Uma das cenas urbanas mais desagradáveis desses tempos, para mim, é a da fila de carros que segue atrás da ambulância do SAMU, quando ela passa em velocidade para fazer algum atendimento de urgência. Enquanto alguns motoristas sobem canteiros, calçadas, se arriscam – por solidários – para dar passagem ao veículo de socorro, oportunistas de todas as idades e/ou classes sociais aproveitam o vácuo para ganhar trânsito livre. Acham-se espertos por encontrarem no sofrimento de outros a chance de se dar bem. Somos isso? Acho que somos também isso.

Não há entre nós quem não conheça o confronto dos próprios vícios e virtudes, mas acredito que podemos atenuar este inevitável conflito nas situações em que o bem coletivo está em jogo. Caso das eleições. Como na situação de tânsito – até menos grave -, não podemos, aqueles que formamos a massa crítica da sociedade, nos dar o direito de raciocinar na disputa eleitoral levando em conta as relações ou interesses pessoais. Quando agimos assim, passamos a ser cúmplices daquilo que condenamos com tanta vemência.

Quem mais reclama, aponta o dedo em acusação contra a corrupção e a bandalheira no poder público? A mesma classe média que usa adesivos de notórios personagens do mal nos seus carros. É o irmão de um amigo, um parente distante, um conhecido da família – tudo a justificar o argumento "cínico":  se são todos iguais, melhor ter um delinqüente conhecido no poder do que um estranho – e ambos são igualmente nocivos.

É muito comum receber aqui neste blog comentários duríssimos contra os pobres da periferia que "votaram e elegeram os taturanas", sendo os principais responsáveis pela nossa mais recente tragédia. Confesso que nunca vi colado em carroças ou veículos menos sofisticados (e há), adesivos do tipo "Sou amigo do Cícero Madeira", "Armo Alagoas", e por aí vai.

Também não são os pobres da periferia que terminam por conseguir uma prebenda no serviço público (nos três poderes) para um filho, um sobrinho etc., mesmo que sejam eles os que mais necessitam de alguma renda que lhes permita pelo  menos comer com dignidade.

A esperteza que leva tantos de nós a seguir o carro do SAMU, pode já ter nos levado muito mais adiante – a esse estado de coisas a que chegamos. E nesse caso nem houve a sirene alertando que alguém estava em perigo.
 

 

 

Polícia prende delegado Osvanilton Adelino e mais quatro agentes da Civil
Campanhas para a Prefeitura de Maceió definem marqueteiros
  • oliveira

    Penso que não é pessoa de bem quem coloca o veículo na calçada, quem avança o sinal, quem fuma em local público, quem pede para alguem pagar uma conta na fila. Infração pequena hoje, infração penal amanhã. É a lei da vida. Não pensar assim é hipocrisia. O adesivo no carro o denuncia.

  • Carlos

    Além da falta de criatividade dos candidato, isto reflete a despolitizacao dos próprios, que nao tem pelo menos uma idéia. Ë o CAOS. Até qdo?

  • Antônio

    Que bela análise!!! Ou a responsabilidade civil de cada um é assumida…como deve ser… ou vamos ter a DINIGNIDADE HUMANA no lixo; a custa de muitas lágrimas. Alerta povo alagoano; a delinquência não pode fazer parte de nossas vidas.

  • policial do BPRv

    Caro Ricardo! Quem segue atrás de veículos que prestam socorro, está cometendo infração de trânsito, prevista no Código, cabendo tão somente os agentes da Lei efetuar as notificações devidas.Depois que sofrem notificação se dizem injustiçados.

  • Everson

    Não sei se foi aqui ou no do bob q falei sobre isso. Culpam a classa da periferia de eleger nossos mandatários em troca de alguns tostões, mas esquecem q classe chamada média, alta q faz pior..em troca de um lugazinho ao sol!! abs!!!

  • Tania

    Com certeza, Ricardo, nunca vi ninguem da favela sururu de capote com adesivo “Amo Alagoas” ou “Cicero Ferro é meu amigo” , vc ja viu?rsssssssssss

  • naize

    Prezado Ricardo, espero sinceramente que com o texto exemplar que nos enviou, sirva também ao amigo Jeferson Moraes que com outros Deputados criaram um Bloco Independente para atender aos anseios da sociedade e revoguem a lei que foi aprovada criando 60 cargos comissionados para acessores!

  • luizão

    Falta seriedade na população e nas autoridades. Na Avenida Fernandes Lima, o pedestre anda pela rua, pois próximos às lojas dos vivaldinos(loja de carros) e dos sanguessugas(bancos) os carros ficam às tulhas na calçada. A SMTT do prefeito dono de loja passa e nada faz. E a lei?

  • Márcio

    É muito comum vermos atos desonestos nos ditos cidadões de bem… quem é de bem, faz o correto nas mínimas coisas… furar uma fila é ato de desonestidade e de desrespeito para com seu próximo… e o pior, pessoas assim ainda falam mal dos homens da Assembleia, mas estão agindo igual…

  • Márcio Roberto tenório de Albuquerque

    Olá Ricardo, bom dia. A conduta em comento, por sórdida e ignóbil,não merece qualquer comentário. Todavia, não poderia deixar de me congratular com vc, que tem se destacado no combate ao árbítrio, à cafagestagem e aos usurpadores do erário público. Conte comigo.Abraço. Márcio Roberto

  • antonio

    A diferença entre a classe da periferia que nao usa adesivo na carroça a classe media alta que usa adesivo no carro, é que, a classe media so vota se conseguir algum beneficio,e a classe da periferia vota sem ganhar nada.

  • luis paulo sodré

    Prezado Ricardo,a lei já existe e está previsto no código de trânsito,ninguém pode ou deve se aproveitar do vácuo de ambulâncias ou viatura da polícia ou bombeiros, isso é simplesmente uma questão de educação,e fiscalização dos orgãos competente.

  • Edylene de Lima

    Sabe oq é isso é a tal promessa e ao mesmo tempo a culpa da prefeitura que retirou os pardais dai ninguém respeita mais ninguêm no trânsito. kd os pardais para punir os infratores!!!!!

  • Juliana Pedrosa

    é porissi que éu digo que só é punido no trânsito quem faz por onde. é uma pena que o trânsito de Maceió seja essa esculhambação.

  • PAulo Antonio Branco

    Belo artigo. Quando tocamos nestes assuntos até parecemos de outro planeta, pleo fato de vermos as pessoas não respeitarem coisas básicas que vem da educação doméstica. É a verdadeira lei de Gérson. Só vantagem. É por isto que estamos do jeito que estamos.

  • Nivaldo M Santos

    Ricardo o MP tem que fazer uma investigação na SMTT para saber como as multas de trãnsito são aplicadas,pois o comentário que rola por lá é´que se o guarda não apresentar o talão totalmente preenchido no final do expediente não recebe ticts e outras vantagens.Absurdo!

  • AAraujosilva

    Pura verdade, caro Ricardo, a maioria dos que condenam veementemente taturânicos&assemelhados, gostam de uma boa prebendazinha. Pura retórica, pra quem diz à boca miuda: uma boa prebenda incomoda, somente, a quem não tem uma …

  • motorista indignado

    Quero fazer um alerta ao MP. Façam uma investigação em uns guardas munic de transito q ficam no farol. Essa turminha é da pesada. Vc passa e eles anotam a placa do carro e depois a surpresa. Tem uma morena q é fera nessa artimanha, já esta conhecida.

  • Pablo Manoel

    Segundo o CTB, no art. 190, diz que é infração grave seguir veículo em serviço de urgência, portanto para evitar isso, bastaria termos representantes do órgãos competentes para fiscalizar tal manobra, mas como estamos em ano de eleições municipais…