Na Câmara Municipal de Maceió, a CEI diz "não sei", mas o Ministério Público Estadual já sabe que há responsáveis – e são muitos – pelo rombo na Secretaria de Finanças de Maceió, que, segundo o prefeito Cícero Almeida, no início da investigação, pode chegar "a mais de R$ 10 milhões". Foi um evidente exagero de Almeida, mas ele não errou ao confirmar que a Prefeitura perdeu muito dinheiro com a fraude.

      A CEI,  Comissão Especial de Inquérito, criada logo depois da denúncia feita pelo Jornal da Pajuçara Manhã, no início de 2007, prometia ir fundo na apuração dos fatos. É possível que tenha ido, mas o que o vereador-relator José Márcio anunciou, que tudo era nada, é só o velho "hábito" de varrer a sujeira para debaixo do tapete.

      O promotor Marcos Rômulo, da Vara da Fazenda Municipal, assegura que o esquema existiu e que, no acumulado, resultou em perdas significativas para os cofres municipais. O ex-procurador Luis Gustavo Carvalho tem responsabilidade pela fraude? Tem sim, afirmou, resta saber até que ponto. Jovem advogado, estudioso, sinalizando para um belo futuro profissional, ele sabe o que fez e onde errou. Se atendeu a pedidos, eles vieram de quem? São perguntas a que os senhores vereadores, sabe-se lá porque, não pretendem responder à sociedade – que as faz.

     Os beneficiários do esquema – pessoas físicas e jurídicas que zeraram a custo vil os seus débitos como o município-, quem e quantos são? São muitos, boa parte de colunáveis que desfilam suas riquezas e delícias nas mais fúteis páginas de jornais. Os vereadorem tiveram acesso – inclusive os relatores da CEI, Galba Novaes, inicialmente; José Márcio, finalmente – à relação dos que "levaram vantagem" no esquema. O que fizeram com ela? Pois é, o que?
 
      Em outra ponta da investigação, por mais de uma vez, quando citado na imprensa, o ex-procurador-geral do Município, Paulo Nicholas, ameaçou ir além do dito, falou nas entrelinhas. O que quis dizer? Pois é, o que?

   O promotor Marcos Rômulo garante que o apurado será publicado e os responsáveis pelas fraudes serão denunciados à Justiça. Quanto à CEI da Câmara de Vereadores deixa no ar a sensação de que o que se buscou com a investigação, já se obteve. Pois é, o que?

 

GECOC já investiga Elógica e Secretaria de Gestão descobre nova fraude
Mulheres são maioria na equipe de Barenco
  • Dawis

    A dada dia que vejo notícias como esta, fico mais convicto que praticamente nenhuma instituição em Alagoas, mereça credibilidade alguma. Pois são: Taturânicos, gabirus, carrancos… Enfim, são um monte de ALMAS SEBOSAS!!!

  • Juliana Tavares

    Parabéns pela matéria! Espero que seja publicada a relação dos envolvidos!!! Seja quem for!!! Cadeia neles!!!!!!

  • Joaquim Lima

    Precisamos saber se tem fiscais do qadro da Finanças envolvidas nessa maracutaia!!! Divulguem os nomes!!!! Botem quente!!!

  • luis

    Quanto custou vereador o resultado ridiculo dessa tal de CEI?

  • Antonio

    Enquanto isso a PMM garante arrecadação. Nunca vi um órgão público que cobra todas os serviços prestados a população: SMCCU. Não existe nenhum tipo de serviço executado na SMCCU que seja gratuito para a população. Se a moda pegar, já imaginou na Educação, saúde e na segurança ???

  • TONY CHICUTA

    QUERO SABER OS NOMES DOS ENVOLVIDOS AFINAL É ANO DE ELEIÇÃO E PRCISAMOS TOMAR UMA ATITUDE !!!