Eu vinha pela AL -101 Norte, depois do carnaval, quando fui ultrapassado velozmente por uma caminhonete do tipo “sou autoridade em Alagoas”. No vidro de trás do veículo, um imenso adesivo com números e a frase: “Honestamente, nunca se matou tanto em Alagoas”. E não há como refutar o que ali está escrito: a violência, com tantas vítimas, assusta a todos os alagoanos, mesmo os que conseguem enxergam além do que dizem os tais números.

Mas, “ironia atroz que o senso humano irrita”, no mesmo carro estava colado o adesivo de um personagem da política local identificado com o crime de mando, modalidade na qual somos “campeões brasileiros” – no dizer do ministro Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal.

O tal slogan vem sendo exaustivamente divulgado pelo Sindicato dos Policiais Civis e carrega um tanto de injustiça com a própria categoria que representa. Afinal, os agentes da PC são parte responsável no combate à mortalidade desenfreada. O problema, no caso, é quando o slogan-denúncia passa a ter utilização política e/ou partidária por quem não pode exatamente falar em Paz (assim mesmo, com maiúscula).

Apontar, então, a responsabilidade por tal quadro como sendo dos delegados Paulo Rubim e Marcílio Barenco – emblemáticos personagens -, aí a questão se torna ainda mais suspeita. Ambos, o que é notório, não têm qualquer relação com os criminosos locais. Ao contrário, deles só recebem uma carga diária de ódio.

O mais importante: atribuir à (in) Segurança Pública o crescimento espantoso dos homicídios em Alagoas é não enxergar um palmo adiante do nariz. Estamos colhendo os frutos da árvore que plantamos e cuidamos ao longo de décadas: a falta de políticas pública de moradia, educação, saúde, assistência social, a ausência de Justiça – em todos os níveis -, enfim, é o conjunto da obra que deve responder pela cruel realidade.

Se é entre os jovens, principalmente, que cresce essa violência mais visível – potencializada pelas drogas –, o caminho que tempos de trilhar vai muito além da necessidade óbvia de aumentar o policiamento nas ruas: o crime é iníquo e ubíquo; a polícia, não.

Quanto ao tal personagem, dono do carrão adesivado, fiquei a me perguntar: qual terá sido a contribuição dele para os números que exibia como sendo o seu mais indignado protesto? Que ele não seja modesto na resposta.

O império de papel
Para deputados estaduais, tempo é dinheiro
  • Alagoano

    Muito bem, Ricardo, você está certíssimo!!!!!!!!! parabéns…

  • noélia costa Fórum permanente de combate ás drogas

    Meu caro jornalista precisamos formar nossa rede ,não podemos culpar todo mundo desse desmando total da luta pela vida,uma vida sem drogas esse é o sonho,pois quando a morte esta totalmente ligada á droga,o estado precisa fazer sua parte e a sociedade civil participar ativamente desse contexto assim ficaremos fortes e poderemos cobrar com força total.

  • cris elis da silva

    Concordo plenamente contigo Ricardo (apesar de estares de certa forma livrando a cara do desgovernador) e o pior é que o orçamento para 2010 é menor do que em 2009 para essa área tão sensível, e o governador ainda pensa em reeleição…

  • SERTANEJO

    Parabéns jornalista, você retratou a realidade da nossa ALAGOAS!!!

  • Ricardo Melro

    Correto Ricardo. O problema da violência é, sobretudo, social. Maceió na gestão Almeida, por exemplo, chegou a ser desabilitado do SUAS (sistema único de assistência social), e a conseqüência foi a suspensão do repasse de verba federal. A conseqüência pior vem a médio e longo prazo: violência. O município simplesmente não prestava contas, devolvia a verba federal, (como se não precisássemos) além de outras irregularidades. Mas o povo gosta. O mesmo povo que aplaude, é o que chora na fila do SUS, por exemplo. É a democracia, que é um sistema falho, mas ainda não inventaram um melhor.Vale o ditado segundo o qual cada povo tem a democracia que merece…

  • Robson

    Isso! Os geradores das maculas que tributam a violência a usam como campanha. É preciso pensar além, coisa que “eles” não fazem, por conveniência, é claro. A violência é gerada aonde não se registra um crime, aonde o solo não recebe o escoamento superficial de sangue, causado por um trauma a bala. Articulado e gerado nos condomínios de alto padrão e os excrementos dessa ressaca aflora na periferia.

  • MARCOS AVILA

    Caro Ricardo Mota, voce realmente faz honrar a sua profissão. Realmente estamos colhendo o que plantamos e continuamos sem coragem de mudar, fazendo vista grossa para tudo o que acontece em nosso estado. Somos nós também có-responsáveis pela situação que a cada dia piora.

  • oscar cavalcante alves

    sÒ queria lenbrar que o primeiro crime de mando nessa gestaõ do governador foi de meu pai beto campanha, que no dia do velorio vice governador prometeu lucidar o crime!!! até hoje nada não sabe ele que meu pai apoiou ele p/ governo sem ganhar nada contra uma equipe grande formada np pilar a favor de joão lira

  • Barbárie de LULA.

    RM, o que esperar do governo LULA, que paga em 7 anos R$ 751 Bilhões de Juros, vamos repetir R$ 751 Bilhões, R$ 751 Bilhões, R$ 751 Bilhões de Juros e só gasta apenas R$ 38 Bilhões em Segurança (Ministério da Justiça)? Apenas ou quase nada da barbárie de 60.000 mortes/ano por Violência, sendo 36.000 de Jovens! No Brasil se mata + do que em quaisquer guerras no mundo! Este é o verdadeiro governo neoliberal de Luis Inácio Lula da Silva. E de passagem as Drogas que avançam de maneira geométrica em todas as camadas da sociedade, fazendo vítimas principalmente no seio da Juventude brasileira. Sem deixar de mencionar que ainda existem mais de 30.000.000 de brasileiros passando Fome, pq. o nosso querido presidente LULA só gastou apenas R$ 103 Bilhões no Combate a Fome. “E honestamente nunca de matou tanto em Alagoas como no BRASIL”. Para mudar só depende do Eleitor votar certo em 2010. P/Arabutan

  • Fábio Ferreira

    Esse Estado está do jeito que está por que nós, alagoanos, não fazemos por onde, não planejamos, nem trabalhamos, nem pregamos por onde fazer. Sempre, como todo bom brasileiro, colocamos a culpa no outro, em um centro. Parece ser mais fácil, menos pertubador, mais confortavel, mas enquanto essa maturidade mental-intelectual não vir nos resta lamentar?? NÃO. Não nos resta SIMPLISMENTE lamentar, mas nos resta lutar, pregar, criticar, observar, participar, ensinar, nos envergonhar, aprender, criticar, autocriticar, transformar… É preciso maturidade para crescer.

  • zezinho

    É Ricardo vc tem toda razão, estamos colhendo os frutos da árvore que esses maldiçoados pelas mães, plantaram em nosso querido estado ao longo de décadas, não tem Secretário e nem Diretor bom, pois, esses que querem cruxificarem, servem e serviram toda a banda pobre deste estado, quem é que não sabe disso? A máfia é pesada, só o Barenco é que teve a coragem para mininizá-la. Já ouvi cada história da velha guarda que dá nojo.

  • José Edson

    Parabéns Ricardo! Mais um de seus brilhantes comentários… Irei guardar em meus arquivos. Abraço.

  • celia

    Caro Jornalista mas uma vez sao sábias suas palavras,ja comentei varias vezes sobre esses adesivos, ate por quer de onde surgiu e de uma categoria quer deveria prevenir e solucionar os crimes em nosso estado, quer credibilidade tem esse sindicato, principalmente quando aceite apoio de pessoas quer sempre contribuiram pra o aumento dessa violencia no estado! NOS ALAGOANOS PRECISAMOS E APRENDER A VOTAR MELHOR E OS SINICATOS A ESCOLHER MELHOR SEUS REPRESENTANTES!!!

  • Augusto trancoso

    Será que a situação pode piorar? Creio que diante deste relato o melhor negócio depois de ser deputado é abrir uma FUNERÁRIA

  • ricardo viera de castro

    esses mesmos que colocam esses adesivos nos carros são os mesmos que em seu horario de trabalho estão em casa dormindo ou em uma faducade ou em uma farra, onde na verdade eles deveriam estar trabalhando nas investigaçóes para coibir mais essa criminalidade que vem como 1º grande culpado essa maldita droga chamada “CRACK” e tem gente inportante nesse meio por isso que não se descobre como ela entra na sociedade né POLICIA CIVIL.

  • Zé

    Perfeito! Também associo certo tipo de carro megalômano com marginais de colarinho branco. Veja outro paradoxo: o motorista pró-taturana costuma estar sempre apressadinho, como se estivesse querendo ir trabalhar ou realizar algo de importante e bom, ou alguma situação emergencial. Muitos desses motoristas podem assassinar pessoas inocentes. Sou Professor na rede privada e já vi jovens serem assassinados por motoristas de carros megalomaníacos “apressadinhos”, sem qualquer motivo. Normalmente, como muitos deles compravam a carteira [época antes de Dr. Sapucaia, é bom dizer-se], não sabem fazer baliza. O carro é desproporcional às ruas de Maceió e “por isso” os babacas terminam estacionando em cima da calçada, tortos ocupando duas vagas, em lugar proibido etc. Como diz uma amiga minha, quem tem pinto pequeno procura carro grande para compensar. Marginais como esses não podem desmerecer o excelente trabalho que Dr. Barenco e Dr. Rubim têm feito, apesar da torcida contrária dos pistoleiros locais.

    “quando fui ultrapassado velozmente por uma caminhonete do tipo “sou autoridade em Alagoas”

  • Marcos batista de souza

    Ricardo o que não pode é um governo abrir mão de uma secretária que é a do esporte ,que tem a capacidade de furar o bloqueio que existe nas favelas e periferias de maceió e pq não do estado,e chega a destinar 300mil para clubes de futebol profissional,com esse valor daria pra montar varias oficinas esportivas nos bairros de maiores indices de criminalidade,”veja o esporte a meia noite “em DF sucessso,mais aqui entregam uma area fundamental de combate as drogas e violencia,nas mãos de politicos frustados…que saudade dos tempos de Eduardo Canuto e Capitão Marlon….

  • José Barbosa

    Caro Ricardo,você foi muito feliz no seu comentário, pena que a grande maioria da sociedade alagoana não encherga dessa forma.Ao longos dos anos quais foram as politicas publicas desenvolvida no nosso estado? Os criminosos de hoje, rapazes com faixa etária de 20 anos de idade, foram garotos de 5 anos há 15 anos atraz, se os milhões roubados da AL nesse período fosse aplicado em politicas bublicas, certamente a realidade seria outra.
    Querer culpar o Governador, Rubim e Barenco, pelo criminalidade é não querer vê a realidade. Mas uma coisa é certa,os poderosos do nosso estado nunca tiveram tanto medo de mandar matar como nos ultimos tempo. Parabéns Barnco e Rubim.

  • Luis Phillip

    RICARDO,O SINDPOL É FORMADO PELO UM GRUPO DE POLICIAIS QUE BRIGAM ENTRE SI,TODOS QUEREM SER CANDIDATO A VEREADOR OU DEPUTADO,É PARECIDO COM O SINDICATO DA EDUCAÇÃO,RECEBERAM A SEC DA EDUCAÇÃO E JÁ NÃO FALAM MAIS EM GREVE,JÁ ESTÁ TUDO BEM NA EDUCAÇÃO DO DIA PRA NOITE,É SÓ CONVIDAR O SINDPOL PRA O GOVERNO,QUE FICA TUDO BEM.O VERGONHOSO É VC PESSOAS QUE DESVIARAM DINHEIRO DA EDUCAÇÃO,SAÚDE,CRITICAREM AS AÇÕES DE GOVERNO,UM DELES É O RENÃO,MAIS VAMOS CAÇAR ELE NA URNA,MANDE ELE SAIR DE BAIXO DA SAIA DO LULA.RENÃO NUNCA MAIS!!!!!!!!

  • O Analista

    Ricardo, excelente artigo!É de dar náusea a forma como os sindicatos estão se portando no Brasil, se estão na situação silenciam (CUT, CGT) se estão na oposição vivem no fisiologismo barato, a serviço de partidos. Ora, se nunca se matou tanto não será porque a nossa polícia faz corpo mole nas investigações? (temos crimes insolúveis a décadas em Alagoas). Uma proposta: se o governador der 100% de aumento à polícia o sindicato garante diminuir 100% dos crimes? Então fica claro que o problema da violência está longe de ser imputado apenas ao Governador. Honestamente sindicato, arrume outro argumento!

  • M. Almeida

    Você acertou em cheio! O problema da violência é social. É claro que o governo tem que ser cobrado, mas, reconheçamos os esforços do governo Teotônio Vilela em melhorar a segurança. O que acontece é que alguns sindicatos da área da segurança estão contaminados pela política, creio mesmo que sabotam as ações do governo. Nada melhor que uma boa investigação e por os culpados na cadeia, policiais ou não. Vamos aproveitar a próxima eleição e varrer alguns marginais da nossa política. O governo Téo Vilela pode não ser o ideal, mas, é o melhor dos últimos anos. Merece ser reeleito.

  • jamesson

    Ricardo,
    Cometei aqui dias atrás que um bandido conhecido aqui no Feitosa, usa esse adesivo no carro. Até aí tudo bem, mas um policial que se preza, use isso em seu veículo? é como se atirasse no pé. Estamos(o povo)pagando os caras errados. Pergunto: você contrataria e pagaria a uma pessoa que não sabe dirigir, para conduzir seu veículo? e uma cozinheira que não sabe cozinhar? Logo, um policial que enaltece o crime não deveria ser pago. A semana passada assisti no programa do “Canetinha” uma entrevista sofrível e rancorosa do Delegado Jobson Cabral. Sofrivel, sem base técnica e rídicula. Ontem, no mesmo programa, assisti uma entrevista com o jovem – de apenas 36 anos-, Dr. Barenco. Entrevista digna de nossos filhos e netos assitirem. Técnico e pedagogico. Fiquei orgulhoso, com a sua explanação, sobre a atuação da policia e a constituição federal. Eu vejo tudo isso, com a pulga atrás da orelha. E pergunto: alguem se lembra de uma época, em que a policia prendeu tanta gente, quanto agora? Aqui no TNH, tem agora uma página inteira de prisões. O uso politico da policia, deveria ser coisa do passado.

  • Claudio

    Honestamente, nunca se prendeu tanto deputados em alagoas

  • uira

    está corretotissimo a posição do reporter R.M. , todo mundo tem culpa desse terrivel quadro em que nossa Alagoas está,tanto pela permanencia dos corruptores de ideais(politico nefastos,justiça idem), quanto pela omissão de todos em não querer doar o minimo de si para melhorar o quadro social.

  • Maria de Fátima Barbosa da Silva

    É muita demagogia e os incautos ainda se iludem com esses adesivos. Honestamente, Ricardo, desejo que este ano o povo alagoano desperte dessa letargia em que vive e diga um sonoro NÃO a todos os políticos corruptos e sua corja. Caso contrário, estaremos confirmando que somos todos psicopatas. Pois compactuamos com o comportamento desvirtuado deles.

  • uira

    Toda essa critica em exposição nos varios carros, não é nada mais do que pressão politica de grupos na busca de beneficios financeiros,dos que só se preocupam com aumento salarial,faz parte da hipocrisia montada pelo Estado repressor das alagoas, muinta otoridade querendo tirar proveito dos indigentes do sistema,verdadeiros animais com vestes de humanos, que amam mais os objetos do que a vida,seres esses que estão muito atras na escala da evoluçao humana,criam a situação e depois dão uma de bom moço..pura hipocrisiaaaaa

  • Eu

    Impressioante como o Sr. Ricardo Mota protege, a todo custo e explicação, o Sr. BARENCO e a sua corja. A luz da verdade, toda população alagoana é enganada, diuturnamente, pelos veículos de comunicação que o pintam como SANTO. Mas a verdade há de prevalecer um dia.

  • Marcelo Amorim

    Parabéns Ricardo pelas “luzes” que você tem nos trazido diariamente. Como jornalista, fico entusiasmado e com força pra acreditar, que podemos modificar esta triste realidade a partir da derrubada das máscaras dessa parte da sociedade hipócrita, evasiva e sem compromisso com o próximo. Acredito que muita coisa vai acontecer e cada qual vai ficar no seu devido lugar. Marginal é marginal e jamais vai se passar por toda a vida como homem de bem. Viva a justiça social! É principalmente através da educação que viveremos dias melhores.

  • ARTUR

    RICARDO, TALVEZ VOCÊ NÃO SAIBA E NEM NOTA QUE OS ALAGOANOS CONFIAM E ADMIRAM SUA CONDUTA COMO HOMEM E JORNALISTA. QUANTO AOS ADESIVOS, TOMEI CONHECIMENTO QUE ESSA DIVULGAÇÃO NEGATIVA PARTE DOS FRUSTRADOS E INCONFORMADOS DELEGADOS E PC DA ANTIGA POLICIA CIVIL, AQUELA QUE ERA COMANDADA PELOS POLITICOS ¨VALENTÕES¨E QUE HOJE NÃO TEM MAS, VÊZ DE COMANDO. O GOV. TEM SEUS ERROS MAS NA SEGURANÇA APESAR DE TODA VIOLENCIA ESTAMOS LIVRE DOS MAUS POLICIAIS APADRINHADOS POR POLITICOS VIOLENTOS. OS CRIMES PRATICADOS NO MOMENTO É LIDERADO POR PROBLEMAS DE DROGAS.

  • Paulo

    Caro Ricardo Mota, você é a voz de quem vive honestamente em nosso Estado. Somente quem faz parte da bandidagem alagoana é quem não concorda com seu excelente artigo! Parabéns!

  • Marcio Peixoto

    Ricardo

    Veja a ironia do destino , estou no Rio de Janeiro de ferias , conheci um casal que está indo de ferias para o nordeste , perguntei a eles quais as cidades que eles iriam visitar , sem falar que eu era de maceio o casal respondeu ” Vamos a Salvador , Recife , Natal , Fortaleza ” , perguntei ao casal e Maceió ? a mulher respondeu ” Deus mim livre lá ta se matando muita gente ” , veja isto Ricardo , uma moradora do Rio dizendo que tem medo de ir a Maceió , TRISTE IRONIA .

  • Roberto Mendes Filho

    Estimado Ricardo,
    Matéria lúcida e realista, como sempre. Embora reconheça o problema da violência, certamente interesses políticos continuam tentando derrubar a cúpula da Defesa Social, o que espero não aconteça. Parabéns!!!

  • Valdemir

    Os bons Policiais Civis são servidores públicos que merecem todo o respeito da sociedade, mas tem sido pessimamente representado. Os seus integrantes não têm a inteligência de verdadeiros líderes de categorias, não pensam antes de agir, ameaçam uma greve inoportuna e recuam. Esses pseudos sindicalistas deveriam estudar, desenvolver um pouco mais o cognitivo para agir com mais estratégia. Agindo desta forma, defendendo a bandeira de políticos criminosos, envegonha mais ainda a categoria. Os policiais civis, merecem além de um digno salário, uma representação mais séria e capaz.

  • Valdemir

    Os bons Policiais Civis são servidores públicos que merecem todo o respeito da sociedade, mas tem sido pessimamente representado. Os seus integrantes não têm a inteligência de verdadeiros líderes de categorias, não pensam antes de agir, ameaçam uma greve inoportuna e recuam. Esses pseudos sindicalistas deveriam estudar, desenvolver um pouco mais o cognitivo para agir com mais estratégia. Agindo desta forma, defendendo a bandeira de políticos criminosos, envegonha mais ainda a categoria. Os policiais civis, merecem além de um digno salário, uma representação mais séria e capaz.

  • TANIA

    BELO TEXTO!ADOREI A CAMIONETE” SOU AUTORIDADE EM ALAGOAS” RRSSSS… CANSO DE VE-LAS PELA ORLA, UNS HOMENS QUE NOS CAUSAM MEDO, OUTRO DIA FUI A UMA SORVETERIA DE MACEIO E VI UN DESSES QUE USAM A TAL CAMIONETE, SAI LOGO, PODERIA TER BALAS PERDIDAS POR PERTO RSS VC H DEMAIS, CONCORDO EM GENERO E GRAU TUDO Q VC ESCREVEU, PARABENS MAIS UMA VEZ.

  • Almeida

    É Ricardo realmente vc está certo em parte que fala do carrão e da falta de estrutura de nosso Estado, mas proteger esses incompetentes que tomam de conta da segurança de Alagoas é demais, procure conversar com um policial sério que vc vai compreender.

  • atento

    Esse texto e aquilo que eu digo todos os dias para as pessoas que nao enxergam um palmo a frente do nariz.Muito sensato e preciso em suas palavras, resumiu a historia dessa arvore que plantamos e que continuamos a cultiva-la com muita arrogancia, prepotencia e falta de bom senso.Precisamos melhorar a educacao dos alagoanos para termos um futuro melhor!sera uma utopia esta frase?

  • jefferson de farias ferreira lima

    sem modestia o numero pode chegar ou ultrapassar os 100 crimes de mando, só com nossos atuais parlamentaris, sem esquecer a forte contribuição do parlamento federal .

  • ARTUR

    RICARDO, QUANDO VEJO ESSE ADESIVO EM UM CARRO VEM NA MENTE QUE AQUELE CARRO
    PERTENCE A UM POLICIAL CIVIL QUE DIZ QUE GANHA POUCO, OU DE UM DELEGADO REVOLTADO POR PERDER A BOQUINHA DE CHEFÃO PODEROSO OU QUE PERDEU O AMPARO DO PADRINHO POLITICO PORQUE O GOVERNO MUDOU OS¨CHEFES¨ VICIADOS MAS,
    FAZ DE CONTA QUE A POLICIA PROTEGE TODOS ALAGOANOS. NÃO SEI SE ELES NOTAM QUE OS ALAGOANOS NÃO APOIAM ESSA INICIATIVA BAIXA E QUE O GRANDE RESPONSAVEL POR ESSA SITUAÇÃO SÃO ELES MESMOS.

  • fred

    Meu caro RICARDO MOTA, só a lamentar esses oportunitas que se aproveitam do governo e usa esse povo sem poder maior do ser humano, que é o PODER DO CONHECIMENTO; O que vemos é o nosso povo sendo usado desde ANTES DE CRISTO, e pasmem elegem seus politicos e não cobram nada deles. Gente pelo amor de DEUS acordem e decida sua VIDA, e deixem de VENDER seu VOTO.

  • Reinaldo

    Quero antes de tudo parabenizar ao jornalista-homem, Ricardo Motta, pela coragem que tem demonstrado durante anos e anos da sua vida. Agora, não venham dizer que RM é defensor de governador ou delegado. O mais importante é alertar a sociedade pelos fatos da criminalidade e depois que um jornalista sério e honesto o faz, vêm dizer que é protejendo o governo ou sua cúpula da área de segurança. Vamos nos unir alagoanos e, dizer não ao crime orgânizado, não votando nestes candidatos da pistolagem e criminalidade. Aí sim, vocês dirão que o RM fez o que vocês precisavam fazer a muito tempo. Parabens Ricardo e ainda continuo com a crença de um dia alagoas ser diferente. Só este governo, teve a coragem de não pôr a mãos sobre os deputados bandidos, portanto, voto com ele na reeleição.

  • J.MONTEIRO

    Ricardo, seu texto é excelente, mas me permita ir um pouco mais além. Nunca se matou tanto em Alagoas, nunca se matou tanto no Brasil, nunca se roubou tanto, nunca tivemos no país instituições desmoralizadas como temos agora, nunca se viu a oficialização da compra de votos, agora é oficial, o famigerado Bolsa Família, foi o caminho mais curto que o Lula encontrou para se reeleger, e não será surpresa se a Dilma, cara de pau, for empurrada de goela abaixo dos brasileiro, surfando nas asas da impunidade, com propaganda eleitoral fora do período estipulado por lei, mentiras e todo tipo de safadeza. E para a tristeza dos Alagoanos honestos, os que tentaram derrubar os Delegados Rubim e Barenco, fazem pose de paladinos da dacência, desfilando com adesivos denunciando a criminalidade em Alagoas, (com fins sabidamente eleitoreiros), esquecendo dos esforços que o Governador Teo Vilela tem feito. Com tão grande parcela da população, sendo mantida pelo assistencialismo barato do Governo Lula, quem viver verá, que dias piores virão. Não nos esqueçamos: Alagoas está inserida no contexto.

  • fred

    Essa mensagem meu caro RICARDO MOTA, vem na realidade mostra que podemos contestar, mais os números não mente JAMAIS, pois veja bem quais são os projetos dos senhores RUBIN e BARENCO com ralação ao combate ao crime tanto de mando com de homicidio, gente é lamentavel sermos o primeiro lugar nop BRASIL em violência. Meus amigos o nosso povo so se mamifesta em campanha eleitoral,com relação a violência veja se tem algum movimento. Gente acorde e cobrem do POLITICO o aula elegeu SEGURANÇA, SAÚDE E EDUCAÇÃO.

  • Helder Lopes

    Sempre tive aversão a esses adesivos. Mais uma vez parabenizo ao Ricardo Mota por ter expressado de maneira tão clara e sincera o que sentimos ao nos deparar com as famosas camionetes “sou autoridade” e os carros que ostentam o adesivo com o tal slogan.

  • Hudson Cavalcante Filho

    O tipo de carro: “sou autoridade” deve ser investigado, principalmente quando ostenta adesivo de políticos-de-crime-de-mandos. Estes tipos de políticos podemos demarcarmos por municípios.

  • Ana Paula

    Realmente Ricardo. Meu esposo e eu comentávamos há alguns dias sobre essa frase. O próprio sindicato e os policiais em geral estão assinando um atestado de incompetência, pois os mesmos tem a obrigação de coibir a violência. Mas pra eles fica mais fácil passar a bola pra alguma autoridade, caracterizando aí o interesse político.

  • Mariano Correia Paredes

    Estimado Ricardo,
    Sabia que o projeto “Agentes da Paz” É IDÉIA MINHA, publicada na Gazeta, de 17/08/1999? Há mais de dez anos…
    Em Alagoas “nunca se matou tanto”, principalmente quem tem boas idéias e avançadas, para ajudar este estado aziago, FORA dos “currais” medíocres e primitivos dos gabirus e taturanas. Não vai dar certo, por um simples motivo: um corpo não anda sem cabeça. A “cabeça” sou eu! Conhece a piada do “caranguejo alagoano”? Entendeu porque Alagoas anda pra trás? Gabirus e taturanas são como caranguejos: não têm cabeça. Só bolsos. Eleitores,pensem nisto!
    Mariano C. Paredes

  • Carlos

    Ricardo Mota,confesso que você teve mais sorte.Ñ fui ultrapassado por nenhuma caminhonete veloz de personagem local identificado com o crime e sim por um agente do DER, Al-101 sul- que comete seus delitos inventando infração,alegando Para-Brisa trincado + ultrapassagem pelo acostamento mentira que sou viu ao ler a multa,Fiquei em silêncio pq.se ñ a coisa piorava.

  • roberto

    Caro Ricardo desfrutando eu de morar em condomínio fechado, onde, ali, existem pessoas de médio poder aquisitivo, observo como naquele lugar – ou tais lugares – está se transformando numa “ilha” de excessão às infrações da lei. Sem se adentrar na questão dos “trios elétricos dos babacas”, os quais mais do que o identificar palpérrimo gosto musical propalado aos quatro ventos – marca registrada desses pobres babacas -, são instalados em veículos conduzidos por menores logicamente desprovidos da necessária habilitação, os quais com o concentimento paterno passeiam EM ALTA VELOCIDADE livremente pelas ruas daqueles lugares sem serem incomodados ou pressentirem qualquer ameaça, isso justamente por ali está se tornando um oásis às infrações da lei, não só de trânsito mas também e até de ENTORPECENTES, fato este relevado pelos outros tantos moradores que por se sentirem indispostos a comprar uma briga individual com vizinho somente esperam o acontecer de uma tragédia para daí se poder tomar qualquer atitude.

  • Evanio Oliveira

    Ricardo Mota, parabens pelo seu comentario.Alagoas e uma provincia.Sao os mesmos, muda so o grau de parentesco.