Acontece hoje, durante todo o dia, a eleição da lista tríplice que o Ministério Público Estadual vai encaminhar ao governador para a escolha do novo procurador-geral de Justiça. Há cinco inscritos, mas não se espera nenhuma surpresa: o atual titular do cargo, Eduardo Tavares Mendes, deve ser reconduzido por Vilela, independentemente da lista a ser escolhida pelos votos diretos de promotores e procuradores. O único desafio de Mendes é estar na lista tríplice – e ninguém aposta o contrário. 

No Tribunal de Contas, entretanto, já se aguarda pelo menos uma “surpresa”: o conselheiro Otávio Lessa vem conversando com seus pares, todos os dias, tentando conquistar pelo menos mais um voto, que pode lhe garantir a presidência do palácio de vidro da Fernandes Lima. Ele tem até às 18h para conseguir o quarto aliado – é o prazo final para inscrição de chapas que vão disputar a eleição em 15 de dezembro. 

O conselheiro Luiz Eustáquio Toledo, em tese, já teria três votos (em seis): o dele, o de Rosa Albuquerque e o de Cícero Amélio. Em caso de empate na eleição, ele fica com a presidência por ser o mais velho.

Empresa que fez edital da licitação do "lixo" funcionava numa residência, em Brasília
Comando da PM denuncia oficiais e praças que recebem Bolsa Família
  • Gustavo Felipe

    Para nós pobres mortais esta eleição não muda nada,eles não fiscalizam nada e continuaram assim ate o dia que o Brasil mudar ,sera que muda?

  • marta lima

    Muito bem dito pelo sr: Gustavo de nada adianta eleger quem quer que seja, porque na realidade dura fria e de vidro passa o tempo e continuamos vendo nossa terra sendo dezimada pelos politicos ou sera pelo maus politicos? que usam e abusam do poder enquanto a população é dezimada de todas as formas pelo salario de fome pelas pessimas politicas publicas na educação na saude e principalmente na economia. Ricos somos em beleza natural e até elas estão sendo loteadas pelos empresarios falta pouco para pagarmos também pelo banho de mar.

  • luiz eduardo silva

    Quando essa república das bananas tiver justiça de verdade. Essa quadrilha legalizada do TC alagoas, vai deixar de existir. Peço aos homens de bem, se é que tem, vamos acabar com essa lavagem de dinheiro.

  • Josias Acreano

    Ricardo, no meio jurídico, todo mundo sabe o quão político é o atual PGJ.
    Observe bem a atuação do ex-PGJ, Coaracy (taturanas), e a atual gestão e me diga da atuação célere do atual PGJ. E agora mais 2 anos no cargo, a coisa toda vai pra gaveta mesmo!!!!!!
    Em terra de cegos, quem tem amigo no trono é rei!!!!!

  • Valmir

    Porque será que sempre o Téo tem que escolher ???