CBF envia protocolo para retorno das atividades do futebol brasileiro – Blog do Marlon
Por que o retorno do futebol traz tantos questionamentos?
Por onde andam – versão site #02

O Ministério da Saúde já esta de posse do “Guia Médico de sugestões protetivas para retorno das atividades do futebol brasileiro”, assim denominado pela CBF. O guia foi montado pela Comissão Nacional de Médicos da CBF e coordenada  pelo infectologista Sergio Wey, do Hospital Albert Einstein. Os médicos tiveram como base os  protocolos que já estão sendo utilizados nas federações da Espanha, de Portugal e em alguns clubes do Japão e da Alemanha.

Conheça alguns dos pontos definidos no protocolo:

  1. Testes rápidos de coronavírus – para todos jogadores e familiares, além da comissão técnica e estafe envolvido nos clubes e jogos. O documento não diz quem vai comprar os testes.
  2. Medição de temperatura – por infravermelho na chegada dos atletas e demais envolvidos nos locais de treinamentos.
  3. Transporte – o protocolo prevê a possibilidade dos atletas irem em carros próprios. Nos treinos, cada um, de preferência, sozinho, no deslocamento. No transporte coletivo dos clubes, o veículo deverá ser higienizado, com espaçamento mínimo de duas fileiras, alternadas entre as colunas. Com uso de máscaras e álcool gel na entrada e saída do ônibus.
  4. Treinos com grupos separados – horários agendados para a chegada de todos. Com uso de máscaras em comissão técnica e estafe, com as reuniões necessárias realizadas por vídeo. Importante separar atletas em grupos, com distância segura entre atletas.
  5. Questionário prévio – médicos devem identificar possíveis casos suspeitos de coronavírus através de questionário médico. Caso haja sintomas, deve realizar teste rápido e podendo ir para casa em isolamento social.
  6. Rouparia e lavanderia – jogadores devem ir já vestidos para os treinos, com utensílios pessoais, sempre levando para lavagem em casa.
  7. Nutrição – o atleta vai fazer hidratação e suplementação em espaço individual de treinamento no campo aberto. A alimentação será realizada em casa, com cardápio orientado por nutricionistas do clube.
  8. Vestiários – devem ser evitados no início. Quando autorizados, usar todos vestiários disponíveis, com divisão máxima de grupos de atletas. Por exemplo, uso de vestiário de mandante, visitante e de comissão de arbitragem.
  9. Tratamento médico e fisioterapia com cuidados especiais – priorizar atletas lesionados e em casos pós-operatórios. Evitar contato com atletas, para isso uso essencial de máscaras e luvas, com as macas sempre higienizadas. Além disso, isolamento entre postos de tratamento.
  10. Academia – devem também ser evitadas no primeiro momento. De preferência, usar pesos livros e barras em ambiente externo, de uso individual e sempre desinfetados antes e depois do uso.
  11. Corredor de segurança no local de treino
  12. Contratação de empresas de desinfecção e descontaminação

O presidente Jair Bolsonaro defendeu nesta quinta-feira (30) a retomada do calendário do futebol no Brasil e usou o argumento de que jogadores profissionais, por serem jovens e com boas condições físicas, têm risco pequeno de letalidade caso sejam infectados pelo novo coronavírus.

Destacando que a decisão não cabe ao governo, o mandatário afirmou ainda que tanto o Ministério da Saúde quanto a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) devem publicar recomendações para que os jogos voltem a ocorrer  desde que sejam disputados sem a presença de torcida.

Em Alagoas o presidente da FAF deve enviar ao secretario Alexandre Ayres protocolo semelhante, que foi trabalhado por um grupomultidisciplinar montado pela FAF, para decisão do Governo do estado de Alagoas.

  • MARCIANO

    BOLAS INDIVIDUAIS PARA CADA JOGADOR

  • Eduardo Paes

    Tô fora

  • Miguel

    “Treinos com grupos separados […] com distância segura entre atletas.”
    Ou seja… proibida marcação aos atacantes a menos de 2 metros, no caso de livre direto, os elementos da barreira devem ficar com uma distância de 2 metros entre eles… vai ser lindo… rsrsrsrs

  • ROBERTO PAIVA

    VERDADEIRO ATO DE INSANIDADE.
    ABSURDO.
    QUANDO COMEÇAR A CONTAMINAÇÃO DOS ATLHETAS QUE VAI SER O RESPONSAVEL.
    É SE EXISTIR ÓBITO.
    O CLUBE VAI INDENIZAR A FAMILA DO JOGADOR???
    VAI TER SEGURO DE VIDA PARA TODOS?

  • ivo

    Quer dizer,os atletas são superman! Hipocrisia, vou pagar pra ver. Na serie A e B, são cerca de 1.200 atletas, sem falar na arbitragem, gandulas e outros, se a letalidade do vírus é tamanha, como liberar competições? Alguma coisa não bate, a infecção está acontecendo, todo mundo de quarentena e a CBF, vem com esse lero,lero, de protocolo, como se teoria fosse prática.A CBF, continua a mesma, sempre querendo enganar os tolos. Precisamos da verdade!!!

  • Luiz R S Filho

    Este é o que podemos chamar de PROMOR-20…….Protocolo da Morte – 2020

  • Maksu

    O vírus tem uma letalidade muito pequena. O que está matando o povo são as ordens nefastas de governadores que não liberam o tratamento porque eles estão seguindo cronograma comunista. Vírus que se destrói com água e sabão matar seres humanos, é uma piada. Todos os movimentos desses governadores, levam a um golpe.