Finalmente hoje o relatório do Conselho Nacional de Justiça, com todos os detalhes, chegou ao Ministério Público Estadual – a quem cabe dar seqüência às apurações. Ressalvando que ainda não é o relatório da auditoria que o CNJ realizou este mês na Justiça de Alagoas.  O procurador-geral de Justiça, Eduardo Tavares Mendes já formou a comissão do MP que vai aprofundar as investigações e decidir quais serão os rumos legais a adotar. A comissão é presidida pelo procurador Antiógenes Lira e formada, também, pelos promotores Humberto Pimentel, Cecília Carnaúba, Jamyl Barbosa e Jonas Amorim. 

Eles vão se debruçar, a partir de agora, sobre a documentação encaminhada pelo Conselho Nacional de Justiça e definir o que pode resultar em ações judiciais. “Não dá para jogar todos os integrantes do Judiciário na vala comum”, afirmou o chefe do Ministério Público Estadual, Eduardo Tavares Mendes. Já se sabe, entretanto, que há uma condenação: a do desembargador Washington Luiz Damasceno de Freitas, obrigado a devolver R$ 354 mil aos cofres estaduais.  

É digno de nota o fato de que ele – Washington Luiz – recebeu a punição do CNJ exatamente porque chegou ao Tribunal de Justiça na vaga destinada ao Ministério Público Estadual, não podendo, portanto, receber diferenças salariais devidas a magistrados de carreira. 

Quanto ao relatório da auditoria do CNJ, a expectativa é de que ele só venha ser apresentado ao colegiado na reunião do dia 9 de junho, por conta do farto material que o Corregedor Nacional de Justiça, Gilson Dipp, levou de Alagoas.

 

Mais informações daqui a pouco com o restante do resumo do Doze e Dez. 

"As mulheres das ruínas" da Justiça de Alagoas
Plano B - Aposentadoria antecipada de outro conselheiro pode dar vaga a Fernando Toledo no TC
  • marcelo

    Só tem tolos nesta seara.

  • Cleonice Silva Marinho

    Sabe Ricardo! NÃO VAI DÁ É EM NADA. Ministério Público do Estado não tem força pra tanto.

  • Atento

    Ricardo, dou um doce pra ver o MP-AL agir nesse caso!!!! No entanto, queria muito queimar minha língua. Abs

  • ENQUANTO

    Ricardo,enquanto isto, o governo do presidente LULA PAGOU de 2004 a 26/05/2009: R$ 3,216 TRILHÕES a Dívida Pública. GASTOU: R$ 198 Bilhões na SAÚDE. R$ 118 Bilhões na EDUCAÇÃO. R$ 35,5 Bilhões no COMBATE/FAME. R$ 29 Bilhões na SEGURANÇA. Que o POVO EXPLODA. BUUUM! BUUUM! PODE?

  • José Arnaldo

    TALVES SE NOSSOS DESEMBARGADORES E OS MINISTROS DO STF PASSASSEM POR CONCURSO PUBLICO, QUEM SABE A COISA NÃO SERIA DIFERENTE, AGORA SÃO ESCOLHIDOS A DEDO OU POR ELEIÇÃO, AI DEPOIS VEM A TROCA DE FAVORES E O POVO NA MERDA!!!

  • eneas alagoas

    O povo com certeza irira adorar a presença de um homem sério como o Juiz MARCELO TADEU NO TCAl. Tenho certeza que só a sua pretenção já deixa sem sono os corruptos que alí trabalham, ou melhor, nada fazem. O título de FAZ DE CONTAS É PERFEITO pra casa de vidro.

  • sururu

    Essa sera a prova de fogo do MPE,todos esperam idoneidade e franqueza nesta apuração do relatorio do CNJ,estou cabreiro com relação a tudo que esta acontecendo na justiça de AL,sera que vamos comer pizza ou e para valer?

  • Ricardo

    Caro Ricardo, a outra vaga, caso o plano B der certo com a saída do Luiz Eustáquio, pertence ao MP especial que atua junto ao TCE. A vaga de livre nomeação do governo, que pode até causar debates, foi ocupada pelo Otávio Lessa. Essa é a verdade. Argumentar diferente, é querer fazer esquema.

  • Hagá

    Eu já simpatizava com Rodrigo Cavalcante. Com a referência constante dessa nota, passei a admirá-lo ainda mais. Com certeza é uma pessoa de valor.

  • Eval

    Concordo com disse que tudo isso não vai dar em nada. O povo alagoano é infeliz nesse aspecto. As taturanagens são feitas confiadas na impunidade.Esse problema agora na justiça oficializa tudo.

  • Vitor

    Acho q o nome do juiz Marcelo Tadeu para o TC é piada de mau gosto, o mesmo deveria permanecer no judiciário q tanto precisa dele, agora mais do q nunca. Para o TC esse tal MSCC deveria indicar um de seus melhores quadros “Fernando CPI” que tal?

  • Jair Massa

    Tadeu e Argolo, Uma “esquadrilha” da pesada

  • ubaldo

    Pra quê comissão no MP se tem os promotores naturais? Tá cheirando a não querer apurar nada, toda vez que se faz comissão. Ademais, nada foi publicado no DOE. É só balela do PGJ.