Novo Peugeot 3008 chega renovado e mais tecnológico: veja vídeo

A Renault apresentou nesta quarta as novidades da linha 2022 do SUV Renault Captur. O modelo chega com o design externo renovado, uma revolução no interior e o inédito e moderno motor turbo TCe (Turbo Control Effiency) 1.3 flexcom 170 cavalos de potência. Fabricado em parceria com a Mercedes (Daimler), ele também equipa alguns modelos de luxo da marca alemã por aqui.

O canal AutoLive retransmitiu o lançamento ao vivo, confira:

Novidades

Além do motor turbo TCe 1.3 flex que gera 170 cv de potência e 27,5 kgfm, o maior torque do segmento, o Captur 2022 também chega com a nova transmissão automática CVT XTRONIC®. O casamento desse moderno motor com o eficiente câmbio continuamente variável garante ótimas retomadas e ultrapassagens mais rápidas.

O Captur 2022 atualiza também o design. O novo para-choque é ainda mais envolvente e traz novos elementos tecnológicos, como a nova luz de circulação diurna DRL em LED que emoldura os faróis de neblina também em LED com a função auxiliar em curvas.

Os faróis passam a ser full LED na versão topo de linha, com até 75% de melhoria na eficiência da iluminação. A grade superior está mais larga e ganhou detalhe cromado, dando ainda mais sofisticação ao modelo. O modelo também ganhou novo ski dianteiro com entrada de ar. As rodas de 17 polegadas também são novas.

O interior foi completamente renovado. Com materiais suaves ao toque, o Captur está num novo patamar de percepção de qualidade. A versão topo de linha ganhou ainda a opção bíton no interior com a combinação da cor marrom Castanyera, dando um toque a mais de requinte ao veículo. O acabamento interno mistura detalhes em black piano com cromados, como ao redor do sistema multimídia e das saídas de ar.

Para facilitar ainda mais a vida a bordo, a nova central multimídia com tela de oito polegadas está mais rápida e intuitiva, com espelhamento de smartphones Apple CarPlay e Android Auto, e sistema Multiview, com quatro câmeras.

A direção é elétrica e o novo volante tem ajustes de altura e profundidade, com comandos iluminados do “piloto automático” (regulador e limitador de velocidade) e do comando de voz. A versão topo de linha Iconic traz como opcional o sistema de som premium Bose, com seis alto-falantes de alta fidelidade, subwoofer no porta-malas e amplificador digital exclusivo, promovendo uma experiência sonora de qualidade superior.

Garantindo mais conforto ao motorista, o apoio de braço agora é integrado ao console, que foi todo redesenhado e ganhou novos porta-copos. Além do conforto a bordo, os passageiros do banco de trás passam a ter duas saídas USB para facilitar o carregamento de dispositivos eletrônicos neste mundo cada vez mais conectado.

O Captur também traz novos itens de tecnologia e segurança, como partida do motor à distância com a nova chave “hands free”, que permite climatizar o interior antes mesmo de entrar no veículo, além de sensor de ponto cego nos retrovisores, que indica, por exemplo, a presença de uma motocicleta ou automóvel fora do campo de visão do motorista.

Produzido no Complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais (PR), o Captur chega em três versões de acabamento: Zen, Intense e Iconic. Todas com o motor turbo TCe 1.3 flex.

Torque

O novo motor turbo TCe 1.3 flex do Captur foi desenvolvido com o know-how da Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi em parceria com a Daimler, tendo como características um alto torque em baixas rotações e baixo consumo de combustível. Isso se traduz em um comportamento ágil.

O eficiente propulsor turbo TCe 1.3 flex traz ainda tecnologias que a Renault desenvolveu nas pistas da Fórmula 1, categoria que a marca já conquistou 12 títulos mundiais, como a injeção direta central com 250 bar de pressão, turbocompressor com válvula wastegate eletrônica e duplo comando de válvulas variável com atuadores elétricos, que garantem uma combustão otimizada com mais performance e menos consumo de combustível.

O turbo TCe 1.3 flex é um motor global, que equipa modelos da alta gama em diversos países. Produzido na Espanha, esse propulsor rodou mais de 40 mil horas de testes no seu desenvolvimento, mais de 300 mil km de validação em condições extremas e já teve mais de 1,2 milhão de unidades produzidas em 2020. Todo o desenvolvimento da versão flex ficou a cargo da equipe de engenheiros do RTA (Renault Tecnologia Américas), que fica no Complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais (PR).

Entre as principais características do motor turbo TCe 1.3 flex estão:

  • Turbocompressor: trabalha com a pressão máxima de 1.4 bar controlada com precisão pela wastegate comandada eletronicamente, que proporciona o torque máximo a 1.600 rpm. Com essa tecnologia, o motor ganha em agilidade, para responder melhor às variações de pressão na admissão.
  • Cabeçote em formato delta: essa construção permite um tamanho mais compacto reduzindo massa, centro de gravidade mais baixo e auxiliando no controle térmico do motor. O coletor de escape integrado ao cabeçote proporciona uma melhor resposta do turbo, otimizando a curva de torque.
  • Comando de válvulas: o duplo eixo do comando de válvulas no cabeçote tem temporização variável das válvulas de admissão e escape, comandada eletronicamente permitindo variação contínua dos ângulos de abertura e fechamento das válvulas, garantindo assim melhor performance e menor consumo em qualquer rotação. Além disso, o comando tem balancins roletados, que proporcionam redução de atrito e, consequentemente, menos consumo de combustível.
  • Tratamento DLC (Diamond-Light Carbon): utilizando nano tecnologia desenvolvida na F1, os componentes móveis do cabeçote, anéis e pinos dos pistões receberam tratamento superficial (DLC) para reduzir atrito e consumo de combustível.
    Bronzinas polímero-metálicas: aplicação de tratamento superficial de polímero para redução de atrito no sistema virabrequim-mancais e aumento da durabilidade.
    Injeção direta de combustível: a adoção de injetores centrais com pressão de 250 bar com design desenvolvido para o etanol (vazão, direção e tamanho de jato), com seis furos por injetor, garantem uma maior atomização do combustível, proporcionando maior torque e potência.
  • Cilindros com BSC (Bore Spray Coating): o bloco de alumínio tem tratamento superficial inovador na parede dos cilindros, chamado de Bore Spray Coating (BCS). Isso permite troca térmica mais eficiente entre a câmara de combustão e a camisa d’água, reduzindo atrito com os anéis e pistões, além de um melhor controle da pré-detonação. Só esta medida já permite reduzir o consumo e as emissões em aproximadamente 1%. Essa tecnologia é utilizada com sucesso na Aliança no esportivo Nissan GT-R.
  • Sonda lamba proporcional: analisa qualitativamente os gases, que permite controle mais preciso da qualidade da combustão assegurando a melhor performance em qualquer situação e de maneira mais rápida.

A combinação de um motor com tecnologia de ponta com o moderno câmbio automático CVT XTRONIC® garante retomadas de velocidade vigorosas e força em todas as condições de uso.

O novo CVT XTRONIC® proporciona o máximo conforto, especialmente para grandes centros urbanos, garantindo também economia de combustível. Um dos seus destaques é um software de gerenciamento que simula a troca de marchas no modo automático, sempre que o pedal do acelerador estiver solicitando a alta performance do motor.

Essa transmissão continuamente variável oferece a possibilidade de troca manual na alavanca de câmbio, simulando oito marchas. Ao motorista, cabe posicionar a manopla à esquerda para assumir o controle. A opção traz vantagem em performance, especialmente nas ultrapassagens e arrancadas, e vantagens em consumo de combustível onde é possível usar o freio-motor.

Com acelerações constantes e eficientes, o desenvolvimento desta transmissão foi baseado em três pilares: linearidade, agilidade e dirigibilidade. O efeito pode ser percebido em retomadas de velocidade ou saídas de semáforo, por exemplo. Para os passageiros, a sensação é de conforto, sem que haja qualquer tranco.

Entre as novidades do câmbio automático CVT XTRONIC® de oito marchas estão:

  • Faixa de atuação do lock-up ampliada, reduzindo a sensação de deslizamento nas arrancadas, com máxima transferência do torque do motor para as rodas.
  • Bomba de óleo de dimensões reduzidas e cárter com menor volume. Com menos peso, o consumo de combustível é menor.
    Válvula de controle hidráulico de maior precisão, garantindo rapidez nas retomadas de trocas de marchas.
  • Corrente de menor largura, ampliando a relação de transmissão para acelerações mais vigorosas e menores rotações do motor em velocidades de cruzeiro.
    Novo óleo de baixa viscosidade, gerando menos atrito e um consumo de combustível menor.
  • Outra tecnologia aplicada para a redução do consumo de combustível é o sistema Start&Stop, que desliga o automóvel automaticamente em semáforo ou outras paradas prolongadas. Este moderno sistema, muito comum em carros topo de gama, garante uma economia de até 5% de combustível no trânsito urbano.

Para auxiliar ainda mais o condutor na economia de combustível e no monitoramento de suas viagens, a central multimídia Easy Link mantém as funções Eco Scoring e Eco Monitoring.

Toda a tecnologia embarcada no motor e câmbio do Captur TCe 1.3 turbo flex garantiram nota A no selo do programa brasileiro de etiquetagem do Inmetro. Com gasolina, o consumo na estrada é de 12 km/l e na cidade de 11,1 km/l. Com etanol, o consumo é de 8,3 km/l no percurso rodoviário e 7,5 km/l no urbano.

Atualmente não há comentários.