Indagações a propósito da banalização da violência: "De que é feito o ser humano? Para onde caminha a humanidade?"
Aprovar a reforma tributária é, a partir de hoje, a prioridade de Arthur Lira na Câmara dos Deputados

Nos quase três meses que ainda restam até 6 de outubro, data do primeiro turno da eleição municipal deste ano, o governador Paulo Dantas e o seu MDB levam uma enorme vantagem sobre o principal alvo da disputa pela Prefeitura de Maceió, o prefeito João Henrique Caldas (PL).

Explica-se: por força da legislação eleitoral, desde sábado, 6 de julho, os municípios estão proibidos de fazer propaganda nos meios de comunicação, incluindo as redes sociais, grande ferramenta dos novos tempos e utilizada como muita eficiência por JHC nas suas recentes vitoriosas campanhas eleitorais.

Com o prefeito fora da mídia institucional, o governo do Estado vai concentrar esforços de divulgação das suas ações no apoio aos seus aliados e, no caso específico de Maceió, o trabalho será redobrado para mostrar serviço junto ao eleitor da capital.

E várias ações vêm sendo desenvolvidas em Maceió, desde a gestão do ex-governador Renan Calheiros Filho (MDB).

Os questionamentos do MDB contra JHC, que até já incluem pedido de inelegibilidade junto à Justiça Eleitoral, tendem a se intensificar daqui por diante.

Se vai contribuir para alavancar a candidatura do deputado federal Rafael Brito, o pré-indicado da legenda para concorrer à Prefeitura, somente o tempo dirá.

Pois recuperar a diferença que o separa de JHC em termos de intenções de voto, pelo que mostram as pesquisas, é o maior desafio de Brito no pouco tempo que resta de campanha.

 

Atualmente não há comentários.