O aprendizado que o CRB precisará ter depois da pancada tricolor – Blog do Marlon
Em campo sem condições de futebol com desempenho, CRB consegue vitória com muita luta
O clássico da Série B já começou: Alarcon vs João Feijó

A Copa do Brasil já faz parte do passado para o CRB. Um sonho acalentado e falado pelo técnico Mazola Júnior não foi concretizado. O CRB não conseguiu discutir a eliminatória. o balanço do confronto foi 5 a 0 para o São Paulo. Não tivemos uma noite épica no Rei Pelé. O Sâo Paulo jogou da maneira como quis: posse de bola com qualidade, quebra de linhas com facilidade, intensidade no terço final do campo, amplitude e acabou fazendo o CRB ‘correr atrás” da bola.
Mazola fez a leitura correta do time tricolor e sua estratégia poderia até ter dado certo se o time tivesse feito a pressão alta da maneira correta. Em diversos lances, Neto Baiano comandou o ‘pressing’, mas não houve acompanhamento de outros atletas. A marca por pressão, ou ainda marcação alta ou até mesmo pressing tem alguns principios: o bote inicial precisa ser dado, mas o time precisa acompanhar. Em 2016, Mazola conseguiu isso. Neto puxava o pressing mas Magrão e Galdezani acompanhavam.
No jogo contra o São Paulo não havia compactação na equipe, o time ficava muito espaçado e com jogadores inteligentes e qualificados, o São Paulo desmontou toda a estratégia do Galo.
O jogo com o tricolor do Morumbi poderá ter deixado algumas lições para a sequencia da temporada regatiana. Mazola estabeleceu um 4-2-3-1 como seu modelo, mas o CRB que mais gostei foi o time em um 4-1-4-1 de maneira bem ofensiva, como Mazola fez contra o CEO. Outro aspecto que fica claro é que o CRB tem muita dificuldade ao enfrentar equipes com intensidade. Ultimamente foram os dois jogos contra o São Paulo, o jogo contra o CSA e a partida em Maceió contra o Santa Cruz. Em campo, o treinador do CRB ainda não encontrou uma peça chave para fazer o time funcionar: um segundo volante com a característica que teve Matheus Galdezani em 2016. Essa peça é fundamental. O CRB não tem um jogador que comande as ações dentro de campo, que pense e que distribua o jogo.
Existe potencial para chegar a isto, no entanto, nos últimos jogos o CRB caiu o rendimento.

  • Jr. Malafaia

    Nos momentos mais cruciais, que podem definir acesso ou classificação, sempre aparece ele: o pior zagueiro do mundo: Flávio Boaventura!
    É incrível como ele falha miseravelmente quando o CRB mais precisa… Criei um termo para quando qualquer jogador do planeta falha: digo que ele ‘boaventurou’.
    Queria, de verdade, saber de alguém de dentro do CRB qual o motivo que leva o clube a renovar o contrato de um jogador desse.
    Tivemos com ele e Adalberto a pior defesa das Séries B de 2016 e 2017. Muito bem o CRB se livrou da metade da pior zaga do mundo, mas pra que ficar com a outra?!
    Isso é coisa do AlarComissão Pacheco, só pode…

    • Raphael

      Rapaz, a ruindade do Feijão tá passando desapercebida, só vejo o pessoal criticar o Boa Ventura. Ninguém percebeu a incapacidade técnico do Feijão? Ele compromete muito, é fraco, tudo que é furo de linha é em cima dele, não sabe marcar, não corre, é paradão etc.

  • abrahão

    Marlon, bom dia.

    O torcedor brasileiro só avalia o time que torce pelo resultado do jogo, nâo se avalia o trabalho que vem sendo feito dentro e fora de campo. Montar uma grande equipe para disputar várias competições não é fácil, necessita de dinheiro, TEMPO, do torcedor ir aos jogos (arrecadações), ser sócio, não adianta reclamar do jogador tal, se você é realmente torcedor, ajude o seu time a crescer, reclamar não adianta. Mazola é um grande treinador, e no CRB tem jogadores de qualidade, mas depende de tempo, e sobre o tão falado camisa 10, já existe no atual grupo.

    • Abdias

      Boa Abrahão, concordo!!

    • Jr. Malafaia

      Me diz quem é esse 10, pq acho que ele deve ser invisível.
      Observe que faz anos que não temos um cara que seja nosso 10 (independente do número da camisa).
      Considero o último, e nem foi essa coisa toda, o Cañete.

  • CARLOS FRANCISCO DE FARIAS

    Escuto muitos torcedores chamarem o Mazola de burro quando o time não apresenta um bom jogo.No entanto eu não considero o treinador do galo burro,Mazola é um treinador inteligente e armou muito bem o time no jogo contra o São Paulo.Teve o azar de levar um gol logo no começo da partida numa saída errada de de bola.

  • Miral

    Vejo torcedores querendo enganar a si próprio. O time formado pelo CRB é velho e fraco, e só não entrou em crise ainda porque venceu o CSA. Foi incapaz de derrotar o Santa Cruz (time de série C) em dois jogos. Contra o São Paulo, no jogo do Morumbi, sequer deu um chute a gol. No jogo de volta levou de 3 e foi pouco. E olha que o São Paulo tem sido derrotado por várias equipes “pequenas” do campeonato paulista.
    Enfim, quando acordar, talvez já seja tarde demais.

  • Luiz Carlos

    Muito bem Miral, concordo com você. foi bem um resumo do atual momento, abre o olho Mazola.

  • Paulo

    CRB perde pra o Sao Paulo e está caindo de produção; CSA perde pra o ASA e está em uma incrivel evolução, mesmo sem ter ganhado um jogo fora do alagoano. Eita midia azulina, vai entender.

  • Luiz

    Cade a critica do seu CSA q vc prega que está numa evolução meteorica, mas so fez 1 gol nos ultimos 4 jogos? cade? do seu CSA que nao conseguiu vencer 1 jogo fora do alagoano?

  • Márcio Oliveira

    O CRB necessita de intensidade de jogo. Acredito que o elenco tem bons jogadores, porém envelhecidos como Diego (que tem sido uma Avenida Paulista e por onde o São Paulo deitou e rolou nos 2 jogos), Neto Baiano (que iniciou bem a temporada, mas há algumas partidas não balança as redes e têm demonstrado muita precipitação na definição das jogadas), Marcão. Muitos estão devendo como Airton, Manoel, Rafael Bastos, William Santana, Juninho Potiguar, Boaventura, dentre outros. Falta, ou ainda não foi apresentado ao torcedor, o homem que fará o time jogar, o clássico 10 que organiza e municia o ataque, além de finalizador. Há carência de jogadas de fundo, triangulações, compactação do time na hora de se defender e finalizações corretas, que resultem em gols, pois o ataque está devendo, e muito. Acredito que há necessidade de usar os jovens que estão no banco, justamente para lhes dar ritmo de jogo e maturá-los para a longa trajetória na Série B.

  • um ALAGOANO

    Eu fiquei sem entender como foi aquela marcação no 2 gol do São Paulo, qd o Diego foi pra em cima do atacante veio um outro por trás pra receber a bola e ninguém acompanhou, o cara veio sozinho área a dentro e saiu o gol, um absurdo todos olhando sem nada fazer.

  • Sampaio

    Acho que o que está acontecendo com o crb é o mesmo que está acontecendo no CSA,os jogadores que compõem os elencos atuais, sabem que não tem condições técnicas para disputar a série B e sabem que vão ser dispensados,por isso desaprenderam a jogar futebol.

  • Sampaio

    O que está acontecendo com o crb é o mesmo que está acontecendo com o CSA,os elencos perceberam que não tem capacidade técnica para a disputa da série B, como também já sabem que vão ser dispensados,por esse motivo serão dispensados e consequentemente desaprenderam a jogar futebol.

    • Raphael

      É impressionante como essa torcida do CSA insiste em querer nivelar o elenco deles com o do CRB. Pra mim, regatiano, apenas 01 (UM!!!!!!!) jogador de todo o elenco do CSA é melhor que qualquer jogador de posição idêntica no CRB e, mais que isso, joga muita bola: Daniel Costa. O resto é horrível, todos, absolutamente. Não sei como não tiraram o Daniel Costa desse time do CSA, ainda. Bem que eu gostaria de vê-lo no CRB. Tenho certeza que ele jogaria aqui, no maior de Alagoas – estrutura, perspectiva, salários, torcida etc.

  • Almeida

    O Boaventura, infelizmente, é aquele tipo de zagueiro que sempre conhecemos aqui como “JOGADOR DE USINA”. É aquele tipo de jogador que “FECHA OS OLHOS” e mete o pé na bola, sem se preocupar se vai acertar ou não, e caso acerte, sem se preocupar pra onde essa bola vai ou pra quem vai sobrar; por isso um índice tão grande de erros. Acho que ele precisa de alguém que o oriente sobre essas falhas e que o ajude a corrigi-las. Sempre que a bola vai pro pé dele, o coração do torcedor dispara.

  • Rogério Barboza

    Marlon, não vou se repetitivo na questão da qualidade. O CRB não a tem como apregoado, tá provado e ponto (vide jogo com o Coruripe).São jogadores medianos já desgastados fisicamente. Vamos adentrar na questão tática. O CRB é um time previsível e sem transição, joga a base de ligação direta em 80% do jogo. Penso que Mazola deve começar a repensar seus conceitos quanto a essa formação. Explico: Leilson e Rafael Bastos podem jogar juntos sim. O modelo sem um centroavante fixo poderia aproximar as linhas e por consequência daria uma maior retenção de bola (posse progressiva), já que existe no elenco jogadores rápidos no terço final do campo. Outra questão refere-se a seus volantes precisam participar do jogo, Juliano é um jogador ultrapassado, só toca pro lado, extremamente lento e sem tempo de bola. Pelo que tenho visto esse modelo sem centravante fixo poderia mudar de alguma forma a cara desse time. Do que adianta ter centroavante se a bola não chega trabalhada, só dividida. Ainda mais que a qualidade de Neto e Marcão é muito discutível. Aliás, Marcão tá aqui porquê?. É visivelmente um ex-jogador em atividade.