Por que o futebol quer perdão? – Blog do Marlon
Por onde andam - Versão site #01
Precipitação não explicita divergência: RTs estão juntos e misturados

Enfrentamos um momento difícil em relação a pandemia da COVID-19. Todos nós enfrentamos dificuldades. O futebol não é diferente. Sem atividades, os clubes deixaram de arrecadar e começaram a cobrar da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e até mesmo do poder público soluções para as dificuldades.

Até ai parece um pedido justo. Mas neste processo ‘justo’ tem uma distorção inimaginável para todos nós. A Comissão Nacional de Clubes (CNC) enviou um documento para a CBF, um verdadeiro time – com onze reinvindicações.

Entre as principais reivindicações estão o congelamento das parcelas do Profut por um ano e que as novas dívidas, adquiridas após o programa de refinanciamento sejam incluídas no ‘perdão’.

Além de tudo isso, uma especial ajuda ao Cruzeiro também é articulada. A ideia é que os clubes que foram excluídos por inadimplência voltem a ser readmitidos.  E para complementar as aberrações, os clubes ainda desejam que o dinheiro da Timemania, que é destinado para abater dívidas dos clubes, sejam direcionados diretamente para os clubes por doze meses. Tudo isso é baseado nas dificuldades ofertadas pela pandemia da COVID-19.

Seria justo que os clubes tenham algumas reinvindicações atendidas mas me parece absolutamente descabida autenticar más administrações para o colo da COVID-19. O escândalo administrativo do Cruzeiro é anterior a pandemia e muito danoso, a imagem do próprio Cruzeiro e do futebol brasileiro.

Além do mais nós cidadãos brasileiro teremos o perdão de boletos? Poderemos ser beneficiados por inadimplência? Em muitos momento vejo o futebol vivendo num mundo absolutamente paralelo, desconectado na nossa realidade. É uma pena mas ainda existe espaço, pressão e defesa para tudo isso.

Se for aprovado pelo Governo ou pelo Congresso é a comprovação que a conta cairá no nosso colo. Lamentável. Simplesmente lamentável.

  • André Figueirôa

    Esses caras pensam que o futebol é um mundo à parte, além disso querem colocar mais essa conta para o brasileiro pagar. Outro exemplo desses privilégios que eles querem ter em relação às outras atividades é de querer testar todos os atletas para retomar logo o futebol no país, mas porque o jogador deve ser testado antes que qualquer outro trabalhador para voltar a trabalhar. Sou apaixonado pelo futebol, mas esses tipos de coisas não existem.

  • ALAGOANO REVOLTADO

    Engraçado é o mundo do futebol. A maioria dos clubes de futebol do Brasil possuem gastos astronômicos, dívidas gigantescas e não adotam a responsabilidade fiscal que as grandes empresas fazem! Agora uma pergunta que não quer calar: quem vai perdoar ou congelar as minhas dívidas? Ou eu pago o que eu devo ou não abasteço a geladeira da minha casa e não pago as minhas contas?

  • Melina

    Perfeito ! Sempre se beneficiaram do perdão, não iriam perder essa oportunidade.

  • Tiago Pereira da Silva

    Bom dia, meu amigo, Marlon! Excelentes colocações, justas, coerentes, deixando de lado o apreço que temos por esse querido esporte, que faz parte do nosso patrimônio cultural, capaz de parar por alguns instantes uma guerra, tamanha sua significação em todo mundo. Não podemos de forma alguma esquecer que esse mesmo sagrado esporte é gerido, envolvido por humanos, aí começam as profundas complicações, não pode o futebol, em nenhuma hipótese, se colocar ás margens das coisas que acontecem em nossa sociedade, até porque como dito anteriormente, este tem relevância para ser canalizado como bom exemplo para todos, sobretudo para nossos jovens. Exemplo de ética, disciplina, resiliência, solidariedade, companheirismo, planejamento econômico, cuidado com a saúde, entre outros fatores que tornariam a nossa sociedade um pouco melhor. Forte abraço!

Deixe uma resposta André Figueirôa
Cancelar reply