CSA empata, mas escapou de nova derrota – Blog do Marlon
O presente de aniversário ainda não chegou
Rodada de castigo para o CRB e com CSA competindo mas apresentando os mesmos erros

    Pedro Junior comemora 1º gol com a camia do CSA – Foto: Augsuto Oliveira – ASCOM CSA

    O CSA chegou ao quinto jogo seguido sem vitória na Série B ao empatar em 1 a 1 com o Confiança. São quatro derrotas e um empate. Apesar de pontuar após uma sequência de quatro derrotas, o time azulino lamentou o fato de não vencer pela primeira vez sob o comando do técnico Argel Fuchs.
    Péssimo resultado para o campeonato, resultado que eleva pressão para mais uma semana inteira e que atrapalha até mesmo o dia de aniversário do clube.
    Além disto tenciona ainda mais a cobrança a direção do clube por contrações que possam solucionar os problemas apresentados pelo time azulino.

    O jogo

    Rafinha e Norberto (linhas amarelas) davam amplitude ao time do CSA no 1º tempo – Imagem: Tatical Pad – Marlon Araújo

    CSA veio com um time escalado baseado no feedback que foi dado no 2º tempo contra o América. Allano na titularidade no lugar do Rafael Bilu, Pedro Junior no lugar do Nadson, Rafinha já no lugar do Igor Fernandes e o Márcio Araújo como titular. O CSA tinha propositura de jogo. No primeiro tempo o CSA apresentou amplitude sendo feita pelos laterais Rafinha e Norberto e Allano e Rodrigo Pimpão buscando o corredor central nas costas dos volantes, mesmo com predomínio de posse de bola, o CSA finalizou apenas duas vezes no gol, sendo uma após grande jogada individual do Pedro Junior que culminou com o gol e outra com Allano chutando fraco para defesa do Rafael Santos. Mesmo com o domínio no 1º tempo, CSA teve apenas duas finalizações no gol.

    Marcação no próprio campo defensivo: time ficou recuado e Confiança dominou ações no tempo final – Imagem: Marlon Araúo – Tatical Pad

    O CSA veio para o 2º tempo com duas modificações Geovani, que já tinha cartão amarelo deu lugar a Marquinhos, algo que o próprio Argel já havia falado na coletiva que daria oportunidade a Marquinhos e Yago, visto que o Geovani era o volante escolhido para iniciar e já havia recebido o cartão amarelo, também não é um volante que passa e ultrapassa, pois quando você não tem um meia, precisa que o volante participe do jogo ofensivo. Argel fez a leitura correta e na frente troca um atacante por outro, sendo que o Michel Douglas apesar da pouca produção ofensiva, entrega uma participação no momento de defesa interessante e o Alecsandro é um atacante de mais fixo. Já o Zé Carlos , técnico do Dragão, trouxe o Alysson Silva como um meia mais agressivo no lugar do André Moritz, um espelhamento daquilo que o CSA trouxe para o jogo. Para minha surpresa, o CSA voltou marcando dentro do seu campo, aquilo que costumeiramente, o Argel gosta de fazer fora de casa e com 1 a 0 imaginei que o CSA tivesse o controle do jogo, mas já chamava atenção do time com um posicionamento muito recuado.
    Logo aos quatro minutos, o Marquinhos tomou um cartão amarelo por um carinho no jogador do Dragão, depois aos 14 perdeu a posse e cometeu uma falta para impedir o contra-ataque. Fez a falta e foi expulso.
    Na minha leitura é natural que você faça a recomposição. Ele tinha o Richard Franco e era correto trazer ele para o jogo mas na saída deveria ser com o Alecsandro, pois se o CSA iria marcar em duas linhas de quatro, o homem mais à frente precisava ter a velocidade quando fosse ligado em velocidade. Ele optou por tirar o Allano e fez aquilo que se faz quando se perde um jogador: duas linhas de quatro e um homem mais a frente, porém contesto a escolha apenas.
    Isso levou o CSA a finalizar apenas uma vez com Pedro Júnior pelo lado do campo, enquanto o Confiança finalizou 15 vezes e teve uma posse de bola de 78% , sendo que no alvo finalizou oito vezes e ainda fez um gol chegando ao empate.
    O CSA ainda teria substituições a fazer, você poderia trazer o Netto que tem como principal valência a velocidade e centralizaria o Pedro Júnior. Nesta configuração, Argel teria Pedro Junior mais a frente e dois extremos para tentar conter os laterais e ainda tentar atacar as costas dos mesmos.
    Destaques do jogo
    Garçom: Thiago Luis (Confiança)
    Craque do jogo: Pedro Júnior (CSA)
    Melhor goleiro: Bruno Grassi (CSA)
    Melhor técnico: Zé Carlos (Confiança)

  • Glorioso

    Manda urgentemente embora todo este elenco de derrotados já que perdeu tudo que disputou em 2020, bem como o suplente de político e renova tudo ou então está fadado a voltar a ser um time “Fora de Serie”.

  • Nilton

    É um absurdo o que FAF vem aceitando! Óbvio que isso é um complô do crb com a FAF e a CBF. Provavelmente desligaram a luz do vestiário do CSA. Como pode um time que vem de outro estádio ter mais moral no Rei Pele? Ainda mais.. Molharam o centro do campo intencionalmente para o jogador do CSA escorregar e tomar o segundo amarelo. Só não vê quem é cego ou comédia. Espero que nosso grande Rafael e o querido Omar façam um ofício para que isso não volte a se repetir!

  • Carnauba

    Glórioso tu é um carniçaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa. Q vai morrer e não vai vê a galinha na série A.

  • Azul $ branco

    FORA RAFAEL TENÓRIO e DIRETORIA COVARDE OMISSA CADÊ OS CONSELHEIROS VCS Ñ TEM VOZ Ñ ENTÃO PEDI PRA SAI

  • Jorge

    Confesso que o time do CSA me enganou até os 30 minutos do primeiro tempo. O gol no final do primeiro tempo me deixou na dúvida se o time melhorou ou não, mas o segundo tempo contra o Confiança foi fundamental para confirmar o que eu já sabia: O CSA CONTINUA O MESMO E ANO QUE VEM É SÉRIE C.

  • Eduardo Lima

    Esse elenco do CSA não se classifica nem na série D.

  • AZULINO REVOLTADO

    Diretoria covarde, departamento de futebol covarde e jogadores covardes que só querem saber de farra! O CSA está jogado às traças. Passamos vergonha na Copa do Brasil, Copa do Nordeste, Alagoano e estamos passando vergonha na Série B! É esse o projeto para voltar para Série A? A diretoria do CSA só pensa no CT e o resto que se exploda. Não vemos ninguém da diretoria cobrar esses perebas jogadores. Contrataram um cidadão para ser responsável pelas contratações, o que ele faz? O que ele come? Onde mora? O que pensa? O projeto é descer para a Série D do mesmo jeito que subiu da D para a Série A? Não vejo evolução nenhuma na maneira do CSA jogar. É um bando de jogadores sem alma que não marcam e só correm errado. O time do racha aqui do São Jorge é melhor que o CSA.