Resumo do Doze e Dez Notícias

O promotor da comarca de Matriz do Camaragibe, Adriano Jorge Barros Correia, deve enviar ofício, amanhã, ao Conselho Estadual de Segurança Pública. Preocupado com as confusões de rua que acontecem na disputa eleitoral do município, o representante do MP quer saber se os policiais militares que fazem a segurança do prefeito de São Luis do Quitunde, Cícero Cavalcante, estão em missão oficial. Ou seja: foram colocados à disposição do prefeito pelo Conselho, conforme a exigência legal.
 
Esses militares – seriam doze – estariam se envolvendo nas brigas que têm acontecido principalmente em Matriz do Camaragibe, onde Cavalcante já foi prefeito por duas vezes (ele disputa agora o quarto mandato consecutivo, já que é atualmente prefeito de São Luis).
 
Em contato telefônico com o blog, o promotor afirmou quer estes militares acompanham Cícero Cavalcante na campanha de Matriz, apesar de não serem destacados na cidade. Estão sempre com o prefeito em um jeep Troler, duas Hilux e uma Ranger.
 
O promotor lamenta que o número de militares que fazem a segurança do prefeito é mais do que dobro do efetivo da PM em Matriz. Ele disse que ainda espera providências da Secretaria de Defesa Social para corrigir esta anomalia. O Norte continua, ao que parece, uma região que não “pertence” ao Estado de Alagoas.

Mortes em Traipu
 
A violência também começa a preocupar a população de Traipu, município tradidicionalmente pacífico. Nas últimas duas semanas, três homícidios ocorrerm na cidade – e há desconfiança de que haja relação entre as mortes e o período eleitoral.
 
O primeiro crime vitimou um sindicalista, morto por espancamento. Ontem, os corpos de dois jovens que trabalhavam numa fazenda do município foram encontrados crivados de bala. A população está amedrontada e não é sem razão.
 

Efeito Retardado

Na avaliação do superintendente da Polícia Federal, José Pinto de Luna, os alagoanos vão notar mais fortemente as mudanças políticas no Estado nas eleições de 2010. Será o tempo necesário para que os inquéritos policiais em curso já apresentem as conseqüências visíveis para os investigados.
 
Ele disse que tem conversado com várias pessoas que são representativas de setores diversos da sociedade e que afirmam que vão disputar as eleições daqui a dois anos.
 
Ele acredita que com o combate efetivo à corrupção eleitoral, muitos se sentirão motivados a entrar na disputa. O delegado Luna afirmou, também, que muitos inquéritos em curso, resultado de denúncias  de compra de votos e outros crimes eleitorais vão resultar em penas significativas para os investigados.

………………………………………………………………………..

Luna está em Brasilía para entregar um inquérito da PF sobre compra de votos na eleições de dois anos atrás. Os alvos são o deputado federal Francisco Tenório e o deputado estadual Dudu Albuquerque. Ele considerou a peça policial “um modelo” de investigação de crime eleitoral.
 
Missão impossível?

Três deputados foram escalados para uma missão que parece impossível, neste momento. Gilvan Barros, Jota Cavalcante e Alberto Sextafeira foram conversar com o deputado Antônio Albuquerque, tentando convencê-lo a renunciar ao atual mandato de presidente da Assembléia antes do início da sessão de hoje.
 
Que pode ser o dia D para os deputados estaduais, com a segunda votação do requerimento que destitui Albuquerque da presidência da Mesa Diretora. O deputado, afastado do mandato pela Justiça, promete estar presente à inauguração da reforma do prédio da Paça D. Pedro II.

O silencio das mulheres
 
A dúvida principal hoje é quanto ao comparecimento dos deputados que  votaram a favor da cassação na semana passada. Foram quinze votos e zero. Detalhe: as deputadas Flávia Cavalcante e Kátia Freitas, que estavam na improvisada Assembléia, na sessão da semana passada, preferiram ficar longe do plenário – ou seja, não votar o Requerimento. Se comparecerem hoje à Casa de Tavares Bastos ficam em situação constragedora se optarem por sair do plenário na hora da votação ( se ela acontecer).
 
Renan apaga velinha em Brasília

Ontem foi aniversário do senador Renan Calheiros, que preferiu ficar em Brasília com a família. Em outros tempos, a data era motivo de muitas manifestações políticas em Murici, principalmente.
………………………………………………………………… 
Ainda assim, Calheiros continua muito prestigiado na Capital Federal- recebeu telefonema do presidente da República saudando a passagem da data. O senador foi  avisado de que Lula vem a Alagoas, mas só depois da eleição.
 
Provavelmente no fim de outubro, para a inauguração da Barragem do  Bálsamo, em Palmeira dos Índios. A obra vai receber o nome do ex-deputado Helenildo Ribeiro – para despero do prefeito Albérico Cordeiro.

Quem vai querer?
 
E falando em Palmeira dos Índios, é impressionante o número de candidatos a vereador no município: 118, disputando os votos de 49 mil eleitores. Eles estão distribuidos em 21 partidos políticos, esta monstruosidade política no Brasil.

Comunistas invadem o Sertão
 
E para provar que comunista não mete mais medo – antigamente “comia criancinhas” – o PC do B formalizou comissões provisórias pelo sertão a dentro: Batalha, Água  Branca, Inhapi,  Ouro Branco, Girau do Ponciano; e ainda Junqueiro, Cajueiro, Maribondo, Jequiá da Praia e Porto real do Colégio.
 ………………………………………………………
Em Maceió os comunistas estão na coligação que apóia Cícero Almeida, à reeleição, ao lado do senador Collor, JL etc. Deixou para trás os aliados históricos PT e PSB – cada um, também, apoiando um candidato diferente.

Canal aberto
 
A  TV Senado vai ganhar canal em TV aberta em Alagoas – o que deve acontecer no mês de outubro. Será o primeiro Estado brasileiro em que isso acontecerá. Obra e graça do ex-menino de Murici.
 
 
Apareceu a Margarida

Hoje o presidente da Ceal, Flávio Decat, deu o ar da sua graça na empresa. É a terceira vez que vem a Alagoas desde que assumiu o posto, no final julho passado. Com ele veio também o diretor Financeiro, Flávio Hiroshi. O sinal , ainda está vermelho para a companhia.
 
…………………………………………

Em fase de expansão de seus domínios eleitorais, o prefeito Cícero Almeida afirma que é pé quente. A assessores mais próximos disse que até agora só está perdendo em Rio Largo, onde apóia o vereador Fernando James, filho do senador Collor. Mas promete ainda investir seu prestígio no território de Vânia Paiva, prefeita, que também se aliou ao jovem vereado collorido. Mas a disputa é duríssima.
 
O dilema de Barenco

O delegado Marcílio Barenco, diretor-geral da Polícia Civil, teve uma longa reunião, na última segunda- feira , em Palácio. A conversa, com duração de duas horas, reuniu os secretários Paulo Rubim, de Defesa Social e Álvaro Machado, do Gabinete Civil, além da delegada Lucy Mônica, assessora de Barenco.
 
O assunto em pauta, claro, foi a possível saída do diretor-geral da PC. O governo prometeu toda a ajudá que Marcílio considerar fundamental para permancer em Alagoas, mas a posição é de acatar qualquer decisão que ele venha a tomar sobre o seu futuro. Está correto: ninguém tem o direito de exigir do delegado que fique em Alagoas deixando intranqüila a família dele.

 

Dez deputados devem assinar Requerimento para anular reeleição de Albuquerque
Luna entrega no STK inquérito contra deputados Chico Tenório e Dudu Alanbuquerque
  • carlos

    O governador de Alagoas inaugurou em 3 anos e meio o hospital geral,mas é muita propaganda,na cidade tem muitos autdoors;o engraçado é que essa obra foi iniciada no governo Lessa.Ou seja,honestamente,Alagoas tá ….

  • macedo alves

    se o promotor quiser saber mesmo se o coçu cavalcanti tem segurança pago pelo povo de alagoas é só pedir a pf que faça uma blits na cidade e no carro do omi,e ai RILDO DE PALMEIRA .

  • Pati

    A omissão do governo,por medo é o q deixa no ar o dilema do Barenco.Se o governo ñ fosse tão fraco,a criminalidade ñ estaria tão presente em nosso Estado! Mobilize-se sociedade!Hj é pelo Barenco, amanhã pd ser por um familiar seu! Ñ é esse fim q queremos p os nosso filhos.

  • marcelo

    Com toda sinceridade, o Barenco amarelou, foi?

  • Servilio Marques

    Uma pena a saída de Barrenco. Tá muito perto isso de acontecer.

  • Eleitor honesto

    Caro Ricardo, infelismente, só quem tem direito de acompanhar o que os deputados de Alagoas NÃO fazem são os ricos que podem pagar TV Fechada. O povão fica só nos poucos minutos da TV que transmite 5 minutos o que convém a classe dos abastardos.

  • Roberto Morais

    Infelizmente tem militares que gosta de se passar pra isso, pois é o que mais acontece são policiais que gostam de bajular políticos, não horam a função que exercem.!

  • eduardo

    Barenco vai sair? Fecha as portas e joga a chave fora, estamos realmente perdidos…

  • Jair

    Omi, e eu não li: “Renan apaga VELHINHA em Brasilia”. Pense numa mente poluida…

  • Marcio Farias

    Só haveria uma razão para o Delegado Barenco deixar o cargo antes do fim do governo: falta de apoio. A quem interessa sua saída? Não creio que depois de tantas lutas, ele decida “morrer na praia”…

  • Sira Maria de Bulhões Duarte

    Fica Barenco, nós alagoanos precisamos de sua simplicidade, honestidade e bravura. Obrigada.

  • Eduardo Silva

    É uma vergonha o governo patrocinar segurança para prefeito, GABIRU e deputado TATURANA com o dinheiro do povo.Governador acabe com esta imoralidade.

  • Romney

    Deputado Alberto ‘Sextafeira’, orgulho dos alagoanos desde o tempo da antiga ETFAL, hoje na Assémbléia Legislativa, dando uma de ‘sábio guru’ para Antonio Albuquerque. E queria ser prefeito de Maceió, tinha cabimento????????????