Para o presidente do Partido dos Trabalhadores em Alagoas, Joaquim Brito, a morte de Genildo Correia Soares, o Genildo do PT, “foi um crime de mando com motivação política”. Ele disse que baseia sua convicção nas informações obtidas ao longo do dia, em Campo Alegre, onde a vítima foi vereador até o ano passado: 

-Ele foi alvejado, de tocaia, por três tiros de pistola .40, arma usada pelos pistoleiros profissionais. Genildo vinha recebendo várias ameaças, inclusive por telefone. Para nós, do PT, a elucidação do crime é uma questão de honra. 

Brito afirmou que já solicitou uma audiência com o governador Teotônio Vilela Filho, quando vai formalizar o apelo do partido “para que este não seja mais um crime de mando impune, em Alagoas. Já comunicamos o fato, também, ao Ministério da Justiça e ao Diretório Nacional do PT”. 

Genildo do PT foi assassinado, ontem à tarde, no povoado de Luizápolis, em Campo Alegre, onde morava e tinha sua base político-eleitoral. 

Promotor espera denúncias de abuso enconômico na campanha para conselheiro tutelar
Lessa se oferece até para se vice de Almeida, mas pressão sobre ele aumenta
  • Anônimo

    Elementar meu caro Joaquim Brito, tá na cara que é crime de mando, só nos resta saber quem mandou, mas isso são outros 500, esse crime vai pra fila, vai ficar atrás do homicídio do Fábio Acyoli.

  • Anônimo

    RICARDO, ESTE CRIME É O CARTÃO DE NATAL E O ANÚNCIO ANTECIPADO DO QUE INFELISMENTE DEVEMOS ESPERAR PARA O PROXIMO ANO.
    HOJE FIQUE FELIZ DO QUE OUVÍ DE UM POLITICO DO AUTO SERTÃO ALAGOANO: ¨NÃO TEMOS ESPERANÇAS NEM CONFIANÇA NOS POLITICOS TRADICIONAIS DE ALAGOAS, ESTOU VENDO QUE AS PESSOAS DE MINHA REGIÃO TENDEM EM VOTAR NO Dr. LUNA E EM HELOISA HELENA¨.FIQUEI FELIZ E FALEI QUE SÃO MEUS CANDIDATOS. TEREMOS NOVIDADES, AGUARDEM.