O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Alberto Sextafeira, negou ter feito a indicação para que o capitão Bolívar, da PM, assumisse a segurança pessoal do deputado Marcelo Victor, personagem já bastante conhecido – apesar de jovem – dos alagoanos. Em contato com o blog, o parlamentar do PSB disse que "seria um honra atender a um pedido do capitão ou da família dele, de quem sou muito amigo. Mas isso não aconteceu". Ele afirmou também que não sabe a quem atribuir a indicação de um oficial tão qualificado para o posto de segurança pessoal do secretário da Mesa Diretora, Marcelo Victor – contantemente envolvido em episódios policiais. Quem seria, então, o responsável? O sargento Garcia (relembrando o Bob)?
Renan e Collor brigam para ter Célia Rocha
Memórias de um cafetão
  • Alagoano Indignado

    Ricardo, deve ter sido o sábado, domingo, segunda ou até quinta-feira, menos Sexta-feira.

  • Silvio

    Ricardo, pergunte ao próprio Capitão ao invés de fazer insinuações maldosas.

  • BASTIÃO

    – ” Comigo aconteceu numa Sexta Feira, uma rua es- cura e deserta,um gato preto em desabalada carrei- ra,um grito pavoroso…”

  • federal

    Quem manda na na assessoria militar da ALE,é o major Marlon todos da patota dele ele levou pra la Israel,liziario,Felipe ,bolivar ,palmeira ,moreira todos da sua turma.kkkkkkkkkkkkkkk

  • BRAGA

    Só pq o Cap Bolivar trabalha a disposição do Dep. Marcelo Gato nao pode ser crucificado. Quem tem que ser crucificado é o povo otário e imbecil que votou e elegeu o dito deputado. Fala sério!

  • Rosa

    Acho que a questão não é quem mandou ou deixou de mandar. Esse pessoal tão capacitado deveria estar nas ruas e nos serviços de inteligência para diminuir a violência e não ficar nos gabinetes políticos protegendo esses bandidos. Talvez a questão seja financeira…

  • Concordo plenamente

    Concordo plamente com o federal, a patota toda está lá e se somar o tempo de serviço de todos prestado exclusivamente na atividade fim da PM deve chegar há uns 5 anos e olhem que todos tem 15 anos de tropa no mínimo. Que dinheiro perdido.

  • João Gabriel Fernandes

    Quanto ao tempo de serviço deles á PM-AL é bem menor do que os dos atuais CMT e SUB dela, os 2 só ficaram fora dela uns 15 a 16 anos e nunca foram agregados ou postos de OFÍCIO na RR como mandam as Leis e ainda estão no comando com perfis escolhidos pelo Rubin tá do jeito deLLe.

  • Joaquim Guedes Ferreira

    Dizem que o comandante é o espelho da tropa e esta é um reflexo do comandante. Se os atuais Cmt e Sub passaram mais de 16 anos fora dela e estão onde estão passou a ser o modelo a ser seguido para “chegar lá”. Prá quê conhecimento, saber, cursos, competência se o que vale é o QI?

  • Jonilson Falcão de Guerra

    Falando em QI diz prá gente quem indicou esses dois pro comando da PM-AL? Quem escolheu o jovem aposentado prá SEDS?