Sem repertório ofensivo e com expulsão, CRB só se defendeu contra o Vila Nova – Blog do Marlon
CSA perde para o Operário e diminui chances de acesso
Empate do CRB e derrota do CSA dificultam acesso dos alagoanos

Pressionado, CRB termina o jogo com dobras pelas duas laterais – Imagem: Tatical Pad – Marlon Araújo

É normal dizer que o CRB foi pressionado, massacrado pelo Vila Nova. Foi um jogo de ataque contra defesa por cerca de 60 minutos. Também existe a justificativa que isso ocorreu pois o Galo estava com um jogador a menos desde os 38 minutos da primeira etapa. Tudo isso é verdade. Assim como também é verdadeiro que o CRB não demonstrava repertório ofensivo, mesmo quando possuía igualdade do número de jogadores em campo. O time havia feito apenas uma finalização aos 24 minutos com o argentino Diego Torres.
Sem agredir, o time era agredido sem contundência pelo Vila Nova, mas isto se intensificou a partir da expulsão de Marthã . Na origem da escalação, Allan Aal havia surpreendido e trocado a dupla de volantes, com a saída de Claudinei e Jean Patrick para entradas de Marthã e Wesley. Os dois foram muito abaixo e um foi expulso e outro estava pendurado ainda no tempo iniciado.
Após a expulsão de Marthã, Wesley centralizava a marcação mas os espaços laterais eram atacados pelos meias e extremos do adversário. Apesar de pressão tomada no primeiro tempo, o CRB desceu para o vestiário para Allan Aal tentar corrigir posicionamento. Na volta para o segundo tempo, Wesley e Diego Torres foram substituídos parra as entradas de Jean Patrick e Claudinei.
O CRB tinha duas linhas de quatro e apenas Nicolas Careca a frente. O Vila Nova dominava as ações e Diogo Silva começa a aparecer no gol regatiano pegando tudo. Allan Aal enxergou que os seus extremos estavam desgastados e fez dobras nas laterais. Jajá saiu para entrada de Celsinho e Pablo Dyego saiu para entrada de Everton Páscoa. Os corredores laterais tinham no direito Celsinho na lateral e Reginaldo Lopes de extremo. Já no esquerdo tinha Caetano de lateral e Guilherme Romão de extremo.
O Vila partiu para o modelo de ‘emergência’, onde o zagueiro Rafael Donato, com 1,93m foi jogar de centroavante entre Gum e Páscoa e do lado esquerdo Pedro Jr, com Rafael Silva do lado direito e nas pontas Alesson estava no lado esquerdo e Diogo Tavares nio lado direito. Apesar do bombardeio do Tigre, o CRB se defendeu e conseguiu somar um ponto.
Craque do jogo: Gum
Garçom: Arthur Resende

Atualmente não há comentários.