Repetição de comportamento e o limite que o Galo está envolvido – Blog do Marlon
Acreditar é o que nos resta
Chegou a hora de algo a mais! Mas e se a bola não entrar?

João Paulo (16) foi o grande nome do Figueirense e do jogo: gol e comando do time em campo – Foto

E a bola entrou…mas no nosso lado. O CRB repetiu comportamentos, ações, reações que está mostrando ha um bom tempo. Visivelmente é um time intranquilo, sem confiança.

A derrota por 3 a 1 para o Figueirense mostrou um CRB fragilizado, que perde o controle emocional por qualquer decisão, por qualquer ação acontecida. Perder foi muito ruim, ainda mais da maneira como o CRB perdeu.

Não sou médico, nem técnico, nem falei com o jogador, mas claramente, o goleiro Edson Kolln não estava 100%. Ele não batia tiro de meta. Ele não tinha a explosão, a força para saltar, para ter o impulso para subir e isto ficou claro no segundo e no terceiro gol. Em contra ponto a isto, observou-se que o deslocamento lateral não apresentava problema. No primeiro tempo ele salvou o Galo na cabeçada do Zé Antonio e no pênalti, ele escolheu o canto certo e foi bem na bola, mesmo não conseguindo a defesa.

O CRB entrou em uma fase na qual vai precisar torcer contra outras equipes e entendo que o alvo direto é o Luverdense. No jogo contra o Internacional, qualquer coisa que não seja a derrota deverá ser comemorada como lucro.

Mesmo neste ambiente será preciso que o torcedor mostre que ainda precisa ter confiança. Mas do que protestar, xingar, é preciso apoiar o grupo, pois somente estes jogadores, esta comissão técnica e esta diretoria poderá evitar um iminente rebaixamento do CRB.

O Jogo

O CRB começou a partida de maneira muito interessante. Ele apresentava uma marcação forte, sem deixar espaços para o Figueirense e travando as principais opções ofensivas da equipe catarinense. Isto demorou cerca de 20 minutos. A partir deste momento, o Figueirense entendeu como o jogo funcionaria e passou a dominar as ações, imprensando o CRB e criando situações, jogadas que levavam perigo. As finalizações de média distância passaram a ser uma alternativa. E o CRB se entregou no jogo.

Para completar, o time regatiano foi punido com um lance no final do tempo inicial. Em um lance que se repete ao longo da partida, com uma carga do zagueiro sobre o jogador do Figueirense, o árbitro Rafael Klaus marcou uma penalidade. Entendo que foi o pênalti ‘caseiro’, que foi o pênalti para o time de Série A, com maior peso de camisa. O Figueirense fez 1 a 0.

Esperava o CRB diferente no segundo tempo, mais ligado, com mais atitude. Até achei que isso iria acontecer. O time voltou antes do tempo estipulado para o intervalo, mas tomou um gol de intervalo logo aos três minutos. Visivelmente, o goleiro Edson Kolln não tinha explosão, não conseguia impulso para saltar e nesta falha, soltando a bola, o Figueirense fez 2 a 0.

Com desvantagem no placar, o CRB mostrou outra postura saiu para o jogo. Levo em consideração que o Figueirense recuou suas linhas, passou a marcar mais baixo e ser reativo, mas o CRB mostrou Danilo Pires surgindo como opção pelo lado, Ratinho participativo, Botelho chegando na área, se apresentando para o jogo, situações que não foram vistas. Mas o prejuízo já estava estabelecido.

Em nova falha do Kolln, o CRB tomou o terceiro e o jogo estava definido. O time ainda chegou a um gol. Mazola realizou mudanças que não surtiram efeito, principalmente a entrada de Tinga, quando ele tinha Elvis, como opção. Zé Carlos no lugar de Neto Baiano foi trocar um pelo outro, somente pelo aspecto físico.

Não gostei de arbitragem de Rafael Klaus, caseiro, deu a penalidade que acho que não aconteceu. Nota 7. O craque e o garçom ficou para João Paulo (Figueirense,16).  O técnico Milton Cruz teve um desempenho melhor que Mazola Júnior.

  • Rodrigo da silva

    O CRB de roteiro não aguenta tanta humilhação!!

  • ivo

    Nada fácil e a historia se repete, manter um grupo de jogadores nessa condição é dose. Será que isso é ser profissional? Colocar em campo um bando de jogadores que antecipadamente já sabemos qual o resultado, melhor escalar os pratas da casa, aliás nos dois anos anteriores tivemos duas revelações, esse ano nem isso e ainda corremos o risco do rebaixamento, um bando de jogadores para serem esquecidos.

  • Juscelino Heitor

    Marlon não perca tempo escrevendo sobre o REBAIXADO CRB , não tem audiência , tiraram o DADO no maior absurdo do futebol, para trazer o mascador de chiclete .

  • José A de Oliveira

    Marlon correto sua análise, por mais que a torcida, imprensa os bons comentaristas como você e outros der o diagnóstico do time, não tem jeito o time não tem padrão de jogo, não tem infiltrações não tem nada que imite um time de futebol, para piorar estão totalmente descontrolados emocionante, quando levar um gol abre a porteira.
    A diretoria a principal culpada, lá atrás naquele jogo contra o Itabaiana que o CRB deixou de se classificar na Copa do Nordeste quando deixou de vencer o jogo, mostrava que essa equipe não tinha qualidade nem controle emocional, o time titular é praticamente o mesmo salvo o goleiro uma ou outra peça vez em quando entra. Em vez de contratar como fizeram outras equipes liberou jogadores como Mailson, recentemente o Juliano e a dispensa do Dado Cavalcanti desarrumou o que ainda funcionava.
    Esse técnico só tem uma vitoria magra contra o ABC, CRB tem sido a pior equipe do returno, pior que o Náutico e ABC técnico escala mal coloca jogador sem condições e quando precisa trocar demora e muda mal. Se não está nada funcionando e com a equipe sem reação nao tem mais o que perde, já é certeza que o Internacional vencerá o próximo jogo, a única coisa que podemos perder é a derrota que é certa. Então.

    • José A de Oliveira

      O correto seria a dispensa de alguns jogadores inclusive o técnico, mas eu temos por essa atitude se viesse acontecer, pois a diretoria não sabe agir nos pontos chaves. ABC com salários atrasados colocou garotos da base e venceu o Londrina de goleada e poderia ter feito mais pois os garotos jogaram com raça e determinação. No caso do CRB, não te uma base boa para substituir esses jogadores que não rende mais. No início do ano e durante a competição foi cobrado à entrada de garotos como Dudu e outros, inventaram uma desculpa e nada. Preferiram contratar mais mala.

  • Lindomar

    Marlon, parabéns pelo comentário.
    É hora de motivar o CRB. O presidente tirou o Dado (técnico ), usando a desculpa que era pra motivar a equipe . E agora????
    Redonda presidente ou o técnico continua prestigiado ???

  • Eduardo Sarmento

    Marlon, na minha opinão, há muito tempo o maior problema do clube de Roteiro é o extra campo, e o maior responsável por isso é um presidente amador, irresponsável e sem credibilidade. Como não existia uma referência para fins de comparação, a torcida do segundo clube do Estado achava tudo lindo, até as piadinhas de mau gosto e os atos de desrespeito com o Maior e mais tradicional Clube de Alagoas, eram exaltados. Pois, é, agora que existe a gestão do Rafael Tenório como parâmetro, agora que elevaram o sarrafo, a mesma torcida que exaltava amarga a dura realidade de um clube inexpressivo, apático e rumo à serie C.

  • Abdias

    Time rebaixado desde a saída do Dado. Acabou o ano do CRB.

  • Luiz Gustavo

    Tudo isso é retrato de uma diretoria sem pulso, nem postura com essa comissão técnica e jogadores acomodados e sem condição físicas e emocionais para reagir. Não vejo outro caminho: série C

  • Abrahão

    Marlon, o Sr. José A de Oliveira deveria se candidatar a treinador do CRB, pois deve ser um torcedor modinha. Os torcedores de csa estão torcendo pela queda do CRB (maior de Alagoas) por medo dos confrontos de 2018. O filho tem que respeitar o PAI.

    • José A de Oliveira

      Sr. Abrahão, agradeço a lembrança pelo meu nome, mas ipotese nenhuma eu seria treinador do CRB,para isso tem que ser pessoas experiente no ramo, mas dirigente sim, eu tenho esse sonho, mesmo porque como dirigente eu ajudarei o os jogadores quando achar que fosse necessário, mostrando os erros e também a correção. Por isso meu sonho no futuro como dirigente é, fazer uma estrutura que tire no médio e longo prazo da base o CRB grande e vitorioso. Pessoas como Marcos Barbosa é importante continuar como presidente por muitos anos, não dono, mas presidente, porque? ama o CRB já deu provas disso, tem experiência e continua ganhando, tem muito conhecimentos que abre portas para o CRB para patrocínio e etc. Agora, o momento de unir forças e colocar o CRB de volta a ser o maior de Alagoas.

  • um ALAGOANO

    Só demonstra a falta de comando no clube, o Presidente não tem uma linha de trabalho clara, é o momento que define suas ações e isso fica evidente quando vemos a situação do time na tabela e ano passado na hora que mais o clube precisava de tranquilidade vem as denuncias de que jogadores não se esforçaram o necessário nos jogos decisivos aqui em maceió, ou seja não é definido antecipadamente pois o presidente fica passando a mão em jogadores já conhecidos que não somam mais nada pro grupo, assim fica difícil.

  • um ALAGOANO

    Sem falar na bobagem de demitir o Dado Cavalcante pra”sacudir o grupo”, mas quem precisa de uma chacoalhada é o próprio Presidente que não acordou ainda pra o que é uma gestão de clube, com prestação de contas, pessoas capacitadas nas áreas prioritárias do clube e acima de tudo acabar com o “tudo eu” e passar comandos pra os profissionais do ramo e cobrar, essa conversa que “Nossa Senhora vai ajudar o time” não funciona.

  • Roger

    Lamentável, um time acostumado a jogar está competição-diretoria dispensa um treinador que mudou a forma do time jogar- por conta de alguns resultados negativo, que não tiveram tanto impacto como estar tendo os atuais resultados. Falta transferência, falta liderança. De fato Marlon, estamos a mercê desses jogadores e infelizmente desta diretoria que nunca mostrou interesse em lavar o CRB para série A. Colocando a culpa na torcida Regatiana, devido a baixa adesão do sócio torcedor. Creio eu que o futebol Alagoano tem vivido um dos melhores momentos da história, torcedores completamente comprometidos com os times da casa, graças ao trabalho de profissionais da imprensa como você, Marlon! Que a ajuda a divulgar o futebol local e nos enche de orgulho.

Deixe uma resposta Rodrigo da silva
Cancelar reply