Apagão custou caro a um time desorganizado e sem confiança – Blog do Marlon
CSA ganha 1ª semifinal, se aproxima de decisão, mas torcedor tem menos apetite
A sacudida necessária e que ainda não aconteceu

Está claro que o CRB é um time sem organização e sem confiança. O desenho do que aconteceu ontem, no Estádio do Café, em Londrina, deixou isto muito claro.

O Galo foi goleado pelo Tubarão por 4 a 1 em uma partida atípica. CRB teve mais posse de bola, teve mais volume de jogo, teve o adversário com um jogador expulso , mas não teve  qualidade para aproveitar a superioridade numérica construindo princípios de jogo para ampliar a superioridade.

O resultado disto foi que o alerta em relação a um risco de rebaixamento ou brigar para fugir de uma situação incomoda passará a ficar latente, mais forte com a proximidade das outras equipes.

Ninguém dúvida que o CRB tem um time melhor que o ABC, mas também é verdade que o time alagoano irá enfrentar a equipe potiguar em um clima e com um ambiente de pressão inimaginável, correndo risco de entrar na zona de rebaixamento se não vencer o adversário, jogo este que será o primeiro  de dez decisões que o CRB terá na parte final da Série B.

O jogo tático

O time do CRB veio a campo mais leve, com uma transição rápida e moldado para ser um time veloz, com transição e com eficiência.

Mas o futebol é cruel. Logo aos seis minutos, o CRB toma um gol irregular em uma falha de marcação e com Germano em posição irregular.

O Londrina não possui um organizador. O jogador que mais se aproximava disto, Celsinho foi dispensado e sem o homem que pensa o jogo, ele fez o gol e passou a esperar o CRB, jogar no erro, buscar a transição. O desenho do 1º tempo teve o Galo com posse de bola e sem qualidade de finalização. A melhor oportunidade foi com Elvis que chutou mas o goleiro do Tubarão fez uma grande defesa.

Na volta do segundo tempo, Mazola enxergou o jogo de forma perfeita.  Tirou Marion que nada acrescentou trazendo Pablo para tentar mudar o poder de fogo do time. O CRB voltou melhor, com o mesmo volume, com posse de bola. Já estava estabelecido que o CRB se aproximava do empate. Aos 12 minutos, Jumar foi expulso e a partir deste momento, todos imaginaram que o empate seria apenas uma questão de tempo.

Mas três minutos depois, o CRB sofreu um apagão e tomou dois gols de forma bisonha. No primeiro, o jogador vence o Danilo, vence o Ratinho, finaliza entre as pernas do Juliano. No outro tinha três jogadores – Diego, Adalberto e Olívio e mesmo assim, o jogador do Londrina cruzou e Boaventura fez contra. O Galo chegou a diminuir com Adalberto. Mazola buscou alternativas, tentou usar dois referências – Neto e Zé Carlos – mas o CRB não consegue mais ter organização.

Ao final o Londrina ainda chegou ao quarto gol premiando o time mais efetivo. O craque do jogo foi Germano (8-Londrina) e o árbitro Ricardo Marques Ribeiro teve uma ótima atuação. Não recebeu nota máxima pois foi prejudicado pelo erro do assistente ao validar o gol irregular de Germano logo no começo da partida.

  • Adeilton izidio

    Marlos
    Tá mais do que provado que foi uma precipitação a demissão do técnico anterior….
    Mexeu tudo ….
    Deveria ter esperado mais….

  • José A de Oliveira

    Marlon, perfeita sua análise, você sabe disso eu sei, a maioria da torcida sabe, mas os jogadores que nos representam dentro de campo, sabem? pelo jeito que jogam, não, nem procuram se atualizarem, pelo jeito eles não acompanham as outras equipes e não lêem e não aprendem nada. Embora acho que a equipe precisa tomar um banho de Sal Grosso e coisas desse item, não é normal uma equipe que recebe em dias e já foi líder não terem mas energias nem atitudes dentro de campo. Tempo todo cometendo erros infantis de marcação, criação e finalização. Sal Grosso serve para afastar energias negativas e até bruxarias se houver. Internacional usou o Sal Grosso no beira Rio e provavelmente nos jogadores, depois disso não perdeu mas e está praticamente de volta a série A. Nesse momento todos os jogadores tem que jogar fora todas as energias negativas que acumula com as derrotas, não é normal uma equipe que já foi líder ficar sem energia e está levando gols sempre nos últimos lances do jogo, tempo todo.

    • José A de Oliveira

      Ressaltando, apesar da goleada atipica, o Olívio deu uma outra qualidade ao meio de campo do CRB jogou muito melhor que o Londrina, só não tem finalização, Neto Baiano e Ze Carlos precisam tomar um banho de Sal Grosso urgente, aliás, toda a equipe.

      • um ALAGOANO

        Nem uma mina de sal resolve problema de quem não consegue mais jogar bola, são ex jogadores em atividade, já deu, acabou mas insistência de manter jogadores sem condições é incrível.

  • Helio silva

    Perfeito, enxerguei o mesmo que você , porém CRB paga cara o mal momento de trocar treinador , Mazola JR , desarrumou o que se tinha de modelo de jogo . Mazola tirar o Edson Kohll foi só para causar mais inveja dentro do elenco .

  • um ALAGOANO

    Põe tudo na conta do Sr Marcos Barbosa, passador de mão na cabeça de marmanjos( jogadores de futebol), li uma entrevista de Dado Cavalcante que teria barrado dois jogadores que chegaram bêbados no aeroporto ou seja era pra serem punidos mas o presidente não aceitou a punição que o Dado propôs e obrigou que eles fossem com time pra jogar, sem futuro essa direção.

  • Glorioso

    CSA rumo a série A
    CRB rumo a série C

  • André Peixoto

    Marcos Barbosa é o grande responsável, tenho informações que até o Alarcom foi contra a demissão do Dado .

  • karlos ferreira

    Faltam 10 partidas pra terminar a serie B 2017

  • LUCIO ROCHA

    CRB …….CRBarbosa, tchau, foi

  • Ricardo Moura

    José A.Oliveira, creio que faltará sal no Nordeste.

    • José A de Oliveira

      Realmente Ricardo Moura, quando os cabras são ruins não tem jeito, mas pelo menos tira esse azar de tá lavando gol no ultimo lance, está virando rotina.

  • um ALAGOANO

    Imagino como ficará o presidente Marcos Barbosa se o csa chegar e ganhar a final da serie C, mas tudo culpa dele mesmo ao avaliar mal as condições do grupo de jogadores, essa questão do tudo eu, quem decide, quem manda, quem fala, quem paga ou seja tudo é com ele, assim um dia a casa cai.

Deixe uma resposta karlos ferreira
Cancelar reply