Os desafios para o inédito período de quatro anos – Blog do Marlon
A preocupação (e, a correção) na fala de Omar Coelho
A realidade do momento: CRB mantido, ASA caindo e CSA subindo

Rafael Tenório será reeleito nesta quinta-feira para um inédito mandato de quatro anos a frente do CSA. Inédito porque pela 1ª vez, o CSA define estatutariamente um período mais longo para o seu presidente executivo.
Após o sucesso dentro de campo nos últimos dois anos, o mandato de quatro anos foi entendido pelos azulinos como um período ideal para consolidação, crescimento e projeção do clube como um todo. E para este momento, o atual presidente seria o personagem ideal.
Rafael Tenório tem prometido tornar o CSA um ‘case nacional’, uma referência administrativa no país. Não se pode duvidar das intenções do presidente até porque ele próprio é um case de sucesso empresarialmente falando e agora demonstra mais equilibrio no trato com o clube azulino.
Como sempre demonstrou amor pelo CSA, Tenório foi ‘convencido’ a participar do CSA em outras oportunidades. Só que naquele momento não estava pronto para o CSA. Em pelo menos duas oportunidades, ele começou e não terminou. Agora é completamente diferente. O presidente do CSA tem rigorosamente resultados no futebol, começou um trabalho silencioso – mas importantissímo – de sanear o clube, zerando débitos históricos no aspecto cível e trabalhista, pretende ampliar o patrimônio do clube, fortalecer a marca do clube com licenciamento de produtos e loja própria, além de planejar a reconstrução das divisões de base.
Falando de futebol, o presidente do CSA não esconde duas vontades: conquistar o título alagoano e levar o clube para a Série A. É claro que o futebol tem outras variáveis, que tornam alguns desejos mais complicados, mas Rafael Tenório chegou a um estágio calçado pelos dois últimos anos de prometer e cumprir.
Por fim, Rafael Tenório assumiu o CSA há três anos com o discurso de resgate do clube. Conseguiu. Agora como será que Tenório entregará o clube daqui a quatro anos?
Opine, discuta, traga a sua visão.

  • Moa

    Pra cima deles AZULÃO…
    AZULÃO ÊÔ….PÔ…

  • Sampaio

    É a oportunidade de investir na base, não só para formar craques, más também o cidadão.sei que isso não dá mídia, porém é de fundamental importância.

  • Luiz R S Filho

    Marlon, o que vem acontecendo atualmente no Centro Sportivo Alagoano não é por toque de mágica. É o resultado do engajamento de pessoas, sejam dirigentes, conselheiros e torcedores, somado ao um plano de trabalho e ações no exercício da “gestão compartilhada” a que sempre pontua o Presidente Rafael Tenório. A evolução da estrutura física assim como o investimento na formação de atletas da base, é fundamental para não só alcançar a Elite do futebol brasileiro como lá permanecer.

  • José A de Oliveira

    Rafael Tenório é o melhor dirigente em atuação no futebol Alagoano, além de está cercado de pessoas competentes e de visão, mas essa tarefa de transformar um time que até o início do ano passado não tinha calendário nenhum, divisão zero, digamos que foi um milagre, huunmmm. Que os dois CSA e CRB façam uma excelente campanha na série B se for possível algum dele subir, maravilha, se não subir que se mantenham, dependerá da competência de suas diretorias.

  • André

    O CSA é o maior produto esportivo de Alagoas, estava faltando alguém que conseguisse levantar o gigante adormecido. Com a visão empresarial do presidente somado a nação fantástica azulina o time pode ir muito mais longe. CSA alcançou a Série B em dois anos, já reestruturou o CT, departamento médico, já lançou grife própria, loja própria e está projetando a construção de estádio. CSA entrou num ciclo virtuoso que é como um rolo compressor, esmaga tudo que tiver pela frente e é difícil de parar.

Deixe uma resposta Sampaio
Cancelar reply