Resultados ruins em noite de questionamentos a desempenho dos treinadores – Blog do Marlon
8 de dezembro, o Dia do Basta !
#ForaMarcosBarbosa expõe desgaste após dez anos no poder

Desempenho e resultado estiveram juntos na 26ª rodada para CSA e CRB. Ambos não jogaram bem, foram derrotados e tiveram em seus treinadores, escolhas, ações e ideias muito questionadas.

Isso resultou em duas derrotas sem contestações. O CSA perdeu para o América-MG sem apresentar capacidade de reação, com pouca criação e com jogadores bem abaixo do rendimento que vinha apresentando. No CRB o estrago foi ainda maior. O time foi engolido pelo Sampaio Corrêa, tomou três gols, melhorou na segunda etapa, mas não o suficiente para competir ou entrar no jogo.

Pensando na tabela da competição, os dois seguem proóximos de chegar ao objetivo inicial de permanência. No entanto, o alerta está ligado para os dois. O CSA está ficando mais distante do grupo que integra o G4. Já o CRB distanciou-se muito do G4 e começa a ver – ainda distante , a aproximação com o grupo do Z4.

Na próxima rodada, os dois tem desafios complicados em busca da recuperação. O CSA tem o Confiança em Aracaju. Já o CRB enfrentará o ascendente Cruzeiro no Rei Pelé.

Sampaio Corrêa x CRB

Quando saiu a escalação da equipe já me chamava atenção. O time voltou a ter uma linha de quatro, a volta de Claudinei e ainda a presença de Robinho pelo corredor direito, mas surgia Hyuri com a camisa 11 e Ramon Tanque, garoto que veio para o Sub20, como titular. Imaginei que Hyuri jogaria na dele e mais novo Ramon Tanque jogaria pelo lado, até mesmo porque o lateral Luiz Gustavo é um cara que precisa ser marcado.

Quando a bola rolou minhas perguntas foram respondidas e ai com dez minutos de jogo, quando fui chamado, já me referia com uma escalação equivocada, falando antes. Hyuri só preenchia o espaço, quando roubava a bola não conseguia acelerar, diferente por exemplo de Diego Tavares do Samapio que recompõe bem e depois dispararam como uma flecha. O jogo ficou muito fraco, equilibrado para baixo, com um enorme perde e ganha.

Até que o Gum resolve arrumar a diferença do jogo para o Sampaio. A bola é um passe que vem para o Caio Dantas, Gum intercepta com a perna direita e já tentou ligar com a perna esquerda Claudinei ou Wesley pelo corredor central. No que faz isso, Caio Dantas intercepta, aciona Roney que já dentro da área, ele e Gum, o atacante do Sampaio resolve surpreender e de bico, mete para o gol fazendo Sampaio 1 a 0 aos 22 minutos. O gol aconteceu na falha individual do capitão do time.

Logo depois o Sampaio perde o volante Ferreira que torceu o joelho e trouxe Eloir, quando ele entra é mais lento, mais cadenciado, mas sabe jogar pois é um meia que jogaria como um segundo volante. Era para o CRB tentar explorar as costas destes jogadores que não tem tanta velocidade. Mas foi um ledo engano. Sem bola e ultrapassando, Eloir já havia feito um cruzamento para o Caio Dantas, que cabeceou e quase marca o segundo, mas em outra bola, o Sampaio faz a mecânica simples, mais eficiente na ideia do Léo Condé. A bola está no corredro esquerdo, o extremo flutua nas costas do Claudinei, atrai o Reginaldo Lopes mas se o lateral regatiano sai, o Marlon entra no corredor e Roney se posiciona nas costas dos volantes e encontra um grande passe para Eloir, mesmo em posição irregular, bate e Edson Mardden aceita, a bola em cima dele, ele falha, a bola passa por baixo e o Sampaio faz 2 a 0. Ao final do primeiro tempo falei que o CRB foi inofensivo, fez apenas uma finalização, mesmo com dois centroavantes. Não deu para entender o que o Ramon Menezes pensou para o jogo.
Imaginava que ele precisava e iria modificar a formação para o segundo tempo, alias era absolutamente necessário mudar. Imaginava que ele iria fazer uma mudança simples com a entrada do Bill no lugar de Ramon Tanque, trazendo o Yhuri para jogar na dele, espelhando o que o Sampaio fazia.

Ele optou por dinamica, velocidade, pois ele trocou o Yhuri pelo Iago Dias, o Bill pelo Ramon Tanque e o Luis Paulo fez sua estreia no lugar do Igor Carius. O time veio mais rápido, mais leve, fazendo o Robinho atuar como o falso nove. Começou o CRB empurrando o Sampaio para o seu campo, circulando a bola, tendo a posse e com oito minutos mostrava que iria propor o jogo, o Sampaio se retraiu e logo depois, a Bolívia Querida consegue um contra-ataque, perfeito, aquele de manual. O lance começa no corredor direito de defesa, Marcinho faz a inversão de corredor em bola longa, dentro da área, nas costas da defesa, no mesmo espaço que o Eloir havia atacado, a bola é lançada e de prrimeira Diego Tavares bate para fazer um lindo gol.

Depois do gol, o CRB foi absoluto , chegou a ter 63% de posse de bola e o Sampaio não quis mais jogo. O CRB ainda criou, imprensou mais não foi efetivo. O final do jogo mostrou o equívoco feito pelo técnico Ramon Menezes na escalação ficou evidenciado , mas o estrago já havia sido feito. Isso ficou claro pois no primeiro tempo o CRB finalizou três vezes, sendo apenas uma no gol e nos segundo, o time finalizou doze vezes, nenhuma no gol.

Talvez a falta do conhecimento dos adversários ou a ausência do conhecimento da competição seja algo necessário para o CRB concertar o mais rápido possível.

CSA x América-MG

O CSA começou a partida, assim como foi o CRB, com fortes questionamentos em relação a escalação do goleiro Bruno Grassi como titular e a manutenção de Gabriel no time titular. As duas situações com o técnico Mozart Santos bancando as duas situações como convicção do seu trabalho mesmo com alguns falando do aspecto teimosia.

Nós já havíamos presenciado que Grassi tem dificuldade em jogar com os pés reforçada pela característica de jogo do time azulino. Ainda no começo do jogo, vem o lance decisivo da partida. O CSA tenta sair , o América aperta muito a saída de bola, direciona que o CSA fique girando a bola e trocando passes na linha do gol até que a bola voltasse para o próprio Bruno Grassi na linha do gol e ai Ademir pressionasse o homem da bola e conseguisse dividir e colocar a bola para dentro.

A partir deste lance, o CSA teve dificuldade de seguir com a característica de jogo. Quando tinha a bola, Grassi tentava a ligação direta ou os jogadores recebiam a bola do goleiro e não usavam mais o goleiro como participante do jogo.

Apesar deste problema a verdade é que o CSA não fez um bom jogo. O time não conseguiu construir muita coisa na partida. A equipe apresentou posse sem conseguir amplitude, infiltração e com pouquíssimas finalizações.

O time fez onze finalizações na partida, com apenas uma nova alvo. Isto mostrou a ineficiência azulina no jogo. As ideias do técnico Mozart não surtiram eeitos e o time chegou a 68% posse de bola mas não conseguiu criar algo efetivo. O segundo tempo ainda ofertou uma recuperação do goleiro Bruno Grassi que defendeu uma penalidade cobrada por Rodolfo. Apesar disto, o CSA perdeu o jogo sem conseguir em nenhum momento da partida de que poderia chegar ao empate.

  • azul e branco

    Infelizmente nossos representantes são fracos o csa tem um presidente amador cabeça dura . Ateimoso faz merda mais não q assumir as pocaria q faz infelizmente pagamos o preço tanto csa omo o crb com seu presidente mb

  • Interiorano

    A realidade é que há dois fatores preponderantes que podem influir e muito num resultado! Vamos ao caso : 1º) Times jogando desfalcados; 2º) Jogos sem torcidas para empolgar os jogadores! E aí, em função desses dois fatores, alguns times, mesmo sem ter um bom plantel, por incrível que pareça, estão se dando bem (Exemplo : Ceará, Fortaleza, Fluminense, Chapecoense, Sampaio Correia e Confiança)! Outros, ao contrário, não se acertam/acertaram de modo algum e podem cair de Série (Exemplo : Botafogo, Coritiba, Goiás, Sport e Vasco)! Logo no in´ício dos Campeonatos A, B e C, eu dei uma humilde sugestão e a CBF não teve bom senso e não acatou! O fato é que como esse ano está totalmente atípico, devido a pandemia, sugeri que não houvesse Descida e sim, só Subida! E para o ano, tentaria se voltar ao normal! Por que não as Séries A e B com 24 times para o ano? Isso já aconteceu na Série A! Se fizermos uma análise, o campeonato está sem graça, sem aquele calor do torcedor e isso está influindo e alguns times estão sentindo isso! Não estão se acertando de modo algum! Sorte daqueles que subirem e dos que não caírem! Quando a coisa está totalmente anormal, têm se que ter uma alternativa, para não prejudicar ninguém! E a CBF não teve! E ao meu ver, mesmo com essa pandemia, CRB e CSA não estão fazendo um mau campeonato e tudo indica que vão permanecer na Série B!

  • Miral

    O CSA jogou mal, e teve sorte de não perder de mais.
    O CRB dispensa comentários: uma vergonha.

  • Max Lemos

    Perdão pelo trocadilho, mas Grassi desgraçou o jogo de ontem. Deu um gol ao adversário, acabou com a saída de bola típica do time azulino (que ocorria com os zagueiros, laterais e o goleiro Matheus Mendes, esse sim com capacidade para sair bem com a bola), fez um pênalti (que acabou defendendo apenas porque o cobrador chutou muito mal), errou inúmeros passes e ainda bateu cabeça com o zagueiro numa saída bisonha. Culpa do até então competente Mozart, que errou feio ao não escalar Tiago Rodrigues, melhor goleiro da série B de 2019. Vê se aprende a escutar a torcida, professor.

  • Luiz Gustavo

    Concordo MAX, o Mozart já mostrou sua competência isso é fato, agora Bruno Grassi, Gabriel não tá jogando nada, e esse zagueiro não fez um treino e foi pro jogo. Muito estranho. Cadê Victor Silva, Bustamante e Thiago Rodrigues. Errou feio.

Deixe uma resposta Max Lemos
Cancelar reply