O procurador-geral do Estado, Mário Jorge Uchôa, apresentou, hoje, formalmente, em Palácio,  o resultado da consulta feita pelo governador Téo Vilela. O tema: intervenção federal na Assembléia Legislativa.Pressionado pelo Ministério Público Estadual, o governador pediu que os procuradores respondessem a questão: quem pode apresentar o tal pedido? A resposta: qualquer dos poderes, individualmente, ou juntos, se for o caso. O que inclui, também, o MP.
   O objetivo da consulta, na verdade, foi municiar o governador no caso de algum jornalista furar o cerco e conseguir indagar-lhe sobre o tema- inesperadamente, já que Vilela tem se mantido distante da imprensa. Para os governistas, com base no parecer da PGE, quem deve pedir intervenção federal na Assembléia, hoje, pela circunstância  que enfrenta, é a Procuradoria Geral de Justiça. Na base do : quem pariu Mateus, que o embale.
                   Vale o que ganha

   A Justiça Federal, com estrutura recente em Alagoas, já serve de exemplo. A primeira audiência com os acusados na Operação Carranca, esta semana, em Arapiraca, durou dezoito horas seguidas. Começou às 10h30m da terça-feira e se prolongou até às 7h30 da quarta-feira. Só dois depoimentos duraram doze horas. E na quarta-feira o expediente foi normal. Importante ressaltar, com a presença dos-também incansáveis-procuradores da República.

 

Assembléia entra com ação no STJ contra presidente do Tribunal de Justiça
Calheiros já havia pedido a cabeça de Fábio Farias
  • Delagado Trajano

    Eita menino, que as instituições públicas por aqui estão se profissionalizando!!! São de fora é? Sao concursados? Só pode, pq aqui nunca se viu disso. rss

  • Mário Alberto Paiva

    O que é que o TJ tem contra a ALE??? A ALE praticou algum crime???? E quem paga a CONTA??? Esses CARAS são CAROS!!!