O Grupo Especial de Combate às Organizações Criminosas – GECOC – do Ministério Público Estadual pediu ao juiz do Pilar, Geraldo Amorim, o afastamento imediato dos vereadores que retornaram ao mandato na última quarta-feira. 

O requerimento dos promotores pede, em caso de desobediência, a prisão do presidente da Câmara de Vereadores do Município, Gilmar Ribeiro. Foi ele quem determinou o retorno dos afastados pela Justiça na Operação Bagre – Patrícia Rocha, Beto Cavalcante, Damião dos Santos e Luis Carlos Omena – com base em uma decisão da desembargadora Nelma Padilha. 

Só que diz o documento do MP encaminhado ao juiz Geraldo Amorim, a decisão ainda não foi publicada – é inédita. Nem mesmo o magistrado foi notificado da suposta decisão dos vereadores. O retorno deles, portanto, aconteceu por interpretação do presidente do Legislativo do Pilar. 

O imbróglio jurídico – sobre o conteúdo da sentença da desembargadora – ainda não pode ser resolvido: a magistrada está em gozo de férias (eu mesmo tentei contato telefônico com ele, mas não consegui). 

O Pilar está vivendo a tradicional Festa do Bagre, o peixe, iguaria local, que terminou batizando a operação do GECOC, em julho, resultando na prisão de dez pessoas, entre os quais os quatro vereadores.A acusação: eles integrariam um grupo criminoso que teria, entre outras coisas, desviado mais de R$ 2,5 milhões dos cofres municipais. 

É possível que o juiz Geraldo Amorim julgue ainda hoje o novo pedido formulado pelo Ministério Público Estadual. O magistrado afirmou que, independente da discussão sobre o afastamento dos vereadores ( uma questão que não estaria clara na decisão da desembargadora Nelma Padilha), os bens de todos os acusados do desvio do dinheiro público no Pilar continuam indisponíveis.

O processo continua sua tramitação normal.

Vice-governador assume "coordenação" da Segurança Pública
Secretário defende extinção dos Gabinetes Militares
  • Anônimo

    RICARDO, É SÓ MAS UMA DESOBEDIÊNCIA. ESTÃO COPIANDO O GESTO DA ALE. OS PARLAMENTÁRES DA ALE ENSINARAM AO PRESIDENTE DA CAMERA DO PILAR E ENSINOU COMO SE SAÍR. NINGUEM FOI PRESO, NINGUEM SE AFASTOU E TUDO BEM.
    OS ALUNOS DA ASSEMBLÉIA: MST,SIDIPOL,CAMARA M. DO PILAR E DO JEITO QUE VAI SERÁ CRIADOS NOVOS CURSOS DE INDISCIPLINA JUDICIÁRIA PROMOVIDO PELA ALE.

  • Anônimo

    É uma pena que um município tão importante para a história de Alagoas e do Brasil esteja passando por momentos como este em seu cenário político. Será que esta corrupção não vai acabar nunca!
    Espero que todos que estão envolvidos neste desvio de verba pública sejam punidos; e a volta dos vereadores para seus cargos é um desrespeito com os cidadãos pilarenses. Deixo uma pergunta, porquê o prefeito não se pronucia diante deste caso ?

  • RAMILTON LIMA

    Anonimo, como o prefeito pode se pronunciar se ele também faz parte do esquema.

  • jose adeilso dos santos

    Muito bem Ricardo, adoro o seu comentário sempre com isenção, informando tudo e mostrando a verdade doa a quem doer.
    Seria muito bom se, alguns que se dizem “jornalistas”, falassem e mostrassem a verdade nua e crua mas, infelizmente está amarrado e comprado politicamente, somente aguardando a próxima eleição pra ganhar o apoio destes que são os gestores “santinhos”de Pilar e que se acham donos da cidade e que, incrivelmente, aida tem o seu chamado “curral eleitoral”, pessoas ao meu ver, que nao tem o mínimo de amor propri e que se vende por um copo de serveja ou um quilo de mandim.
    GRATO…!