O advogado José Fragoso não apresentou pedido de Habeas Corpus, no STJ,  para o deputado João Beltrão (ao contrário do que se divulgou) – afastado do mandato e preso sob acusação de envolvimento em crime de pistolagem. Ele disse ao blog, agora há pouco, que ainda analisa a possibilidade de fazer o pedido com base em súmula do Supremo Tribunal Federal  – que afirma não caber recurso contra decisão "que nega liminar em HC tomada por outro tribunal" (no caso, o TJ de Alagoas). Este seria exatamente o motivo da manifestação do presidente do STJ, Humberto Gomes de Barros, negando a liberdade para os outros dois deputados presos: Antônio Albuquerque e Cícero Ferro. Agora, as alternativas seriam – explica Fragoso – o recurso ao Supremo Tribunal Federal, fundamentando com a "excepcionalidade do pedido", ou aguardar o julgamento do mérito do Habeas Corpus pelo pleno do Tribunal de Justiça.  "Como a prisão provisória tem a duração de trinta dias, talvez não dê tempo para este julgamento pelo TJ, e aí o HC perderia o objeto. A hora é de analisar com calma e estudar a melhor alternativa jurídica". Welton Roberto já afirmou ao blog que vai recursar ao STF.

Deputados presos foram campeões de votos em 2006
Juíza Federal dá 72 horas para que Assembléia e PGE apresentem documentos de Cláudia Brandão
  • everaldo pinto

    o advogado do JB esta certo em nao pedir o hc do seu cliente porque ele sabe a bonba que ele pegou

  • naize

    Agora nem recorrendo ao Papa irão conseguir sair da prisão,rsrs!!! Baldomero vem aí, lará, lará, lará! Baldomero vem aí, lará, lará, lará!

  • Juca

    Ricardo, quando o cara está errado, está errado, não tem advogado que dê jeito. Tomara que percam a chave e deixem eles lá. Eles poderiam inclusive aprender a apagar incêndio lá nos bombeiros, quem sabe assim acabam com esse fôgo de furtar e passar fôgo nos outros!!!

  • Cláudio

    Os Deputados de alagoas que gostavam/gostam de praticar atos ilícitos, seja Estadual ou Federal, agora vão pensar, antes de faze-lo.Vão pensar, apenas isso,não vão pensar duas vezes, porque antes eles nem pensavam ja faziam,confiavam no manto da impunidade.

  • José Carlos

    O novêlo foi jogado no chão, agora é só ir puxando que vai encontrando os crimes dessas três figurinhas, ainda vai aparecer muitos crimes comandados por esses cidadãos, não adianta HC tomara que seja como o Cel.Cavalcante, que nunca mais sairá da cadeia. Fez aqui, aqui paga.

  • José M Filho

    Ricardo o W.R tá certo quanto mais recursos mais dinheiro roubado dos Alagoanos ele bota na conta. Ele só vai parar de recursar quando acabar o dinheiro dos taturanas ou a jusiça confiscar o dinheiro do povo o que já deveria ter sido feito.

  • Eunice Balbino Canuto de Alencar

    RICARDO, ME AJUDE… ME DIGA ALGUMA NOTICIA DA GREVE DO DETRAN, APESAR DE NÃO SER BEM SUA LINHA DE AÇÃO… ME AJUDE POR FAVOR

  • Alberto

    será que ele ta usando OUROO na sela?

  • Fernandes

    E AÍ WELTON ROBERTO O STJ É CASA DE PASAGEM TAMBEM ?

  • luiz carlos valoes cordeiro

    seria muito bom se os juizes do supremo fiquem sabendo de quem se trata esse hc e o efeito que ele pode produzir para o bem e para o mal do povo de alagoas.

  • João Gabriel Fernandes

    RENUNCIAR sem devolver nenhum centavo desviado é golpe fraudulento prá escapar dos rigores da lei enquanto houver RENÚNCIA haverá taturanas e outras pragas destruidoras do Erário. CASSAÇÃO, já! Confisco dos bens “adquiridos” na marucataia e banimento da vida pública por improbidade, já!

  • RICARDO GOMES

    Como podem, esses politicos a tanto tempo no poder, colocados pela confiança do povo, estarem envolvidos em tantos crimes. Isso só vem provar, que aqui em Alagoas ainda existe o voto cabrestro, o voto do curral e o poder conseguido pela força…

  • esses comentários são suspeitos

    Impressionante como essas pessoas são vingativas!!!Dar p/ perceber q/ são comentários de pessoas q/ não querem expor sua covardia e ficam acusando s/ provas. Deputado Albuquerque tem renome, não pode se comparar c/ cavalcante, por favor!!!

  • João

    Se o Judiciário mantiver essa linha de mudança de postura, devida boa parte às pressões da sociedade e imprensa, alguns advogados que têm nos criminosos de colarinho branco sua principal fonte de renda vão vê-la secar.