O setor imobiliário reduziu em mais da metade os lançamentos previstos para este ano. A informação é do presidente da Ademi (Associação das Empresas do Mercado Imobiliário), Jubson Uchôa. Ele disse que a diminuição atingiu, principalmente, as grande empresas nacionais que haviam descoberto a pontencialidade do mercado imobiliário do Nordeste e, particularmente, de Alagoas.

Uhcôa citou como exemplo a construtora Cyrela que previa grandes investimentos no Estado, mas que teve de recuar em função da crise (também a sergipana Norcon, que já vinha investindo fortemente em Alagoas). Grandes projetos, ressaltou, no litoral Norte foram suspensos em função da crise internacional. O freio de arrumação aconteceu já no final do ano passado.

Vendas mais lentas 

As empresas locais, disse Jubson Uchôa, já demonstravam preocupação quanto à possibilidade de absorção do mercado local, de empreendimentos grandiosos, que terminaram por ser sustados. Ainda assim, explicou o empresário, as construtoras locais já sentiram as dificuldades decorrentes da falta de crédito: as vendas dos empreendimentos  que foram mantidos, e estão sendo tocados, realizam-se de forma bem mais lenta. Ele espera que a crise não venha atingir ainda mais a economia alagoana – que carece, como bem observou, de uma classe média mais forte e numerosa.

Servidores 

E parte desta classe média está no serviço público- estadual e municipal, principalmente. O ano não oferece grande expectativa para este segmento. No caso do Estado – conforme está no nosso blog, no Tudo na Hora – já até mesmo o risco de os servidores não virem a receber o décimo terceiro salário, caso a queda de arrecadação persista nos mesmos patamares já observados desde janeiro.

Limite da LRF 

A redução do FPE – Fundo de Participação dos Estados -, repassado pela União, já elevou o impacto da folha salarial em relação à receita corrente líquida – saindo de 46,56% para 48,65% (bem próximo, portanto, do "limite prudencial" estabelecido na Lei de Responsabilidade Fiscal). E isso acontece quando várias categorias de servidores estão em campanha salarial. E, como sempre acontece, são os trabalhadores as maiores vítimas das crises financeiras – nos setores público e privado.

Pressões 

Os números da crise serão conhecidos pelos titulares de todos os poderes na próxima quinta-feira à tarde, em reunião com o governador Téo Vilela e sua equipe. As pressões, que ninguém duvide, partirão de todos os lados.

Novo ajuste 

Téo Vilela, que vinha realizando a obra mais cara ao modo tucano de governar – o ajuste fiscal -, está se deparando, mais uma vez, com problemas seriíssimos de caixa. Com o agravante de que, do outro lado, todos querem gastar mais (os poderes), e os servidores continuam sua eterna luta por salários mais dignos.

A caneta de Elizabeth 

E a presidenta do Tribunal de Justiça, desembargadora Elizabeth Carvalho do Nascimento, ao rejeitar o HC para o deputado Cícero Ferro, fez coro às acusações do Ministério Público Estadual, acatadas pelos juízes da 17ª Vara Criminal da Capital. O texto da magistrada – duríssimo, fazendo referência ao ditador chileno Augusto Pinochet e ao ex-dirigente sérvio Milosevic – diz que os juízes, ao decretarem a prisão, consideram "a periculosidade do paciente, envolvido em vários delitos (homicídios em atividade típica de grupo de extermínio -Jacó Ferro e Fernando Aldo -, porte ilegal de arma de uso restrito e corrupção), cercado por milícias armadas e valendo-se das prerrogativas parlamentares para aterrorizar as pessoas, inclusive testemunhas e agentes do sistema penal".

Esperança em Brasília 

Resta ao deputado e seus advogado, Welton Roberto, que os tribunais em Brasília não o enxerguem com este padrão de perigo para a sociedade. É assustador o que foi descrito pela presidenta do TJ de Alagoas.

Onde andará? 

A Receita Estadual está convocando alguns contribuintes, via  Diário Oficial, para compareçam à sede da Secretaria da Fazenda no horário comercial.  A convocação é "em virtude dos interessados acharem-se em local incerto e não sabido.

O primeiro nome da relação é o da empresa Fireman & Peixoto Empreendimentos e Negócios Ltda, cujo sócio, que cede o primeiro nome à firma é o titular a Seinfra do Estado, Marcos Fireman – que , aliás, está viajando. Que coisa!

Avaros

Os deputados do grupo dos 16, que manda na Assembleia, não deixaram praticamente nada nas Comissões permanentes para os oposicionistas da Casa (aos neodeputados nem mesmo uma suplência). Judson Cabral ficou com a presidência da Comissão de Direitos Humanos; Paulão, Legislação participativa; Rui Palmeira, Meio Ambiente.  

Lira federal 

O deputado estadual Artur Lira, mesmo afastado do mandato, já está em camapanha para 2010. E é possível que dispute uma vaga na Câmara Federal, contando com o apoio de Elionaldo Magalhães, presidente da CBTU nacional – que chegou ao cargo pelas mãos de Benedito de Lira, que quer ser senador. 

 

Juiz quer apurar "responsabilidades" sobre construção do Fórum de Maceió
Crise: Estado pode não conseguir pagar 13º salário dos servidores
  • marlus

    Grande Coisa! A Assembléia embolsou o 13º de 2008 e, até agora, ninguém fez nada. E isso que ninguém ainda falava em crise…

  • ARTUR

    OS TATURANAS ÚNIDOS POR UMA CAUSA PODRE. LOGO, LOGO VÃO CRIAREM QUE Dr. ELISABETHE É SUSPEITA DE QUESTIONAR SOBRE ELES, POIS TEM IMUNIDADE PARLAMENTAR.

  • Gilvan Mata

    O NOBRE DEPUTADO AFASTADO E PRESO TEM QUE ENTENDER QUE EXISTEM AINDA PESSOAS HONRADAS E CORAJOSAS. ESTÁ SE CUMPRINDO O ÓBVIO: A LEI! SE O MESMO NÃO PERMANECER POR MUITO TEMPO PRESO, PELO MENOS APROVEITE ESTE TEMPO DE ISOLAMENTO PARA ESFRIAR A CABEÇA E REFLETIR SOBRE SUA VIDA…

  • Fernando Amorim

    Dra. ELIZABETH CARVALHO, minha admiração e profundo respeito pela sua JUSTA sentença. Só a sua coragem já justificaria o meritório posto que ocupa no TJ. Quanto a alguns de seus colegas, eles não justificam e não respeitam nem as calças que vestem.

  • Fernando Amorim

    … A coragem que Vossa Exelência teve em proferir tal sentênça justa e verdadeiramente muito bem fundamentada, demonstra que mais do que o saber jurídico, há que se ter DESCÊNCIA e MUITA CORAGEM. Seu ato haverá de entrar para história do judiciário. Parabéns.