A eleição para a Mesa Diretora da Assembleia não deve ser realizada esta semana. É a expectativa de deputados dos dois grupos que disputam o controle da Casa de Tavares Bastos. Para o grupo majoritário, formado por 16 parlamentares, é preciso ganhar tempo para resolver as questões pendentes com os afastados. Há uma cobrança desses deputados quanto à situação financeira deles e dos respectivos gabinetes. Ou seja: o problema é de dinheiro, mesmo.

O anúncio de que a eleição seria amanhã, terça-feira, não vingou: não foi publicado o edital em Diário Oficial, que permitiria a escolha dos novos-velhos dirigentes da Assembleia. Mesmo sem eleição, um dos parlamentares afastados já está sendo esperado na sessão de amanhã (se houver): Cícero Ferro já assegurou aos mais próximos que vai se fazer presente ao prédio histórico da Praça Dom Pedro II.

O homem do STF

O deputado federal Francisco Tenório, responsável por levar o inquérito da Polícia Federal – na Operação Taturana – para o Supremo (em despacho do ministro João Otávio de Noronha), tem participado de algumas reuniões do grupo de parlamentares indiciados. Tenório foi vice-presidente da Assembleia na última gestão de Celso Luis. Ele não foi indiciado pela PF, mas pode ser processado pelo Supremo neste caso.

Cerco a Gustato Lima

O juiz Gustavo Lima aguarda ansiosamente o julgamento das ações de Exceção de Suspeição – seriam três – impetradas pelos advogados dos deputados afastados. O julgamento deve ser feito pelo pleno do Tribunal de Justiça, e é possível que a matéria entre na pauta do TJ esta semana.

E enquanto esse julgamento  não acontecer, o magistrado fica impedido de se manifestar – dar sentenças, inclusive – sobre a Operação Taturana. Com ele estão a Ação Cautelar – inicial do processo – e mais três Ações Civis Públicas. Assim, os deputados ganham tempo para tentar reverter a decisão sobre o afastamento deles, lá em Brasília.

O que eles querem

E se, por acaso, o Tribunal de Justiça acatar a Exceção de Suspeição, outro magistrado será designado  para todos os processos envolvendo a Assembleia Legislativa. Inclusive, se for o caso, para deliberar sobre eleição de Mesa Diretora. Neste caso, quanto mais confusa a situação, melhor para os parlamentares denunciados no esquema.

Comissões 

A Câmara de Vereadores de Maceió decide amanhã a formação das suas comissões permanentes. As articulações estão em andamento acelardo porque dirigir um desses organismos colegiados do Legislativo Municipal significa poder. Pode-se, sim, complicar a vida do prefeito Cícero Almeida, que tem uma bancada eventual na Casa de Mário Guimarães.  E para mantê-la o custo é alto. Custo político, evidentemente, e para a máquina pública, mais dolorosamente.

HH na Segurança 

Em tempo: a Câmara já escolheu quem vai representar a casa na Conferência Nacional de Segurança – Etapa Maceió, a se realizar em abril. Será a vereadora do PSOL, Heloisa Helena.

A foto da capa

Que pode ser a capa da prestigiada revista Fórum, agora em março, mês da Mulher. A escolha está sendo feita pelo votos popular, via Internet. HH já está entre as sete finalistas. A eleição acaba amanhã.

Esperando Lula

E a ex-prefeita de Feliz Deserto, Rosiana Beltrão, que se destacou na articulação dos dirigentes municipais de todo o Brasil, mergulhou e espera ver cumprida a promessa do presidente Lula para ocupar um posto na assessoria do Palácio do Planalto. Sonhando, ainda, disputar o senado, Rosiana  está esperando sinal de fumaça vindo do Planalto Central.

Esperança collorida

O senador Collor mantém acesa a esperança de presidir a Comissão de Infraestrutura do Senado. As articulações dos senadores Sarney e Renan Calheiros continuaram, em Brasília, no final de semana. Eles querem que o presidente Lula determine o afastamento da senadora Ideli Salvati da disputa. Em nome de 2010 – os petistas querem o PMDB e o PTB no "alianção" eleitoral.

Sacrifício 

Que pode fazer pelo menos uma vítima em Alagoas: o vice-governador José Wanderley Neto. Com PT e PMDB juntos na coligação nacional, Neto perderia a vaga de vice, numa eventual reeleição de Téo Vilela. Restaria ao cardiologista ser candidato a deputado federal. Só que no governo, pelo menos mais dois secretários estariam no páreo: Sérgio Moreira, do Planejamento, e Álvaro Machado, do Gabinete Civil.

PF adia vinda de força-tarefa para Alagoas
Taturana: Chico Tenório leva inquérito da PF para o Supremo
  • Ricardinho

    Adoro Governador Vilela… Alias a única rejeição que tenho com o Palácio República dos Palmares são justamente as ações um tanto arrogantes dos “Iluminados” : Machado e Moreira!

  • sururu

    So tem um jeito para resolver de vez os destinos da ALE, seria uma intervenção federal fora isso e so bla bla bla.

  • Ex prefeito

    A única solução para a Assembléia é a INTERVENÇÃO FEDERAL jÁ

  • UNIÃO E FORÇA

    RICARDO, VC PODERIA ME INFORMAR, SE ANTES DAS SESSÕES NA ASSEMBLÉIA OS DE-PUTA-DOS CANTAM O HINO NACIONAL OU SE O HINO É TOCADO?? ISSO É MUITO IMPORTANTE! MAS QUERO FALA QUE FORAM 350 E NÃO 302 MILHÕES, OK!!

  • Pablo

    Com estes deputados que aí estão, nada mudará para a nossa Alagoas. E ainda vieram os suplentes querendo uma boquinha!!! Esses é que não farão nada para mudar, querem o seu quinhão do bolo!