre” – hoje concorrendo a 1ª Secretaria da Câmara;
    D- “Um” nada fez no mandato federal pela nossa cidade e o tempo todo arrota prepotência;
    E- O “Outro” na vaidade do poder nada faz, pois não consegue aglutinar política com administração, e por aí vai o descalabro;

    Por fim, Amigo Ricardo – antes de comentar é bom ouvir o Povo Pilarense,para saber quem são esses políticos e o motivo que levam a ficar em cada posição; se situação ou oposição – Oposição a quem?; A que?…
    Que situação, que oposição, ou a quem? – Faça desse comentário um de seus programas e o povo sofrido agradecerá…Feliz natal

  • Adriano Soares

    Ricardo, um feliz natal. Você nos brindou um texto doce, bem construído, que baila com as palavras, as imagens e, ao final, faz um rodopio teatral e anuncia: “Ele renova todas as coisas sempre. Ano que vem, tem mais!”. Abraço, meu caro e fraterno amigo, cujo convívio é sempre uma lição de que o ser humano vale a pena. Deus se revela de forma sublime e pura na angústia humanista dos ateus ou agnósticos. Feliz natal!

  • Jailson Elias

    Valeu Pife!

    Sempre provocando reflexões profundas em quem quer ver a vida de formas não perene mas ambígua, desconexa e intermitente.
    Grande abraço a vc e ao Ricardo.

  • HEYDER PEREIRA CAMPOS

    MESTRE, ENCARAPITADO NO DIA 365, DOU-ME AO LUXO E ESNOBISMO DE VOLTAR O OLHAR PARA O DISTANTE PRIMEIRO DIA E CONCLUIR : “CARAMBA, ÊLE ESTEVE AQUI O TEMPO TODO”. E ME PENITENCIO DE TER, ÀS VEZES, NEGLIGENCIADO ÊSSE MILAGRE. FUJO DO LUGAR COMUM DOS VOTOS. PERDÃO…