Repetir é uma palavra chave neste momento – Blog do Marlon
A importância do título e os efeitos para 2018
A proximidade com o título e a necessidade de uma grande organização

João Paulo Penha foi o destaque do time do CRB; atuação qualificada, buscando o jogo e sendo premiado com belo gol, – Foto: Pei Fon – TNH1

O CRB voltou a ser um time instável. Característica apresentada ao longo de toda competição e até mesmo dentro de quase todas as partidas, o time mostra uma variação impressionante de rendimento. Contra o Náutico, uma atuação de encher os olhos no primeiro tempo esbarrou na falta de qualidade nas finalizações e isto é terrível para um time sem confiança, intranquilo, psicologicamente abatido.

No segundo tempo, era previsível que o time diminuísse o ritmo e que em função de tudo que fez no 1º tempo, sem conseguir a vantagem batesse a falta de confiança.

Se faço esta avaliação e monto este texto chamando para a palavra ‘repetir’, o leitor pode perguntar: repetir o que? Repetir o desempenho com mais qualidade na finalização. Repetir o apoio do torcedor vindo das arquibancadas, isto já na sexta-feira, em uma nova decisão, desta vez contra o Boa Esprote.

Nesta reta final, o apoio, a confiança, serão mecanismos essenciais para obter um bom resultado e por consequência, atingir o objetivo de permanecer na Série B para 2018. Existe risco de cair? Claro que existe, principalmente se nas próximas rodadas, a equipe entrar na zona de rebaixamento, mas o dinamismo, a intensidade, a criação de oportunidades apresentadas no primeiro tempo são sinais que há qualidade. É hora de aproveitar o que o CRB tem de melhor para se afastar desta posição de risco.

O Jogo Tático

 

A mobilidade e troca de posições, desorganizava o encaixe da marcação do Timbu: Olívio iniciava a construção, Danilo Pires arrastava a marcação de Renan e Edson Ratinho passava sozinho: um passeios no 1º tempo – Imagem: Tatical Pad – Marlon Araújo

Até tomar o gol no primeiro tempo, o CRB fazia uma partida de muita qualidade. João Paulo Penha buscava o jogo. Tinha na finalização de média e longa distância, nos deslocamentos no terço final do campo, na insistência em buscar o jogo ofensivo, as principais características. O time criava situações, mas pecava no momento final da jogada ofensiva. Foi punido com um gol em uma falha individual de Edson Kolln, mas João Paulo Penha acabou premiado com um belo gol.

O segundo tempo teve uma grande atuação do técnico Roberto Fernandes. Ele modelou o time do Náutico para jogar nas costas dos laterais do CRB. Foi feliz nas trocas e dentro da limitação da equipe, que estava sem dez, isso mesmo, dez jogadores, entre suspensos, machucados, conseguiu fazer com que o time mostrasse uma proposta eficiente.

Tanto é verdade que o Náutico voltou a frente do marcador, em uma assistência de Leílson, que havia entrado no tempo final, para uma nova falha individual, mas três minutos depois, Jeferson, que vinha sendo uma das importantes peças do Timbu, soltou uma bola e Neto Baiano empatou o jogo.

Em virtude de ter sido mais feliz principalmente nas mudanças, Roberto Fernandes teve um trabalho melhor na partida. O garçom foi Edson Ratinho e o craque da partida foi João Paulo Penha. Enquanto teve gás e não mudou de posição, foi a principal peça ofensiva da equipe. Jogando por dentro, não conseguiu funcionar. O árbitro mineiro Wanderson Alves de Souza fez um boa atuação.

  • Felipe Mauricio

    Marlon, faço um apelo para que você possa passar essa ideia de colocar um programa de esporte pela manhã. Quando chegamos, no dia posterior de algum jogo, para trabalhar, ficamos sem ver videos ou algum tipo de noticias mais profundas (já que nem sempre temos acesso a internet). obrigado.
    Saudações Azulinas.

  • Abdias Neto

    Mais uma vez jogaram bem e o resultado não veio por erros individuais, o receio é: a cada jogo que passa fica mais difícil sair da parte de baixo da tabela, o CRB acaba o campeonato jogando contra times que estão no G4 várias rodadas, Paraná e América e antes ainda pega o Internacional no RS. Ou seja, a essa altura do campeonato é melhor que joguem mal e o resultado venha. Perder pontos agora não é nada bom, sem falar no saldo de gols do time que está preocupante, já que isso também é um critério de desempate, caso necessário. A torcida está fazendo sua parte e isso é bonito de ver. Eu acredito no CRB. #AvanteGalo!

  • José A de Oliveira

    Marlon você está certo, percebemos que os jogadores do CRB tem vontade de vencer, vontade é importante mas não é tudo, falta qualidade nas criações, falta um camisa 10 como o nosso rival do mutagem tem, um jogador que pensa toca a bola consciente e com qualidade, desde o começo do ano foi cobrado esse jogador que só os adversários descobriram, CRB consegue algumas jogadas pelos lados de campo mas pelo meio nada, as vezes surge algumas jogadas o atacantes entra nos espaços, mas não há o lançamento e os espaços se fecha é questão de milésimo de segundos não olhou não percebeu já era, Zé Carlos está tendo dificuldades de dominar as bolas, são jogadas manjadas, todos os zagueiros já sabem ele domina a bola prevendo que o zagueiro está por trás e tenta se escorar, na maioria das vezes os zagueiros sabendo que ele é lento não deixa ele se escorar e passa na frente dele justamente no momento de domínio da bola, ele não inova os mesmos erros o tempo todo, outra coisa, ele se antessipava aos zagueiros quando a bola era jogada no espaço vazio fazia muitos gols de cabeça, hoje ele espera a bola chegar na cabeça onde ele está, sempre está bem marcado e mal fisicamente não faz gols. Nenhuma dificuldade acontece por acaso.

  • Marcus Henrique

    Bela visão Marlon, Mazolla errou feio na entrada do Erick Sales já que Rodolfo tinha jogado bem há alguns jogos, quanto ao Botelho não dá pra culpar o Mazolla pois ele entrou muito bem na Curuzu e quase dá o gol da vitória pro Neto!

  • José A de Oliveira

    Marlon,CSA bombando e o CRB precisando de ajuda de todos nós e você sumiu? Está comemorando o título?

    • José A de Oliveira

      Marlon, melhor comentarista esportivo de Alagoasestá fazendo falta seus valiosos comentários. Meu querido.

  • José A de Oliveira

    Eu gostaria de apenas pedir ao CRB que pare de jogar como time que está na zona do rebaixamento, time nervoso e desorientado. Bom lembrar, CRB tem 38 pontos não venceu as duas últimas partidas mais também não perdeu, precisa apenas aprimorar fundamentos como chutes fora da area, faltas da entrada da area e treinar bem os cobradores como Elvis e Diego, chutes de longas distâncias ajuda. Flávio Boaventura precisa ter calma ele é um dos melhores zagueiro da série b, CRB precisa dele Adalberto tranquilos. Acho com Elvis CRB joga melhor e tem tendência de melhorar mais. Situação ruim está o Santa Cruz com 31 pontos e ABC quase rebaixados e mesmo assim jogam com determinação e não jogaram a toalha, CRB com 38 pontos devia está mais tranquilo, já provou que pode reagir como reagiu antes e venceu líderes como Internacional e América-MG é só ter tranquilidade aprimorar os fundamentos. Técnico é experiente e sabe fazer. Uma coisa é certa, nunca irão encontrar moleza, então, porque vai dar moleza ficando nervosos e errando, facilitando as coisas para os adversários?